07 novembro, 2010

«O nosso grito de revolta continua»

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

Na antevisão do encontro com o Benfica, da 10.ª jornada da Liga, o treinador do FC Porto salientou a «oportunidade única» com que os Dragões se deparam: deixar o rival a 10 pontos de distância. André Villas-Boas lembrou que o adversário se apresenta ferido pela derrota na Supertaça, mas quer que o grito de revolta azul e branco seja mais forte.

Sabor especial
«A aposta cega é na vitória. Na leitura do que se pode passar, do que o jogo pode trazer, temos esse compromisso com a vitória. Ganhar ao Benfica em casa tem um sabor único e especial. O Benfica demonstrou a qualidade do seu futebol não só em Portugal como na Europa. Perdeu duas pedras importantes, como nós, não se conseguiu organizar da forma desejada e é por isso que chega a este clássico com esta diferença pontual. Em relação à arbitragem, desejo que seja tão boa como no FC Porto-Braga.»

Oportunidade única
«Temos de ter em conta que eles são campeões, o que fizeram esta semana com o Lyon e o menor tempo de recuperação do FC Porto. Tudo isto é uma possibilidade de ameaça para o FC Porto. São duas grandes organizações que se encontram, mas estamos extremamente confiantes e temos uma oportunidade única, muito rara à 10.ª jornada, para nos distanciarmos 10 pontos. Queremos aproveitar esta oportunidade.»

Equipa no topo
«Espero um Benfica a querer dar um grito de revolta em relação à Supertaça. Na altura, perspectivava-se na máxima força, estava a ser super elogiado, tinha um super ataque, era um Benfica que dificilmente alguém pararia, mas chocou contra um grande adversário, que acabou por triunfar. O FC Porto quer continuar a dar um grito de revolta em relação ao que se passou ao ano passado: perdeu o campeonato, a Liga dos Campeões e a Taça da Liga e foi castigado de forma injusta com o afastamento de dois jogadores. No aspecto emocional, de carácter e sentimento, de preparação para o esforço, os nossos jogadores vão estar no topo.»

Qualidades humanas
«Acredito na importância de uma palestra, por muito que o futebol actual se divirta com o táctico, que se faça a exacerbação do táctico. Convém a muita gente destacar esse aspecto, para esconder as fraquezas. Ter qualidades humanas também é muito importante. Acredito nos valores da transcendência, da força do balneário. Houve um grito de revolta nesse jogo na Supertaça, e esse grito continua, pelo que aconteceu na época passada.»

Mensagem enganosa
«Desconfio que se esteja a passar uma mensagem enganosa. Parece-me que temos um FC Porto ultra-elogiado, até ao jogo com o Leiria. Depois, houve condicionantes no jogo com a Académica, onde até se falou de jogo sofrido, apesar de eles apenas terem feito um remate na segunda parte. No jogo com o Besiktas, também tivemos condicionantes difíceis. Em dois jogos, começa-se a perspectivar um FC Porto em pseudo-queda, o que choca com a argumentação das 15 vitórias. Em dois jogos, mete-se em causa tudo o que foi feito para trás. Obviamente que vou alertando os meus jogadores para tudo isto.»

Lesão de Fernando
«O Fernando fica fora do ‘clássico’ e, possivelmente, do jogo com o Portimonense. Foi uma lesão num jogo que não se devia ter realizado. Não sei se foi por isso que se lesionou, mas senti um jogador tenso, com medo de se lesionar. Quando mais medo se tem, mais probabilidade há de isso acontecer. Houve sempre alguma expectativa em relação ao Fernando, mas o plantel tem soluções que estão potenciadas, estamos salvaguardados nesse aspecto. Não quero partilhar quem vai jogar, porque tem influência directa na nossa estratégia.»

fonte: fcporto.pt

LISTA OFICIAL DE CONVOCADOS
Guarda-redes: Helton e Beto.
Defesas: Fucile, Alvaro Pereira, Otamendi, Rolando, Maicon e Sapunaru.
Médios: Micael, Souza, Guarín, Belluschi, e Moutinho
Avançados: Hulk, Falcão, Varela, Walter e James.

0 comentários:

Publicar um comentário