28 dezembro, 2006

A carreira mês a mês... Outubro

03.10.2006: Liga Bwin, 5ª jornada, Braga vs FC Porto (2-1)
Depois da derrota com o Arsenal em Londres, e principalmente pela paupérrima exibição ai demonstrada, o que todos nós esperávamos era ver neste jogo um assomo de orgulho ferido por parte dos azuis e brancos… engano puro! Mais 90 minutos, mais uma derrota e mais uma pobre exibição. Quem não corre e luta em busca da glória, arrisca-se a perder… e neste caso, bem! Neste jogo pudemos ver uma inovadora táctica, ou seja, onde os nossos jogadores, limitavam-se a defender à distância o transportador da bola e para este não se sentisse muito incomodado, faziam-no unicamente com os olhos. Resta-me dizer que foi um jogo em que se viu apenas uma coisa: muita falta de atitude!

15.10.2006: Liga Bwin, 6ª jornada, FC Porto vs Marítimo (3-0)
Este jogo, depois de 2 derrotas consecutivas (Arsenal e Braga), assumia uma dupla importância na antecâmara de 4 jogos cruciais para o FC Porto, frente ao Hamburgo, Sporting, Benfica e novamente Hamburgo.
Foi um FC Porto de nível médio (baixo) o que ganhou por 3 golos sem resposta perante os maritimistas, mas que acima de tudo, serviu para reforçar os índices de moralização para as guerras que se adivinhavam para breve.

18.10.2006: Liga Campeões, 3ª jornada, FC Porto vs Hamburgo (4-1)
Barriga cheia depois de apenas à 3ª jornada, termos conquistado a nossa primeira vitória nesta edição da Liga dos Campeões. Era um jogo de vida ou morte, dados os resultados obtidos nas anteriores jornadas com apenas 1 ponto conquistado.
Muito cedo se percebeu que esta equipe alemã era muito macia, o que por si só, nos acalentava muitas esperanças na obtenção de um resultado positivo, o que veio a acontecer com um score final de 4-1 e o regresso dos azuis e brancos à luta pela passagem aos 1/8 final.

23.10.2006: Liga Bwin, 7ª jornada, Sporting vs FC Porto (1-1)
Não perdemos, o que é sempre muito bom quando se é conquistado num terreno de um adversário directo ao título. Um jogo em que manifestamente se notou a ausência do prodígio Anderson em campo, tenho o nosso meio-campo sido falho de ideias ao longo dos 90 minutos. O FC Porto entrou a dominar territorialmente o jogo, impondo um ritmo lento e pausado ao jogo. Nesta toada fomos caminhando para o intervalo, quando num desacerto defensivo de nossa parte, o Sportêm chega à vantagem.
Com os acertos ofensivos feitos ao onze durante o intervalo, mais uma vez o FC Porto entrava a mandar no jogo, quando aos 47 minutos, Ricardo Quaresma empata a partida depois de mais uma fífia já habitual no Ricardinho do Intermarché… e explosão de alegria nas bancadas do WC XXI. ATÉ ao fim, foi um apoio non-stop aos bravos Dragões, que caso tivessem sido um pouco mais pressionantes, teriam ido em busca da vitória que estava mesmo ali à mão.
Mais uma ‘nice-trip’ cá dos je’s à Mourolândia, tendo o momento hilariante do fim de tarde sido a forma como cordialmente saudamos verbalmente durante uns largos minutos o Xôr Xôcolari que estava a uns escassos 25 mts de toda a massa azul e branca.

29.10.2006: Liga Bwin, 8ª jornada, FC Porto vs Benfica (3-2)
O jogo porque todos os portistas anseiam durante uma época desportiva. Na hora do jogo, nas bancadas do Estádio do Dragão encontravam-se mais de 50.000 adeptos de azul e branco vestidos, o que equivaleria a dizer que tinha vestida a sua melhor fatiota para uma noite de gala… e não é que foi mesmo? Anderson era a novidade nos onze, depois da sua ausência no WC XXI na jornada anterior.
Começado o jogo, fomos para cima deles, quais ‘touros enraivecidos’ até que aos 11 minutos de jogo, Hélder Postiga proporciona o primeiro momento de explosão de alegria nas bancadas. Passados 10 minutos, Quaresma à 2ª tentativa, faz a bola sobrevoar em arco toda a defensiva galinácea, fazendo a bola anichar-se na baliza e mais uma vez, com as bancadas do Dragão em alvoroço total.
Tamanho era o festival dado dentro do rectângulo verde pelos azuis e brancos, quando um sarrafeiro tal de seu nome ‘Katsouranis’ resolve arrumar com Anderson para o resto do jogo, com uma entrada assassina e a varrer… e o Lucilio Calabote mais uma vez, como sempre, a olhar para o lado.
Na 2ª parte, depois de uma perda momentânea do controle de jogo, quando damos conta, já o resultado estava em 2-2 e com apenas 9 minutos a restar para o fim do jogo.
Foi então hora de lançar Bruno Moraes em campo e aguardar pelo último minuto dos descontos (92 min)… a partir dali, aquele momento foi Epopeia, foi Ilíada, foi Odisseia, Lusíadas e Ilha dos Amores em 5 Cantos, foi Mensagem e Música no Coração. Mas foi sobretudo BraveHeart e o desafio do Guerreiro em Momentos de Glória. O Mundo a Nossos Pés. Foi e é a Insustentável Leveza do Ser. Foi filme, foi épico, foi comédia, foi ópera lírica, foi fábula, conto de mil e uma noites... foi Pullitzer, Nobel, Emmy, Florbela Espanca e Shakespeare. Foi obra! Foram ziliões de emoções e uma loucura total! Podemos dizer que vencemos um jogo que se calhar, já nem pensávamos em vencê-lo e passamos a líderes isolados do campeonato.
A nota negativa deste jogo como já disse atrás, foi a grave lesão de Anderson que facturou o perónio e agora, restava aguardar por 2007 para voltar a ver a sua magia num qualquer relvado perto de si.

Amanhã: A carreira mês a mês… Novembro & Dezembro

1 comentário:

  1. fcpmirandela28 dezembro, 2006

    Passa pelo blog e deixa a tua opiniao.. o tema pode ser polémico!!!

    ResponderEliminar