14 fevereiro, 2007

Sim(ul)ão e Quaresma

'Nortada' do Miguel Sousa Tavares...

Uma vez mais, Scolari foi o último a ver o que já todos tinham visto, ou, melhor dizendo, o último a não querer ver. Scolari ficou a dever a Quaresma um Mundial em que ele merecia e devia ter participado e não participou.

1 - O Portugal–Brasil foi um jogo fraco e bastante desinteressante. Valeram os golos e por isso Portugal mereceu a vitória, face a um dos piores seleccionados brasileiros de que me lembro. Curioso foi verificar como, ao arrepio de toda a história, o virtuosismo e a classe individual tenham estado, desta vez, do lado luso: Cristiano Ronaldo lançou o pânico na defesa brasileira, sempre que pegava na bola e avançava direito a eles; Quaresma levou Lúcio ao desespero e chegou a deixar um defesa a dar cambalhotas sozinho no relvado; e Simão, quando a oportunidade surgiu, furou pelos centrais como faca em manteiga. De facto o Brasil só conseguiu ser notícia devido à extraordinária camisa de Dunga, exibida ao frio de Londres, numa ternurenta manifestação de amor paternal. Mas pai e filha, cada um no seu domínio, levaram muito que meditar deste jogo.

Do lado português, o mais marcante terá sido o saldo das presenças em campo de Simão e de Quaresma. Primeiro que tudo, a imagem lindíssima de ambos a abraçarem-se depois do golo facturado a meias e a continuarem abraçados à saída do relvado. Neste ambiente de guerra permanente Benfica-Porto (do qual eu próprio me faço eco), o abraço de alegria e camaradagem daqueles dois veio trazer-nos de volta para aquilo que é o mais bonito e o mais importante do futebol.

Depois, a meditação sobre a sua própria situação na Selecção: Simão parece estar finalmente a ser o «Simão do Benfica», afastando aquele inexplicável temor reverencial que a camisola das quinas parecia inspirar-lhe, roubando-lhe toda a audácia e confiança que caracterizam o seu futebol. Ao invés, o «Quaresma do FC Porto» — que Scolari agora diz ter finalmente visto em campo — nunca poderia lá ter estado antes, ao serviço da Selecção, pela simples razão de que Scolari nunca lhe deu oportunidade para tal. A nove meses do Mundial da Alemanha, já se tinha tornado claro no discurso do seleccionador que Quaresma iria ficar de fora. E ficou, mesmo depois de ter conquistado todos os troféus para o melhor jogador do campeonato português. Nunca saberemos até onde Portugal poderia ter chegado com ele na Alemanha. O que sabemos, é que uma vez mais, Scolari foi o último a ver o que já todos tinham visto, ou, melhor dizendo, o último a não querer ver. Agora, claro, inventa uma justificação retroactiva e sem fundamento algum para o que não tem explicação. Scolari ficou a dever a Quaresma um Mundial em que ele merecia e devia ter participado e não participou.

2 - Muita discussão a propósito do castigo a Derlei, e com o Benfica a dizer, e com razão, que vai ficar atento a casos semelhantes no futuro. Realmente, a questão tem razão de ser: porquê agora o Derlei e não outros antes dele? Será que nas dezasseis jornadas anteriores não houve mais nenhum caso que justificasse um sumaríssimo? Claro que sim, claro que houve. A explicação, que ninguém se atreveu a dar em voz alta, é simples como a água: o Derlei só foi castigado agora porque o Quaresma o tinha sido uma semana antes, numa jogada bem menos nítida e grave que a do Derlei. Só que, depois da dualidade de critérios em campo (um juiz-de-linha achou que o Quaresma devia ir para a rua, outro achou que o Derlei não devia) e na Secretaria (dois jogos para o Quaresma, um para o Nuno Gomes, por fazer bem pior), não havia «topete» para passar por cima da palmada do Derlei. Até os dirigentes do Benfica o perceberam, e por isso se conformaram.

Entretanto, o CD da Liga resolveu criar doutrina na matéria. Sempre é melhor haver uma doutrina do que não haver nenhuma e continuar-se, como até aqui, no reino do casuísmo. Só que a doutrina enunciada pelo CD levanta muitos e dificilmente ultrapassáveis problemas. Ao explicar que o CD não pretende ser o «quinto árbitro» e que, por isso, só intervirá, através dos sumaríssimos, quando os lances gravosos tenham escapado aos quatro árbitros, assume-se que o fará a partir do recurso às imagens televisivas. E daqui deriva o primeiro problema insolúvel: é que, se todos os jogos dos grandes são transmitidos, há muitos outros que o não são, o que determina uma dualidade de critérios: uma agressão que escape aos árbitros, num jogo não transmitido, passará impune pelo CD.

A segunda questão tem que ver com a falta de lógica e de sustentação da doutrina agora enunciada. Duas agressões idênticas podem ter tratamentos disciplinares diferentes, conforme os árbitros digam nos seus relatórios que as viram ou que não as viram. No caso concreto do Derlei, por exemplo, é difícil aceitar que o fiscal-de-linha, a metros da jogada, a não tenha visto. Mas se, por hipótese, o árbitro tem escrito no relatório que ele ou o auxiliar tinham visto a jogada mas não a tinham considerado uma agressão, o Derlei teria passado sem castigo. Árbitros com critérios mais largos perdoarão coisas que outros não perdoam, tendo como resultado prático diferentes critérios disciplinares, em campo e fora dele. Imagine-se o que isto não irá acrescentar à suspeição generalizada que hoje existe sobre os árbitros!

A mim parece-me que o único critério que asseguraria alguma igualdade de tratamento e lógica era o CD punir idênticas situações com idênticas penas — quer o jogador tivesse sido amarelado ou não, quer tivesse sido expulso ou não, quer o árbitro declarasse ter visto ou não. Isso resolveria pelo menos a questão nos jogos transmitidos.

3 - Surpreendentemente, o presidente do Sporting apareceu esta semana a dizer que se iria embora se a Câmara Municipal de Lisboa não viabilizasse a pretensão do clube de poder vender como urbanizáveis uns terrenos que estão afectos à prática desportiva ou outros fins. Em causa estará um encaixe previsível de 35 milhões de euros, se a CML aceitar alterar o PDM da cidade e rever a utilização consentida para os terrenos. Surpreendentemente também, Carmona Rodrigues apressou-se a responder que tudo irá fazer nesse sentido. E surpreendentemente ainda, ficámos a saber que esta negociação confidencial já teria sido objecto de um acordo particular entre Carmona e Soares Franco. Queria apenas recordar que não passou ainda nem meia dúzia de anos desde que a CML, pela mão de Santana Lopes, assinou com Benfica e Sporting acordos que viabilizaram financeiramente a construção dos novos Estádios de Alvalade e da Luz, em termos tão generosos que uma das cláusulas previa até a construção de uma urbanização, integralmente a expensas da CML, cujos lucros, após venda, seriam repartidos em partes iguais pela Câmara e pelos clubes (e sucedeu até que, nunca tendo sido construída a tal urbanização, a CML antecipou a ambos os clubes 15 milhões de euros pela sua parte nos «lucros» de tão leonino negócio»). Esta e outras cláusulas dos ditos acordos tornaram-nos de tal maneira generosos, que a última cláusula estabeleceu que nunca mais, no futuro, Benfica e Sporting voltariam a pedir qualquer coisa à Câmara. Esqueceram-se foi de acrescentar que se tratava do futuro muito próximo… Agora é o Sporting, a seguir virá o Benfica. Entretanto, quem, como de costume e aqui como no resto, continua com a má fama é o FC Porto. Apenas porque Rui Rio, ao invés dos seus colegas de Lisboa, resolveu estabelecer uma guerra-modelo contra o FC Porto e porque um inspector das Finanças não conseguiu perceber nada do Plano de Pormenor das Antas (iniciado pela Câmara, e não pelo clube). E, entre outras coisas, não atentou nesta diferença fundamental: é que o FC Porto, ao contrário dos clubes de Lisboa, era, à época, proprietário de um vasto património imobiliário: 17 hectares de terreno, livres e disponíveis, que viriam a reverter em grande parte, para o Município, no âmbito do Plano Geral de Urbanização das Antas, que, conforme está à vista de todos, foi muito mais e muito melhor para a cidade do que a simples substituição de um estádio velho por um novo. Mas quem, neste país, é que se dá ao trabalho de estudar a fundo as questões complexas, de ler os dossiers, de ver os contratos e compará-los, em lugar de adoptar logo como verdade conveniente a primeira atordoada que alguém se lembra de lançar para o ar?

# in Jornal “A BOLA”, 2007.02.13

10 comentários:

  1. Depois do deslize da semana passada com a novela, "Lucho é bom", que foi infeliz, apesar de ter interpretado que ele se estaria eventualmente a referir ao Lucho desta época, e não ao LUCHO fantástico que é como jogador, MST de regresso novamente com a língua afiada em todos os sentidos.
    1 - Sim(ul)ão quero lá saber... quanto ao Ricardo "Harry Potter" Quaresma, nada mais que a justiça da sua convocatória e a prova de que tem lugar de caras na selecção de amigos do Escarrolari.
    2 - os abutres mudaram, mas a m**** mantém-se; sempre com leis bem ou mal intencionadas, consoante a cor da camisola.
    3 - mais do mesmo de sempre... a uns, a fama e sem proveito (FCP); a outros (SLB e SCP), sem fama, mas com muito, muito proveito e não há maneira da teta da vaca acabar.
    aKeLe aBrAçO
    http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. o blue boy...sem mais nem menos,no que dizessssssssssss......

    ps:estou com preguisa de escrever

    ResponderEliminar
  3. Ora aí está um texto de MST que eu subscrevo na ìntegra, muito especialmente o capítulo 3.º que mostra à evidência a hipocrisia do actual Estado de coisas! Enquanto uns são perseguidos pelos Poderes e vistos e analizados à lupa, outros têm honras de fazer exigências ao Estado Democrático em horário nobre e ninguém "tuge nem muge"! Noblesse oblige!!! Falam os aristói...Cá os papalvos assistem impávidos à Comédia iniciada há oito actos sem se adivinhar quando terá o seu terminús! Distribuamos benesses a uns - que moram perto, ninguém percebe - e porrada a outros, mais distantes, resistentes, viventes lá para os lados do Monte Aventino! E o Zé - sim, o tal Zé - a ver e a rir da sua própria cegueira...Alguns destes cegos justiceiros são inclusivé, desertores dos exércitos atingidos e abrem o peito às balas fratricidas, babando-se em autênticos orgasmos de morte! Siga a música que o maestro é Vermelho!!! Ou laranja?!... E enquanto a Maria da Fonte enche aqui as "bilhas" dos outros, os outros despejam, "mediáticamente", na "bilha" da outra Maria, lá para os lados do Mondego! Siga a rusga!!! O mandador é laranja! Ou Vermelho?!...E por cá o Zé - sim, o tal que é sempre nomeado para estas ocasiões - ri-se e baba-se e espuma-se de vertigem, enquanto a Procissão vai passando!!!Que o Padre é Negro!!!

    ResponderEliminar
  4. MST no seu melhor nível, não haja dúvida:
    1- Quanto a vocês não sei, mas eu só recomecei a ver os jogos da selecção desde que o Quaresma foi convocado. Evidentemente que assisti a todos os jogos da selecção no mundial, mas a qualificação passou-me um bocadinho ao lado.
    2-O “cara de padre", que eu apresentei como frango no post sobre os abortos, ontem já insinuou na Xic Nutícias, que a apreciação do Quaresma está viciada e que o vão despenalizar, dando a ideia de que o FC Porto anda a fazer jogadas atrás do pano, porque a reunião para apreciar a despenalização se vai realizar na tarde de Sexta-feira, e o jogo do FC Porto é à noite… enfim, típico, vindo daquele palhaço
    3- Na minha terriola diz-se que "quem não chora não mama", eles choram e mamam muito, nós não choramos não mamamos, é simples.

    ResponderEliminar
  5. dragão azul14 fevereiro, 2007

    MST de volta mais uma vez ao ataque...
    1- Seleção nacional com este treinador, ja deixei de ouvir e de comentar o que ele diz, é funcionario da empresa liga & federação, lda como tal esta tudo dito quer ganhar popularidade a custa do nosso clube, 1º Vitor Baia, 2º espinha dorçal campeão da europa que não servia para a seleção, 3º Ricardo Quaresma e o que vem a seguir mais vale não comentar nada do que esse simple empregago diz, o que eu quero é que Quaresma jogue e marque pelo Porto o resto é converça...

    2- Muda o disco e toca o mesmo uns levam purrada e são castigados outros dão purrada e não castigados.... a palhaçada continua ao seu melhor nivel.

    3- Uns fizeram de uma zona desorganizada e sem futuro e reconstruiram-na e quem beneficiou o clube e a cidade embora quer-me parecer que quem saiu mais benefeciado foi a cidade e nem tanto o clube, mas o futuro a medio longo praso ira dar-nos razão, outros constroem estadios com acordos por debaixo da mesa que nem eles proprios percebem que acordos são esses.
    Porque não investigam todos os acordos feitos na construção dos dois estadio (luz e alvalade).... pois é iriam perder muito tempo e mexer com politicos e clubes que se dizer donos da verdade e donos do poder.....



    Saudações AZUIS

    DRAGÃO AZUL
    dragao.azull@sapo.pt


    P.S.- Estamos a chegar a 6ª feira é não esquecer de invadir o Dragão...

    ResponderEliminar
  6. MST é uma crónica semanal q n perco por nada deste Mundo.

    ResponderEliminar
  7. Houve uma altura em que quando o Sr Rui Rio entrou na câmara do Porto, surgiram logo várias retretes a dizerem banalidades do tipo:" O Rio vai acabar com os apoios ao FC Porto e eles vão se foder como gente grande" ou então "O Fernando Gomes dava benefícios ao FC Porto que nenhum outro clube no país recebia".
    Ora bem, quantos campeonatos e taças de Portugal o FC Porto ganhou depois de Rio ter entrado na câmara?Quantos títulos europeus alcançou?

    ResponderEliminar
  8. caguei prá seleção......enquanto estiver lá aqueles xulos ( scolari e merdamil)

    quero é ver o porto ganhar e se não estiver nenhum jogador do fcp lá melhor menos jogos eles ganham e menos se aleijam.....

    abraço

    ResponderEliminar
  9. Era interessante investigarem estas negociatas entre o lagartos e a camara dos mouros, além das outras negociatas com os lampioes.
    Mas isso é irrelevante, não interessa nada !!!!!

    ResponderEliminar
  10. Toda a vida esses dois clubes mamaram como gente grande à custa dos contribuintes!A selecção do scolari a mim não me diz nada,e é-me indiferente que ganhe ou perca,até porque depois de tudo o que tem acontecido nos ultimos tempos o meu sentido nacionalista sofreu um grande rombo!Para além do facto de eu ser mais PORTISTA do que portugues!

    ResponderEliminar