08 abril, 2017

SOARES DE VOLTA.


FC PORTO-BELENENSES, 3-0

O FC Porto regressou às vitórias este Sábado no Estádio do Dragão depois de dois empates e prossegue o seu caminho na luta pelo título.

À hora excepcional a que escrevo a crónica, o líder da classificação acaba de obter uma vitória em Moreira de Cónegos cheia de casos e de vergonhas. Mas os Dragões não vão desistir. Vão continuar a trilhar o seu caminho com o título como horizonte. Estamos a um ponto, mas estamos na luta.


O objectivo será vencer todos os jogos que faltam (6) e esperar por boas novas do outro lado em uma ou mais dessas seis jornadas e depois no fim fazem-se as contas.

Nuno Espírito Santo voltou a colocar André Silva ao lado de Soares, relegando Corona para o banco, mantendo-se fiel ao trio do meio-campo Danilo-A. André-Óliver. Na defesa Felipe fez parelha com Boly que substituiu o castigado Marcano, auxiliados pelos habituais laterais e com o guardião Casillas.

O jogo com o Belenenses não começou muito bem. O Dragão teve, porém, um adversário que não exigiu muito e a vitória acabou por surgir com alguma naturalidade. A meia hora inicial deixou algo a desejar, mas depois o FC Porto conseguiu produzir um pouco mais e perto do intervalo (38 minutos), Danilo com assistência de André Silva abriu o marcador.

Brahimi foi quem cobrou o livre que iria parar à cabeça de André Silva para assistir Danilo. Isto depois de já terem sido cobrados vários livres por Alex Telles sem sucesso.

Uma primeira parte com pouco sumo e que exigia um Dragão mais forte e mais intenso para a segunda parte, sob pena de acontecer o que tinha acontecido na recepção ao V. Setúbal.


Na segunda metade, o Belenenses tentou a sua graça logo nos minutos iniciais, mas as intenções ficaram-se por um remate à figura de Casillas. Os portistas sabiam que tinham de carregar no acelerador, não só para ampliar o resultado do jogo, mas também para terem a noção de que para vencer os próximos jogos é necessário mais produção, mais futebol, mais intensidade e maior velocidade.

Foi isso que aconteceu. Oportunidades não faltaram e a produção portista subiu consideravelmente. Em poucos minutos, Soares rematou ao lado, Óliver ultrapassou o guarda-redes contrário e rematou para a baliza, mas um defesa de Belém salvou sobre a linha e Felipe na cara do guarda-redes rematou escandalosamente por cima da baliza.

Perto dos 70 minutos, Nuno Espírito Santo tirou André Silva e colocou Corona que, logo de seguida, teve uma jogada pela direita, partiu os rins a um defesa contrário e centrou com conta, peso e medida para a cabeça de Soares. O avançado brasileiro regressava assim aos golos depois de um jejum de dois jogos sem faturar.

O Belenenses resignou-se ali mesmo, mas quatro minutos volvidos, Brahimi foi carregado na grande área. O árbitro, desta vez, assinalou para a marca de onze metros. O próprio argelino converteu o castigo máximo com facilidade, fixando o resultado em 3-0.


O FC Porto continua em segundo lugar a um ponto da liderança, num jogo em que viu mais duas grandes penalidades sonegadas pelo árbitro e numa jornada em que o seu rival jogou em Moreira de Cónegos e foi protagonista de entradas graves por trás sem expulsões, cartolinas amarelas a ficarem no bolso durante a partida e, para culminar, socos a não serem sancionados, passando claramente com toda a impunidade que caracteriza esse clube.

Depois de na jornada anterior a comissão disciplinar da FPF não vislumbrar nada de anormal no jogo da Luz, esperemos com toda a serenidade para ver quais vão ser as decisões que a mesma comissão disciplinar vai tomar ou não sobre as cenas vergonhosas que todo o país pôde assistir no jogo do Minho.

Vencer no Minho, na próxima jornada, é o objectivo do FC Porto. Um jogo muito difícil com o Sp. Braga que vai obrigar os Dragões a ter um desempenho muito mais elevado que o demonstrado no jogo deste Sábado.

Continuamos na luta! Ninguém desarma!




DECLARAÇÕES

Nuno: “Vitória inteiramente justa”

Uma vitória de todo o Dragão
“Foi um bom jogo, com um grande apoio do Dragão e um grande trabalho dos jogadores. Vitória inteiramente justa do FC Porto. Entrámos bem, a controlar o jogo, com muita posse de bola. O golo poderia ter chegado mais cedo, mas chegou e isso é que importa. Conseguimos objetivo principal na nossa fortaleza, que era conquistar os três pontos.”

Domínio absoluto
“A equipa fez um bom jogo, controlado e dominado. Não permitimos praticamente nada ao Belenenses, que não teve nenhuma oportunidade flagrante para marcar. Tivemos muita produção, muita circulação, criámos oportunidades e fizemos três golos. A equipa esteve muito bem.”

Crescimento sustentado
“Isto faz parte do crescimento sustentado de que tanto falamos. Cada treino é uma oportunidade para melhorar e cada jogo é uma oportunidade para mostrar essa melhoria. Temos muitas opções e podemos criar novos problemas a quem defende. Temos jogadores com diferentes características e cabe-nos potenciar o seu rendimento em prol da equipa.”


Bolas paradas
“Todos os momentos do jogo são trabalhados até à exaustão. A qualidade e confiança são importantes em lances de bola parada. Estes lances são fundamentais, quer na defesa, quer no ataque.”

Marcar e não sofrer
“É essencial marcar e não sofrer, pois a luta vai ser muito intensa até ao fim. É tão importante marcar como não sofrer.”

A liderança, ainda que à condição
“Estamos onde queremos estar.”

Segue-se uma deslocação a Braga
“Amanhã já começamos a preparar o próximo desafio que temos pela frente.”



RESUMO DO JOGO

0 comentários:

Publicar um comentário