segunda-feira, 10 de Setembro de 2012

O futuro… sem Hulk

Publicada por RCBC segunda-feira, 10 de Setembro de 2012

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

Antes de mais, devo dizer que com ou sem Hulk considero o plantel do FC Porto superior, com razoável distância, ao das outras 15 equipas do campeonato. Não tenho grandes dúvidas sobre isto! Em segundo lugar, devo dizer que acho extraordinário que em 2 anos consecutivos, o FC Porto tenha vendido “só” os seus 2 melhores jogadores (os mais decisivos entenda-se), Hulk e Falcao, e entendido que não se deveria reforçar no mercado de Verão. No caso de Falcao, corrigiu o erro na reabertura do mercado e foi buscar Janko que até marcou vários golos e ajudou na caminhada para o título. A ver vamos se em Janeiro de 2013, não terá que ir novamente ao mercado…

Feitos os pontos prévios, devo dizer muito abertamente que reconsiderei as minhas expetativas em relação à próxima época não internamente, onde penso que o FC Porto tem as hipóteses do costume de revalidar o título nacional, mas sobretudo em relação à campanha europeia, onde o FC Porto tem necessariamente de se colocar numa posição diferente face à atual conjuntura (entenda-se venda do seu melhor jogador). Não vale a pena entrarmos em hipocrisias, falinhas mansas ou alheamentos da realidade: com Hulk, para além de um bom grupo de jogadores, o FC Porto tinha um jogador fora-de-série que resolvia imensos jogos com golos, assistências e arrancadas incríveis, resolvendo individualmente o que o conjunto não conseguia resolver. Sem Hulk, é certo que o FC Porto continua a ter um bom grupo de jogadores, mas simplesmente não tem a genialidade inconfundível de um jogador que resolvia jogos com uma facilidade tremenda! Com o cenário atual, devo dizer que a passagem do FC Porto aos oitavos já me parece uma boa campanha e apenas aquilo que se pode exigir a este plantel. Direi mesmo que a passagem aos oitavos da champions será uma boa campanha, uma passagem aos quartos será algo de muito bom e uma passagem à meia-final ou final será algo de épico.

Olhando para o plantel, ressurgem-me algumas dúvidas em relação ao esquema tático que VP deverá utilizar em vários jogos quer do campeonato, quer da champions. Acho que o FC Porto não se pode apegar exclusivamente a um 4x3x3 que explorava como ninguém as características únicas de Hulk. Obviamente que não defendo a mudança permanente para um esquema tático diferente do 4x3x3, um esquema que tão bons resultados tem dado ao longo dos últimos (muitos) anos de vitórias nacionais e internacionais. O que defendo sim é uma flexibilização de esquemas táticos (de acordo com as circunstâncias), que permita não haver excessiva dependência do 4x3x3 que funcionava tão bem com o brasileiro (e antes funcionava bem com Quaresma), mas que agora poderá ter algumas nuances de modo a retirar o máximo de rendimento dos atuais jogadores do plantel. Ou seja, se calhar em alguns momentos da época a utilização de esquemas alternativos será melhor do que a utilização sistemática do 4x3x3.

Passo a explicar o porquê de levantar essa questão tática… Para mim a grande chave do sucesso vai estar em aproveitar ao máximo as características dos jogadores. Não em adaptar os jogadores a um sistema que tantas vitórias nos tem dado mas que não pode ser algo de imutável, sem alternativas que igualmente sejam benéficas para a própria equipa. Aí claramente VP terá um papel fundamental em perceber quais as características individuais dos seus jogadores que possam levar a equipa a um patamar elevado, seja em que esquema tático for.

Há algumas questões essenciais para a definição tática do FC Porto, no período pós-Hulk, nomeadamente:
  1. James é claramente o sucessor natural de Hulk em termos de genialidade e capacidade de resolução de jogos. É um jogador que apresentando mais regularidade do que aquela que se tem visto pode aproximar-se da importância que Hulk tinha na equipa. Mas parece-me que não rende o seu máximo jogando como extremo, como Hulk tão bem o fazia. James tem outras características, igualmente geniais mas que se podem inserir noutro esquema tático, que não o 4x3x3. Tem excelente qualidade de passe, fantástica visão de jogo e também um remate portentoso, para além de uma técnica sublime. São características ideais para um número 10, uma posição que não existe no atual 4x3x3 do FC Porto. Daí a tal necessidade de retirar o máximo rendimento dos melhores jogadores do plantel, adaptando o esquema tático que melhor possa servir essas mesmas características.

  2. Varela, Atsu, Kelvin e Iturbe serão as restantes alternativas para a posição de extremo. VP terá de contar com várias situações relacionadas com estes jogadores e que poderão ter influência no planeamento a longo prazo da equipa. Atsu, Kelvin e Iturbe são 3 jovens com enorme qualidade e excelente margem de progressão. No entanto, há fortes possibilidades de entre janeiro e fevereiro Atsu e Iturbe estarem ao serviço das suas seleções. Kelvin é um jogador com experiencia de 1ª liga mas no Rio Ave, o que lhe obriga a um percurso de crescimento que ainda não o fez. E Varela não tem a regularidade que se pretende para um jogador titular do FC Porto. Para além disso, não sei se Iturbe renderá o seu máximo na posição de extremo ou numa posição de apoio ao ponta-de-lança, uma espécie de avançado móvel, não necessariamente extremo. Em suma, há várias nuances que terão de ser bem analisadas quando se pensar de forma simplista na substituição linear de Hulk por Iturbe, Kelvin, Atsu ou Varela.

  3. O FC Porto tem dois laterais com imensa vocação ofensiva, Danilo e Alex Sandro, que se poderão envolver com muita qualidade nos momentos ofensivos da equipa. Um eventual esquema tático sem extremos, confere aos dois laterais a possibilidade de subirem muitas vezes, reduzindo a dependência da existência de um esquema com extremos.
Resumindo, penso que é desejável acima de tudo que se aproveite ao máximo as características de James, que penso não serem ideais para um extremo mas sim para um número 10. E também penso que é importante que se aproveite bem a vocação ofensiva dos dois laterais. Juntar tudo isso ao resto das dinâmicas da equipa, fazendo com que tudo isto funcione bem será o trabalho de VP, e não é assim tão pouco. E para além disso, acho que é desejável não sobrecarregar jogadores com imensa qualidade, mas também inexperiência, com tremendas responsabilidades em substituir Hulk, porque geralmente o excesso de responsabilidade corre mal. A ver vamos o que tudo isto dá!

4 comentários

  1. Na generalidade concordo com a opinião expressa à qual acho terá faltado uma pequena adenda ou paragráfo se assim quiser. E tem a ver com a gestão do nosso RICO (sem sentido figurado!) plantel.

    Para que raio serve a equipa B se, nem aí, jogadores como o Iturbe, Kelvin, e outros talentos jovens do plantel, podem ganhar o devido traquejo - jogando em competição a sério - para irem entrando na equipa principal???

    Se não são convocados para os jogos da 1ª liga (kelvin foi convocado para assistir ao jogo na bancada em Olhão.....), se não há motivos disciplinares - pelo menos que se saiba - embora corra por aí nos habituais "mentideros" que há noitadas de Iturbe, no que não acredito, sinceramente, porque carga d'água se lhes paga o ordenado em vez de os emprestar a quem "ajude " na despesa e os ponha a jogar????????

    Diz-se nos tais "mentideros" que Castro ficou na equipa por imposição de PC! Até gosto do moço, é das nossas escolas, sente o Porto como ninguém, mas que diabo, ficar por imposição do Presidente????

    E todos nós, os que cá andam há algum tempo, sabemos o efeito que esses "mentideros" têm na equipa....


    Cada vez percebo menos a gestão da actual periclitante direcção (PC incluído)!

     
  2. Comcordo consigo na sua apreciação.
    Ha coisas que se passam no nosso clube, que não da para entender e não se percebem... Deviam ser mais claros para os socios e adeptos, as coisas mais bem explicadas. Eu sei que as vitorias emcobrem muita coisas. Outra coisa não entendo a pulitica de marketing do nosso clube, não há um incentivo a filiação de novos socios, não ha aquele espirito de inovação e criar iniciativas e pacotes para venderem mais produtos do clube, têm de ser criativos e inovadores e não vejo isso no meu FC Porto! As camisolas custão quase 80€, um absurdo, nos tempos que correm, mais valia ter uma marca de equipamento mais modesta, nem que fosse portuguesa, mas podia ser estrangeira, seria uma novidade mas com preços a rondar os 30/35 euros, agora 80€!!!!
    Desculpem o desabafo mas coisas coisas que como socio e portista, não consigo perceber, pois vendiam de certeza 4 x mais equipamenmtos do que vendem.
    Outra coisa que falta desde Mourinho, incentivo e apelo aos socios e simpatizantes para irem ver os jogos e apoiar, não vejo por parte do treinador uma palavra a nos incentivar e a apelar pelo apoio, fora de casa e mesmo em casa, falta esta ligação mais forte com os adeptos e simpatizantes!


     
  3. RCBC Says:
  4. Off-topic

    "Luís Duque e Rui Meireles, antigo responsável pelo departamento financeiro do clube "leonino", foram condenados a dois anos de prisão por evasão fiscal, com suspensão por quatro anos e três meses. Ambos terão ainda de pagar ao Estado indemnização no mesmo valor. "

    Os cabrões que gostam tanto de atirar pedras aos telhados dos outros, pelos vistos nem telhados têm... Para que conste: Luis Duque e Rui Meireles, DIRIGENTES DO SPORTEM, foram condenados por um tribunal civil por crimes cometidos no exercício dos seus cargos de dirigente desse clube...

    Resta esperar agora para ver o que acontece ao outro que depositou 2.000€ na conta de um árbitro...

    Tudo bons rapazes...

     
  5. A verdade é que acredito profundamente que o futuro é continuar a ganhar as competições que se avizinham.

     

estatisticas


Free Counters
online
artigos
comentários



Dragão Agenda 2013/2014


blog BiBo PoRtO júnior


dossiers EXCLUSIVOS


o apito Bermelho