18 novembro, 2010

Calma, que isto ainda agora começou.....

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

  1. Na ressaca da estrondosa vitória sobre os menstruados, fica-me o dissabor de não termos atingido o mítico resultado do PSV sobre o Feyenoord (10-0). Podíamos tê-lo alcançado, tal foi o nosso domínio avassalador, a nossa supremacia tremenda, o nosso rolo compressor que depenou as figurinhas do presépio que se deslocaram desde o galinheiro. Não tivesse existido um certo “levantar o pé”, que se compreende, pois isto é ganho por pontos e não por golos, e a esta hora poderíamos ainda estar a recordar o facto de termos marcado tantos golos como temos pontos de vantagem.
    Algo que me tem divertido imenso é a campanha descarada que tem vindo a ser levada a cabo, tentando retirar o mérito da vitória ao FCPorto, atribuindo toda a responsabilidade deste resultado ao demérito vermelho. Mas mais grave, é que alguns Portistas, parecem alinhar pelo mesmo diapasão de comunicação social centralista, para quem tal vitória se deveu unicamente aos alegados erros do catedrático JJ.
    Pelo minha parte, não os vou deixar esquecer tão cedo o dia 07-11-2010. Num sorriso cínico, num cumprimento de mão bem aberta, ou num banal e-mail, faço questão que não caia no esquecimento tamanha humilhação, pois se fosse ao contrário, ainda hoje tínhamos as primeiras páginas dos jornais com alusões a esse dia, bem como teríamos que levar com os menstruados a fazer os seus habituais comentários aparolados em relação ao fim do apito dourado, à fruta, ao café com leite e às escutas do youtube.


  2. Uma das grandes imagens de marca deste treino à porta aberta com os menstruados, foi o esquema de segurança montado para o efeito. Consta-se que o Vaticano já pediu explicações às autoridades portuguesas, para perceber o porquê do Santo Padre não ter merecido honras idênticas.
    Falar sobre o ridículo dessa operação, seria dar importância a todos aqueles que nos consideram o perigo público número um da sociedade portuguesa, como se fossemos aqueles que matam adeptos com very-lights, aqueles que colocam em coma jogadores de hóquei em patins ou aqueles que fazem apelo ao uso de armas.
    Prefiro antes focalizar-me em algo que temos de alertar desde já, quando ainda faltam 10 dias para o jogo de Alvalade. Que dispositivo policial vai existir para esse encontro? Que medidas de protecção vão ser dadas à nossa equipa na chegada à capital do império, e depois no percurso até ao estádio? Que meios vão ser colocados ao dispor daqueles que têm por obrigação proteger a nossa equipa? Será que uns são filhos de Deus e outros são filhos da outra senhora?
    Aguardemos para ver, mas sempre numa postura de denúncia, numa postura de quem não permita tratamento díspar, pois os impostos que viajam desde o Norte do país até lisboa, devem ou pelo menos deviam ser utilizados independentemente do clube em causa.


  3. Jorge Nuno Pinto da Costa, ele sim doutorado em futebol, tem mostrado a sua habitual frescura, tendo no início desta época, feito mais uma jogada de mestre, pela qual lhe reconheço total mérito. Mesmo perante a desconfiança geral, da qual eu também fazia parte, não por entender que existia falta de valor, mas sim por ainda não existir comprovativo do mesmo, foi contratar um treinador sem qualquer curriculum e ainda por cima, com pouquíssima experiência de 1.ª Divisão. Chamou a si toda a responsabilidade e peso que esta decisão tinha num momento algo sensível, e mais uma vez, demonstrou que quando não ouve ninguém, quando decide absolutamente sozinho, quando chama a responsabilidade das decisões apenas a si, normalmente as coisas correm bem. Como qualquer ser humano, já cometeu erros, mas são esses que confirmam a regra.
    A aposta em André Villas Boas era bastante arriscada, mas qualquer nome naquela altura não reunia consenso. Perante isso, fez aquilo que um grande líder faz: abre o peito, alarga as costas, assume o ónus das decisões, e corre os riscos que delas possam decorrer. É um vencedor inato, um mestre de bem decidir.


  4. André Villas Boas tem sido sem qualquer margem para dúvidas a grande figura deste início de época do nosso clube. Sereno, sem criar guerras ou atritos desnecessários que apenas servem para distrair a equipa das suas principais atenções, teve o condão de fazer algo que há já alguns anos não acontecia no Dragão: criar empatia entre equipa e público.
    Na verdade, mesmo com três campeonatos em quatro épocas, Jesualdo Ferreira nunca conseguiu empolgar a muito exigente massa associativa portista, sendo sempre um alvo fácil de atingir. Injustas, na minha opinião, muitas das críticas que lhe foram apontadas, visto que ano após ano, foi assistindo à partida dos seus melhores atletas, bem como atravessou o período mais difícil da presidência de Pinto da Costa (o apito dourado) não tendo como tal o apoio que outros técnicos tiveram, muitos deles com muito menor sucesso desportivo. Durante esse período, os visados pelo processo não poderiam naturalmente manifestar-se. Ainda assim, nem outros, aqueles que colhem louros pelas vitórias mas não aparecem nas derrotas, surgiram em defesa de Jesualdo, surgiram em defesa daquele que é o único treinador tri campeão da história do nosso clube. Estariam provavelmente mais ocupados a redefinir o novo organigrama do clube, com muitos “jobs for the boys”.
    Numa situação de limite como a que vivemos no final da época passada, com alguns erros desportivos, mas essencialmente com demasiadas distracções competitivas (o túnel da Luz foi o maior exemplo, dado que a estrutura foi avisada antecipadamente, mas ainda assim, caíram como uns ”patinhos”), acabou por quebrar o elo mais fraco, sendo o nosso Presidente forçado a procurar sangue novo.
    Em boa hora o fez, muitos dirão, mas mantenho a firme convicção de que se AVB estiver 4 épocas no FCPorto e alcançar 3 títulos de campeão nacional e 2 taças de Portugal, certamente será reconhecido como um treinador de sucesso. Se tem condições e perfil para tal? Pelo que tem demonstrado, sem dúvida que sim. É um facto que ainda só venceu uma supertaça, para além de um punhado de jogos com boas exibições, mas a tal empatia que criou, faz-nos sonhar e acreditar que podemos chegar mais além.


  5. Finalizar o primeiro terço do campeonato com uma vantagem de 10 pontos, permite-nos abordar os próximos compromissos com a tranquilidade própria de um líder incontestado.
    Ainda assim, relaxar pode ser “a morte do artista”. Não me parece que AVB assim o vá permitir, pese embora alguns profetas da desgraça já o terem anunciado no jogo com o Portimonense. Uma partida sem dúvida menos conseguida tanto individual como colectivamente, mas onde foi possível gerir esforço, poupar jogadores com lesões que de outra forma jogariam, limpar cartões, o que tudo somado se saldou na ausência de Sapunaru, Maicon, Fernando, João Moutinho, Falcao e Varela apenas 38m em campo.
    O que distingue os campeões dos outros, é a capacidade de ganhar mesmo quando jogam menos bem, quando é preciso ganhar a sofrer, o que até nem foi este o caso.
    Além disso, temos que estar preparados para à mínima aproximação dos nossos adversários, não faltarem primeiras páginas a anunciar a nossa suposta crise, o relançar do campeonato, o regresso da competitividade.
    Os próximos jogos são por isso fundamentais, pois se não permitirmos qualquer aproximação nas 3 rondas seguintes (Sporting – fora; Setúbal – casa; Paços de Ferreira – fora;) com Liga Europa e taça de Portugal pelo meio, depois entramos numa fase com menos jogos, logo podemos gerir melhor o esforço, com 2 jogos seguidos em casa (Marítimo e Naval) e arrancar definitivamente para aquilo que todos esperamos seja a reconquista pelo título.
    Como tal, concentração máxima do grupo de trabalho é o que se pede. Simultaneamente, exorto todos a que marquem presença já no próximo domingo em Moreira de Cónegos, depois em Alvalade e posteriormente em Paços de Ferreira.
VAMOS PORTO!!!

5 comentários:

  1. Meu caro Norte:

    "Prefiro antes focalizar-me em algo que temos de alertar desde já, quando ainda faltam 10 dias para o jogo de Alvalade. Que dispositivo policial vai existir para esse encontro? Que medidas de protecção vão ser dadas à nossa equipa na chegada à capital do império, e depois no percurso até ao estádio? Que meios vão ser colocados ao dispor daqueles que têm por obrigação proteger a nossa equipa? Será que uns são filhos de Deus e outros são filhos da outra senhora?"

    Não tenho qq dúvida q o acompanhamento que as gentes do Porto terão até à capital será idêntico ao de épocas anteriores. Vigilância mínima pois tratam-nos como pessoas de segunda. O acompanhamento q os menstruados tiveram na última vinda ao poço do dragão, a q só faltou a viatura do papa (estava em barcelona nessa altura senão era lá q o Jesus e o vieira vinham), só acontece pq o ministro da adm.interna, benfiquista doente e presença assídua no fedorento camarote da luz, assim o determinou. Para uns tudo, para outros nada. Resta-nos jogar onde o fazemos melhor, na relva.

    ABRAÇO

    ResponderEliminar
  2. Bom artigo sobre André Villas Boas em:
    futebolpoliticamentecorrecto.blogspot.com

    A ler, está muito bem feito

    ResponderEliminar
  3. Continua a goleada desta feita pelas mãos do nosso Norte que com os pés bem assentes na terra alertando que nada está ganho, mas que não se pode esquecer o dia 7 de Novembro e acima de tudo lembrá-los desta grande humilhação.

    Parte que mais gostei foi claro o ponto 4 onde enaltece o valor de Villas Boas e sem nunca faltar ao respeito ou entrar em comparações elogia e defende o seu antecessor, eu subscrevo na totalidade o ponto 4 e é o meu sentimento, e faço-o sem qualquer problema.

    Norte é escusado dizer que foi um prazer ler o teu post, já sabes que foi!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  4. nORTE,

    a primeira nota vai mesmo para a moda que parece vai «pegar»... menstruados sim, e logo desde 1908 ;)

    depois, e pegando nos teus pontos muita bem expostos e explicitos pa Portista ver, ler e aprender, diria em meia dúzia de palavras, que:

    1. quem não tivesse «visto» a verdade, e se contentatasse com o «lido», diria que não foram uns que ganharam, mas sim, foram os outros que perderam... o já habitué blábláblá pa encher chouriços dos menstruados & Ca. Lda!

    2. custa, sim, e muito, mas é uma verdade de la palisse neste país repleto de parolos, invejosos, ridiculos e mediocres... uns são tratados como filhos de «Jesus», outros, d'uma coisa qualquer... dúvidas?! alguém as ainda tem?

    3. JNPC sabe mais a dormir, do que muitos acordados... "fez aquilo que um grande líder faz: abre o peito, alarga as costas, assume o ónus das decisões, e corre os riscos que delas possam decorrer. É um vencedor inato, um mestre de bem decidir". Ora nem mais, ora nem mais!!!

    4. AVB merece todo o nosso apoio, cobertura, e dedicação, pois só todos juntos, a uma única voz, atingiremos o sucesso por todos e tantos de nós esperados... já JF, por 1001 razões, que bem deixas sub-entendidas, merece todo o nosso respeitinho!!!

    5. ouro sobre azul chegar ao final do ano, com a concorrência, no mínimo, à mesma distância de hoje... que mais poderiamos pedir? que depressa chegassem os momentos de festança, que é nossa imagem de marca de há 3 décadas para cá, contra tudo e contra tolos.

    aKeLe aBrAçO.

    ResponderEliminar
  5. Norte, excelente, está tudo dito, e estou de acordo com tudo o que aqui escreves-te!

    A dos " menstruados" também acho bem....;))


    BIBÓ PORTO

    ResponderEliminar