30 setembro, 2017

O DESESPERO DOS INFELIZES.


O FC Porto está a atravessar um bom momento e isso, alem de ser absolutamente inegável, causa desconforto e bastante azia a muita gente.

Não é por isso de admirar que a nova narrativa dos cartilheiros, aqui com destaque óbvio para Pedro Guerra, seja diminuir as vitórias do nosso clube alegando que os adversários facilitam, deixam jogadores propositadamente de fora e jogam de uma forma diferente com o FC Porto do que contra o clube deles.

É fácil perceber o objetivo desta gente, que não tem o mínimo de vergonha na cara. Desestabilizar, fazer barulho, pressionar, coagir e intimidar. É o Modus Operandi da agremiação que apoiam e à qual obedecem, por isso, não é de surpreender o discurso da Máquina de Propaganda benfiquista.

Mas não deixa de ser inacreditável como é que um clube que todos os anos tem Miguel Rosa, ou fora dos jogos contra si ou a fazer assistências para golo, e um clube que ainda esta semana vai defrontar um Marítimo desfalcado do seu pilar defensivo por uma bizarra expulsão, consegue vir apontar supostos benefícios do FC Porto relativamente às formações apresentadas pelos seus adversários no Campeonato Nacional. É preciso ter uma lata e das grandes!

O Regime está desesperado, todos percebemos. É difícil explicar como é que se fatura tanto em vendas de Jogadores e o Plantel se vai deteriorando de Época para Época, também é difícil de explicar os E-Mails e tudo aquilo que o seu conteúdo prova, também é difícil de explicar porque é que Nuno Gomes saiu do clube e Rui Costa está com as mesmas intenções, também é difícil de perceber porque é que um Ex-Vice Presidente e Ex-ídolo da Massa Adepta do Regime é agora um grande crítico da atual direcção e, para terminar, também não é fácil de explicar como é que um Clube que ainda há bem pouco tempo proclamava voltar à ribalta do Futebol Europeu consegue sair do terreno do modesto Basileia com 5 bolas sem resposta.

São muitas dúvidas sem resposta e os resultados são o reflexo do nervosismo do Regime, resultados esses que internamente não são ainda piores porque os Padres vão levando os de vermelho ao colo, numa escandaleira que a implementação do VAR apenas veio reforçar.

Quanto a nós, depois da enorme vitória no principado numa demonstração inequívoca de classe e grandeza como o nosso Treinador havia prometido na véspera, temos agora o primeiro clássico da Temporada num Estádio onde já não somos felizes há vários anos.

Estou convencido, apesar das certezas do Treinador adversário, que vamos obter um excelente resultado no Domingo e sair de Alvalade com a liderança do Campeonato reforçada, no entanto, ninguém pode esperar facilidades, pela natural valia do adversário, mas também pela dupla nomeada para dirigir a partida com Carlos Xistra no apito e Hugo Miguel no VAR.

Não é meu hábito embarcar no discurso politicamente correto e dizer que vamos esperar que a Equipa de Arbitragem tenha uma noite bem conseguida e faça um excelente jogo. Não é possível eu ter esse pensamento para com dois senhores que, num passado bem recente, prejudicaram o FC Porto de forma clara e inequívoca em jogos decisivos para o desfecho do Campeonato. Por isso, não me acredito na sua idoneidade e, como é natural, estou a contar que a sua performance seja similar há de tantas outras que têm protagonizado ao longo dos anos: Fazer tudo para que o FC Porto não vença.

Dessa forma, resta-nos fazer como é habitual e ser muito melhor do que o nosso adversário para sairmos com os 3 pontos e com uma vantagem pontual que, não sendo de todo confortável e decisiva, pode tornar-se bastante importante no desfecho do Campeonato.

Um Abraço Azul e Branco,
Pedro Ferreira

0 comentários:

Publicar um comentário