CLICK AQUI  CLICK AQUI  CLICK AQUI  CLICK AQUI

segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Não é preciso estar-se muito atento ao contexto em que se move a generalidade da comunicação social para se perceber uma clara linha estratégica na maior parte dos pasquins lisboetas, aos quais se juntam um conjunto significativo de blogs “teoricamente” afetos ao FC Porto mas que desesperadamente não fazem outra coisa desde que começou a época senão:

1) desvalorizar tudo o que de positivo o FC Porto de JL tem feito; e
2) empolar ao máximo os aspetos negativos do FC Porto de JL.

Neste sentido, é curiosa a análise que tem sido feita por alguns "iluminados" ao percurso do FC Porto na Champions League (CL) deste ano. Compreendo perfeitamente a enorme azia com que muita gente viu o FC Porto apurar-se para os oitavos-final da CL ao fim de 4 jogos, em contraponto com as dificuldades dos outros 2 clubes portugueses, e compreendo até a azia de alguns portistas mais preocupados com a m**** das suas opiniões e do seu irrelevante umbigo do que com sucesso do clube. Vamos então a algumas curiosidades no que respeita à "fraqueza" do grupo que calhou em sorte ao FC Porto!

Em primeiro lugar, importa que os mais desatentos percebam que o FC Porto é por direito próprio uma equipa do pote 1 da CL fruto das suas excelentes participações europeias ao longo dos últimos anos. Como a massa cinzenta dos palermas anti-Portistas é inexistente, convém também explicar-lhes que o facto de uma equipa se encontrar no pote 1 aumenta as probabilidades de evitar as equipas mais fortes, exatamente porque estas se encontram no mesmo pote.

Depois importa olhar para os adversários do FC Porto, segundo muitos palermas, adversários “fraquitos” que têm facilitado a sua missão. Importa dizer que o Shakhtar tem sido o crónico campeão da Ucrânia, passou duas vezes a fase de grupos da CL nos últimos 4 anos (os encornados em 11 anos conseguiram passar as mesmas 2 vezes!), conta com um treinador experiente com excelente palmarés e dispõe de um plantel com jogadores internacionais pelos mais variados países, desde a Croácia, Ucrânia, passando até por aquele país de tão fracos recursos futebolísticos chamado Brasil (na ultima convocatória de Dunga estiveram lá 3!). Para além disso, mantêm uma estrutura de há muitos anos, ganharam uma Liga Europa em 2009 e participam regularmente na CL. São por isso uma equipa muito “fraquinha”.

Depois há o Bilbau, outra fraquíssima que até está num campeonato também ele de fraquíssima qualidade. Lembro-me como se fosse ontem do Bilbau na pré-época ter arrumado os encornados de forma clara e de na altura muitos cornos (os mesmos que agora dizem que o Bilbau é fraquinho!) terem justificado a derrota encornada com a qualidade dos bascos. Também me lembro quando saíram os possíveis adversários do playoff para o FC Porto a imprensa ter sido unânime em dizer que o Bilbau era o pior adversário possível que poderia calhar aos Dragões. Depois após o sorteio, o Bilbau vs Nápoles era considerado o grande jogo do playoff de acesso à CL. E resta também lembrar que após um mau começo na Liga Espanhola, os bascos têm recuperado na tabela classificativa, estando já no 9º lugar após já ter estado no fundo da tabela. É de facto uma equipa "fraquíssima" que por acaso ainda não tinha perdido no seu estádio com nenhuma equipa portuguesa em toda a sua história, mas claro tal não tem importância nenhuma porque se trata do FC Porto.

Depois há também o BATE Borisov, uma espécie de Áustria de Viena mas com mais experiência na CL. Efetivamente uma equipa fraquinha.

Quando ouço dizer que este é um grupo “fraquinho” lembro-me de coisas do “arco da velha”. Lembro-me da época 95/96 em que falhámos o apuramento num grupo com potências mundiais como o Aalborg, Nantes e Panathinaikos, da época 98/99 em que o grande Dínamo Zagreb nos roubou a possibilidade de passar a fase de grupos, da maravilhosa época de 2005/2006 em que ficamos no último (!) lugar de um grupo que incluía o colosso Artmedia Bratislava (lembram-se?) e o fantástico Rangers ou ainda da época 11/12 em que não passamos num grupo com o estratosférico Apoel de Nicósia e o Shakhtar Donetsk, com praticamente os mesmos jogadores de agora. Ah, e também me lembro de no ano passado não termos conseguido ganhar no Dragão, o que teria sido suficiente para passar aos oitavos, a essa referência do futebol mundial chamada Áustria Viena. Não há qualquer dúvida de que o FC Porto nunca foi eliminado num grupo de qualidade similar ao que apanhou este ano. Nunca! Jamais!

Sou o primeiro a apontar o que está mal, mas em abono da verdade devo elogiar a equipa e o treinador pela participação deste ano na CL. Fizeram o que uma grande equipa no panorama europeu como o FC Porto deve fazer: ganhar os jogos seja contra que adversário for e demonstrar o porquê de ser uma equipa de pote 1. E é isso que o FC Porto tem feito na presente edição da CL, faltando ainda a cereja no topo do bolo que será ficar no 1º lugar do grupo e evitar adversários teoricamente mais fortes. Em Borisov não pode haver o mínimo relaxamento porque o objetivo que falta ainda é importante. FORÇA FC PORTO!

NOTA OFF-TOPIC: António Oliveira foi um grande jogador do FC Porto, foi um jogador fundamental na equipa que quebrou o jejum de 19 anos, um título tão importante (quiçá o mais importante!) da história do clube. Desde que me lembro de ver futebol, devo dizer que a seguir às épocas de Mourinho, AVB e Robson, o melhor futebol que vi o FC Porto praticar aconteceu na época 96/97, ano em que com Oliveira no comando técnico finalmente se atingiu o tão ambicionado tricampeonato. Lembro-me de nesse ano termos dizimado a concorrência e ganho o campeonato com quase 30 pontos de vantagem sobre os encornados e meia dúzia sobre os lagartos, lembro-me de termos enfiado 5/0 em pleno galinheiro HUMILHANDO vergonhosamente os patetas e lembro-me também da brilhante vitória em San Siro frente ao Milan e de termos caído nos quartos-final da CL aos pés do Manchester United de Cantona e companhia. Guardo todas essas memórias para mim e sou grato a TODOS os profissionais que representaram bem o FC Porto. Por tudo isso, aliás sobretudo por tudo isso, Oliveira deveria colocar por um momento a mão na consciência e pensar se uma zanga pessoal/familiar justifica o papel triste que anda a fazer num trio moderado por um benfiquista manipulado por outro benfiquista de Paredes. É um papel tão triste, tão triste, que deveria envergonhar o próprio. E Oliveira pelo grande profissional de futebol que foi, não merece descer a um nível de um triste ressabiado que traz zangas pessoais/familiares para defender ideias completamente inquinadas pelo seu ódio pessoal. O que é pena pelo grande conhecimento que Oliveira tem pelo futebol jogado dentro das quatro linhas.

PS: Mais um penaltie claro por marcar a favor de um adversário de uma determinada equipa, lance que poderia permitir o 3-2 mesmo nno final da 1ª parte. Costuma-se dizer que o que é demais enjoa... neste momento o cheiro é nauseabundo.

Continuar a ler “O “FRAQUINHO” GRUPO DA CHAMPIONS.”...
domingo, 23 de Novembro de 2014

capas da imprensa

Publicada por bLuE bOy Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “capas da imprensa”...
sábado, 22 de Novembro de 2014

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/


Um dos problemas que tem afectado esta época a nossa equipa, para além de algumas arbitragens vergonhosas, como aconteceu em guimarães ou em alvalidl, é a aparente excessiva rotatividade dos atletas na equipa principal de futebol. O futebol é o único desporto colectivo que conheço onde as mudanças são limitadas ao longo de um desafio, pelo que só por aí, é um desafio enorme aquele que se coloca aos treinadores no momento de gerirem os atletas que compõem os plantéis. Esta gestão é ainda mais complicada quando o leque de atletas é marcado por tão elevada qualidade como o nosso plantel deste ano.

Eu, que nunca fui treinador, olho para este tema do lado onde gosto mais de estar no desporto e onde posso ser útil ao meu clube, a bancada. A minha percepção é que a gestão tem que ser feita com pinças uma vez que ao longo dos meses que compõem uma época, todos os atletas irão passar por momentos de menor fulgor ou por momentos onde não poderão mesmo jogar como sejam castigos ou lesões.

Por esta questão, é extremamente importante que todos os atletas mantenham a percepção de que poderão ser utilizados em qualquer jogo, pois caso contrário, quando for mesmo necessário recorrer a eles, não estarão minimamente tranquilos nem preparados para poderem dar o seu contributo positivo à equipa.

Como considero que quem está com os atletas diariamente e afere o seu rendimento nos treinos está muito melhor preparado que qualquer adepto para tomar as decisões, não consigo perceber a utilidade de algumas publicações que se encontram, por vezes, pela internet, onde se tentam colar rótulos de culpados em alguns atletas como tem sido nos momentos mais recentes, o caso de Adrián Lopez.

As publicações que se encontram são coisas como 3 jogos em que perdemos pontos e contaram com a presença de Adrián. Este tipo de publicações/estatísticas é perfeitamente desmontável, bastando para isso juntar a ficha de jogo da 1ª jornada da fase de Grupos da Liga dos Campeões em que vencemos o Bate Borisov, com Adrián no 11, e tendo inclusive feito um golo.

Outro argumento facilmente utilizável para desmontar a estatística, são as fichas de jogo das partidas em guimarães e em alvalidl, onde o Adrián não constava sequer dos 18 inscritos no 1º caso, e onde foi suplente não utilizado no 2º caso.

Acho que mais importante que tentar colocar em atletas o caso de culpados pelos insucessos da nossa equipa, nos devemos antes colocar do mesmo lado da barricada.

Mas os mais novos não pensem que Ádrian é caso único na história do FC Porto. Já muitos outros atletas do FC Porto foram igualmente maltratados. Por exemplo, lembro-me de Mariano González, um atleta que foi “pau para toda a obra” e que jogou em quase todas as posições possíveis numa equipa de futebol. No entanto, se recuarmos mais no tempo, o caso de Semedo também é semelhante, mas aí, a memória não me permite ter tantos detalhes.

Em vez de perguntares o que o teu clube pode fazer por ti, pensa antes naquilo que tu podes fazer pelo teu clube, ou seja, juntemo-nos TODOS do mesmo lado da barricada no apoio ao FC Porto.

Até breve,
Delindro


P.S. 1 – Apesar de tudo o que se passa numa assembleia-geral dever ficar dentro daqueles 4 paredes, apenas a nota de alegria e regozijo pela decisão de em caso de obtermos uma vaga de promoção à Liga Portuguesa de Basquetebol, e visto que, felizmente e apenas com o lamento de tarde demais, o sr. saldanha abandonou a presidência da Federação Portuguesa de Basquetebol, irmos accionar essa vaga e no próximo ano estarmos de volta ao principal palco do basquetebol nacional

P.S. 2 – Gostava de aproveitar este espaço para deixar os meus votos de parabéns ao nosso capitão de Viena, João Pinto, que ontem completou 53 anos.

P.S. 3 – Aproveitar também este espaço para dar os parabéns ao Porto Canal pelo facto de ontem ter colocado no mesmo espaço de antena (90 minutos à Porto) o atleta e capitão da nossa equipa de andebol, Ricardo Moreira, um dirigente e principal responsável pelo sucesso do andebol do clube nos últimos anos, José Magalhães, e um adepto que simboliza a máxima dedicação que alguém pode ter para com um clube, José Conceição. Um clube que conte com adeptos como o amigo José Conceição nunca irá morrer porque sozinho nunca estará.

Continuar a ler “A ROTAÇÃO DOS ATLETAS NO DESPORTO OU OS PATINHOS FEIOS.”...

capas da imprensa

Publicada por bLuE bOy Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “capas da imprensa”...
sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

O ano passado, bem sabemos, não foi amostra de nada. Tratou-se de uma época atípica, muito por culpa do equívoco na escolha do timoneiro – Paulo Fonseca – como também da escolha de um plantel claramente limitado em termos de quantidade e qualidade para atacar os objectivos estabelecidos. Para não ir mais longe basta comparar os extremos do FC Porto de Lopetegui com os extremos do FC Porto do agora treinador do Paços de Ferreira. Um é servido com Brahimi, Tello, Quaresma, Adrian Lopez, Kelvin e Ricardo, enquanto que o outro começou a temporada com Varela, Licá, Kelvin, Ricardo e Josué por vezes a actuar colado à linha. Assim se vê facilmente que o fracasso do ano anterior não pode apenas ser imputado a Paulo Fonseca. Foi um falhanço claro do Presidente, desde logo porque a aposta no homem do Barreiro é sua (e desde há muitos anos se sabe que a escolha do treinador é algo de que o Presidente nunca abdicou), e também de toda a estrutura.

Portanto estamos de acordo que 2013/2014 não pode servir de padrão de avaliação para o que quer que seja. Quando muito será o expoente máximo do que não se deve fazer. Por isso, parece-me que as avaliações ao mexicano Herrera foram claramente e obviamente precipitadas. Ora vamos lá ver: Herrera vem do futebol mexicano e aterra no Sá Carneiro com a responsabilidade de fazer esquecer João Moutinho, apenas e só um dos melhores jogadores portugueses da actualidade. Jovem, é certo, mas com carradas de anos de experiência ao mais alto nível no futebol nacional.

Herrera sofreu, claro está, a pressão que Danilo e Alex já haviam sofrido. O preço, o preço, o preço. Caro para o que rende. Caro para tão fracas prestações. A preocupação com as finanças do FC Porto vira quase obsessão nestas situações. Até que chegou o Mundial e o mundo azul e branco, assim como o universo futebolístico nacional, viu finalmente o verdadeiro Herrera, um puro-sangue de força e potência capaz de carregar os mexicanos estrada fora, enchendo o pé para inúmeros pontapés-canhão, levando a equipa para a frente, comendo metros e metros, encurtando distâncias no relvado, tabelando, empurrando literalmente a equipa para a frente.

Porque é que este Herrera não aparece no FC Porto? Desde logo porque naquele FC Porto em específico ninguém aparecia, ninguém se destacava, ninguém conseguia jogar sem estar sob brasas. Herrera é um excelente jogador, mas não é, claro, nem Messi nem Cristiano Ronaldo. Não é um génio, mas é alguém que vai dar muitas alegrias aos portistas. Disso não tenho a mais pequena dúvida.

Lopetegui pode ser teimoso, mas de burro não tem nada. E é exactamente por isso que raras vezes abdica de Herrera no seu meio-campo. Ninguém duvide que o mexicano já tem lugar cativo no meio-campo portista e que dificilmente de lá sairá. É verdade que Evandro pode dar algo que Herrera não pode dar, mas com Oliver, Brahimi, Tello e Quaresma, parece-me inevitável que os músculos de Herrera e o seu pulmão vão fazer falta.

Recordo os leitores do BibóPorto que Herrera é, quase sempre, o jogador do FC Porto que mais quilómetros percorre em campo. Ele ajuda o trinco, ele tabela com o extremo, ele aparece na linha a responder à solicitação do lateral, ele faz falta, ele surge na área a fazer golo, ele vem buscar jogo, ele remata em arco para golos de bandeira (defesa de Patrício em Alvalade). Em suma, é um pau para toda a obra, um verdadeiro box-to-box sudamericano, capaz de galgar quilómetros como poucos em Portugal o fazem.

É tempo de esquecer o preço de Herrera. Vai claramente render aos cofres portistas muito dinheiro. Mas antes disso vai certamente dar alegrias à plateia azul e branca. Não é habilidoso? Não dá toques de calcanhar? Não sabe tabelar curto? O mundo não é feito de Xavis e Iniestas e, pela Europa fora, é claro que o tiki-taka agoniza no seu leito de morte. Herrera é o médio moderno, o box-to-box que a Europa aprecia, o carregador de piano do século XXI. Dizer mal de um jogador assim é blasfémia.

Rodrigo de Almada Martins

Continuar a ler “HERRERA, PATINHO FEIO OU TALVEZ NEM TANTO.”...

AGENDA DRAGÃO: 21-Nov a 27-Nov

Publicada por Pedro Pereira Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Versão PDF - clica AQUI

Continuar a ler “AGENDA DRAGÃO: 21-Nov a 27-Nov”...

capas da imprensa

Publicada por bLuE bOy Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “capas da imprensa”...
quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

CADEIRAS DE SONHO.

Publicada por Norte Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/


Acho que é opinião praticamente generalizada de que o trabalho realizado pelo Porto Canal fica muito aquém do expectável, naquilo que há defesa do nosso clube diz respeito. Bernardino Barros rompe com o “politicamente correto” e vai dizendo e relembrando muitas verdades, mas quer em termos de tempo de antena, quer em termos de agressividade no discurso, este é ainda um veículo de informação e defesa do clube que deixa muito a desejar.

Mas se há conteúdos que gosto de ver associados ao nosso clube, são as reportagens que nos vão dando a conhecer mais detalhadamente gente que, um pouco por todo o lado, vai cultivando o que é ser Porto. Gente, mais ou menos anónima, que de forma, mais ou menos próxima, vai tentando não deixar morrer aquilo que durante muitos anos tínhamos a honra de chamar de mística.

Em particular este ano, têm sido focadas algumas pessoas que estando de forma mais ou menos direta envolvidas na estrutura do clube, são indefetíveis portistas de largos anos. Gente que serve a causa que todos amamos, gente que junta a paixão ao clube ao seu posto de trabalho.
Quer queiramos quer não, é óbvio que alguma independência e desprendimento que quem está de fora pode ter a emitir opiniões sobre as realidades associadas ao clube, não pode ser encarnada da mesma forma por essas pessoas. No entanto, tal não significa que estejamos perante “vendidos” ou “mamões” como muitas vezes ouço ou leio. Eu não penso dessa forma! Penso isso sim que estamos perante gente que, pelo menos, publicamente, tem o dever de se conter nas opiniões, de se reservar ao silêncio em relação a muitas matérias e fazer o seu papel de defesa da sua entidade patronal, que para nós não passa do nosso clube, logo, algo apenas baseado na irracionalidade da paixão.

Eu, portista confesso, amante louco do meu clube, manifesto aqui a minha dose de inveja (no bom sentido!) por não poder eu também conciliar o meu clube à minha profissão, podendo juntar ao profissionalismo que todos os dias coloco ao serviço da minha empresa, a paixão louca que apenas conseguimos ter por aquilo que realmente e irracionalmente amamos! Aliás, acho que a maior parte das pessoas sente o mesmo, mas não tem a coragem e frontalidade de aqui o assumir.

Digo muitas vezes que “se há um tacho que tem que ser ocupado, ao menos que seja por alguém que seja portista”. E aqui sim começa a minha indignação!
A verdade é que o suposto profissionalismo que hoje em dia se exige a um clube e toda uma estrutura associada parece não se compadecer com meras questões clubísticas. Ora, é bom dizer que, se é verdade que ser um bom profissional deverá ser sempre condição essencial, ser portista tem que ser sempre igualmente condição fundamental. Não queremos incompetentes só por serem portistas, mas também não aceito indivíduos de outras cores só porque são bons profissionais. Não, procura-se um pouco mais, um pouco melhor, e seguramente que se encontrará alguém igualmente competente, mas dragão, que associa o tal sentido e responsabilidade profissional à paixão.

Portanto, aquilo que deveria ser normal (alguém que trabalha no clube, ser portista), é hoje motivo de reportagem. E isto acontece, afirmo eu aqui taxativamente, porque o nosso clube está cheio de profissionais que têm outro clube no coração que não o FC Porto, e então no Porto Canal nem se fala! O quanto me custa ver uma Gala dos Dragões de Ouro (ou gala dos amigos, pois basta ter um amigo influente para se pedir um convite e marcar presença no evento) com gente que sabe lá o que é o FC Porto, mas só porque trabalha no Porto Canal, ou na Porto Comercial ou noutro sítio qualquer, lá está num evento que só a nós deveria dizer respeito.
Depois ainda há quem se surpreenda com situações como estas que aqui se veêm, com gente de outros clubes nos camarotes graças ao Porto Canal, ou até na bancada reservada aos Super Dragões... e não, não vale a pena apontar o dedo à suposta “candonga”, pois acredito muito mais nos conhecimentos de amigos para amigos que levam a que fulanos de outros clubes tenham acesso a isso.
Ou pior ainda, como ocorreu recentemente com um meu amigo, que estando na loja do associado e vendo funcionários do clube vestidos de vermelho, manifestou, enquanto associado, a sua surpresa por naquele espaço as pessoas não terem o cuidado de não envergar aquela cor. Foi-lhe respondido que tal cor não tinha uma conotação clubística e cada um andava como queria... pois, alguém que trabalha num clube desportivo, e acha que as suas atitudes não têm uma conotação clubística... estamos conversados!

Termino dizendo que o Porto é e tem que ser dos Portistas!
Não compreendo hoje, nem nunca, não aceito hoje, nem nunca, que o meu clube pague salários a gente que não seja portista.

Um abraço, até sábado, um pouco mais abaixo do sítio do costume!

PS – Que grande, saborosa e épica (mais uma!) vitória do andebol sobre os lagartos.

Continuar a ler “CADEIRAS DE SONHO.”...

capas da imprensa

Publicada por bLuE bOy Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “capas da imprensa”...
quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Há cerca de um ano, quando o Futebol Clube do Porto sofreu a sua primeira derrota na Liga 2013/2014, uma das maiores críticas que fiz ao jogador que, então, envergava a braçadeira de capitão foi não ter assumido a marcação da grande penalidade que a equipa dispôs nos últimos minutos. Um capitão do Porto não pode usar a braçadeira por estar há mais tempo no clube, por ser o que vende mais camisolas ou por outro motivo semelhante. Um capitão do Porto tem que o ser pelos motivos que todos sabemos, sem que seja preciso estar aqui a enumerar. E aí, o capitão tinha que assumir!

Em meu entender, Danilo assume cada vez mais o papel de capitão do Futebol Clube do Porto. Isso nota-se nos vídeos de pré-época, nas reportagens, nas entrevistas e, acima de tudo, dentro do terreno de jogo. Dentro das quatro linhas, não tenho dúvidas em afirmar que Danilo é o homem que comanda as tropas.

Por isso, não é de estranhar que, há dias, o jogador tenha afirmado que tem toda a confiança em Jackson mas, se for necessário, ele próprio assume a marcação das grandes penalidades. Sejamos sinceros, alguém se acredita que os jogadores falham porque não treinam grandes penalidades? Basta fazer uma pesquisa no Google para encontrar declarações de treinadores de renome mundial a assumir que é impossível treinar estas situações, uma vez que a dificuldade da grande penalidade está na pressão do momento. Num treino, qualquer jogador profissional, digo eu, mete a bola onde quer da marca dos 11 metros. Então, o que está a faltar para resolver este problema das grandes penalidades que ultrapassa há muito todo e qualquer limite do razoável?

Uma atitude “à Danilo” de pegar na bola e assumir a marcação? Talvez, talvez. Contudo, volto ao início do texto e esclareço que, nesse jogo, quem falhou a grande penalidade foi o próprio Danilo. Para que se tenha noção da gravidade da situação, relembro que, nos últimos dois anos... Lucho, James, Quaresma, Danilo, Quintero, Brahimi, Jackson, Jackson, Jackson, Jackson e Jackson falharam grandes penalidades. Porquê? É difícil, muito difícil perceber. Já estou por tudo, chamem o Mestre Alves!

Para terminar o tema Danilo, é curioso puxar a cassete atrás e ver o quanto o jogador foi criticado por ter custado 13M. Hoje, digo com toda a confiança que não encontro muitos laterais direitos a jogar no continente Europeu com a capacidade (e com a idade) de Danilo. Este ano, quem sofre o peso do preço é Adrian López. O jogador que há uns meses marca o golo que coloca o Atlético na final da Champions, que joga com regularidade na equipa campeã espanhola e finalista da Champions... é o mal amado do Dragão, que há um ano tinha Licá como opção para o lugar (com todo o respeito que Licá me merece, pois acho que tem muito mais qualidade do que aquela que – não – mostrou no Porto).

Até que ponto o preço nos influencia demasiado na avaliação do desempenho de um atleta? Até que ponto nos permite achincalhar o atleta (e treinador pela sua utilização)? Até que ponto esta pressão que nós próprios colocamos beneficia o Futebol Clube do Porto? Até que ponto não somos demasiado influenciados por comentadores que humilham o treinador do Porto por levar 3 guarda-redes para os jogos fora na Champions? Jankauskas não se lesionou no treino de adaptação ao relvado de Sevilha, em 2003? Qual é o problema de levar 20 jogadores e dois ficarem de fora? É o peso a mais no avião? Por esta lógica, alguns desses paineleiros nunca poderiam viajar de avião para acompanhar o clube...

Para terminar, quero saudar o regresso do capitão Hélton aos treinos sem limitações. Não sei até que ponto estará em reais condições de disputar o lugar mas, estando bem, não tenho dúvidas nenhumas que é o número 1 do FC Porto e que está uns bons degraus acima da concorrência. Que volte rápido, é o meu desejo... ainda que muitos não estejam preparados para engolir este sapo.

Um grande abraço a todos os Dragões. Unam-se para que possamos ajudar a equipa a acabar 2014 no lugar que todos queremos.

Continuar a ler “DANILO - BRAÇADEIRA E AS GRANDES PENALIDADES”...

capas da imprensa

Publicada por bLuE bOy Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “capas da imprensa”...
terça-feira, 18 de Novembro de 2014

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/


Fim-de-semana vitorioso a 100% nas modalidades do FC Porto. Andebol e o Basquetebol lideram isolados o campeonato, enquanto que no Hóquei, os dragões têm a companhia no topo dos rivais encarnados. Tudo a correr bem antes de se iniciar um ciclo cheio de jogos complicados no andebol e hóquei, principalmente.



ANDEBOL
(1º FC Porto-27p; 2º sporting-24 p; 3º benfica-23 p)
  • FC PORTO 37-20 xico andebol
Na passada sexta-feira, cedo o FC Porto decidiu o resultado em face também da fraca oposição do adversário. João Ferraz regressou (fez 3 tentos) e essa é também uma bela notícia. Destaco os 5 golos de Gilberto e Salina, num jogo em que ao intervalo o FCPorto já ganhava por 19-6!
  • próximos jogos
No próxima 4ª feira (amanhã) jogamos em Almada (Gin.Sul), casa do Sporting, pelas 21h00, com Nicolau e Caçador no apito (em direto na andebolTV). Depois, sábado, dia 22 de Novembro, a 1ªmão do play-off da EHF no Dragão Caixa, pelas 18h00, diante do Ademar Leon de Espanha (talvez com Porto canal).



HÓQUEI EM PATINS
(1º FC Porto-19p; 2º benfica-19p; 3º sporting-16 p)
  • FC PORTO 6-1 carvalhos
  • FC PORTO 9-2 sanjoanense
Dois jogos tranquilos para os Dragões, que voltaram assim ao 1º lugar da classificação. No jogo de 4ª feira, destaco o bis de Hélder Nunes. Sábado, os 3 golos de Jorge Silva.

  • próximos jogos
No próximo sábado, pelas 19h00 de Portugal (20h00 em Espanha), o FC Porto joga a 3ª jornada da liga europeia em casa do Vendrell (se houver tv, será pelo site do CERH). Depois, Turquel, no dia 26 de Novembro.



BASQUETEBOL
(1º FCP Dragon force-8p; 2º casino ginásio-7p)
  • eléctrico 47-82 FCP DRAGON FORCE
Sábado, os pupilos de Moncho deram mais um festival de bem jogar, sendo de destacar os 13 pontos de Figueiredo, 12 de Bessa, 11 de Queiroz e 10 de Ribeiro.
  • próximos jogos
No próximo sábado, pelas 15h00, o FCP recebe o Guifões no Dragão Caixa.



Um abraço do Lucho.

Continuar a ler “HÓQUEI, ANDEBOL E BASQUETEBOL LIDERAM.”...

RESULTADOS DRAGÃO: 10-Nov a 16-Nov

Publicada por Pedro Pereira Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “RESULTADOS DRAGÃO: 10-Nov a 16-Nov”...

capas da imprensa

Publicada por bLuE bOy Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “capas da imprensa”...
segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

A GÉNESE DO FC PORTO.

Publicada por RCBC Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Mesmo que alguém pretenda branquear ou alterar de acordo com a sua conveniência a realidade do presente campeonato, as imagens e os vídeos difundidos pelas redes sociais e televisões, fruto do fenómeno da massificação dos media que durante muitos anos não existiu (nomeadamente no tempo da "velha senhora", em que os roubos eram mais facilmente branqueados!), não deixam grandes hipóteses ao branqueamento que alguns pretendem fazer em relação à vergonha que tem sido a atuação dos "homens de preto".

Quando se chega ao ponto em que Rui Santos, um histórico anti-Portista que fez e faz carreira em meios de comunicação claramente hostis ao FC Porto (lembram-se em canal dava os donos da bola?), admite ele próprio que o FC Porto pela sua “liga da verdade” deveria estar na liderança com 5 (CINCO!) pontos de vantagem sobre o 2º classificado penso que está tudo dito em relação à influência que as arbitragens têm tido neste campeonato.

Perante todo este cenário REAL e INDESMENTÍVEL para alguém normal e minimamente honesto, urge fazer mais algumas reflexões sobre a posição que o FC Porto deve tomar e que os adeptos devem ter perante tudo isto.

Os adeptos devem, na medida das suas possibilidades, denunciar os vários erros de arbitragem que têm sucedido jornada após jornada sempre no mesmo sentido. Utilizando os meios que têm à sua disposição, sejam as redes sociais ou blogues, os adeptos devem continuar a denunciar alto e bom som o que se vai passando em campo, sem medo de nada nem ninguém.

Os profissionais do FC Porto só têm uma saída para responder a todas as adversidades que vos falei nos parágrafos anteriores: responder a tudo isto EM CAMPO, é assim desde sempre, é a única forma do FC Porto no fim sair vencedor e honrar a história gloriosa do clube. A grande verdade é que as adversidades que este ano se nos têm deparado, conjuntamente com o facto do treinador e jogadores novos ainda estarem à procura do maior entrosamento entre si, bem como o normal desconhecimento inicial de algumas “manhas” do futebol português, não constituem nada de novo em relação à história do nosso grande FC Porto.

Se há coisa que gosto de fazer, e todos os Portistas o deveriam fazer, é ler sobre a história do clube, aquela que vai além da nossa idade para percebermos a génese e identidade do clube, a forma como o clube lutou durante anos com imensas dificuldades contra os poderes instalados, as muitas adversidades que enfrentou e que soube sempre, com maior ou menor dificuldade, ultrapassar. Isto é a génese do FC Porto! Foi a génese do FC Porto que o levou ao topo do Europa e do Mundo, com conquistas grandiosas como Taças dos Campeões, Taças Intercontinentais, Taças UEFAS, Supertaças Europeias e um domínio interno esmagador que em alguns anos até foi regado a água e luzes apagadas.

A génese do FC Porto é ter um nível de excelência interno que lhe permite lutar contra tudo e contra todos. Não tenho a menor dúvida que o FC Porto atual (sim, o FC Porto de Lopetegui!) ao seu melhor nível é capaz de vencer todas as adversidades que se lhe vão continuar a deparar.

Um clube que durante décadas viveu num futebol português inserido num regime ditatorial em que o Presidente da Federação só podia ser de um de três clubes, todos da Aérea Metropolitana de Lisboa;

Um clube que mesmo contra Calabotes venceu campeonatos;

Um clube que durante anos lutou contra os muitos “roubos de igreja” a que se referia Pedroto;

Um clube que foi roubado indecentemente numa final da Taça das Taças em 1984 frente à Juventus do corrupto platini, mas que soube com perseverança e de forma brilhante ser campeão Europeu 3 anos depois batendo o todo-Poderoso Bayern Munique numa final em que toda a gente apontava o esmagador domínio dos alemães;

Um clube que conseguiu acabar completamente com o domínio vermelho que assolava o futebol português desde os anos 60, humilhando várias vezes no seu próprio estádio a equipa das galinhas, vencendo pentas e tetras, arrecadando taças de Portugal contra “pedregulhos de lagartos” (grande João Pinto!) e supertaças algumas até disputadas em Paris;

Um clube que teve de lutar contra um país maioritariamente anti-Portista e conseguiu, fruto do mérito e capacidade de um grande Homem chamado PINTO DA COSTA, transformar-se num dos grandes clubes europeus, habitual presença no pote 1 e fase a eliminar da Champions League;

Um clube que ao longo da sua história conseguiu lutar contra tudo isto, é obviamente capaz de lutar contra os “motas”, “paixões” e “duartes” da atualidade!;

Tem é de ser um FC Porto muito forte, unido e competente, minimizando os erros próprios. No fundo, ser o FC Porto que todos nós conhecemos!

NOTA FINAL: Contextualizando o meu post no atual cenário, parece-me claro que até ao final do ano a equipa tem de estar em rotação máxima, sem descansos ou pés tirados do acelerador. É fundamental selar o 1º lugar no grupo da Champions e não voltar a ter diarreias mentais no campeonato para não alargar a desvantagem para o 1º, que à conta da "paixão" de "jesus" ou de "mota com qualquer duarte" lá irá continuando a ganhar os seus jogos com maior ou menos dificuldade. Os próximos jogos são fundamentais para se perceber de que matéria é feito este FC Porto. E acredito que é feito da mesma matéria que nos levou a tantas e tantas vitórias ao longo das últimas décadas. Pela minha parte fico a torcer pelo vosso sucesso, que também será o meu.

Continuar a ler “A GÉNESE DO FC PORTO.”...

capas da imprensa

Publicada por bLuE bOy Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “capas da imprensa”...
domingo, 16 de Novembro de 2014

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/


Os meus queridos amigos não me conhecem.

No entanto, quem vivenciou a década de noventa e o início do milénio como catraio reconhecerá, certamente, o seguinte sentimento.

Durante a minha infância, adolescência e início de juventude tive o enorme prazer de assistir a grande lances, enormes vitórias e feitos históricos do FCP. O penta, Mário Jardel, Mourinho, Deco, Porto-Lazio, Sevilha, Gelsenkirchen e por aí fora.

Foram momentos inesquecíveis que, feliz e recorrentemente, o FCP me dá a oportunidade de repetir.

Mas há uma coisa que também não deixo de recordar.

Sempre que o FCP ganhava, e ganhava reiterada e categoricamente – porque tinha, efectivamente, os melhores jogadores, os melhores treinadores, a melhor estrutura e os melhores adeptos – o ruído de fundo era sempre o mesmo: o Pinto da Costa, os árbitros e a fruta.

Só os mais fortes, só aqueles com maior presença de espírito não cedem à tentação de, antes de qualquer autocrítica ou de análise séria, desenterrar causas externas e cabalísticas para a sua própria incompetência, ignorância e impreparação.

E foi assim que, orgulhosamente, ignorei, durante anos a fio – e anda ignoro! -, todos aqueles que foram e continuam a ser incapazes de reconhecer que o FCP se tornou e é, de longe, o maior e o melhor clube de futebol português após a queda do regime.

Repito, os meus amigos não me conhecem.

Mas se me conhecessem saberiam - e posso afirmá-lo com tranquilidade - que, talvez por tudo aquilo (seguramente por tudo aquilo!) não atribuo especial importância e atenção aos lances de arbitragem.

Exemplo claro foi o último Estoril - FCP: as três grandes penalidades não assinaladas a favor do FCP interessam-me muito pouco quando comparadas com os erros próprios que a equipa cometeu (designadamente desacerto táctico, Adrian perdido e penalty infantilmente concedido).

Mas o que se registou no jogo Rio Ave - Benfica foi, a meus olhos, o lance mais grosseiro, mais miserável, mais indigente que me recordo de assistir.

Falo, como não podia deixar de ser, disto:

E esqueçam a linha. Está bem colocada, está mal colocada. Esqueçam. Isso é para o Rui Santos se entreter.

Relevam aqui três pontos essenciais.

Em primeiro lugar, o jogador do Rio Ave que acaba por fazer golo está em linha. Não é possível, com seriedade, dizer que o homem está fora de jogo. Mas, como se sabe, em caso de dúvida, que admito perfeitamente que possa existir, o ataque deve ser beneficiado. Não foi. O fiscal de linha não teve, portanto, dúvidas.

Em segundo lugar, o dito fiscal de linha está completamente desenquadrado com o lance. Está, sem exagero, uns bons metros atrás da posição que lhe permitiria ajuizar – e como dissemos, ainda assim, com dúvidas – o lance. Tendo em conta a posição completamente desfasada do lance e a velocidade da jogada, não era possível, com seriedade, assinalar o fora de jogo. Ainda assim, o fiscal de linha não teve dúvidas.

Em terceiro lugar, o referido fiscal de linha só sinaliza o fora de jogo ao árbitro de campo quando a bola já está a caminho da baliza, quase a beijar as redes. Ou seja, as dúvidas que o fiscal de linha não teve dissiparam-se quando o Rio Ave faz o golo.

Não sei se este fiscal de linha é aquele que coloca no seu facebook frases e imagens de incitamento e de orgulho benfiquista. O que sei é que, curiosamente, este lance, repito, o mais miserável que já tive o desprazer de assistir, foi ajuizado, sem qualquer dúvida, a favor do Benfica.

Não será por isto, ou por lances semelhantes, que o FCP não atingirá os seus objectivos. Esta época, como sempre (à excepção de percalços contados e passageiros), o FCP é o melhor.

É, de facto, muito melhor.

Em condições normais vai ser campeão.

E em condições anormais...

... murro na mesa...

Também vai ser campeão!

Pedro Ferreira de Sousa

Continuar a ler “O MAIS MISERÁVEL CASO DE ARBITRAGEM DO FUTEBOL PORTUGUÊS.”...

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

O Estádio do Dragão foi construído para substituir o velho Estádio das Antas que abriu as portas em 1952. Foi inaugurado em 16 de Novembro de 2003 num jogo particular com o FC Barcelona e utilizado em 2004 em cinco jogos do campeonato do Euro 2004, foi palco do jogo inaugural deste grande evento desportivo, disputado entre Portugal e a Grécia no dia 12 de Junho, onde a equipa anfitriã foi derrotada por 2-1. Aqui também tiveram lugar os jogos da fase de grupos Alemanha - Holanda e Itália - Suécia, a 15 e 18 de Junho, respectivamente, e ainda o jogo dos quartos-de-final entre a República Checa e a Dinamarca, e a meia-final que opôs a Grécia e a República Checa.

O estádio teve uma construção conturbada. Durante a construção, conflitos entre o presidente do clube, Jorge Nuno Pinto da Costa e o presidente da autarquia, Rui Rio, levaram a sucessivas paragens na obra e adiamentos. O estádio foi projectado pelo arquitecto Manuel Salgado e custou cerca de 98 milhões de euros, dos quais 18,5 milhões pagos pelo Estado.

Durante a construção, houve uma viva discussão sobre o nome a dar ao estádio. "Estádio das Antas", "Novo Estádio das Antas" e "Estádio Pinto da Costa" foram alguns dos nomes propostos. Pinto da Costa recusou o seu próprio nome e escolheu "Dragão" por referência ao Dragão que figura na presidência do clube.

O Estádio do Dragão, pela sua excelência, tem servido de inspiração para construções similares noutros países. Dois exemplos: um dos projectos para o novo estádio nacional da Irlanda do Norte, a construir em Maze (perto de Lisburn), tem o Dragão como modelo; no âmbito do Campeonato do Mundo de 2014 uma delegação constituída por empresários, arquitectos, representantes de clubes, do sector da construção e de governos estaduais e perfeituras visitou os estádios do Euro 2004, tendo elegido o Dragão como o "mais bonito", "harmonioso" e "interessante" dos visitados e um caso "a copiar" no Brasil.

Estádio do Dragão, um local onde todos nós no sentimos em casa, e onde partilhamos muitas alegrias!

Continuar a ler “11º ANIVERSÁRIO DO ESTÁDIO DO DRAGÃO.”...

capas da imprensa

Publicada por bLuE bOy Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “capas da imprensa”...
sábado, 15 de Novembro de 2014

MAIS DE 2000 KM EM 5 DIAS.

Publicada por Tripeiro Categoria: ,

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Esta semana demos mais um exemplo de amor ao FC Porto.

1400 quilómetros de ida e volta a Bilbao. Isto para quem mora no Porto, pois a viagem é ainda maior para quem mora, por exemplo, na capital. E há quem tenha vindo de Lisboa para nos acompanhar até Espanha.

Chegada a casa por volta das 9h de quinta-feira. No Sábado seguimos até à Póvoa de Varzim para apoiar o hóquei em patins. Os do costume lá marcaram presença e deixaram um pavilhão inteiro especado em tais adeptos, que não se calavam um instante, mesmo com a sua equipa a golear facilmente. Uma nota negativa para os 7,5 euros de bilhete para público, isto num pavilhão de uma equipa que subiu este ano à primeira divisão. Relembro que no Dragão Caixa o preço dos bilhetes para público rondam os 3 ou 4 euros!!!

Domingo à hora de almoço, partida para o Sul! Os ultras do FC Porto depois de uma grande deslocação ao estrangeiro fizeram mais 600 quilómetros para marcar presença no Estoril. Um jogo típico do futebol moderno, sem qualquer respeito pelos adeptos, apenas pela televisão. Domingo à noite lá estivemos, ao frio, a cantar pelo FC Porto, mesmo sabendo que chegaríamos a casa na madrugada de um dia de trabalho.

Positivo verificar os muitos portistas que existem na capital, uma das bancadas centrais era só adeptos do FC Porto. Atrás da baliza, numa bancada nova, ficaram as claques, Super Dragões e Colectivo e na outra central, uma mistura de adeptos de ambas as equipas. Estávamos claramente em vantagem no número de adeptos, algo impensável noutros tempos.

O “Gruppo”, claque do Estoril, apresentou-se em bom número e foi audível como é costume. Nota negativa para um elemento da GNR, que durante um desentendimento entre dois adeptos do FC Porto, correu para cima deles a disparar gás-pimenta. Uma atitude condenável e perfeitamente desnecessária. De tal modo, que os outros GNR’s presentes optaram por retirar esse tal guarda da bancada e calmamente chegaram à fala com alguns adeptos. Mais uma situação inacreditável.

Um golo ao cair do pano evitou a primeira derrota para o campeonato. Pode ser um golo muito importante, pois em caso de vitória no clássico dia 13 ou 14 de Dezembro, dá para chegarmos à liderança da classificação. É o que todos esperamos que aconteça.

Por agora o futebol pára, há selecções e taça de Portugal, mas não faltam jogos para se ir ver, nomeadamente de andebol e hóquei em patins.

Um abraço ultra.

Continuar a ler “MAIS DE 2000 KM EM 5 DIAS.”...

capas da imprensa

Publicada por bLuE bOy Categoria:

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Continuar a ler “capas da imprensa”...

estatisticas


Free Counters
online
artigos
comentários



Dragão Agenda 2013/2014


blog BiBo PoRtO júnior


dossiers EXCLUSIVOS


o apito Bermelho