16 julho, 2010

Dragão, o futuro não espera…vamos fazer o que ainda não foi feito!!!

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

A cada época tuga, o desporto rei é um admirável mundo novo, a competição é cada vez mais global, mas mais medíocre. Tal como está, (fora das 4 linhas), não inspira nem agrega a sociedade, vertendo sim precariedade e medo do amanhã.

O futebol ao nível dos centros de decisão, estiolam e atrofiam o estado de alma colectivo dos clubes, obrigando a que muitos dos seus melhores interpretes, ideiem no seu egoísmo, ponte para realidades desportivo/financeiras mais atractivas.

A degradação é transversal, toca todos de forma endémica e como o futuro não espera por nós, o Dragão fechou um ciclo, permitindo-se ter no horizonte um destino de esperança, marcado por uma nova atitude de jogo, voltada para a busca egoísta de prazeres (títulos), como concepção maior do seu futebol.

Erros passados desalojaram qualidade ao plantel, é preciso elevar os padrões e recuperar ambição, mudar o discurso e ter uma nova visão, assentes em pessoas que sejam exemplo e referência de um lema “a vencer desde 1893”

A passividade é um ónus que tudo degrada, pelo que o clima de pré-época é ainda dúplice, a inquietude por algumas indefinições é contrastante com alegria de um discurso mobilizador, feito de liderança e ávido de sucesso.

Não se julgue radicalismo total este assumir da cisão com o anterior ciclo, todas as viragens de ciclo exigem adaptabilidade continuada, traduzindo-se a nova torrente de conhecimentos em aplicações úteis e geradoras de valor acrescentado.

A alegórica “jabulani” é cada vez mais conexão ideológica com a paisagem global de noção de equipa e esse parece ser vector máximo da forma de pensar o Dragão a partir da bola.

O Dragão de AVB é ainda um puzzle de polivalentes e multifuncionais idiossincrasias, mas onde a diversidade táctica afiança uma equipa de acção empolgante, talvez menos vertical nas acções ofensivas, mas dominadora de filosofias menos reactivas, estreitando simbioses entre a cinética da posse nos espaços, com a essência do “passe precise”, solução táctica dos melhores contextos táctico/dinâmicos, amplitude e largura natural de uma maleabilidade estratégica com sentido de baliza e objectivo primordial, o Golo.

A agilidade táctica do novo Dragão preconiza o redimensionar de algumas posições chave, Fernando, Hulk e os laterais são em face de tudo isto as unidades cujo processo de aculturação a nova matriz mais precisam de refinar premissas como movimento, recepção, aceleração e passe.

Há muito que alinho pelo diapasão dos mais sábios, se o treino é a base de construção de uma equipa, o jogo é o seu melhor professor, pelo que os próximos encontros de preparação passarão aos fiéis adeptos azuis e brancos hipotéticas convicções ou desilusões sobre o que está feito e o que está por fazer…

Nós, adeptos, somos únicos, alimentamos a causa, os valores e os princípios, vestimos a pele e incorporamos o espírito de missão, obrigando-nos à mobilização face ao que parece ser a nova política (interna do clube???) ou lei do silêncio e do coarctar da igualdade de direitos televisivos.

Enquanto ideia maior, este "novo" FC Porto é para AVB um inicio tentador, cuja complexidade, ADN, génese e identidade, transportam uma inevitabilidade histórica, a de um clube ganhador, onde falta de Futuro…

“Fazer o que ainda não foi feito”

“Sei que me vês
Quando os teus olhos me ignoram
Quando por dentro eu sei que choram
Sabes de mim
Eu sou aquele que se esconde
Sabe de ti, sem saber onde
Vamos fazer o que ainda não foi feito
Trago-te em mim
Mesmo que chova no verão
Queres dizer sim, mas dizes não
Vamos fazer o que ainda não foi feito

E eu sou mais do que te invento
Tu és um mundo com mundos por dentro
E temos tanto pra contar
Vem nesta noite Fomos tão longe a vida toda
Somos um beijo que demora
Porque amanhã é sempre tarde demais

E eu sei que dói
Sei como foi andares tão só por essa rua
As vozes que te chamam e tu na tua
Esse teu corpo é o teu porto, é o teu jeito
Vamos fazer o que ainda não foi feito

Sabes quem sou, para onde vou
A vida é curva, não uma linha
As portas que se fecham e eu na minha
A tua sombra é o lugar onde me deito
Vamos fazer o que ainda não foi feito

E eu sou mais do que te invento
Tu és um mundo com mundos por dentro
E temos tanto pra contar
Vem nesta noite
Fomos tão longe a vida toda
Somos um beijo que demora
Porque amanhã é sempre tarde demais

Tens uma estrada
Tenho uma mão cheia de nada
Somos um todo imperfeito
Tu és inteira e eu desfeito
Vamos fazer o que ainda não foi feito

E eu sou mais do que te invento
Tu és um mundo com mundos por dentro
E temos tanto pra conta
Vem nesta noite
Fomos tão longe a vida toda
Somos um beijo que demora
Porque amanhã é sempre tarde demais

Vem nesta noite
Fomos tão longe a vida toda
Somos um beijo que demora
Porque amanhã é sempre tarde demais
Porque amanhã é sempre tarde demais”

17 comentários:

  1. @ Bruno,

    assino pelo mesmo diapasão... esta época, tem mesmo que for. entendo que não sendo o plantel perfeito, aqui e acolá com mais um retoque, temos dinamite que chegue pa estourar com a concorrência na época desportiva.

    saiba AVB tirar o melhor de cada um deles... agora que parece que estamos no ano zero, no ano em que é preciso ir atrás do prejuízo, e cortar desde logo o mal pela raiz, para que 'algum' não pense que o ciclo é para continuar.

    este ano, será tudo diferente, muito diferente... mesmo ainda não tendo sequer começado, aposto todas as minhas fichas nos meus 'meninos' de sempre!!!

    ResponderEliminar
  2. Bruno Rocha, sempre com a veia poética em alta...
    Estou confiante que AVB nos evite um AVC no final da época...

    ResponderEliminar
  3. Foi bom ler este teu conhecedor post e o poema com que nos presenteias. Expectativas altas com AVB, sem dúvida. Força Porto!

    ResponderEliminar
  4. Só uma referencia para o facto de o "poema" e a parte da veia poetica do post nao ser de minha autoria, mas sim do que julgo ser um dos bons portistas PEDRO ABRUNHOSA!!

    ResponderEliminar
  5. Neste momento parece-me que há duas questões importantes na definição do plantel da próxima temporada: o destino dos “mundialistas”, que quer se queira quer não, são jogadores que acrescentam muita qualidade ao plantel.

    Se Fucile e Alvaro Pereira são titulares nas laterais, Alves e Rolando são imprescindíveis no centro da defesa… Já Beto, poderá travar uma interessante luta com Helton pela titularidade da baliza portista…

    A questão que coloco é: se saírem 2 ou 3 dos jogadores acima referidos, é certo que o clube não acaba, nem alguém morre, mas e a competitividade do plantel? A qualidade das opções alternativas? Relembro que no ano passado tivemos meio ano (que provavelmente nos custou o 2º lugar) à procura de um substituto para Lucho… Agora, perder de uma assentada 2 capitães e um dos nosso activos mais valiosos, para depois ir ao mercado comprar jogadores, alguns deles sem conhecimento do futebol portugues nem experiencia no futebol europeu?

    Alem disso, olho para os nossos adversários (se bem que com o mal dos outros posso bem) e vejo que os super jogadores que todo o mundo (jornais portugueses, diga-se) venera afinal pelos vistos vão continuar a jogar no nosso campeonatozinho porque afinal os grandes clubes da Europa não os quiseram…

    No final de contas, os grandes tubarões da Europa vêm invariavelmente “pescar” no Dragão, porque também sabem que aqui é que há qualidade para dar e vender…

    Mas sinceramente, começo a ficar farto de todos os anos saírem 2 ou 3 peças valiosas, para se irem buscar 7 ou 8 de qualidade duvidosa… o FC Porto não se pode transformar um clube satélite dos tubarões europeus…

    PS: Para mim, a questão é muito simples… ou aparecem clubes a bater a clausula de rescisão, e os jogadores saem… ou aparecem propostas abaixo da clausula de rescisão e os jogadores ficam amuados, chateados ou como bem entenderem…

    ResponderEliminar
  6. Bruno o Pedro Abrunhosa é um grande Portista juntamente com o irmão.

    Um post que resume bem as dificuldades imediatas de muitas mudanças e ainda por cima em ano de mundial que acabou por atrasar a preparação da equipa assim como a definição do plantel.

    No torneio de Paris já vou conseguir ver mais alguma coisa, acho que ainda é cedo mesmo até para falar de tácticas.

    Eu confio no André.

    ResponderEliminar
  7. Antas uma das coisas que sempre me criou alguma confusão foi o 'envolvimento' do Sr. Pedro Abrunhosa numa tal de nada famosa película do Botelho.

    A crer no que se escreveu na altura além de autor de algumas canções da banda sonora ainda esteve num concerto antes da exibição estreia do filme.

    ResponderEliminar
  8. Os irmãos Rocha têm veia poética e mais, usam uma linguagem erudita, que não está ao alcance de qualquer um... digo-o eu que sou do género portista de tasca - daquelas onde se comem umas sardinhinhas fritas com arroz de feijão. É porque há os portistas do Jet 7. Não digam que não sabiam? - e por isso tenho dificuldades em perceber. Mas, com a ajuda do dicionário, lá cheguei e então acho que vamos ser campeões, que vamos jogar um grande futebol, que vamos empolgar, que vamos ter sempre o Dragão cheio, que vamos ter uma equipa que designarei de "JUVENTUDE INQUIETA", que vai começar o novo ciclo, um ciclo para a História. Ao pessimismo injustificado, pronho o optimismo dos vencedores. Quem não acreditar, que não atrapalhe!

    Uma abraço

    ResponderEliminar
  9. Estilhaço só mesmo tu para te lembrares das manchas curriculares do Pedro Abrunhosa.

    É verdade sim senhor que participou nessa curta metragem de categoria abadolhocada, algo que não me deixou muito satisfeito, mas quem vive do mundo artístico-cultural no nosso País tem de se sujeitar ao que há.

    Embora eu preferia passar fome do que trabalhar num projecto dessa natureza...

    ResponderEliminar
  10. Acredito profundamente no FC Porto que está a ser construído.

    ResponderEliminar
  11. E como o futuro nao espera...e o Bruno Alves pode ser um dos mundialista em cartel pra outros clubes...eu ate ja tenho um nome capaz de gerar unanimidade nas hostes...RAFA MARQUEZ, lider da defesa mexicana e que no Barça tem os caminhos tapados...defesa com bons numeros em termos ofensivos e no que se lhe pede defensivamente ninguem poderá dizer que não é um bom central!!!

    ResponderEliminar
  12. É um novo ciclo de esperança e de enorme responsabilidade. Congratulo-me, logicamente, pela fé que todos têem demonstrado - e nem poderia ser de outra forma - esperançosos em que a próxima temporada futebolística seja repleta de triunfos. Para já, preocupa-me claramente a indefinição do plantel. Presumindo que Kleber e Walter tenham sido avalizados por AVB, a novela em redor do seu ingresso nas hostes azuis e brancas apenâs tem atrasado a planificação da mesma. Dia 7 há competição, frente a um odiado rival, sendo que me parece que nesta fase partimo notoriamente atrás do adversário...

    Não sendo uma competição de enorme importância, reveste-se no entanto de um interesse crucial: iniciar a temporada com vitória ou derrota, perante o arqui-inimigo, sendo que os estados de espírito daí resultantes serão forçosamente diferentes...

    Sinceramente, as ilações poderão ser já retiradas, depois dos confrontos com Ajax e Sampdoria. Já se poderá aquilatar o que valerá este FCP.

    Não estou, independentemente do que daí advenha, demasiado optimista. Mais do que construir um plantel forte (onde é que já ouvi isto?) é igualmente transcendente estar atento às manobras de bastidores. E o Porto, no últimos anos, tem sido sucessivamente apanhado a dormir, de forma algo ingénua. O Apito Dourado, despoletado por um livro e um filme, a que se seguiu a questão do túnel e a perda no braço de ferro que se viveu, fora dos rectângulos.

    Não importará muito colocarmos matéria prima nas mãos de um treinador, se um golpe palaciano deitar tudo a perder.

    ResponderEliminar
  13. E, como o Bruno avança, a provável saída de Bruno Alves implicará a entrada de um central reputado. Espero que desta feita não se ache que, tal como no mercado de inverno do ano anterior, "os reforços são o Tomas Costa e os outros".

    Fora isso, parece-me que o plantel está sólido, faltando limar as arestas na frente, com a entrada dos avançados requeridos. Tenho igualmente curiosidade em saber qual o esquema táctico adoptado por AVB. Sinceramente, espero que a solução para enquadrar no 11 inicial Hulk e um dos avançados que vai entrar, não passe por colocar o brasileiro num dos extremos.

    Ficou provado que, após o castigo do túnel, Hulk funciona na perfeição num esquema de 4-4-2, capaz de uma simbiose perfeita com Falcao, onde as suas características distintas de casam na perfeição.

    Quanto ao resto, esperar que a nível de lesõs tenhamos um ano bem mais calmo. E, claro, um desejo que James Rodriguez valha o investimento efectuado. Necessitamos claramente de um extremo com qualidade. Desde a saída de Quaresma que vivemos algo orfãos nesse aspecto, com excepção a Varela.

    ResponderEliminar
  14. Vender Bruno Alves por 15 ou 20 milhões de € é fazer um preço de saldo...

    ResponderEliminar
  15. ESSE PREÇO PELO BRUNO ALVES
    É UM SALDO
    ELE VALE PELO MENOS DOIS MOUTINHOS
    E É O NOSSO CAPITÃO

    O NOSSO PRESIDENTE ESTÁ A PERDER QUALIDADES DE VENDEDOR ????

    ANTIGAMENTE VINHAM PIPAS DE MASSA

    ResponderEliminar
  16. Viva !

    Os posts vão a tanta velocidade que por vezes nem se sabe onde comentar.

    Fiquei um pouco surpreso com a data dum post atrás. Ou li mal ou o comunicado da Sad tem como data 15 de Março. Interrogação ?

    Gostei do post. Eu não estou nem optimista nem pessimista. Estou na expectativa. Logo se verá quando começar futebol a sério.

    Só uma pequena observação : Pedro Abrunhosa é um grande Portista. Ainda bem que não vivemos no culto do chefe ou já teria aterrado em qualquer campo de concentração ou goulag.

    A mim não me levanta qualquer problema que o Porto compre e venda jogadores. De qualquer modo acho que não há outra solução.

    Para mim não há jogadores à Porto. Há jogadores do Porto. E como tal devem cumprir o contrato, para o qual foram contratados. Mas também ninguém é obrigado a dar o que não têm. Ou seja, não se pode pedir a um jogador mediano que seja o Pelé.

    Não entendi muito bem esta participação do Porto no torneio de Paris em datas onde praticamente todo o pessoal está de férias e fora do país ( meu caso/ mas eu não sou o mundo ).

    Também não entendi o porque na participação dum torneio dum clube que procura a virgindade após a dissolução de vários grupos ultras do psg pela justiça Francesa. De notar que ainda não se sabe se as tribunas Auteuil e Bologne estarão abertas ao público. Por agora o psg ainda não pôs ( até esta hora ) bilhetes à venda para as ditas tribunas.

    Paulo Pereira, escrevia e referia com razão a luta dos bastidores. Ora em Paris, infelizmente, está-se a encaminhar para uma grande casa do Benfica, com o acordo do Hotel de Ville. Soube-o ontem.

    Talvez esteja completamente errado, mas acho que uma mística também se constroi com um passado que se perpetua no presente. A prova é que estamos aqui a comentar como Antas e Dragão. Como algo se tivesse destricotado na memória. Não sei !

    Sou contra qualquer forma de violência e, por isso, posso escrever que os que estão em face não tem esse problema. O nome do estádio não mudou. Porque mudou o nosso ?

    Esta tomada de consciência quanto a este aspecto é recente.

    Voltarei sobre este aspecto.

    Longa Vida ao F.C.PORTO !

    E Viva o PORTO !

    ResponderEliminar
  17. De todos os comentários, retenho uma frase que penso que é fundamental:

    "QUEM NÃO ACREDITAR, NÃO ATRAPALHE !"

    Acho que temos uma equipa fenomenal. Do meio-campo para a Frente, James, Hulk, Falcão, Varela, Rodriguez. Mais atrás: Moutinho e Micael... poucos Europeus metem medo. Eu acredito noutro troféu europeu. Quem não acreditar...

    ResponderEliminar