24 novembro, 2010

Modus Operandi

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

As coisas correm bem ao FC Porto, lutamos em todas as frentes, ganhamos competentemente aos adversários que motivados por jogar contra uma equipa que recebe elogios de todos os cantos do Mundo, mas mesmo assim parece que vai tudo mal, pelo menos uma coisa André Villas Boas não foi capaz de apagar ou radicar, foi a porcaria dos «assobios».

O «assobio» vem desde há muitos anos, pelo menos que eu conheça, vem desde a altura do Pedroto quando não colocava o Seninho a jogar e lá saíam os primeiros assobios (esta é conversa de jantar cá em casa; Avô e Pai confirmam), passou para o Artur Jorge, Ivic ainda se safou durante uns tempos mas a sua segunda volta quase lhe causaram um ataque de surdez, Quinito nem vou falar, Carlos Alberto Silva, Sir Bobby Robson levou daquelas monumentais assobiadelas quando empatou com o Nantes em casa e quando tentava colocar J.M. Pinto a ponta de lança, António Oliveira mesmo ganhando 0-5 ao clube do Regime na Luz não se safou depois de um jogo contra o Manchester United, Fernando Santos outro mal-amado desde a primeira jornada nem preciso de dar exemplos, o Octávio a par de Quinito nem vou falar, Mourinho depois de uma derrota em Guimarães contra o Gil Vicente foi um problema já que pouco depois empatou a 0-0 com o Nacional em casa e mesmo depois daquilo que conquistou numa época no ano a seguir a um empate em Belgrado, lá teve de ouvir os famosos «assobios» nas Antas. Os três que vêm a seguir não vou falar, acho que era assobiadela em todos os jogos em casa e chegou ao cúmulo dos nossos jogadores jogarem melhor fora do que em casa, passou o Tulipeiro Maluco que depois de uma desastrosa campanha na Champions e perder em casa contra o eterno rival ficou persona non-grata a passar como é claro pelo Jesualdo que teve a sua dose de assobiadelas.

Até já se chegou ao ponto de se assobiar a própria claque por exercer o direito de protesto. Ao que esta palermice dos assobios chegou e a mensagem dos Super Dragões foi a que mais me impressionou até hoje “Quem não sabe apoiar, limita-se assobiar…” ou uma que esteve há bem pouco tempo “Metam o assobio no Cu…”.

Isto para mostrar que o problema não está nos Treinadores, não está nas Equipas, não está no Presidente nem muito menos está nas vitórias, está no sangue de alguns adeptos.

Eu digo alguns adeptos porque durante os jogos fora muito dificilmente se ouvia os assobios, o que se ouve/ouvia é apoio do princípio ao fim. É por isso que cultivo e gosto de me deslocar aos terrenos adversários para sentir outra vez o apoio dos duros que só em alguns grandes jogos se vê/ouve no nosso Estádio.

(Mando já um abraço a todos aqueles que levaram comigo na deslocação a Moreira; "Vocês são Grandes")

Adeptos estes que parecem estar mais interessados em mandar sentar os outros. Eu sou daqueles que sou completamente contra os lugares anuais, lugar marcado que apenas serve para “cativizar” um Estádio que qualquer dia que as claques do FC Porto decidirem que estão cansados de apoiar, transformar-se-á numa autêntica cerimónia fúnebre. Claro que não faltará os assobios para motivar o adversário e fazer tremer os nossos jogadores.

Desde que tenho lugar na Superior, posso dizer que alguns destes assobiadores foram combatidos, de tal forma que hoje é o dia que à minha volta não tenho gente assim. Temos de ser nós adeptos/sócios do FC Porto a combater esta praga que apenas vai para o futebol libertar as suas frustrações, num culto em que nada está bem, ao primeiro passe falhado toca assobiar e escolher alvos fáceis para criticas completamente desajustadas.

Muitos dirão que vivemos numa época de liberdade e então cada um tem a liberdade de fazer aquilo que lhe dá na vinheta, também respondo curto e grosso: “é pena que a liberdade só lhes dê para o mal, também têm a liberdade de apoiar coisa que não o fazem”.

Isto é um grito de revolta para todos aqueles como alguns opinadeiros da nossa praça (ler a crónica do MST por exemplo que mais uma vez está tudo mal, nem a qualidade de Moutinho consegue ver). Podem criticar aquilo que está mal, podem apoiar a nossa equipa, mas não podem esperar que a partir do dia 7 de Novembro, seja sempre 5-0 e que tudo nos corra sempre às mil maravilhas.

Começar já por apoiar a nossa equipa em Alvalade que será mais um jogo difícil e que a vitória está longe de estar garantida. Esta como qualquer outra equipa do FC Porto, merece o nosso apoio. Nós somos FC Porto!

Por isso vamos lá substituir os «assobios» pelas PALMAS e levantar e cantar sempre que toca o Hino do FC Porto, é dos momentos para mim mais importantes antes de qualquer jogo.

Por falar em hino, deixo aqui a letra de um lindo hino do FC Porto que desapareceu das Antas em 1985, mas muito provavelmente voltará às bancadas:

    Todos de pé, bandeira no ar
    Todos de azul de pé a gritar
    O Porto é o maior e o resto é conversa

    E todos juntos, todos mão na mão
    Todos gritando viva o Campeão
    E todos juntos sempre
    É sempre uma festa

    E essa festa é festa de tanta gente
    Que ser do Porto é nunca estarmos sós
    É gritarmos sozinhos e de repente
    Ter um milhão de vozes na nossa voz que é voz do

    Porto Oh Campeão
    Invencível dragão
    Porto o maior de Portugal
    Porto nobre cidade
    Terra da liberdade
    Donde houve nome Portugal

    Porto nobre cidade
    Terra da liberdade
    Donde houve nome Portugal
    Porto Oh Campeão
    Invencível dragão
    Porto o maior de Portugal

    Todos de pé, bandeiras no ar
    Todos de azul de pé a gritar
    O Porto é o maior e sempre há-de ser


    1985 - António Tavares Teles / Tozé Brito
ps - quem tiver este single em casa, é favor de partilhar aqui com a malta. O Antas agradece.

Meus Amigos, um Grande abraço Tripeiro e muito… muito Portista.

30 comentários:

  1. Cá vai o hino de 1985:
    http://www.4shared.com/audio/3NVTKU9I/hino1985.html
    Está em 128 Kbps.

    ResponderEliminar
  2. xERXES,

    muito, muito obrigado... já lá mora a devida actualização no post deste nosso hino da década de 80, com uma excelente qualidade, mesmo em 128 Kbps.

    que saudades, que saudades daqueles bons velhos tempos, c'um carago!!!

    aKeLe aBrAçO

    ResponderEliminar
  3. xERXES,

    muito, muito obrigado... já lá mora a devida actualização no post deste nosso hino da década de 80, com uma excelente qualidade, mesmo em 128 Kbps.

    que saudades, que saudades daqueles bons velhos tempos, c'um carago!!!

    aKeLe aBrAçO

    ResponderEliminar
  4. Grande post Antas. Identifico-me PLENAMENTE com este tipo de adeptos e tu bem sabes:)

    e ESSE HINO, que coisa linda,q recordação;)

    Todos de pé, bandeiras no ar... não vou a alvalade mas o meu espírito está ali ao vosso lado, vocês sabem!!!

    E no fim, se ganharmos esteja lá onde eu estiver nessa altura, lá vai aquela lágrima cair, que chegue depressa o dia!!!

    abraço ao Tribunal!

    ResponderEliminar
  5. Pessoalmente, também não seria capaz de assobiar a minha equipa, seja em que situação fosse.

    A principal função do adepto é apoiar a equipa... Algo bem diferente, é a crítica construtiva quando algo corre mal e a exigencia dos adeptos face ao desempenho da equipa.

    Curiosamente, considero que o elevado grau de exigencia dos adeptos portistas é também um dos motivos da grandiosidade e sucesso do nosso clube. Claro que esta elevada exigencia (que potencia o sucesso!) não se pode confundir com os desnecessarios assobios por tudo e por nada, que em nada ajudam a performance da equipa. Muitas vezes, o assobio é uma forma de libertação de frustração que não ajuda rigorosamente nada a equipa.

    ResponderEliminar
  6. Excelente post, Antas!

    Sou devota inabalável da liberdade de expressão, pelo que acho que os adeptos têm o "direito" de assobiar se assim entenderem, mas sou absolutamente contra esse tipo de comportamento e esse tipo de adepto, e reservo-me também o direito de os criticar e repudiar.

    Como uma vez escrevi a respeito do tema, sou contra os assobios sempre e por princípio, por uma razão muito simples: são prejudiciais ao clube. Desestabilizam, desmotivam, desconcentram. E eu sou liminarmente contra tudo aquilo que prejudique o meu clube. Já basta os ataques que sofremos de fora, do lado de dentro temos mais é que estar todos bem unidos e responder a quaisquer problemas com mais e melhor apoio.

    ResponderEliminar
  7. Xerxes um muito obrigado por essa espetacular partilha, a qualidade está mais que suficiente, mais uma vez obrigado.

    Lucho e Enid à semelhança do que fazemos no pavilhão pode-se tentar fazer no estádio, tem é de ser um número bem maior de adeptos a fazê-lo, Assobio Não.

    RCBC não fui pela exigência porque um adepto do FC Porto quer e exige sempre a vitória seja em que circunstâncias for, mesmo as mais improváveis, eu mudei foi o bico ao prego e fui para outro tema o assobio não é a exigência é outra coisa qualquer que ainda estamos por descobrir, tal como exemplifiquei mesmo com vitórias e com trabalho continuam haver assobios, isto para mim é que é problemático e peço a todos que combatam isto.

    Meus amigos/as obrigado pelas palavras e pelo vosso contributo.

    ResponderEliminar
  8. Todos defendemos a liberdade de expressão, mesmo aquela que é apanágio da “massa assobiativa” no entanto ninguém pode apoiar aqueles que fazem do assobio o escape das suas frustrações com um nítido e evidente prejuízo a equipe de todos nós.
    PS. Saúdo comovido a lembrança de reproduzir o Hino do F.C.Porto, cuja letra é da autoria de António Tavares Teles, meu saudoso amigo de juventude e camarada de armas na Escola Pratica de Infantaria em Mafra nos idos de 1964.
    O que é feito de ti, caro amigo?

    ResponderEliminar
  9. Apenas deixar um abraço ao autor, visto que me identifico com o texto. É pena que por vezes existam coisas, atitudes, pessoas que fujam ao apoio puro ao clube.

    Quanto ao hino em questão...raramente passo um jogo sem o cantar entre amigos. É para mim uma responsabilidade cívica de cada portista, conhecer os nossos hinos. Cantá-los, entoá-los, ensiná-los!

    O regresso ao estádio deve estar para breve...muito breve!

    Deixo um forte cumprimento a todos os que semana após semana, dia após dia, jogo após jogo, continuam a colocar o FCP num lugar de top das suas prioridades, em detrimento da família e de muitas outras coisas que todos temos...não só alguns!

    Vivi três anos e meio em Bragança, e como tal conheço bem as dificuldades de viver longe do nosso clube. Mas no que diz respeito ao futebol, nesses três anos e meio, falhei a zero jogos em Portugal Continental.

    Não digo com isto que todos têm que fazer o mesmo...quem sou eu para julgar alguém. Eu não gosto mais nem menos do FCP do que ninguém. Gosto á minha maneira!!!

    Até logo em Espinho!

    HUGO MIL893

    ResponderEliminar
  10. Mais uma vez, um post do carago, parabéns Antas!

    Ja estou ancioso para a INVASÃO do próximo Sábado, com esse belo hino na ponta da língua, que até já foi ensaiado em Moreira de Cónegos!

    Abraço e até logo em Espinho! Com o Porto sempre :)

    ResponderEliminar
  11. Muito bem Antas, muito bem mesmo. Abomino quem assobie a nossa equipe, os nossos jogadores, em nosso próprio Estádio ou Pavilhão. Digo até que, ao longo de todos estes anos, já tive várias problemas e discussões com gente sentada do meu lado ou que estava perto de mim, pelo facto de assobiarem ou lançarem impropérios à equipa ou a algum nosso jogador. Isso revolta-me. A equipa é o nosso prolongamento dentro do campo, é a nossa "família". Como é possível haver gente que seja capaz de criar condições para que o rendimento dos "nossos" seja inferior, seja inconstante, e seja prejudicado, ao invés de se criarem condições para que ela estabilize e os jogadores se soltem em campo libertando tudo o que sabem e podem? Por mais que o rendimento da equipa possa não estar a agradar-me ou algum jogador em específico não esteja bem, não consigo conceber esse tipo de comportamento. O nosso dever é incentivar, apoiar, ou, no mínimo, não prejudicar. No entanto, há sempre uns iluminados que gostam de dar nas vistas e acham que o seu "assobio" vai ser decisivo para a vitória. Se ao menos o fizessem direccionado para o adversário e para a equipa de arbitragem, desestabilizando-os ao máximo, criando um clima de "terror", mas não...

    Que bom recordar o "Hino". Muito bonito mesmo.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  12. Mais um post a moda do Antas. eu também não compreendo os que vão para assobiar a equipa quando as coisas não correm tão bem como queremos ...eu sou dos que acredita sempre que vamos ganhar .....por vezes não ganhamos, posso ficar triste mas nunca assobio o equipa ....
    quanto ao ambiente nas bancadas também não gosto de criticar as claque porque sem elas os jogos pareciam ténis :(
    mas como as claque tem muita gente, é natural que alguns façam coisas que até eu não concorde mas, não são todos iguais...
    Grande Musica.

    Ps: que saudades, que saudades daqueles bons velhos tempos, c'um carago!!!

    Blue Boy ate parece que tens 80 anos, Amigo :D

    Um grande abraço a todos que apoiam o F C PORTO

    ResponderEliminar
  13. "A principal função do adepto é apoiar a equipa"... A principal função? De uma pessoa que paga, e muito, para ir ver um jogo de futebol? Essa é nova :)

    E sempre que o cântico com o qual decidem dar importância ao Benfica surgir, espero que os assobios ao mesmo se sigam. Estou no estádio para ver o meu Porto, não para pensar no Benfica.

    Cada um apoia à sua maneira e os assobios não significam obrigatoriamente que a pessoa esteja a mandar frustrações cá para fora, pode simplesmente não gostar do que está a ver ;)

    ResponderEliminar
  14. Eu acredito que quem assobia também ama o Futebol Clube do Porto. Pena é que só demonstre a sua paixão quando ela é menos necessária, isto é, quando tudo corre bem.

    Seria muito interessante conhecer a reacção de um portista assobiador quando um trabalho que, está a executar no exercício da sua actividade, não lhe sai como ele pretendia e aparece alguém a moer-lhe o juízo sabendo ele que o sujeito não percebe nada da tarefa que estiver a executar...

    Assobiar não vai ajudar.

    ResponderEliminar
  15. Concordo muito com o grosso do artigo, mas há algo com que não posso concordar, "cascar" nos demais adeptos e enaltecer os SD.
    Senão atentemos a um facto muito simples, quanto paga em média um membro da claque para estar no estádio ? Metade do que os outros fazem.
    O que é que eles fazem ? Barulho na primeira parte, e o esporádico SLB FDP.
    Segunda parte é sempre o silêncio, estive 2 anos com lugar anual na Sul em que assisti a todos os jogos da temporada sei do que falo.
    Depois também aproveitam para causar distúrbios com adeptos do mesmo clube - inteligente ...

    É óbvio que as claques fazem parte do espectáculo, e são necessárias ao espectáculo, mas não percebo como se pode louvar quem grosso modo aproveita o clube para seu proveito de forma parasítica - candongas, material de contrafacção e demais que nem vale a pena mencionar.
    Eu sei que há boa gente na claque, há em todo o lado, mas recados como o que referia o assobio e o rabo mostra a falta de nível e a necessidade de protagonismo que impera por esses lados.

    Feitas as contas a verdade é só uma pagam meio bilhete para irem passear a roupinha da moda e as novas sapatilhas, o grosso deles nem é sócios e se o apoio deles fosse assim tão incondicional a ocupação do sector na sul não variava tanto.

    Não concordo com quem assobia, mas também não concordo com quem sai antes do jogo acabar e não vejo ninguém a chatear-se com isso

    ResponderEliminar
  16. Amigos, sou brasileiro e portista de coração. Há muito já não me lembrava de chorar emocionado ouvindo esse hino lindo, lindo que conheci mal desembarquei em Portugal, pelos idos de 85, e que ouvia algumas vez no programa Quadrante Norte, com um locutor brasileiro que me escapa o nome, que tinha o jingle do gol " é gol, que felicidade, é gol, o meu time é a alegria da cidade ", devidamente ritmado. Obrigado por rebuscar e trazer este hino memorável do Dragão!

    Alcindo Dias.

    ResponderEliminar
  17. por acaso não sei assobiar neste caso já joga a meu favor apesar de ser azelhice...!! Quanto ao hino, ouvi-lo faz-me pensar que tou a ficar velho!! Lembro-me perfeitamente do dia em que foi tocado pela primeira vez, estava eu na superior norte, no sítio do costume durante anos e anos rodeado por Portistas um deles que teve a boa ideia de me por como sócio já lá vao muitos anos e que infelizmente já não estão perante nós, até por isso é bom ouvir esta musica de novo...

    ResponderEliminar
  18. Grande Antas, excelente post, sempre com grande qualidade. Todo completamente de acordo com o que dizes ;)
    Nunca mais chega sábado, mas antes ainda temos dois jogos pela frente, hoje e 6a. Ate logo em Espinho ;)
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  19. Txiii quantos anos já iam sem ouvir o nosso hino festivaleiro :)
    Obrigado.

    ResponderEliminar
  20. Grande Antas! Mais palavras para quê?
    Bonito hino à semelhança do (no entanto) inimitável Hino do Clube.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  21. Caro Alcindo Dias, o locutor de que fala é o Gomes Amaro.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  22. Eu sou daqueles que acha que cada um expressa as emoções como bem entende, mas como tu, tb sou frontalmente contra os assobiadores compulsivos!

    Em todo o caso já me deparei com situações em que assobiei uma jogada da equipa, e sim, tb já lancei impropérios a jogadores nossos, e gostava que quem nunca o fez atire a primeira pedra!

    Quanto às claques acho vitais no estádio! Sem elas seria realmente um velório! E isso já se constatou a quando do protesto dos SD.

    Quanto aos lugares anuais, nem tanto ao mar nem tanto à terra, cada um no seu galho, sou completamente a favor dos lugares anuais e muito gosto de ter o meu há uns bons anos. Mas isso não invalida que haja zonas no estádio dedicadas à claque.

    O que eu sou é contra os pipoqueiros, os que vão ao estádio sem dizer um "ai" como quem vai ver um filme ao cinema, isso sim, irrita-me profundamente, parece que têm sangue de barata e futebol é emoção!

    Psd - o Hapoel está a cumprir a sua missão até agora, bamos lá bere se corre bem! :)

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  23. Rogério Paulo Almeida, obrigado por relembrar, é precisamente o inefável e inesquecível para mim Gomes Amaro, havia outros locutores, havia o anúncio do Friporto hotelaria, etc.. belos tempos.. A propósito, GRANDE HAPOEL!!! Agora quero ver estes pasquins nojentos que pululam nesta media corrompida o que vão falar do catedrático JJ, do dream team dos lampiões e coisas que tal... OBRIGADO HAPOEL!!!!!!!

    Alcindo Dias.

    ResponderEliminar
  24. SINÉDRIO,

    Mas o senhor sabe do que fala?

    O senhor sabe quanto custam as viagens por esse país fora?
    O senhor sabe quanto custam as viagens ao estrangeiro?
    O senhor sabe quantos adeptos do FCP estariam presentes por esses estádios fora se não fosse a claque?
    O senhor sabe o tempo que demora a preparar uma coreografia?
    O senhor sabe o tempo que as pessoas perdem nos dias antes dos jogos para preparar N situações, quando os outros estão em casa?

    "quem grosso modo aproveita o clube para seu proveito de forma parasítica - candongas, material de contrafacção e demais que nem vale a pena mencionar."...mas o senhor tem noção das asneiras que diz, ou isso é tudo desconhecimento? Grosso modo?? Enfim...

    "quanto paga em média um membro da claque para estar no estádio ? Metade do que os outros fazem."...mas o senhor leu isso na Bola, no Record, ou veio-lhe isso á cabeça? Sabe quantos têm lugar anual?? Sabe quanto custa um bilhete de claque??

    Depois de um conjunto de atrocidades que debitou como se fossem verdades indesmentíveis, colocando em cheque quem faz parte de uma claque, colocando inclusivamente a sua honestidade em causa, ainda tem a distinta LATA de falar em falta de nível?

    Quando quiser conhecer os SD, quando quiser saber do que fala, quando se quiser pronunciar com efectivo conhecimento de causa, quando quiser falar do que conhece e não daquilo que pensa conhecer, apareça!

    Mas apareça sempre...apareça em casa e nas deslocações...mas apareça num jogo á chuva, numa 2.ª feira em Setúbal. Apareça em jogos ás 21:30h de domingo em Lisboa. Apareça á chuva, ao frio, no nevoeiro e no calor. Apareça quando tem que meter um dia de férias, ou quando o pai faz anos, ou quando só tem €20 no bolso e escolher entre ir ao futebol e jantar com uma mulher.
    Mas apareça e faça isso durante um ano, dois, três, quatro, cinco, seis, sete anos...e faça-o quando somos campeões ou quando lutámos pelo 3.º lugar!

    É INDIGNO da sua parte fazer uma descrição desse género da claque.

    Também há más pessoas? HÁ!!
    Mas fazer crer que essas são a maioria, fazer crer inclusivamente outras coisas que me recuso a comentar, é absolutamente INDIGNO!!

    HUGO MIL893
    Sócio 15044

    ResponderEliminar
  25. sei apoiar,
    sei puxar,
    sei defender,
    sei ser apaixonado,
    sei tornar-me irracional,
    sei digamos, estupidificar com esta paixão que me consome a alma,
    ...

    sei exigir aos meus,
    sei protestar com os meus,
    sei barafustar com os meus,
    sei descontrolar-me com os meus,
    ...

    não, não sei, não sei mesmo,
    ASSOBIAR os meus!!!

    para essa paróquia, não dou!!!

    ResponderEliminar
  26. sINÉDRIO,

    num post que se fala dos opostos, apoiar ou assobiar?, trazer para a liça da conversa temas relacionados com supostos funcionamentos ou não funcionamentos das claques do fcPORTO, numa linha do diz-se que disse, do ouvi dizer, do contaram-me, do isto e aquilo, bem, se não fosse para levar a sério, era para rir... fico-me pelo encolher de ombros, nessas situações que não me dizem nada nem a favor, nem contra, por uma única razão: o tema da conversa era outro, julgo era, mas de todo não seria vir destilar fel contra A, B ou C, sabe-se lá porquê e com razões (encapotadas).

    Se tem algo para resolver com alguém ou algo, diga logo, assuma-se e não se esconda.

    Nas claques, como em tudo na sociedade (certo ou errado?), há gente boa, gente assim assim e obviamente gente dispensável... aceite um conselho d'aMIGO: faça como eu, preocupe-se isso sim com a gente boa, aquela que realmente importa, e ignore a (suposta) gente má... vai ver que logo se sentirá melhor e com outro espirito.

    ResponderEliminar
  27. Dragon Soul amigo atenção que barafustar, mandar uns berros para ver se os jogadores acordam, não concordar com o treinador, etc , etc e etc não tenho nada contra e acho que cada um diga aquilo que pensa.

    Não foi por esse lado que fui, nem gosto de comportamentos Pidescos.

    Fui para a parte do Assobio como tal já vi que concordamos.

    Sinédrio felizmente só agora vi o seu comentário, acho que o meu amigo Hugo MIL893 já lhe respondeu o necessário para ficar com a noção daquilo que escreveu.

    Já agora não confundir respeito que tenho por gente que conheço de perto com bajulações ou "enaltecimentos" o meu post está bem identificado o tema bem como a quem quero chegar.

    Abraço a todos mais uma vez e obrigado pelos vossos comentários.

    ResponderEliminar
  28. Excelente post Antas!

    Se há coisa que detesto ouvir no Dragão são assobios à nossa própria equipa. Será que as pessoas que o fazem não percebem que só prejudicam o clube do coração?

    Não compreendo tal atitude. Nunca assobiei um jogador/treinador do FC Porto! Nunca! E tenho a certeza que nunca o farei. Acho deplorável, e por aqui me fico.

    Um grande abraço e parabéns pelo post!

    ResponderEliminar
  29. "Por isso vamos lá substituir os «assobios» pelas PALMAS e levantar e cantar sempre que toca o Hino do FC Porto, é dos momentos para mim mais importantes antes de qualquer jogo"

    Antas excelente post, concordo contigo em tudo!
    Quem não gosta e vai para assobiar, por mim fica em casa!

    BIBÓ PORTO

    ResponderEliminar