01 maio, 2017

UM “SIMULACRO” DE COMPETIÇÃO.


Numa brilhante intervenção no “Trio de Ataque” de ontem, Miguel Guedes, de longe o comentador afeto ao FC Porto mais competente e eficaz, disse logo na sua intervenção inicial tudo aquilo que eu penso em relação a este campeonato, ao FC Porto em particular e aos vários fatores que contribuíram decisivamente para o previsível desfecho do mesmo.

Por mais que nos nossos sonhos imaginemos um cenário perfeito nas últimas 3 jornadas do campeonato (e todos lá no fundo, enquanto for matematicamente possível, esperamos sempre um “milagre”), nesta altura creio que para todos nós, Portistas que sofrem pelo clube, o melhor mesmo é consciencializar-nos de que “isto já está entregue”, como tão bem disse Miguel Guedes na sua brilhante intervenção. A expressão que melhor se adequa a tudo isto, da autoria também de Guedes, é que em muitos momentos este campeonato não foi uma competição séria e verdadeira, mas sim um “simulacro de competição”.

Do que ressaltou deste fim-de-semana, nem vou falar de mais uma grande penalidade por marcar a favor do FC Porto, tal como admitiu o insuspeito Duarte Gomes, acho que já se tornou em algo tão frequente que acaba por fazer parte naturalmente do campeonato. Da mesma forma que não vemos um jardim sem flores, raramente vimos, e provavelmente iremos ver até ao fim do campeonato, um jogo em que não haja uma ou duas grandes penalidades por assinalar a favor do FC Porto- Faz parte, naturalmente. O que verifiquei com curiosidade foi a expulsão de Maxi Pereira, a 2ª em 60 jogos de FC Porto, por contraponto com 1 expulsão em mais de 250 jogos no seu anterior clube. Não vou discutir a justeza da expulsão, um lance em que o uruguaio entra de sola, apesar de tocar na bola, mas o que me chateia muito (e depois leva-me a concluir que isto é um "simulacro de competição") é que o talocha do boavista tenha entrado brutalmente ao calcanhar de aquiles de Corona (que por isso ficou no estaleiro 3/4 semanas) e tenha sido admoestado com amarelo, chateia-me que a entrada duríssima do cartabia do braga sobre Alex Telles apenas tenha valido amarelo e chateia-me ver jogadores que dão murros na barriga de colegas e devem ser julgados lá para o verão. Isto tem um nome: GRAVE DUALIDADE DE CRITÉRIOS!!

Independentemente dos deméritos próprios, dos erros no planeamento da época do FC Porto e dos apagões em momentos fundamentais da época, este campeonato nunca poderá ser considerado uma competição séria. Quem pensa que o FC Porto irá perder este campeonato apenas por incompetência própria, está errado! Quem pensa que o FC Porto irá perder este campeonato apenas por fatores externos nomeadamente erros de arbitragem, está errado! São dois caminhos paralelos que acabam por se cruzar e não podem ser dissociados um do outro.

Faltam 3 jornadas para o fim, a minha previsão é que o FC Porto pode perder este campeonato por uma diferença entre 1 a 5 pontos. Perder por 1 ou 5 pontos não altera substancialmente todas as conclusões que advirão do que se passou no presente campeonato, sejam elas de que natureza for.

A reflexão que os responsáveis do FC Porto terão de fazer daqui para a frente tem de focar vários aspetos, sejam eles internos e externos. Mas a verdade é que os fatores externos não são diretamente controláveis, há trabalho de comunicação que tem de ser feito, há questões pertinentes que se têm de levantar atempadamente, mas tudo isto é relativo. Naquilo que o FC Porto pode e deve melhorar internamente é que se tem de concentrar em exclusivo. Planear melhor, vender o excedentário, comprar o necessário e dotar o plantel das melhores valências para suprir as lacunas que estão bem identificadas há já algum tempo.

Nota final: Para não haver mal-entendidos, a minha opinião de que isto está entregue tem a ver com todos os fatores que se tem passado ao longo deste campeonato, e não apenas com as fraquezas do FC Porto. O FC Porto tem lutado contra as suas fraquezas é verdade, mas também tem lutado e muito contra fatores externos que não controla e que surgiram desde as primeiras jornadas do campeonato. Acreditar por exemplo que é possível o nosso rival, que joga pouquíssimo mas mesmo assim não perde, perca 3 pontos nas últimas 3 jornadas é um ato de fé pura e simples. E tal não tem seguramente a ver com aquilo que o nosso rival joga, que como se viu mais uma vez é pouquíssimo, mas sim com as "forças do além" que seguramente não deixarão cair em 3 jornadas aquilo que demorou tanto tempo a construir. Nem que se matem pessoas, arranquem olhos ou se coloque uma bomba no parlamento, o "treta-campeonato", é um desígnio que se tem de realizar MESMO, custe o que custar. A ala psiquiátrica dos hospitais portugueses não iria aguentar caso o desígnio falhasse na ponta final do campeonato. Para bom entendedor, acho que já disse tudo...

6 comentários:

  1. Sim caro amigo. vejo sempre este programa e o Miguel arrasou. A foca amestrada em frente a ele ficou sem palavras. Abraço

    ResponderEliminar
  2. Apesar das fraquezas demonstradas ao longo da época, que as houve, o desempenho foi o suficiente para ter chegado a esta fase do campeonato na liderança.
    E só não chega em virtude dos 'fatores externos', fatores esses que não só impediram o F C Porto de ter mais pontos como levaram o actual líder a ter mais pontos do que devia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. completamente de acordo consigo Carlos

      Eliminar
  3. Honra seja feita, o departamento de comunicação do FC Porto este ano, ao contrário dos últimos anos, tem feito um excelente trabalho de denúncia e reflexão sobre temas relevantes na defesa do FC Porto.

    Infelizmente, esta atitude de Francisco J Marques consubstanciada em boas iniciativas como o Dragões Diário e o programa Universo Porto, não foram acompanhadas ao longo da época nem pelo treinador, nem pelo Presidente. Se o primeiro teve paciência, foi sempre um gajo porreiro, levou na cara e deu a outra face bem ao estilo de um padre acabado de entrar no seminário, o segundo apenas se “passou”, que eu me lembre, após o jogo do Chaves no Dragão, um jogo em que o FC Porto ganhou mas foi literalmente escamoteado com penalties claros por assinalar e um golo LIMPO de André Silva que foi anulado. Tirando isso, pouco falou, pouco protestou…

    Por isso, já estou tão triste e pouco confiante com tudo isto, que pelo menos a única coisa que peço é competência desportiva, uma construção do plantel para a próxima época como deve ser, uma ação no mercado de transferências muito mais assertiva e lógica do que nos últimos tempos. Porque se repetirmos Depoitres, Adrians e Imbulas as coisas já não estão famosas, podem tornar-se catastróficas. E catástrofe não é estar em seca 4/5 anos, catástrofe é o que aconteceu aos nossos rivais nas ultimas décadas… o clube do regime em 18 anos (entre 1995 e 2013), ganhou 2 títulos nacionais, o scp desde 1983 (há 34 anos portanto!!), ganhou 2 campeonatos… Ou o FC Porto arrepia caminho, abre os olhos e deixa de estar a dormir, ou as coisas podem ficar ainda mais feias, se é que me faço entender…

    ResponderEliminar
  4. Brilhante intervenção de Miguel Guedes, brilhante texto de RCBC. Abraço.

    ResponderEliminar
  5. Os senhores de Lisboa que foram colocados a dedo nas instituições , não vão agora na fase final do campeonato deixar de beneficiar o Benfica. O FCP não foi muito eficiente nos protestos.

    ResponderEliminar