30 janeiro, 2019

SEM ESPINHAS.


FC PORTO-BELENENSES, 3-0

O FC Porto regressou a casa 23 dias depois e conquistou mais três pontos na sedimentação da liderança da Liga NOS. Após a perda da Taça da Liga para o Sporting, Sérgio Conceição pediu máximo empenho e rigor para levar de vencida o Belenenses que, até ao jogo desta noite, apenas tinha perdido um jogo fora de casa no campeonato.

Os jogadores corresponderam quase na perfeição ao exigido e conseguiram um resultado bastante confortável que mantém os Dragões firmes e destacados na liderança da Liga NOS. Sérgio Conceição manteve o grosso da equipa que tinha utilizado nos dois últimos jogos. As excepções foram a troca de Vaná por Casillas na baliza e de André Pereira por Soares na frente de ataque.

Numa noite de dilúvio, com pouco mais de 20.000 adeptos no estádio, o FC Porto saberia que era importante marcar cedo para evitar ter que enfrentar um terreno que, com o tempo, iria ficar mais pesado, atendendo à chuva persistente que ia caindo na noite fria do Dragão. Além disso, o FC Porto estava alertado para o tipo de jogo que o Belenenses costuma fazer.


Insistindo na construção de jogo desde a sua linha defensiva, o Belenenses não abdicou dos seus princípios e o FC Porto fez uma pressão tão alta e tão agressiva que levou os azuis de Belém a cometer erros. Um deles originou o primeiro golo da noite. Aos cinco minutos, Corona interceptou um passe de Sasso, correu para a linha de fundo, cruzou atrasado e Brahimi, no coração da área, rematou para o fundo das malhas. Estava aberto o marcador. O Belenenses não se atormentou e não deixou de praticar o seu futebol.

Apesar de uma noite fria e bastante chuvosa, o tapete do Dragão esteve bastante razoável e assistiu-se a um jogo intenso, agressivo e com oportunidades em ambas as balizas. Soares, Marega e Corona, pelo FC Porto e Licá e Eduardo, pelo Belenenses, estiveram em evidência no capítulo da finalização, não concretizando com sucesso as suas oportunidades.

Aos 29min, o FC Porto alcançou o segundo golo da noite. Em mais uma das muitas jogadas ensaiadas pela equipa de Sérgio Conceição, Corona bateu uma falta curta, no meio-campo, para Óliver que desmarcou Alex Telles. O defesa brasileiro, sem oposição, cruzou para a área, onde Miltão cabeceou como uma bomba para o fundo das redes de Muriel. Mas que golo!!!


Na etapa complementar, as primeiras impressões que o FC Porto deixou, davam a perceber que o Belenenses iria continuar a ter um adversário terrivelmente agressivo e pressionante na saída de bola. No entanto, com o decorrer dos minutos, os azuis de Jorge Silas foram conquistando terreno e Sérgio Conceição sentiu a equipa a relaxar um pouco. Exigiu, de imediato, que os jogadores mantivessem a tónica, não baixando os índices de concentração e de agressividade.

Marega, isolado, rematou para defesa apertada de Muriel. Mais tarde, Óliver entrou, pela esquerda, na área, mas rematou contra o Guarda-redes contrário e depois o Belenenses ameaçou o FC Porto, algumas vezes, mas Casillas nunca sentiu a sua baliza verdadeiramente em perigo.

Sérgio Conceição refrescou a frente de ataque com três substituições, com as entradas de Otávio, Fernando Andrade e Manafá para os lugares de Corona, Soares e Brahimi, mas antes Soares carimbava o 3-0 com uma jogada muito bonita e um belo centro de Óliver para a cabeça do ponta-de-lança brasileiro. Estavam decorridos 70 minutos de jogo.


A partir daqui, o Belenenses decaiu drasticamente no jogo e o FC Porto poderia ter alcançado um resultado mais volumoso. Fernando Andrade e Marega tiveram boas oportunidades para fazer abanar as redes, mas Muriel correspondeu da melhor maneira às investidas portistas.

Destaques finais para nova grande exibição de Óliver Torres e para a invejável frescura física que o FC Porto apresenta, numa fase da época em que os campeões nacionais têm cumprido uma sequência alucinante de jogos terrivelmente exigentes com intervalos de 3/4 dias. A próxima paragem é na Cidade-Berço, onde no Domingo, o FC Porto vai ter outro duro teste frente ao V. Guimarães.

Uma certeza o FC Porto pode ter. Caso faça a sua parte, os Dragões vão ganhar pontos a, pelo menos, um dos candidatos ao título que se defrontam entre si duas horas e meia antes. Uma vitória em Guimarães será mais um passo importantíssimo, rumo ao bicampeonato.




DECLARAÇÕES

Sérgio Conceição: "Temos tudo para fazer uma época de sucesso"

Mais três pontos importantes
“Era um jogo muito importante, depois desta semana vivida com a Final Four. Era importante dar uma resposta positiva, num jogo com um tempo não muito agradável para se vir ao Dragão apoiar. O jogo também foi um bocado tarde, em minha opinião, e defrontámos uma equipa que tem feito um campeonato muito positivo. Se não estivéssemos comprometidos, envolvidos, com uma mentalidade certa, podíamos ter sofrido um dissabor. Os jogadores estão de parabéns. Foi mais um jogo que passou e foram mais três pontos importantes.”

Sem tirar o pé do acelerador
“A equipa foi muito pressionante e provocou o erro no terço defensivo do adversário. Sabíamos isso, que o Belenenses gosta de sair a jogar de trás. Fomos muito inteligentes, com movimentos muito bons dos extremos. O Brahimi fez um primeiro golo de qualidade, na sequência de um movimento de pressão. Nunca tirámos o pé do acelerador frente a um adversário que tem uma posse de bola interessante. Foi um resultado justo. Podíamos ter feito mais um golo ou outro, mas pelo que o Belenenses fez, penso que o resultado se ajusta.”


Ninguém mais forte que o FC Porto
“Depois do jogo da Luz, ainda não vi ninguém mais forte que nós. Sabemos o que queremos, temos jogadores experientes, jogadores com qualidade, e temos uma organização acima da média. A prova disso são os jogos que temos feito na Liga dos Campeões. Temos tudo para fazer uma época de sucesso, como na época passada, e se possível ainda melhor.”

Luta aberta pelo título nacional
“Olhamos principalmente para nós. Estamos atentos ao que se passa à nossa volta, temos três rivais que também lutam pelo título e não meto de maneira nenhuma o Sporting fora da luta pelo título. Depois dos próximos três ou quatro jogos já podemos ter umas contas mais conclusivas.”



RESUMO DO JOGO

0 comentários:

Publicar um comentário