12 dezembro, 2017

DUALIDADES!


Foram precisas 14 jornadas, uma ofensiva cerrada à aberrante actuação do VAR e restante equipa de arbitragem no último FC Porto - benfica, e uma rara entrevista do Presidente Pinto da Costa, para finalmente se ter uma arbitragem isenta no campeonato!

Aliás, quase isenta.

Pois se o árbitro fosse mais rigoroso, no Setúbal não teria sido só o seu técnico a ser expulso. Não só a entrada assassina de sola a Marega na 1a parte deveria ter sido punida com vermelho (por bem menos, Maicon que o diga num passado FCP - Boavista), como Vasco Fernandes não recebeu o 2º amarelo obrigatório pelo penalty cometido (já tinha visto um amarelo aos 25 minutos).

Quanto à celeuma em torno do primeiro golo do FC Porto, é mais uma prova escabrosa da desonestidade intelectual, profissional e ética do jornalismo nacional, crédula com a "veracidade" do twitter benfiquista e seus já habituais frames "avariados", do que em cumprirem com a função que está escrita na sua carteira profissional.


Esta imagem do Record, acompanhada pelo título de crónica "Empurrão arrasador" é taxativa do quão baixo estes jornais são capazes de ir para tentarem arranjar uma realidade alternativa à verdade.


Contudo a verdade é impiedosa para estas ninhadas de ratos. As imagens são explicitas. A não ser que Aboubakar tenha optado pela utilização de um super-wonderbra que lhe inflacionasse os peitorais, é por demais evidente o puxão na camisola do avançado portista, anterior ao empurrão, que o existiu, ao jogador vitoriano. Intensidades à parte.


Este suposto "caso" tem tanto de ridículo, que a opinião do painel de arbitragem do jornal "O Jogo" é unânime a aprovar a validade da decisão do Sr. Tiago Martins

Agora pergunto: quantos penaltys já não beneficiou Jonas em situações idênticas (ou piores... lembram-se da Vila das Aves?) a este lance?

Dualidades numa procura hipócrita pela pacificação.

Cumprimentos Portistas.

0 comentários:

Publicar um comentário