30 abril, 2010

Ser Porto(cale)… é ganhar ao Mouro no final!

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

A Calçada está de volta, desta feita à normal prosa, em semana em que as poesias, as melodias e os cantos perfeitos ficam de lado e dão lugar às palavras secas, de fúria e garra e aquilo por que ainda joga o FCP neste fim de campeonato, pelo seu orgulho, por mostrar porque tantas vezes é campeão, porque tantas vezes enverga junto ao peito as quinas de campeão, porque é oriundo de um sítio que foi, é e sempre será Portugal português, mostra porque é Porto(cale).

Ainda que de volta, como referido anteriormente à normal prosa, não fica nada mal que também se conte um pouco de história, e pegando nas últimas palavras do anterior parágrafo e porque o clássico do fim-de-semana, por motivos vários e pelos que nos melhor aprazar e deixe contentes, conheçamos então os adversários com um pouco de lírica:

    “Ocupando uma pequena faixa de terra à beira do Oceano Atlântico, ligada ao resto da Europa pelas vias do mar, Portugal nos começos da Idade Média estava distante de tudo e de todos. Tanto assim, como prova da desolação e solidão em que se encontrava, os romanos denominavam a região um pouco mais ao norte do rio Douro, a Galícia de hoje, da qual Portugal se desprendeu, como Finis Mundi, o fim do mundo. Conquistou o seu lugar no mapa enfrentando, entre outros, a gente do Islã (Mouros).

    Foi lutando contra os mouros numa longa guerra étnica e religiosa que Portugal, por fim, se instituiu como nação independente no século XII. Digna o bastante para também fazer frente ao poder de Castela.

    Todavia, no universo das demonstrações simbólicas é significativo o facto da bandeira de Portugal ostentar por largos séculos no seu centro, como troféu de guerra, presos à esfera armilar os cinco escudos ou as cinco quinas. Segundo a lenda que alimenta a formação do reino, eles, os escudos, representavam os reis mouros derrotados por D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, no grande combate de Ourique, travado no dia 25 de Julho de 1139, dia de Santiago Matamoros (Mata-mouros).

    Além disso, na mesma bandeira, afixados ao redor do escudo central, encontram-se ainda as gravuras dos sete castelos que lembravam as conquistas dos reis portugueses das fortalezas almorávidas do Algarve. O que significa que entre os seus dois formidáveis inimigos, o castelhano ao leste e o mouro ao sul, os lusos celebravam por primeiro e de modo mais importante a vitória sobre os últimos, os seus figadais inimigos do Islã, os Mouros.”
Ao calceteiro apraz dizer em jeito de conclusão que, do breve excerto, podem ser retiradas várias conclusões, sendo que a mais importante é que no Norte sempre esteve a veia emancipadora de Portugal para o Mundo. Os guerreiros nortenhos ao longo da sua história, provaram que sempre tiveram garra para lutar e derrotar várias frentes (hispânicos e mouros). Também não é por acaso que o campeão nacional envergue junto ao peito as quinas (símbolo da conquista aos mouros) de campeão nacional, chegando, claro, a ser contra-natura que equipas do sul enverguem tal simbologia. De entre os castelos, conquistados, mencionados (representativos dos reis mouros), o mais importante foi, ainda hoje considerado, como o de Sintra, o que não evidencia surpresa uma vez que ainda por lá a autarquia é liderada por Mouro sobejamente conhecido. Coincidência, também ou não, não admira que os Mouros, povo islâmico na sua essência, seja conhecido como povo de religião e "explosivos" fanatismos. Assim de repente associo à equipa, moura, encarnada uns quantos episódios semelhantes, e vocês não…?

Vamos fazer da História, aquilo que ela sempre foi: Uma realidade de que nos orgulhamos!

Abraço e fiquem por aí... que eu fico!

13 comentários:

  1. Força Porto, as tuas cores são o nosso orgulho !

    ResponderEliminar
  2. http://desporto.publico.pt/noticia.aspx?id=1434796&utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+PublicoRSS+%28Publico.pt%29

    Reparem na parte: "...diz o utilizador identificado como xeio_d_xono no blogue bibo-porto-carago.blogspot.com"

    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    Guardo ódio a todos eles... O DIA VAI CHEGAR...

    ResponderEliminar
  3. Calma pessoal, isto tem tanta gente online que ainda dispara...Culpa de Xeio_d_sono, destaque no Público...
    Tripeiro, segura o passarinho...
    Calceteiro, guarda as pedras que a coisa está preta e sem pedras que vai fazer o calceteiro?

    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Caríssimo!
    Não sei se me abomina mais as guerras disparatadas entre claques, se o fanatismo erróneo de patriotismo artificial! Não era demais, e para não estar a induzir os seus leitores em erro, rever a história e começar pelas verdadeiras descendências do nosso primeiro Rei. Ora não podemos esquecer que D. Henrique era, simplesmente, de raízes francesas como a maioria dos Cristãos na demandada contra os Mouros (esses infiéis...!)
    É lamentável que se misture assuntos de tão grande importância (como a nossa História) com futebol, esse jogo fantástico capaz de mostrar o melhor e o pior do Ser Humano.
    Que odeie o Benfica é uma coisa que só assim Lhe diz respeito! Que, indirectamente, ofenda a maior percentagem de habitantes portugueses é outra! Afinal Portugal é um todo, e vale como tal, como um todo formado por diversas partes e cada uma dessas partes tem o seu valor único e excepcional. Lamento que questões tão limitativas (como preferência futebolística) levem a uma ofensa Nacional da sua parte.

    Contudo, quero salientar algo: Para criticar tem que superar o alvo da crítica, e olhando para toda a história do Futebol e do valor das diversas equipas, penso e afirmo que ninguém pode apontar o dedo a ninguém! Todos têm telhados de vidro!

    ResponderEliminar
  5. Por falar em verdadeiras descendências penso não estar errado ao afirmar que D. Afonso Henriques terá raízes Francesas por parte do pai da mesma maneira que terá raízes Castelhanas da parte da mãe.

    E não creio que o João tenha insultado alguém ou misturado o futebol com a História.
    (não terá sido apenas o Sr. que misturou a História com o futebol?)
    Não escreveu mentira alguma e retirou as conclusões que entendeu.

    Isto aqui é um blogue de futebol e de apoio ao FC Porto.
    Não de História ou historietas.
    Um mouro é um mouro da mesma maneira que um andrade é um andrade.
    É apenas o calão futebolistíco.
    Se não gosta não visita, não lê.
    Para sermões e teorias a explicar o que não tem explicação já chega as do Sr. da cd da liga.

    Quanto aos telhados de vidro é verdade aquilo que diz mas quando afirma que Portugal é um todo já não concordo pois há muito Portugal que continua, nos nossos dias, a ser apenas paisagem.

    ResponderEliminar
  6. Maio, mês que ficará marcado pela vinda do Papa, diria que dela não precisávamos, o país está cheio deles…

    Não sei se me abomina mais ler incongruências, se tentar percebe-las!

    Portugal é todo, sem dúvida, e a riqueza do país está divida quer no norte, quer no centro quer no sul, e com o conjunto das partes que o todo sai fortelecido, proponho então, mudar-se a capital e esta passar por cada capital de distrito temporariamente, não havendo desta forma uma capital fixa, só assim as partes de evidenciam e criam um todo mais fortelecido, segundo teoria..

    ah, e o facto de minha avó, ou mão ter nascido ou ter descendencia francesa, n faz á partida de mim um frances, se assim fosse )e peço desculpa pela misura da historia com o futebol), todos nós teriamos, por exemplo, o mesmo clube.. rídiculo!

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Sr. Almorol sentiu-se ofendido..tambem eu me sinto todas as vezes que o Pais e o Centralismo emana e destila injustiças e nao me refiro apenas ao Desporto e ao FCPorto....nao me lembro de o ter visto por aqui em outras ocasioes, concerteza será um dos "amigos" das forças policiais que agora deu em visitar a web para saber das accoes que se preparam para receber os infieis!!!

    ResponderEliminar
  8. Não sei porque o senhor de Almourol se sentiu tão ofendido. Também considero Portugal como um país uno mas, a verdade, é que, desde sempre, Lisboa é conhecida como a Capital do país e o Porto como a Capital do Trabalho.

    Infelizmente, hoje, o que se passa no futebol com as constantes provocações não só ao Porto (alvo preferencial cujo presidente foi positivamente linchado na CS com a ajuda de uns quantos justiceiros da PGR e ILIBADO nos tribunais excepto num tal CD da Liga que já mostrou toda a sua parcialidade) mas a todo o norte em geral (e até ao resto do país cada vez mais paisagem) quer com os castigos cirúrgicos a jogadores do Braga quer com ataques à Liga pelo facto de a sede ser no Porto passa-se também na política. É só lembrar como, mais uma vez cirurgicamente, se instalam portagens em Scut's (e eu até sou a favor) só no Grande Porto ou como se avança com o TGV Lisboa-Madrid mas se pára Lisboa-Porto-Vigo (e eu até sou contra o TGV).

    Defendi a Regionalização (como a defendo hoje) tão só porque o centralismo a que se chegou neste país tão pequenino é de tal maneira ignóbil que é necessário tentar mudar qualquer coisa mesmo que não seja o melhor.

    Sou portuense e português e não me revejo em actos de violência, mas também não me revejo num país que persegue as pessoas apenas pela sua cor clubística ou política e que tem como ideal um centralismo como nunca se viu nem no tempo da outra senhora.

    O futebol não é uma guerra mas a política também o não é e nós vemos um presidente de um clube de futebol a ser atacado por um PGR baseado em palavras de uma senhora de qualidades no mínimo duvidosas e vemos em processos como Pedofilias, Face Oculta, BPN, BPP, BCP, Freeport, etc. os investigadores a queixarem-se da falta de meios.

    Eu volto a repetir: Portugal é um país só; mas a verdade é que eu não me revejo neste país. Por isso, o futebol é um escape e se transporta tantas das nossas frustrações para dentro do terreno.

    PORTO SERMPRE!

    ResponderEliminar
  9. enfim falam falam falam mas nao fazem nadaaaaaaaaaaa

    sabem o que vos digo???Domingo vou sozinho de cachecol ao pescoço ver o que espero ser um bom jogo

    espero que o meu clube ganhe e se perder que se lixe, desde que seja um bom jogo

    apesar de nao ser "andrade" e sim "mouro" ( prefiro que me chamem alfacinha eheheheh ) ja vi muitos jogos tanto nas Antas como no Dragão ( e olhem que nao sou do FCP ) porque acima de tudo gosto de ver FUTEBOL

    Agora digo a todos uma verdade

    todos aqueles ( benfiquistas, sportinguistas, portistas, braguistas etc etc ) que aqui neste e noutros blogs falam de que ahhh e tal voces roubaram ahhh e tal sao corruptos, eu digo-vos isto :

    TODOS MAS MESMO TODOS ROUBAM E SAO CORRUPTOS

    sou do Benfica com muito orgulho e com muito amor e respeito todos os adeptos rivais que tal como eu se respeitam e amam o FUTEBOL

    Se nao gosto do Pinto da Costa??NAO e sabem porque??? porque ele é presidente do FCP e nao do SLB

    Se ele é corrupto??? É tal como o Bettencourt o Luis Filipe Vieira e tantos outros que ainda ca andam

    enfim

    Espero que este Domingo a FESTA DO FUTEBOL não saia mais uma vez tristemente manchada por causa de meia duzia de IGNORANTES que nem gostam de futebol, apenas la aparecem pra aparecerem na TV e causarem o caos

    Viva O FUTEBOL

    ResponderEliminar
  10. Luis não te armes em heroi...

    Vais ver o jogo com um cachecol azul-e-branco quase de certeza.
    De herois estão os cemiterios cheios.
    Eu quando vou à lixeira do teu clube vou sempre à paisana...

    ResponderEliminar
  11. Pois foi,o xeio_de_sono foi citado no Público,logo de manhã desatei-me a rir x)

    ResponderEliminar
  12. Portistas amanha depois do Porto - benfica vamos festejar para a Avenida dos Aliados e Boavista a conquista do enacampeonato do F.C.Porto em hoquei em patins, mas nada de violencia. Afinal o F.c.Porto não é so futebol

    ResponderEliminar
  13. Caro Almourol (só o nome....!!)

    "Lamento que questões tão limitativas (como preferência futebolística) levem a uma ofensa Nacional da sua parte."

    Aqui está a chave do seu comentário e o príncipio para eu discordar dele. Para mim, o meu clube, não é uma questão limitativa. É mais que absoluto. Portanto já temos pontos de vista completamente diferentes. O FC Porto, para mim, não é um passatempo!!

    Dragão66,

    "O futebol não é uma guerra mas a política também o não é e nós vemos um presidente de um clube de futebol a ser atacado por um PGR baseado em palavras de uma senhora de qualidades no mínimo duvidosas"

    Entendido, Almourol?

    Luis,

    "porque acima de tudo gosto de ver FUTEBOL"

    Independentemente da cor, gostei do seu comentário. Mas destaco esta frase, que diverge totalmente da minha maneira de pensar. Acima de tudo, eu, gosto do FC PORTO, e só depois é que gosto de FUTEBOL! É a base da divergência, perfeitamente compreensível...

    P.s- Vá casual...

    Abraços

    ResponderEliminar