05 março, 2018

A 24 PONTOS DO OBJETIVO.


Era bom que não fosse necessário tanto, mas a minha sensação é que para ser campeão nacional, o FC Porto, dos 27 pontos em disputa, terá que conquistar pelo menos 24. Terá por isso a margem de erro de uma derrota, nada mais que isso.

A época do FC Porto até ao momento, repito até ao momento, é sem qualquer tipo de exagero, uma época extraordinária, a roçar a perfeição em termos nacionais e boa em termos europeus, uma vez que se conseguiu o apuramento para os oitavos-final da Champions, o objetivo mínimo para um clube como o FC Porto. Vencer 28 dos 34 jogos realizados em solo nacional corresponde a uma percentagem brutal de 82% de vitórias e apenas 6 empates. E já se jogou 4 vezes com o scp, 1 vez com o slb, 2 vezes com o braga, etc, etc.

Mais do que as vitórias obtidas em campo, tem sido evidente nesta longa série de jogos a superioridade do FC Porto a vários níveis relativamente aos vários adversários que vai encontrando, mas a característica deveras mais impressionante do FC Porto da era Conceição é claramente a intensidade! É uma equipa intensa, pressionante, rápida, enérgica, proativa, uma lufada de ar fresco face ao que tinha sido o FC Porto calculista e cerebral sobretudo dos tempos Lopetegui e Espírito Santo, em que muitas vezes o medo de perder ou levar muitos se sobrepunha à vontade de vencer, sem medos, nem receio de ser feliz. Ainda me lembro bem de no ano passado, quando empatamos o jogo no galinheiro da luz, em vez do FC Porto de NES tentar ganhar o jogo e resgatar uma liderança que podia significar mesmo o título de campeão nacional, ter preferido resguardar o resultado, encolhendo-se e festejando no final um empate que o mantinha no 2º lugar. O FC Porto pode este ano não ganhar rigorosamente nada (porque o futebol é o que é...) mas de uma coisa estou certo: a perder, será sempre a tentar a ganhar e não com medos ou calculismos para não perder.

Já muitos obstáculos foram derrubados até aqui, terá necessariamente de continuar assim nos últimos 9 jogos do campeonato, jogos que se devem sobrepor claramente a tudo o resto, quer o jogo em Anfield, quer a meia-final da taça de Portugal. As baterias têm de estar 1000% focadas no campeonato, os níveis de concentração e intensidade têm de estar no topo. A juntar a todos os obstáculos naturalmente existentes junta-se uma enorme onda de lesões, lesões atrás de lesões, Marega o último dos quais. Até nisto Sérgio tem sido competente na forma como tem conseguido ultrapassar todos os dissabores, veremos se irá continuar assim até final da época. A verdade é que dificilmente o nível de intensidade altíssimo com que este FC Porto joga acabaria naturalmente por ter como consequências várias lesões, infelizmente tal tem ocorido e em vários jogadores nucleares.

Notas Off-Topic:

1) Não é difícil perceber, basta ter um bocadinho só de massa cinzenta a funcionar, o porquê de tanto histerismo e loucura em torno do estoril vs FC Porto, um jogo em que muitos milhões de pessoas depositaram esperanças em ver o FC Porto finalmente ser derrotado. Creio que já estamos na fase da loucura completa, da construção de realidades paralelas numa fase de total autismo em relação à superioridade que o FC Porto demonstrou até agora no campeonato nacional. O FC Porto recebeu uma fatura em novembro datada do dia 26 de outubro-2017. No R&C do 1º semestre 2017/2018, divulgado no dia 28 de fevereiro-2018, constam os principais saldos de fornecedores relativos a dívida corrente e não corrente a 31 de dezembro de 2017, no qual se destacavam dívidas a 3 equipas do campeonato português: 784.000€ de dívida corrente ao Estoril Praia, 3.750.000€ de dívida corrente ao Sporting Braga e 2.000.000€ ao Vitória Sport Clube. No dia 14 de fevereiro 2018 é efetuado o pagamento integral da fatura emitida pela Estoril em novembro-2017. No dia 1 de março, surge então a denúncia anónima relacionada com a compra do jogo Estoril vs FC Porto por um suposto pagamento após o jogo. É oficial, entramos mesmo no reino da loucura, da imaginação, da ficção misturada com a realidade! Aposto com vocês que quer o jogo do Braga, que já ganhamos no Dragão, quer numa eventual vitória nos Barreiros surgirão naturalmente denúncias anónimas relacionadas com transferências de dinheiro do FC Porto para o Braga e para o Marítimo. É que o FC Porto a 31 de dezembro de 2017 tinha dívida corrente com esses mesmos 2 clubes... Sugiro uma coisa à SAD do FC Porto, epa não paguem as dívidas constantes do R&C resultantes de faturas que outros clubes vos enviam.

2) Como é evidente, os histéricos aziados que tanto gritaram incrédulos questionando como seria possível uma equipa marcar 3 golos em apenas 45 minutos no Estoril vs FC Porto, não questionaram quando o Rio Ave sofreu 5 golos em apenas 45 minutos num estádio que às vezes apaga a luz e acende a rega, nem questionaram como seria possível o Braga enfiar 6 golos ao mesmo Estoril na Amoreira? Pois...

3) Nunca é demais relembrar para os mais esquecidos mas aqui vai e em caps lock: EXISTE UM, UM APENAS, CLUBE PORTUGUÊS INVESTIGADO PELO DIAP POR UM PROCESSO DE CORRUPÇÃO ATIVA E PASSIVA, E OUTRO PROCESSO DE VICIAÇÃO DE RESULTADOS!!!! Por mais histerismo e nervosismo que haja esta é que é a verdade nua e crua!!

4) Nestes últimos 2 meses e meio vai-se fazer tudo, mas tudo mesmo, para impedir aquilo que parecia impossível no inicio da época, haver um clube que ousasse impedir o desígnio nacional do penta tão ambicionado por tantos milhões. Temos de ser fortes e aguentar tudo nesta reta final. Mais do que nunca, a expressão SER PORTO tem de ser transportada para dentro do campo, por jogadores, treinador e adeptos!!!

0 comentários:

Publicar um comentário