19 março, 2017

ONORE ALLA PORTO ULTRAS!!!!!


Respeito!! Atitude!! Mentalidade!! Coerência!!

Parabéns a todos os ultras do grande Porto que marcaram presença em Turim na passada terça-feira. Os elogios multiplicam-se em Portugal e no estrangeiro. Mas principalmente lá fora, os nossos ultras estão reconhecidos por todo o lado. A melhor deslocação em termos de apoio no estrangeiro, pelo menos nos últimos anos. Mas de longe! Extraordinária capacidade de mobilização e de apoio à equipa ao longo de mais de 90 minutos! Normalmente estes jogos trazem essa vantagem, o apoio é durante toda a estadia no estrangeiro, desde o momento em que se sai de casa até ao regresso!


Destaque natural para o enorme poder vocal mostrado em Turim, mas também não posso deixar passar a enorme de deslocação a Arouca, na sexta-feira anterior! E conto então aqui a última semana de apoio ao mágico...

Três dias de férias. Sexta, segunda e terça-feira. Sexta durante a tarde invadimos Arouca. Grande tempo, convidativo a um lugar na esplanada e a beber uns finos até à hora do jogo. Nos tascos das imediações os portistas iam-se apoderando da comida e da bebida. Um vila que nos acolhe sempre da melhor forma, o mesmo já não se pode dizer do clube que nos chula sempre no preço do bilhete. Desta vez nem a módica quantia de 17 euros (!!!!) afastou os Dragões do apoio à equipa. Arouca foi nossa e conquistámos os três pontos com uma saborosa goleada.

Uma deslocação em peso, a bancada visitante estava completamente lotada. Ao contrário dos últimos dois anos em que o Arouca esteve primeira, este ano tem uma bancada nova, uma superior, na bancada central e que naturalmente também estava completamente cheia. O material das claques coloriu a bancada e o apoio foi decisivo para nos mantermos na luta pelo título.


Sábado foi para descansar e Domingo de manhã partiu a minha vaga para Milão. Durante três dias, Domingo, segunda e terça, foram chegando a Itália, uns por Milão e outros por Turim, os ultras do grande Porto, que estão contigo até à morte!!!

No dia do jogo, aos que viajaram de avião directamente para Itália, juntaram-se aqueles que viajaram para os países vizinhos, como a França e principalmente a Suíça.

No meu caso, tive a oportunidade de passar três grandes dias em Itália a espalhar o nome do FC Porto por todo o lado. Domingo foi logo em San Siro, onde o Inter jogou um derby com a Atalanta, segunda-feira o centro de Milão e na terça-feira o centro de Turim.

Rumámos ao estádio. Estádio moderno e praticamente cheio. Mas foi no sector visitante que houve espectáculo. Fica provado que não é preciso muito a nível de material para dar um grande show. Importante é nossa voz bem alta e em uníssono, importante é a disposição que levamos para bancada e a vontade e a raça com que apoiamos a equipa. Sem tambores, sem megafones, sem bandeiras gigantes, a voz e as palmas foram as nossas armas numa batalha que claramente ganhámos aos ultras italianos.


Já revi o jogo na TV e as lágrimas vêm aos olhos Só me imaginar que acompanho o movimento ultra desde pequenino, que me fascinavam as claques italianas e a oportunidade que tive de estar em Itália, em Turim contra a Juventus e abafar aquele estádio. Verdade que estiveram em protesto (como têm estado nos últimos jogos), mas o protesto não durou os 90 minutos de jogo.

A equipa técnica reconheceu, os jogadores reconheceram, a estrutura reconheceu... e os italianos reconheceram, acabando o jogo a aplaudir-nos e a atirar-nos cachecóis deles.

Um jogo que ficará na história pela prestação dos Super Dragões e do Colectivo e uma eliminatória que ficará marcada com o reduzido tempo em que ambas as equipas jogaram 11 contra 11.

Um abraço ultra.

0 comentários:

Publicar um comentário