07 dezembro, 2018

OS LUSÍADAS DO BESSA.


As armas e os barões assinalados
Que, do jogo xadrez de canela e osso,
Por relvados nunca dantes jogados,
Passaram além do Hugo Miguel e do fosso,
Em perigos e vale-tudo esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre um jogo violento edificaram
Nova Vitória, que tanto sublimaram;

E também as memórias vitoriosas
Daqueles jogos difíceis que foram vencendo
De Dragão ao peito, era das mais saborosas
Vitórias que hoje na décima vão acontecendo;
E aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei do Polvo libertando:
Cantando espalharemos por toda a parte,
Dragão eu sou, se me ajudar o engenho e arte.

Cessem dos ressabiados Record e Bola
As manchetes grandes que fizeram;
Calem-se esses Guerras de pedir esmola
E a corada vergonha que tiveram;
Que eu canto Dragões desde a altura da escola,
A quem Conceição e Hernâni obedeceram.
Voz alta na curva azul e branca que canta,
Que um valor mais alto se alevanta.

Só os mais fortes sobrevivem.
Adaptação do Canto I d´Os Lusíadas em honra ao grande momento do passado Domingo. Um momento “Herrera aos 90”.

0 comentários:

Publicar um comentário