23 março, 2007

Pasquins de retrete

“O cantinho do Sr. António”

O meu avô foi habituado a ouvir falar da inabalável conduta profissional dos jornalistas. Apenas comparável à dos médicos, forças policiais e judiciais. Era do senso comum saber que qualquer jornalista era isento, rigoroso e incapaz de apresentar notícias meramente decorativas. A opinião não tinha lugar nos factos noticiosos e impunha-se a lei de responder apenas e só ao: Como? Quando? Onde? E porquê?

Mas os tempos mudaram, a ditadura acabou, as forças policiais passaram a deparar-se com casos de corrupção, os médicos viram-se a braços com casos de negligência médica grosseira, e os magistrados foram postos em causa nas suas funções por outros magistrados considerados mais iluminados. E os jornalistas?? Esses não. Esses continuam completamente alheios a estes fenómenos sociais, e reproduzem inteiramente a verdade, sem qualquer espécie de “amiguismo” ou de juízos de valor. Ahahahahah… não me façam rir por favor. Será que a comunicação social acha que nós somos todos “pategos” ou andam a colocar muita droga nos copos de café?!

Temos assistido a uma autêntica palhaçada nestes anos todos de domínio do nosso querido FC Porto. A comunicação social tentou por todas as formas e feitios deitar por terra a grandeza do nosso Clube, minimizar a importância das nossas vitórias, destruir o âmago da nossa mística. Mas não conseguiu. Agora, essa mesma escumalha, explora incessantemente o “filão” que se tornou o Apito Dourado. Lança notícias atrás de notícias sem qualquer critério ou rigor jornalístico. Ainda há bem pouco tempo o próprio JN que eu lia com tanto gosto, e que sempre lhe gabei a isenção, dava uma notícia sobre o Apito Dourado em que relacionava textualmente Pinto da Costa e Pinto de Sousa em mais um facto apurado (segundo eles) no processo, e que segundo o jornal, Pinto de Sousa tinha admitido à PJ que cozinhava os árbitros com o nosso Presidente. Pinto de Sousa decidiu contradizer imediatamente a notícia e exigiu o “direito de resposta” no mesmo jornal, o jornal lá lhe proporcionou o direito de resposta num cantinho de uma página sem o habitual espalhafato da primeira página. É ao que chegámos!!

Não me sai da cabeça algumas situações antigas como: título do “Rascord” a minimizar o facto de termos sido Campeões do Mundo e dando mais destaque aos golos apontados por uma ponta-de-lança num treino do sl bosta; “a bola” a debitar noticias, atrás de notícias, acerca do assassinato que um jogador do FC Porto cometeu numa Avenida da Invicta, quase que dizendo que se ele continuasse a ser jogador do sl bosta isso não aconteceria (falando de Yuran). Mais recentemente, engoli em seco com o cantinho a que foi votado o jogo entre Chelsea e FC Porto na Champions, sendo muito mais importante o jogo entre o 2º classificado do nosso campeonato e o penúltimo de França; o branqueamento da agressão de Liedson, após se ter quase chamado de arruaceiro a Quaresma; o ignorar da presença do Orelhas no escândalo da transferência de Mantorras; a pouca importância dada às conversas telefónicas, vindas a lume, entre o Major e o mesmo Orelhudo; a diferença de tratamento entre a naturalização de Nelson do sl bosta, e a possível naturalização de Pepe; o incrível silêncio sobre o jogo de bridge da “comichão disciplinar”; as análises sempre positivas ao trabalho do árbitro, cada vez que ele equipa as mesmas chuteiras avermelhadas; etc etc etc.

Haja respeito, comunicação social de merda. E depois ainda tenho que gramar com mouros a dizer que nós, os Portistas, é que temos a mania da perseguição. Enfim, o que vale é que o que não nos mata, torna-nos mais fortes!!

Neste país à beira-mar, deveriam ter a coragem que têm em Espanha. Os jornais estão perfeitamente identificados com as cores dos clubes e não fazem questão de esconder esse facto. E não fazem como os nossos pasquins de retrete, que se armam em paladinos da verdade. Em Espanha toda a gente sabe que o “Mundo Deportivo” é afecto ao Barcelona, e a “Marca” é afecta ao Real Madrid. Tudo preto no branco, sem rodeios. Por cá ainda temos que gramar com “rascords” e “as bolas” a afirmarem a sua imparcialidade. Quanto ao “O Jogo”, que tantos afirmam ser o nosso jornal de eleição, bem… tenho a dizer que já foi mais do meu agrado. Cada vez se tem associado mais à ala dos “pasquins de retrete”. O Oliveirinha já se deve ter esquecido (ou não) que lhe tentaram matar o irmão através da comunicação social no defunto programa anti-portista “Donos da Bola”.

Saudações,
Sr_Antonio

15 comentários:

  1. Por falar destas coisas de comentadores, jornais e afins, acabei de ler o Record sobre a confusão ontem no aeroporto com os Belgas.
    Nada de mais.
    Mas ... há sempre um mas ... Um agressor foi o Demol, nosso antigo atleta e campeão,referiram-no, fizeram logo a ficha dele onde é referida a especialidade penalty, ele que marcou 11 golos, sendo dois - imagine-se - ao sporting e ... de penalty num só jogo...bla, blá...
    Claro que os comentários não se fizeram esperar dos leitores anti-portistas que lá polulam e falaram logo das antigas arbitragens.
    Isto é o nosso jornalismo, pleno de mensagens traiçoeiras e subliminares. O que tinha o cú a ver com as calças???

    ResponderEliminar
  2. é só xulos nos jornais hoje em dia até de uma conversa se faz uma entrevista e etc.....

    deviam ter vergonha......


    abraço

    ResponderEliminar
  3. sr_antonio...toca a pensar nisso e pensar na ideia de "criar" algo assim para os vossos cantos! =p já que cá em baixo está tudo "colado" =P

    ***

    Faltammmm 9 DIASSS para o grande Jogoooo! :D

    kisu

    ResponderEliminar
  4. para o jogo q apaixona um País...

    ResponderEliminar
  5. BIN LADDEX23 março, 2007

    Portistas li este comentário num blog azul e branco e fiquei, naturalmente, preocupado com o seu teor. Leiam, façam uma reflexão séria e comentem.
    «Agora somos dois said...

    Agora que me passou a irritação, já só estou a pensar que podemos dar a volta no Estádio da Luz e nessa caso seremos campeões. Mas há coisas em que a gente não pode deixar de pensar.
    1) a dança de treinadores
    Depois da tragédia octaviana, tivemos o Mourinho durante dois anos e meio. Foi isso que interrompeu a decadência que já se sentia. Lembram-se que com Octávio Machado a contestação dos sócios já atingia o nosso Presidente? E que nessa altura se virava exactamente contra o Senhor Caldeira? Pois bem, o Senhor Caldeira ficou, o Mourinho foi-se embora. Vieram vários, o Del Neri a quem o Jorge Costa tirou o tapete, o Fernandez que era talvez o melhor e a quem tiraram o Carlos Alberto. Depois chegou a nódoa couceira o pior treinador português dos últimos anos, um embalsamador de equipas que atirou para a segunda divisão. De repente, o Adrianse, um homem das camadas jovens. Pensei que íamos apostar no longo prazo, mas esqueci-me que a cantera não dá comissões. O homem não conseguia vencer os interesses instalados, que queriam jogadores da zona franca da Madeira e de países em que não há transparência fiscal e bateu a porta. A história da vinda do jesualdo fica nos anais como um acto de estupidez: como é possível que tenha vindo através de um intermediário? Isto quando as nossas relações com os metralha estavam boas? Custou o dobro do que teria custado se o nosso presidente tivesse falado com o joãozinho, mas isso não dava comissões. O Jesualdo não é mau, mas não foi ele quem formou a equipa, não fez a pré-época, não teve sequer a hipótese de contratar um preparador físico porque teve que ficar com os restos do passado que estavam na folha de pagamentos.
    2) o plantel do inicio da época
    Adrianse já tinha dito que Postiga não servia, porque acima de tudo criava mau ambiente. Mas como era o jogador mais caro (como Rui Moreira muito bem recordou) não se podia dispensar o menino, As contratações tinham sido todas marteladas. Ezequias, Diogo Valente, Tarik e Fucile. Destes já só sobra o último, que nem sequer é grande jogador mas pelo menos tem o nosso espírito...
    3) o drama da paragem
    Chegado o Inverno, entrou-se nas negociatas. Aflito com o apito e com os restos da Carolina, Pinto da Costa não foi capaz de conter as coisas. Os conflitos do ano passado entre Antero Henrique e o Reinaldo, que foram a causa do problema no Olival, mantiveram-se, mas o Reinaldo tem um vício e o clube já não pode cobrir as dívidas. Antero pode agora jogar a seu bel-prazer com Caldeira. Sem que ninguém dê importância, o médico JC Esteves (o nosso grande Zito) tem um problema de saúde e é afastado. O grupo Amorim vendeu a sua participação aos espanhóis da Chamartin e Rui Alegre deixa de aparecer. Está tudo feito para o Caldeira (com a ajuda interesseira do Antero) assumir o poder. Fernando Gomes chora pelos cantos que não há dinheiro, mas o Presidente não gosta que lhe falem de números e deixa-se levar por quem ainda lhe está próximo. Helton vê o seu contrato prolongado no tempo e o salário aumentado de 600.000 para 800.000 euros anuais. Já não tem que se esforçar porque já não precisa de encontrar um clube estrangeiro. Ganha que chegue... Baía foi informado que o seu contrato não será renovado... Ricardo Costa que fora despedido a chorar em pleno relvado não sai porque os franceses não pagam por suplentes... Adriano foi posto à venda porque o passe não é todo do clube... Afinal, ficam os dois.Todos os dias se anunciam reforços: Madrid e Diego, que faziam todo o sentido porque cá dentro toda a gente sabe que o Lucho devia parar para se curar dos problemas que tinha. Mas comprar em Braga não dá comissões. Vêm o Lucas e o Renteria, uma 5ªa opção e uma esperança do passado, que já no Brasil era conhecido por “desesperança”.Jesualdo cala-se, come o cigarro e percebe que Adriano é uma opção, mas não conta que mais uma vez, o Postiga seja o problema no balneário. “Ai ele fica? Então ele que marque.”. O Bosingwa, que só o Baía consegue controlar, começa a tremer mas o Victor já nem quer saber.
    4) O “caroço”
    Não há dinheiro e em vésperas do jogo com o Chelsea, Fernando Gomes desabafa que “nem para os ordenados” e espera que o FC Porto pelo menos empate. Mas nada disso acontece. Na volta, o presidente já só pensa que é preciso é comprar um outro guarda-redes. No balneário alguém pergunta se não vai voltar o Bruno Vale e arma-se uma giga. Agora, a táctica é outra, vender os direitos televisivos de 2009 – 2013 para conseguir fazer face ao buraco das contas, vender o Pepe, o Lucho e o Quaresma. Alguém segreda: “se for preciso, fazemos uns saldos”.
    5) O jogo com o Sporting
    Durante a semana, no Oliva, treinamos sempre em 4-4-2, com o Quaresma como vértice adiantado do meio campo losango e o Adriano com o Lisandro à frente. Quando o Lisandro se lesiona, Jesualdo fica de cabeça perdida porque sabe que o Postiga não pode jogar com o Adriano. Pensa então em avançar o Cech para o meio campo e deixar à frente o Quaresma e o Adriano, mas para isso precisa do Bosingwa. Como o Zé anda de cabeça perdida, irritou-se por lhe chamarem a atenção no treino e diz ao Jesualdo que daqui a dois meses já cá não estamos os dois e o professor não pode deixar de tomar uma posição, foi a terceira falta de educação. Há que mudar a táctica e virar para o 4-3-3 o que exige um meio campo lutador, mas o Meireles e o Assunção estão á bica e o Lucho, já se vira nos treinos, só lhe faltam bolsos nos calções. Conclusão resto vocês todos sabem. Mas o que não sabem é que Jesualdo tem feito os impossíveis. É, em 25 anos de FCP/JNPC o primeiro treinador que está sozinho, que não tem direcção, que não fez a pré época, que não consegue escolher os jogadores que entram e que saiem. Além disso, temos as arbitragens que nunca nos dão o benefício da dúvida por razões óbvias e tem ainda o Benfica a resolver os jogos à maneira do Veiga. Viram o golo na Amadora? Lembram-se do Marco Ferreira, em Guimarães, no ano Trapatoni de todas as trapalhices?
    Infelizmente, caríssimos, o imbecil do Rui santos tem razão, a época JNPC acabou. O navio está a meter água e só não se sabe quando irá ao fundo.
    22/3/07 00:59»
    Eu por mim, via com bons olhos a candidatura do Dr. Rui Moreira para Presidente do FCPorto. Está na hora da mudança.

    E já agora informa que tenho publicado estes queixumes em todos os blogs mais importantes da blogsfera seguiu cópia também para alguns jornalistas anti-tripeiros com o objectivo de eles trabalharem estas informações.

    ResponderEliminar
  6. sr_antonio este sector da comunicação sicial dança sempre a volta de quem tem o poder e como o poder sempre esteve em Lisboa e arredores, eles fazem o que querem, isto passa-se no futebol como se passa com a politica.
    A comunicação social é uma cambada de xulo que andam de jornal em jornal de televisão em televisão e o mais interessante é que ninguem investiga nem faz nada porque isso não interessa a quem tem o poder é uma coisa que nunca muda.

    Saudações Azuis

    dragao.azul@sapo.pt

    ResponderEliminar
  7. ola amigos blues;

    vcs so acordaram agora????'ahahahaha
    aqui vos digo pior, lembram-se de quando saiu nos jornais e televisao as vigarices do veiga e do vieira????pois elas sairam ca pra fora mas no mesmo dia os vigaros marcaram reunioes nas sedes desses jornais e tvs , a pedir satisfaçoes do pq daquelas noticias e desde dai a impressa ESCRITA E FALADA nao toca nem refere mais desses assuntos"vigarices"....

    Em relaçao a politica, simples, ouve a uns tempos uma jornalista que disse isto em pleno programa de televisao (rtp)...: ouve um ministro que recebeu 120 mil contos para colocar uma virgula numa lei...e disse que nao divulgava quem era esse ministro mas que em tribunal que o fazia e com provas....

    e eu digo, ALGUEM FEZ ALGUMA COISA???? SIMPLESMENTE NADA

    AQUELE ABRAÇO

    ResponderEliminar
  8. Professora23 março, 2007

    Infelizmente a nossa comunicação social parece as mulheres do soalheiro, vive de novelas irreais.
    Onde está a ética profissional?... Não sei, mas cada vez mais aparecem jornalistas do "faz de conta" ou das revistas cor-de-rosa.
    Parem com as vossas especulações fúteis, sem qualquer rigor científico, não é isso que faz vender os jornais.

    ResponderEliminar
  9. bem... as minhas desculpas por só agora ter vindo aqui dar a minha opinião sobre mais uma 'obra d'arte' do amigo sr_antónio, mas admito, depois de ler as sábias e bem estruturadas frases da professora, olha, nem sei que mais dizer, senão que... trata disso ;-)
    Infelizmente, neste país de invejosos, ainda vivemos no faz de conta... nã é isso que nos derrota, mas sim nos torna mais fortes, portanto, eles que continuem lá com as vómitos do costume, que nós vamos vencendo em campo... que é lá que se conquistam os troféus e as vitórias.
    aKeLe aBrAçO
    http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. O pito dourado devia ter começado pelos pasquineiros,esse sim o maior tumor do desporto deste país!

    ResponderEliminar
  11. Bitamina "L"24 março, 2007

    Tudo tem um fim.
    O fim da picada.
    Onde vocês estão.
    Definitivamente.

    ResponderEliminar
  12. Bitamina"L"24 março, 2007

    Tudo tem um fim.
    O fim da picada.
    Onde vocês estão.
    Definitivamente.

    ResponderEliminar
  13. O vosso presidente já está na gaiola?
    Como não se vê...

    ResponderEliminar
  14. Ò barbas vai fazer um gaiola ó teu presidente.

    ResponderEliminar