12 dezembro, 2006

Bi-Campeões do Mundo… faz hoje 2 anos!!

Vamos recordar… e mais uma vez celebrar!

Data: 12 de Dezembro de 2004
Local: Estádio Internacional de Yokohama, Tóquio
Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai)

FC PORTO - Vítor Baia (103' Nuno), Jorge Costa, Pedro Emanuel, Ricardo Costa, Seitaridis, Costinha, Maniche, Diego, Derlei (68' Carlos Alberto), McCarthy e Luis Fabiano (79' Quaresma)
Treinador: Victor Fernandez

ONCE CALDAS - Henao, Vanegas, Rojas, Cambindo, García, Velasquez, Viáfara, Arango, Elkin Soto, Fabbro e De Nigris
Treinador: Luis Montoya

Marcadores: 0-0

1ª Série de penalties:
Vanegas: 0-1; Diego: 1-1; Alcazar: 1-2; Carlos Alberto: 2-2; Viafára: 2-3; Quaresma: 3-3; De Nigris: 3-4; Maniche: FALHA 3-4; Fabbro: FALHA 3-4; McCarthy: 4-4

2ª série de penalties:
Velasquez: 4-5; Costinha: 5-5; Diaz: 5-6; Jorge Costa: 6-6; Cataño: 6-7; Ricardo Costa: 7-7; Garcia: FALHA 7-7; Pedro Emanuel: 8-7

Momentos depois da estrondosa conquista de Gelsenkirchen, muitos começavam já a pensar na possibilidade de vencer mais uma Taça Intercontinental e de repetir os feitos de 1987. Nessa altura, o adversário foi o Penarol de Montevideo, um gigante do futebol sul-americano e mundial. E desta vez? Como seria?

Estávamos nos 1/4 de final da Taça Libertadores e alguns dos «suspeitos do costume» perfilavam-se como possíveis adversários: São Paulo, Boca Juniors, Santos e River Plate. O Once Caldas, da Colômbia, começou a dar nas vistas, eliminando o Santos (ex-equipa de Diego). Nas 1/2 finais, o Boca Juniors elimina o rival River Plate e o Once Caldas volta a causar sensação, eliminando o São Paulo (ex-equipa de Luís Fabiano).

Todos pensávamos que a Intercontinental ia ser frente ao Boca Juniors, mas a surpresa chegou novamente! Os Colombianos empataram em Buenos Aires (0-0) e empataram em casa (1-1). A eliminatória só foi resolvida nas penalidades. Aí, Juan Carlos Henao defendeu quatro e o Once Caldas venceu por 2-0, conquistando de forma sensacional a Taça Libertadores. O estádio de Manizales explodia de alegria. O Once era vencedor da Taça Libertadores e seria o adversário do FC Porto na Taça Intercontinental.

A Taça Intercontinental era uma competição que colocava frente a frente os campeões da Europa e da América do Sul. Ao longo de décadas, esta prestigiante competição determinava o clube campeão do mundo! Esta edição, disputou-se nestes moldes pela última vez, sendo substituída em 2005 por um campeonato mundial de clubes, juntando todos os clubes campeões de todas as confederações do planeta.

O FC Porto (campeão europeu) defrontou o Once Caldas (campeão da América do Sul). Num jogo épico disputado em Yokohama, o FC Porto não desperdiçou a oportunidade de conquistar o 2º título mundial, tornando Yokohama num das cidades-talismã do Dragão.

5 comentários:

  1. BRAVO !
    É assim que se mantém viva a chama do dragão !

    ResponderEliminar
  2. Caro Blue,
    Estou-me a rir...-)))...e a perguntar, como é possível que os responsáveis de um determinado blogue não se tenham lembrado da efeméride que hoje se comemora ????
    Vá lá que resolvi passar por aqui e que ainda não é meia-noite !

    Este foi SÓ o segundo jogo mais importante da história do FCPorto !!!

    Quanto ao jogo em si, se tivesse que dar um título à crónica do jogo, seria "O inesquecível olhar do Dragão Pedro Emanuel" !

    Situacionista

    ResponderEliminar
  3. Ganhamos à rasca depois de podermos tre dado uma goleada histórica... MAs ganhamos e corroboro o post anterior, aquele olhar do Pedro Emanuel ficará para sempre na memória. Que regresse rápido e bem recuperado.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  4. Foi um jogo que mais parecia um joguinho do nosso campeonato tal a diferença entre as equipas.
    Mas no fim fez-se justiça e se calhar até soube melhor da maneira que foi.

    Um abraço.
    http://portistasdebancada.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. miau,um dragao nao muda,inova!!13 dezembro, 2006

    ola presidente e amigos; pois e sempre bom recordar os momentos de gloria do nosso interno F.C.P....

    ResponderEliminar