12 julho, 2015

OFICIAL - CASILLAS ASSINA POR DOIS ANOS COM MAIS UM DE OPÇÃO.

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

O guarda-redes Iker Casillas, de 34 anos, assinou contrato com o FC Porto para as épocas 2015/16 e 2016/17, tendo ainda mais uma temporada de opção. O internacional espanhol, ex-Real Madrid, passa a ser o jogador da Liga portuguesa com o mais rico palmarés e torna-se ainda no primeiro ex-campeão do Mundo de selecções a representar os Dragões.

Em 2012, Casillas recebeu o Prémio Príncipe das Astúrias para o Desporto, considerada a maior distinção desportiva espanhola. Mas, para além disso, tem um incrível palmarés, em que se incluem três Ligas dos Campeões, um Mundial de Clubes, duas Taças Intercontinentais, duas Supertaças Europeias, cinco Ligas espanholas, duas Taças do Rei e quatro Supertaças espanholas com o Real Madrid, para além de um Mundial e dois Campeonatos da Europa com a selecção espanhola.



Um Príncipe que já venceu tudo o que há para ganhar
Casillas tem 22 títulos conquistados ao longo da carreira e é o primeiro ex-campeão do Mundo a jogar nos Dragões

Foi a 12 de Setembro de 1999, no mítico San Mamés, casa do Athletic Bilbau, que Iker Casillas se estreou com a camisola da equipa principal do Real Madrid. Tornou-se então o mais jovem guarda-redes de sempre a alinhar pelo clube, com 18 anos e 115 dias, iniciando um extraordinário percurso de 725 jogos. O agora reforço do FC Porto representou os merengues durante 25 anos, entre 1990 e 2015, conquistando não só a admiração dos adeptos do Real mas também de todos os apreciadores do desporto e do fair-play. Não é por acaso que recebeu, em 2012, o Prémio Príncipe das Astúrias para o Desporto, considerada a maior distinção desportiva espanhola.

Iker é um nome tipicamente basco, que tem uma razão de ser, apesar de Casillas ter nascido em Madrid e crescido nos seus arredores, nomeadamente em Móstoles. Os pais do guarda-redes viveram em Bilbau antes do seu nascimento, pelo que a escolha foi uma espécie de homenagem a uma cidade que também se tornou emblemática no seu percurso profissional. Navalacruz, um pequeno município na comunidade autónoma de Castela e Leão, de onde os pais são naturais, é outro local determinante na infância do guardião, que foi eleito o melhor do mundo no seu posto específico por cinco vezes e já venceu os trofeus individuais Zamora e Bravo.

Aos nove anos deu-se a chegada ao Real Madrid e o percurso até à baliza do Santiago Bernabéu foi feito a pulso. Vencedor do Campeonato da Europa de Sub-16, em 1997, e do Mundial Sub-20, em 1999 (em ambos os casos com defesas suas no desempate por penáltis), Casillas foi convocado para um jogo da Liga dos Campeões, frente ao Rosenborg, em 1997. Teve de esperar dois anos até à estreia oficial, mas a partir daí agarrou a titularidade na baliza madridista. Os títulos conquistados desde então poderiam justificar só por si um parágrafo: três Ligas dos Campeões, um Mundial de Clubes, duas Taças Intercontinentais, duas Supertaças Europeias, cinco Ligas espanholas, duas Taças do Rei e quatro Supertaças espanholas.

O percurso na selecção espanhola, ao serviço da qual venceu o Mundial de 2010 (sendo considerado o melhor guarda-redes) e dois Campeonatos da Europa, sempre como capitão, merece também um capítulo especial. Aliás, foi a partir das suas defesas milagrosas no Mundial 2002 que passou a ser conhecido em Espanha pelo apelido de “O santo”. Com 162 jogos pela selecção A, Casillas é o mais internacional de sempre no seu país e é o terceiro capitão da história do futebol, depois de Franz Beckenbauer e Didier Deschamps, a erguer os troféus de campeão da Europa e do Mundo de selecções e o da Liga dos Campeões da UEFA. Muito poucos futebolistas têm um palmarés comparável, sendo o de Vítor Baía, outro ex-guarda-redes dos Dragões, um desses casos. Com 35 títulos, o português é o jogador mais titulado de sempre a pisar relvados lusos.

Casillas passa porém a ser o jogador da Liga portuguesa em actividade com o mais rico palmarés e é o primeiro ex-campeão do Mundo de selecções a representar os Dragões. Porém, tão ou mais importante do que todos esses feitos é o seu desportivismo e vontade de ajudar os mais desprotegidos. O fair-play de Iker é reconhecido e não é por acaso que lhe foi concedido o Prémio Príncipe das Astúrias ao lado de Xavi, que tem um percurso similar no rival FC Barcelona. O júri considerou que ambos simbolizam os valores da amizade, companheirismo e respeito pelo adversário. Na vertente solidária, o espanhol criou a sua própria fundação, que se foca no bem-estar das crianças, em 2011; no mesmo ano, em Janeiro, foi nomeado Embaixador de Boa Vontade das Nações Unidas.



Casillas: “Muito obrigado ao FC Porto por confiar em mim”
Guarda-redes deixou Madrid em lágrimas mas revelou muita “esperança” no novo capítulo da sua carreira

​O discurso demorou-lhe longos e emocionantes segundos a sair, até que reconheceu que se tinha “comprometido” a ler o papel com que se muniu. Em conferência de imprensa no Estádio Santiago Bernabéu, Iker Casillas despediu-se do (único) clube que representou durante 25 anos e explicou os motivos que o levaram, aos 34 anos, a escolher o FC Porto para prosseguir a carreira. E houve ainda palavras de agradecimento aos azuis e brancos.

“Vim a este grande estádio despedir-me de todos, sobretudo e em especial dos madridistas. Como sabem, desde ontem deixei de pertencer ao Real Madrid e passei a fazer parte do FC Porto. A decisão de ir para o FC Porto deve-se a dois motivos fundamentais: primeiro, a esperança que o presidente, o director Antero Henrique e o treinador Julen Lopetegui, que já me conhece há muito tempo, me transmitiram; segundo, as demonstrações de carinho que recebi quando se soube que o meu destino era Portugal e, nesse sentido, fiquei muito feliz”, afirmou o novo concorrente pela baliza portista.

Numa conferência de imprensa muito emotiva, Iker Casillas fez questão de relembrar todos aqueles que lidaram de perto com ele no dia-a-dia madridista desde há 25 anos. O guarda-redes campeão europeu e mundial pela selecção espanhola mostrou-se também feliz pelo que o espera e agradeceu a confiança demonstrada pelos Dragões. “Farei todos os possíveis para não os defraudar e lutarei ao máximo para conquistar o maior número possível de títulos na minha nova equipa. Portanto, muito obrigado ao FC Porto por ter confiado em mim”.

fonte: fcporto.pt

0 comentários:

Publicar um comentário