06 abril, 2017

DIJSSELBLOEM, O CANELAS E UMA GRANDE CAMPANHA ORQUESTRADA.


26 de Março de 1997. Sá Pinto não foi convocado para um jogo da Selecção. Antes de apanhar o avião para Casablanca onde ia disputar um particular ao serviço do Sporting, foi ter com Artur Jorge e, sem conversa prévia, deitou o Rei Artur ao tapete com 2 socos, seguidos de 3 pontapés. Minutos depois, já à saída do Estádio Nacional, encontrou ainda tempo para agredir Rui Águas no seu bom estilo de boxeur, facto do qual existem fotografias. Tal episódio não o impediu de, surpreendentemente, voltar a envergar a camisola da Selecção Nacional.

14 de Junho de 2002. Estávamos no Oriente e jogava-se um Portugal x Coreia do Sul, na cidade de Incheon, a contar para o Campeonato do Mundo. Aos 27 minutos de jogo, João Vieira Pinto recebe ordem de expulsão por parte do juiz mexicano Angel Sanchez, após entrada violenta sobre Ji-Sung Park. Não contente com o facto de praticamente ter arruinado as esperanças lusas de transitar à fase seguinte do certame, o ex-jogador do benfica e sporting decide dar um violento soco na barriga do árbitro. Uma vergonha nacional exposta em directo para milhões de teleespectadores em todo o mundo. Tal facto não impediu que JVP seja hoje Director da FPF.

20 de Novembro de 1996. Estávamos nas Antas e era noite de Champions League, mais concretamente um FC Porto x AC Milan. George Weah, descontente com a marcação cerrada e impiedosa de Jorge Costa, espera pelo mesmo no túnel das Antas e rebenta o nariz do Bicho à cabeçada. Tal facto não impediu o liberiano de receber o Prémio Fair Play da FIFA desse ano.

9 de Julho de 2006. Jogava-se a Final do Campeonato do Mundo de Futebol, entre França e Itália, no Olympiastadion de Berlim. Zidane despede-se do desporto-rei com uma violentíssima cabeçada em Materazzi. É imediatamente expulso e isso significa o adeus francês ao ceptro maior. Tal facto não impediu Zidane de vencer a Bola de Ouro da competição.

11 de Agosto de 2012. Jogo de pré-época, em Dusseldorf. Um árbitro mostra um amarelo a Javi Garcia. No sururu que se seguiu, o famoso capitão encarnado, Luisão, mais conhecido como Girafa, decide fazer gala da sua condição de líder incontestado do balneário e aproxima-se rapidamente do homem do apito, desferindo-lhe uma peitada do alto do seu 1,95. O árbitro, surpreso, cai por terra e é alvo de assistência médica. Quando finalmente recupera da agressão e se levanta, decide dar por terminado o particular entre o Fortuna Dusseldorf e o benfica, por entender não estarem reunidas as condições de segurança adequadas ao desenrolar da partida. Estavam decorridos apenas 40 minutos de jogo.

2 de Abril de 2017. Um jogo a contar para o Campeonato Distrital português. Defrontam-se os grandes Canelas e Rio Tinto. Um tal de Marco Gonçalves, após receber ordem de expulsão, agarra a cabeça do árbitro e desfere uma valente joelhada.

Pára tudo, meus amigos! O caldo finalmente entornou-se. Isto sim, é um acontecimento grave. Não interessa aqui referir que esta agressão de Marco Gonçalves é apenas uma no meio de 43 (lerem bem: quarenta e três) agressões registadas em Portugal Continental & Ilhas na temporada 2016/2017 contra membros de equipas de arbitragem, quase todas elas em jogos de campeonatos distritais.

No entanto, para o infeliz país, o acto de Marco Gonçalves representa o maior terror, a maior perfídia, assumindo contornos de crueldade e vil carácter. A TVI abre telejornais com o sucedido; a SIC Notícias faz edições especiais de mais de meia hora a escalpelizar o sucedido; experts são chamados à televisão para explicar o perfil psicológico do “assassino”; o Observador envia alertas de hora a hora com histórias e curiosidades sobre o grandioso Canelas; o país clama por maior segurança às equipas de arbitragem.

Os jornais desportivos, esses, que não fazem capa quando o Moreirense ganha a Taça da Liga, chamam finalmente para as suas manchetes os acontecimentos das Distritais, exigindo maior segurança para os homens do apito. Pela internet fora, surgem compilações em vídeo de entradas maldosas dos atletas do Canelas ao longo da temporada, alvos de maior crítica e atenção do que Samaris, Luisão ou Pizzi, caceteiros profissionais jubilados.

Os portistas podem ter opinião própria sobre a equipa do Canelas e sobre a proximidade entre a claque Super Dragões e a Direcção do FC Porto. Esse é um exercício que cabe a cada um e que só aos próprios compete.

Mas têm que perceber que o objectivo de toda esta campanha orquestrada é, sabe-se desde o início, fazer uma colagem dos actos do Canelas ao seu atleta Fernando Madureira. E, depois dessa colagem, o objectivo é generalizar e atacar os Super Dragões no seu todo. Por fim, a ambição cimeira, é associar o acto de Marco Gonçalves ao FC Porto, querendo colar nos seus adeptos e dirigentes o rótulo de “brutamontes” e de “facínoras”. No fundo, trata-se da velha ideia lisboeta de que acima do Mondego é só tiranos e trogloditas. Isto não é invenção da minha cabeça, pois está presente no documento revelado no Porto Canal por Francisco J. Marques, Director de Comunicação do FC Porto. Estamos portanto a chamar a atenção dos portistas para um facto verídico.


Nós sabemos o que a casa gasta. É mais ou menos o mesmo que dizer que, devido às palavras do táxista Jorge Máximo, todos os benfiquistas são potenciais violadores de meninas virgens. Ou que todos os benfiquistas, devido a terem eleito João Vale e Azevedo, são perigosíssimos caloteiros em potência. Ou pior: que os benfiquistas gostam mesmo é de brincar aos verylights.

Digamos, para resumir, que o joelho de Marco Gonçalves tem quase tanta importância hoje em dia como a bomba no metropolitano de Moscovo ou como a venda do Novo Banco.

E por falar em Novo Banco, é curioso constatar que o País se indigna mais com a pancadaria nas distritais do que quando vê em horário nobre, em pleno Sábado, um dos maiores devedores à banca nacional e, por assim dizer, aos bolsos dos contribuintes portugueses, sentado entre o actual Primeiro-Ministro e o Ministro das Finanças. Vamos a factos: Promovalor de Luís Filipe Vieira deve ao Novo Banco 381 milhões de euros, Oliverca Capital deve ao Novo Banco 184 milhões de euros, slbenfica deve ao Novo Banco 107,8 milhões. Perante isto, é só fazer as contas, como diria o actual Presidente da ONU. Este gráfico pode ajudar a desfazer as dúvidas: 672,96 milhões euros de dívida global de Filipe Vieira e slbenfica.

Dijsselbloem disse que quem pede emprestado não pode depois andar a gastar dinheiro em mulheres e álcool. De Norte a Sul do País, o infeliz presidente do Eurogrupo foi arrasado e insultado, alvo de pedidos de demissão imediata.


O holandês, em certa medida, tem razão. Só se esqueceu foi de dizer que Portugal é um verdadeiro micro-clima do sul da Europa, um país especial de corrida com tradições específicas e muito próprias: é que aqui na terra, os credores sentam-se amigavelmente com os maiores caloteiros e ainda lhes dão palmadinhas nas costas. Afinal de contas, sempre são 6 milhões de contribuintes vermelhos, que não se devem importar em demasia com estas coisas.

Rodrigo de Almada Martins

9 comentários:

  1. Apoiado.
    A mim faz-me confusão, para não dizer urticária, o facto da nossa imprensa, falada e escrita, sofrer de uma total falta de ética e verticalidade, tantas vénias ás papoilas saltitantes, provocará de certeza absoluta, problemas graves na coluna vertebral, ou será que os jornalistas já nascerão sem ela???

    Valdemar Martins

    ResponderEliminar
  2. Mas que fazer com tamanha desigualdade? ´Voltamos ao país dos três FFF?.........


    ResponderEliminar
    Respostas

    1. eu, uma vez, fui ao Portugal dos Pequenitos... isso conta como saída? é que a Vigo foi só para caramelos (mesmo sabendo da sétima amizade que nos une)...

      Eliminar
  3. Parabéns. Está tudo (bem) dito

    ResponderEliminar
  4. Grandioso post!!!
    Uma questão para os adeptos do FC porto? Até quando vamos aguentar isto? Como podemos resolver este enorme problema de lidar com uma máquina de propaganda gigantesca, que tem apoio dos principais órgãos de investigação e judiciais em Portugal? Que tem o suporte de quase toda a comunicação social? Que tem o patrocínio da banca e principais responsáveis financeiros...? É possível fazer isto sem recurso a violência? Eu cada vez tenho mais ódio a estes porcos, não só no futebol, mas também na política, comunicação social, banca, etc... Já não suporto ouvir tanta falta de vergonha...
    Alguém consegue sugerir algo antes que algum de nós perca a cabeça???
    Saudações azuis e brancas!

    ResponderEliminar
  5. Perfeito, a resposta não pode ser dada só no campo, pois o roubo não é so no campo !

    ResponderEliminar
  6. Quero o meu Porto independente de Portugal, mesmo que daqui tenha saído o nome do país!
    Este país não é para tripeiros!

    ResponderEliminar
  7. Imaginemos que esta cartilha/quadrilha esta feita ha 4,5 anos...logo desde essa altura que condicionam a cabeça aos adeptos de varios clubes...
    Isto com a complacência de uma comunicação social vendida aos interesses do regime.
    Se juntarmos a isto a btv, canal que transmite jogos de uma competição oficial sem regulação, e aqui é preciso denunciar esta situação a fifa, este tipo de situação não pode continuar...
    Abraço, Gil Lopes

    ResponderEliminar