07 dezembro, 2011

Oitavos à distância de um golo... no melhor jogo do Porto!

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

FC Porto 0-0 Zenit St Petersburg

UEFA Champions League, Grupo G, 6ª jornada
6 de Dezembro de 2011
Estádio do Dragão, no Porto
Assistência: 46.512 espectadores.


Árbitro: Carlos Velasco Carballo (Espanha).
Árbitros assistentes: Roberto Fernández e Juan Carlos Jiménez.
Quarto árbitro: Eduardo González.
Árbitros assistentes adicionais: Fernando Vitienes e Javier Fernandez.

FC PORTO: Helton (cap.); Maicon, Rolando, Otamendi e Alvaro; Fernando, Defour e João Moutinho; Djalma, Hulk e James.
Substituições: Defour por Kléber (46m), Djalma por Varela (68m) e Otamendi por Belluschi (81m).
Não utilizados: Bracali, Fucile, Mangala e Souza.
Treinador: Vítor Pereira.

ZENIT: Malafeev; Anyukov (cap.), Hubocan, Lombaerts e Criscito; Denisov, Semak e Shirokov; Fayzulin, Lazovic e Danny.
Substituições: Shirokov por Zyryanov (46m), Fayzulin por Bystrov (57m) e Lazovic por Bruno Alves (81m).
Não utilizados: Zhevnov, Bukharov, Rosina e Lukovic.
Treinador: Luciano Spalletti.

Disciplina: cartão amarelo a Anyukov (28m), Helton (38m), Fayzulin (40m), Otamendi (48m), Hulk (71m), Malafeev (76m).

Muito tempo passou desde o meu último comentário ao jogo aqui no blog e muitas coisas mudaram desde então.

Hoje é aquele jogo que a azia vai custar a passar, porque são estes jogos que mais me doem quando não se ganham. Uma única equipa a querer ganhar e outra só foi ao Dragão perder tempo, jogar para não perder e conseguiu. Mas conseguiu única e exclusivamente por mérito do seu guarda-redes e demérito do Porto na finalização! Ao fim de algum tempo voltou o nervoso que se apodera de mim nos grandes jogos quando a equipa nos empolga e nos faz acreditar que é possível…era possível e um golo bastava para sermos cabeças de série, apenas um, que a seguir vinha o outro.

Vitor Pereira, o tal treinador que há duas semanas era o pior do Mundo, hoje já foi assim assim, meteu a equipa a jogar a bola, acertou nas substituições, arriscou…quem sabe daqui a uns tempos já será bom! Continuo com a ideia que ninguém me tira da cabeça. Os processos de jogo os jogadores sabem, hoje como nos últimos jogos quiseram aplica-los, depois de Coimbra, a cabeça dos jogadores deu uma volta de 180º com o mesmo líder. Não me acredito que o que vimos nos últimos jogos e especialmente hoje tenha sido ensinado pelo mister nas últimas semanas. Fica para reflexão por cada um…

Vamos ao filme do jogo. VP repete o 11 das duas últimas vitórias e o Porto entra com chama de Dragão, alma guerreira, vontade em vencer o desafio que trazia à partida para este jogo.

Minuto 4 grande passe de Moutinho a encontrar o movimento interior de Djalma entre o central e o lateral, colocando o angolano na cara do GR e este a impedir o golo com uma grande defesa. Djalma podia e devia ter colocado logo a vantagem no marcador, mas a má recepção impediu uma finalização melhor. Enorme pressão do porto nos primeiros 30 minutos a recuperar rapidamente a bola em diversas situações. Circulação rápida com muita mobilidade nos homens da frente. As trocas posicionais eram constantes abrindo brechas na defesa russa por vezes com 5 homens e mais uma linha de 4 à frente destes.

Moutinho foi o maestro a começar a 1ª fase de construção em todos os movimentos ofensivos do Porto e no momento defensivo a aparecer mais junto de Fernando, ficando Defour mais próximo do trio ofensivo, embora o belga nunca tenha conseguido aparecer em jogadas de envolvimento da equipa.

Os últimos 15 minutos da 1ª parte já mostraram um Porto com mais dificuldade em construir. Em vez de funcionar o colectivo, começamos a promover as jogadas individuais e o jogo directo, o que possibilitou ao Zenit ganhar mais bolas devido a boa cobertura defensiva e a soltar transições rápidas e lances de contra-ataque que só não resultaram em perigo porque todos os lances foram anulados por fora-de-jogo. Com o Zenit muito fechado, dando espaço nos corredores laterais e optando por tapar os caminhos para a baliza nos espaços interiores, seria necessário mais criatividade.

James muito complicativo, a querer fazer as coisas mais difíceis em vez de tentar entregar e receber pois tinha apoios sempre por perto para promover o 2x1.

Era preciso mudar alguma coisa para a 2ª parte e Vítor Pereira percebeu isso, sobretudo dar alguma imaginação ao centro do terreno. Entrada de Kléber ao intervalo para render Defour e passagem de James para as costas de Kléber. Aposta acertadíssima do técnico azul e branco que baralhou completamente o jogo a nosso favor.

Decorria o minuto 49 quando Hulk teve tudo para criar o golo para o porto! Opção pelo remate em vez de assistir os colegas na pequena área. Logo depois espaço em zona frontal à entrada da área e James faz o remate a rasar o poste. Entrada muito forte na 2ª metade e cheirava a golo. A pressão quase sufocava os russos que não conseguiam sair com a bola jogável. Os dragões iam rondando de todas as formas a área adversária e foram notórias duas linhas defensivas do lado do adversário, estando a linha mais avançada na linha de grande área, dificultando a penetração ofensiva dos portistas.

Aos 68’ VP volta a mexer, trocando os extremos. Entra Varela e sai Djalma. Pedia-se velocidade a Varela e qualidade nos movimentos. Tivemos algum Varela com alguns bons momentos, mas com o decorrer do tempo o nervosismo ia-se apoderando dos jogadores e o coração começava a funcionar mais que a cabeça.

A cerca de 10 minutos do fim derradeira oportunidade para James, na cara do guarda-redes, com este a defendera bola que ia entrar, com os pés.

Não é uma vitória moral, é um empate com sabor muito amargo a derrota, mas que deixa boas perspectivas para o futuro próximo do Porto. Voltamos à Liga Europa e temos uma oportunidade de ouro de ir longe nesta competição. Não temos muitos adversários à altura da nossa qualidade nesta competição, mas o nosso lugar seria na Champions. Mas não foi hoje que ficámos fora…

Parabéns a todo o grupo, a todo o público presente que sempre apoiou e no final percebeu o empenho de todos os jogadores.

Notas positivas: Atitude de toda a equipa até ao final do jogo. Mesmo naquele último lance o Maicon podia não ter ido atrás do cão e deixá-lo na cara de Helton, mas não aconteceu. Pressão exercida no momento de perca de bola e rápida recuperação da mesma.

Notas menos boas: Definição melhor nos momentos de finalização e mais frieza neste capítulo do jogo custou-nos a não marcação de pelo menos um golo.

Melhor em campo: João Moutinho.



DECLARAÇÕES

Vítor Pereira

O que faltou hoje ao FC Porto?
Hoje faltou-nos concretizar as diversas oportunidades que construímos, porque de resto tivemos carácter e qualidade. Provámos que quisemos ganhar. Encontrámos uma equipa que, ao contrário do que foi noticiado, veio ao Dragão para levar um empate e defender o resultado. Não me lembro de qualquer dificuldade defensiva que nos tenham criado, a não ser nos últimos minutos, quando nos desequilibrámos em busca do golo. O Zenit fechou-se muito e fez o seu jogo.

Como qualifica este afastamento e o que é isso quer dizer em termos financeiros para o clube?
O afastamento da Champions deixa-nos tristes porque queríamos seguir em frente e tudo o que fizemos prova-o. Há que encarar a Europa League como um objectivo importante. Vamos continuar a trabalhar e procurar a melhor carreira possível para defender um título que nos pertence.

O FC Porto passa a ser o favorito número um na Europa League?
À partida também éramos o favorito neste grupo, mas isso prova-se dentro do campo. Ninguém dava nada pelo APOEL, mas eles foram provando a sua competência e conseguiram apurar-se. Temos de fazer de cada desafio na Europa League uma oportunidade para provar o nosso valor, prestigiar o clube e seguir em frente.

Não sentiu, durante o jogo, a tentação de retirar um lateral e colocar um elemento mais ofensivo?
Tudo fizemos no sentido de chegar à vitória, mantendo o equilíbrio. Contra uma equipa como o Zenit, é importante não perder o equilíbrio defensivo, porque aí eles tornam-se perigosos. Dentro daquilo que pudemos arriscar tentámos tudo e tivemos oportunidades mais do que suficientes para vencer e chegar ao primeiro lugar do grupo.

Como analisa o último lance da primeira parte, em que Defour se lesiona e um jogador do Zenit poderia ter visto o segundo amarelo?
Não me quero justificar com uma questão de arbitragem, mas era claramente o segundo amarelo e a expulsão do jogador do Zenit. Isso foi o que nos aconteceu em São Petersburgo e provavelmente seria mais difícil para o adversário contrariar o nosso jogo. O Defour tem uma lesão, mas vamos avaliar a situação. A verdade é que o infractor continuou em campo. Foi uma decisão que condicionou o jogo.



RESUMO DO JOGO

12 comentários:

  1. Eu para além de um grande jogo do FCP hoje, vi tambem um FCP muito ineficaz e a deixar por terra o segundo objectivo da época! A realidade TAMBÉM é essa. Pode ser que a Liga Europa se revele até um objectivo melhor, já assim foi num passado recente. Mas este 2º objectivo ir por terra, revela mais que andarem Treinador e Jogadores demasiado tempo de costas voltadas para o Futebol, revela que o FCP fez erros primários que não fazia, como n contratar um bom avançado, n inscrever outros que tinha..e que hoje até pode soar mal, visto o bom jogo..mas é nestes jogos que infelizmente e a frio, que estas coisas se pagam...Somos Porto!

    ResponderEliminar
  2. Adeus Champions League para esta época! FC Porto 0 Zenit de Moscovo 0 !
    Eu não disse que o Vítor Pereira não chega para treinar o FC Porto?! Meu dito, meu feito! Infelizmente ficou mais que demonstrado que tenho razão! À equipa azul e branca não faltou: atitude, raça e querer; o que faltou foi estratégia para ganhar, e isso, é da responsabilidade do seu líder, ou não?! Em contra partida o treinador italiano do Zenit deu uma autentica lição táctica de como deve jogar uma equipa para atingir o seu objectivo! A equipa do Zenit defendeu a sua baliza com unhas e dentes e contra atacou de tal maneira que quase marcava.
    Na minha opinião, para já pelo menos, o Vítor Pereira quando muito será treinador para uma equipa do meio da tabela do campeonato português.
    Há quem afirme que aos dragões o que faz falta é dum goleador! Na minha opinião é uma falsa questão! O que a equipa azul e branca precisa é de avançados (até médios) com talento, capacidade, competência, para chutar às balizas adversárias. Um exemplo: o Sporting não tem nenhum Falcao e marca que se farta porque tem dois holandeses que na hora de chutar à baliza não fazem cerimónia! E isto também é da competência do treinador incentivar e treinar no duro os seus pupilos até eles ganharem confiança e acertarem com as balizas.
    OBS.: O guarda redes do Zenit segurou o resultado também devido à inépcia dos nossos avançados, os quais não tiveram a frieza necessária suficiente para finalizar com êxito ( na minha opinião foram até anjinhos)!
    A favor de Vítor Pereira o facto do árbitro ter beneficiado em muitos aspectos o Zenit.
    Como analisa o último lance da primeira parte, em que o Defour se lesiona e um jogador do Zenit poderia (e deveria digo eu)ter visto o segundo amarelo?
    Vítor Pereira: não me quero justificar com uma questão de arbitragem, mas era claramente o segundo amarelo e a expulsão do jogador do Zenit. Isso foi o que nos aconteceu em São Petersburgo e provavelmente seria mais difícil para o adversário contrariar o nosso jogo. O Defour tem uma lesão, mas vamos avaliar a situação. A verdade é que o infractor continuou em campo. Foi uma decisão que condicionou o jogo.

    ResponderEliminar
  3. é triste saber que no melhor jogo da época... acabamos empatados, quando bastava vencer... e com isso, acabamos relegados para a 2ª divisão do futebol europeu.

    é triste, mas é a triste realidade, quando:

    - com 3 jogos em casa, vence um unico;
    - faz 1 ponto em 6 possíveis, com uma equipa chipriota do fundo da tabela europeia;
    - vai para uma LC com "0,5" ponta-de-lança;
    - espera que Hulk resolva tudo;
    etc etc etc.

    mesmo com um estado de espírito de rastos, chego à triste conclusão que temos, aquilo que fizemos por merecer!

    não era HOJE que tínhamos que resolver... já deveria ter estado resolvido há muito, mas isso, foram noutros tempos que poucos ou quase nenhuns, queriam nada com aquilo... agora, não se lamentem!

    um desejo secreto, muito secreto apenas... vamos agora para a Liga da Europa com aqueles que quiserem ir com o FCPorto... se alguns houver que já estejam a pensar em mudar de ares na "reabertura", peço encarecidamente aos que mandam que os deixem ir, mas deixem mesmo, porque cá, só fazem falta os que querem estar.

    ahhh, e já agora, "os que mandam", não se esqueçam, pf, se não for pedir muito... arranjem um ponta-de-lançazinho assim pró jeitoso, que dê uns toquezitos na bola, porque se for para continuar até ao fim com os que cá estão (estão?!), ainda vamos ter que penar muito, muito mesmo.

    ps - BONITO e SENTIDO o tributo com que a massa adepta se despediu da equipe... o poBo Portista quando quer, sabe ser justo... e quanto isso me satisfaz, seja na vitória, seja na derrota!!!

    ResponderEliminar
  4. Grande jogo! Com um Hulk eficaz mamavam 5! E o Porto não só passava aos oitavos como vencia o grupo e calavam-se logo as vozes da desgraça!

    Independentemente do mister ter andado a inventar metade da época!

    ResponderEliminar
  5. Caros Portistas,

    Volto a insistir este treinador não percebe nada de futebol, o melhor exemplo foi o numero de cantos que tivemos e não consegui-mos criar perigo em nenhum, PORRA EM NENHUM, isto treina-se os cantos têm de ser marcados para a marca do penaltie e não ao 1º poste PORRA, que miséria, estão há espera de perder tudo para o mandarem embora não é, ok, o pior cego é o que não quer ver.
    Quero ver o VP a motivar estes jogadores a partir de agora, quero ver... como é possível não chegarmos aos 8ºs da CL com o maior orçamento de sempre, incrível.

    SEMPRE F.C.PORTO

    ResponderEliminar
  6. Foi um jogo cheio de vontade e carácter dos jogadores. Foi talvez a melhor exibição da época q tem sido nivelada por baixo.

    Foi um objectivo falhado e mais uma vez com as 2 últimas substituições a matarem as nossas aspirações.

    Mais não digo.

    O aplauso à equipa no final foi justo e senti orgulho neles todos na minha estreia no dragão esta época. Mas nada do q aqui escrevi retira o essencial do q penso há muito...e nem preciso de repetir...

    ResponderEliminar
  7. De vitória morais está... a Liga Europa cheia! Mas a verdade é que a exibição neste jogo foi esforçada, raçuda, e só alguma falta de sorte permitiu que os russos não perdessem o jogo! Temos vindo a subir de produção, e há claras melhoras na equipa!

    Esta foi a melhor exibição da época da equipa, mas também dos adeptos, pois fomos incansáveis no apoio e a dada altura até arrepiava o empolgamento que sentíamos!

    Venha agora o caneco na LE!

    ResponderEliminar
  8. É frustrante este afastamento prematuro da LC, ainda por cima num jogo em que quase tudo fizemos para merecermos a vitória. Faltaram os golos para ser um jogo perfeito.

    Gostei no geral do empenho de todos, jogadores e público.

    Só não gostei da ineficácia, na hora do remate.

    Enfim, resta-nos a Liga Europa.

    Temos de continuar com este espírito e esta dádiva ao jogo. Se tal acontecer estaremos mais perto do nosso grande objectivo que é vencer a Liga Zon Sagres.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. É dececionante depois da brilhante temporada europeia na época anterior, ficarmos pela fase de grupos da champions nesta época, com praticamente a mesma equipa…
    Tinha grandes esperanças que o FC Porto este ano fizesse uma boa campanha na champions, porque acho que tem equipa suficiente para tal… Mas o futebol não é teoria, vê-se dentro de campo…
    Não ganhar ao Apoel de Nicosia um único jogo não é admissível para uma equipa com os pergaminhos do FC Porto… Numa fase com 6 jogos também não é admissível apenas começar a jogar alguma coisa nas ultimas 2 jornadas… O FC Porto andou a dormir nos primeiros 4 jogos e obviamente quem anda à chuva molha-se…
    Era por isso decisivo o jogo de ontem, que acabou por não ter grande história… O FC Porto à procura do golo os 90m, atacando pela esquerda, pela direita, pelo meio, pelo ar, pelo chão, com autentico tiro ao boneco a um tal de Malafeev… Um zenit que não fez um único remate à baliza em 90m, limitando-se a fazer anti-jogo, destruição de jogadas ofensivas e chutões para o ar… Também de uma equipa russa treinada por um italiano não se esperava algo muito diferente…
    Não gosto nada de vitórias morais, de grandes exibições e depois ZERO golos marcados… Preferia muito mais que estivéssemos aqui a discutir uma péssima exibição do FC Porto mas com uma magra vitória por 1-0 conseguida num pontapé de canto no último minuto…
    Perder assim, deixa um enorme amargo de boca, porque dá claramente a sensação que o FC Porto de ontem esteve desaparecido durante 4 jogos, e isso na champions é fatal… Podíamos ter feito muito, muito mais…
    Mas vejam isso pelo lado positivo, podemos defender o título da LE, numa competição com Manchester Utd, Valencia, Manchester City, Ajax… Vai ser interessante…

    ResponderEliminar
  10. E apenas uma nota para o cãozinho que andou em campo e tentou ainda ladrar, mas que se borrou todo com os assobios que levou e não fez rigorosamente nada...
    É de facto muito pequenino aquele cãozinho, que depois no fim ainda provocou o publico e outras coisas...
    É um cãozinho vadio e teve uma sorte em não ter saído com 2 ou 3 no bolso no jogo de ontem...mas enfim, a sorte desse cãozinho acabará rapidamente... Que apanhe o Barça e leva 10, e seja humilhado...

    ResponderEliminar
  11. Prontos , não deu , o russo-keeper foi um polvo a defender ! Qq outro teria deixado entrar 1 par d tantos remates! Como daquela triste vez que um puto gl keeper do Schalke nos estragou a vida!
    ( A proposito , porquê o nosso FCP foi vestido de côrvo , em casa , tendo um equipamento tradicional tão bonito ? )

    ResponderEliminar