21 outubro, 2008

Contra Czares, Vodka e Matrioskas…

... vitória azul e branca nas apostas!!!

Dizem os sábios empíricos que depois da tempestade vem a bonança… depois dos Gunners, os azuis e brancos procuram em casa a redenção e a receita para as maleitas e enfermidades das quais padece e que ao atingirem o expoente máximo no Emirates, ultrajando a imagem além fronteiras do Dragão.

A terceira ronda da Champions, coloca no alinhamento os Ucranianos do FC Dynamo Kyiv, duas décadas e uns pozinhos depois o FC Porto volta a cruzar-se com os antigos Czares Soviéticos, corria então a época 86/87, e rumo aquele que seria o seu 1º troféu europeu os portistas aplicavam, a então apelidada de uma das mais fortes formações de futebol, um duplo 2-1 e carimbavam o passaporte para a final.

No passado repousam as nossas recordações, para o futuro dirigem-se as nossas esperanças e ambições, sendo no presente que residem as nossas obrigações e elas são sabidas por todos, só os três pontos no colocam no trilho do apuramento para os oitavos de final.

Depois de terem dado a conhecer ao mundo da bola nomes como Shevchenko, Blokhin ou Rebrov, e de mais recentemente terem acabado com a serie de oito vitórias caseiras consecutivas para às competições europeias do Fenerbahce, tendo com isso mantido o registo de invencibilidade na época europeia em curso, os ucranianos chegam ao Dragão com dois pontos no pecúlio, após terem defrontado Arsenal e turcos, mantendo assim intactas as aspirações de seguirem para a fase seguinte. Oriundos das pré eliminatórias de acesso a fase de grupos, a formação ucraniana deixou para trás com alguma dificuldade os Irlandeses do Drogheda, (2-1, 2-2), confrontando-se em seguida com os russos do Spartak Moscovo, tendo obtido desta feita, façanha de relevo ao aplicarem um inebriante festival de golos, duplo 4-1.

É pois com moral em alta e ímpeto reforçado que os pupilos de Yuriy Semin se vão apresentar no anfiteatro azul e branco. Mas nem tudo são rosas para o emblema ucraniano. O campeão Luso tem a seu favor o estigma que o Kyiv transporta sempre que visita território português. Foram quatro as derrotas do Dynamo em terras lusas, sendo que nas últimas nove deslocações a contar para a Champions, logrou apenas obter dois resultados positivos somando sete derrotas, o que a juntar ao excelente registo dos Dragões intra muros, apenas uma derrota em vinte e um confrontos caseiros, (onde até Jesualdo consegue manter a invencibilidade e o índice de bons resultados europeus apesar da parca experiencia nestas andanças), se dito assim nada de bom se augura para as cores ucranianas.

A visita do Dynamo despertará pois variadas sensações, boas recordações, coloridas memórias, mas em abono da verdade a realidade mostra-se bem mais comedida, a classificação do Grupo G mostra um FC Porto que soma apenas mais um ponto que o opositor, encontrando-se assim apenas um lugar acima do contendor de 3ª feira, sem conseguir capitalizar a vitória frente aos turcos, deixando mesmo que a goleada sofrida ante os londrinos desvanecesse o efeito de ter conseguido estrear-se com uma vitória na prova, facto que já não ocorria algumas épocas.

Para além dos registos históricos e estatísticos pouco mais transpira para os média sobre a preparação dos ucranianos, envoltos nas habituais medidas e dispositivos de segurança, sabe-se que entram cedo no blindado centro de estágio, cumprem treinamentos bi-diários, aparentemente com o plantel todo disponível às atenções focalizam-se tão-somente no confronto com os dragões, preparando com minúcia o embate, com os índices de autoconfiança ainda mais elevados fruto da goleada infligida ao Fc Zorya a contar para a ultima jornada do campeonato, os ucranianos tacticamente bebem ainda muitas influencias do futebol russo, frios e calculistas dotados de boa técnica individual, fazem do rigor táctico uma forte arma do seu futebol. Fortes nos duelos individuais muito por culpa da sua propensão atlética, são extremamente dinâmicos na redução dos espaço, que lhes permite apesar de não exercerem grande pressão em zonas avançadas do terreno, parecem sempre dispostos a lançar rápidos contra-ataques. Exímios aguentar investidas contrárias, sustentados em tradições de alinhamentos defensivos fortes, saiem depois com muito preceito na ofensiva, sempre cultivando um estilo de bola no pé, rectilíneos e objectivos são talvez alguns dos argumentos mais caracterizadores dos visitantes do Dragão.

Possivelmente nem os mais identificados com o futebol da era moderna serão capazes de identificar muitas estrelas ao serviço do opositor dos azuis e brancos, só isso é motivo para considerar que o colectivo é a força maior deste conjunto de Semin. No entanto existem alguns artistas, logo a cabeça um extremo esquerdo de nome Milos Ninkovic, arma apontada a qualquer ultimo reduto, faz da velocidade e da precisão dos seus cruzamentos o verdadeiro perigo, mais atrás para além do competente Stanislav Bogush um keeper na linha da escola russa, temos o esteio da defensiva Betão um brasileiro que chegou a Kyiv já com a pré-época em curso mas desde logo impôs a sua condição de líder, sendo mesmo um dos ídolos dos adeptos, que reforçam ainda a sua importância no seio do grupo com a eleição para melhor reforço.

No meio campo reside a criatividade dada por alguns dos estrangeiros desta equipa, sendo Bangoura o diamante que mais cintila no ataque, possante e veloz alia as duas condições na hora de se afiançar como principal aríete dos ucranianos, tendo por norma como companheiros na frente Aliyev e Milevskyy, óptimos complementos e com gosto pelas redes contrárias.

A verdade é que os ucranianos parecem bem familiarizados com o futebol dos dragões, muito por força de contarem na sua equipa técnica com Ovchinnikov, ex guardião portista, o que os elucida para o potencial que o Dragão sempre apresenta, cientes que o importante é pontuar e que um resultado que não a vitória azul e branca deixa as contas do apuramento para o jogo no Olímpico de Kyiv, onde ai o Fc Porto teria de correr mais riscos, certo mesmo é o Dynamo não jogar aberto no Dragão, onde a cautela vai por certo imperar, pois são bem sabedores da experiencia e qualidade do futebol portista.

Para dançar é preciso ter-se par, um jogo da Champions não foge a regra, para se ter um confronto é preciso ter um opositor, talvez por isso fique bem nesta antevisão antecipar um pouco sobre o que se espera dos comandados do Professor Jesualdo. Já muito se falou ou escreveu sobre este Porto do mister azul e branco, mais que uma equipa em construção este é um Porto em renovação, ou direi reconstrução, muito por força das novas dinâmicas que o técnico se viu obrigado a introduzir, o dragão apresenta uma nova face, mesclando o clássico 4x3x3 com extremos bem abertos, a realidade é que as características dos elementos associados a solução táctica obrigaram a novas disposições no relvado configurando um 4x3x3 alternativo.

Com as dúvidas na baliza a serem tema de conversa do universo azul, a convocatória dissipa em definitivo a controvérsia que versava sobre a mudança de mãos da baliza Azul. Nuno atravessar indiscutivelmente um grande momento, como aliás ficou demonstrado na Sertã, coloca Helton ao abrigo e no abrigo de qualquer incauto que o transformasse no bode expiatório de qualquer resultado menos conseguido, mas a sua exclusão dos eleitos põe muito boa gente a conspirar já umas quantas teorias justificativas sobre a sua não convocatória.

Depois de a taça não ter contribuído para a habitual gestão nas laterais, somente Sapunaru foi brindado com essa regalia, com Fucile a contrariar as notícias que o davam como apto e apontavam a titularidade na esquerda. A surpresa chegou com divulgação dos eleitos e ausência do uruguaio bem como de Bennitez, ainda que por razões bem diferentes. Em sentido inverso surge Rodriguez, dado como dificilmente recuperável surge entre os eleitos, adensando as boas dores de cabeça de um treinador que tem Tarik a subir de forma e a espreitar a titularidade.

Ao onze devem regressar os agora mais frescos e habituais titulares Bruno Alves, Rolando, Lucho, Fernando, R. Meireles e Lisandro, serão certos numa equipa no máximo da sua força colectiva, ainda que cognitivamente os processos e a modulação das dinâmicas do sistema não estejam ainda no auge dos seus automatismos, a verdade é que depois daqueles 30 minutos da jornada inaugural, ficou água na boca dos adeptos, sobrando contudo dúvidas momentâneas.

Se em cada um de nós habita um treinador não é menos verdade que o plantel azul apresenta uma panóplia vasta de cenários apetecíveis e de inimagináveis configurações possíveis. Desde Hulk a poder-se posicionar como parceiro de Lisandro na linha da frente, com Tarik a poder ocupar o lugar de “Cebola”, obrigando a que Tommy e Meireles tivessem de ocupar zonas diferentes de forma a potenciar novos equilíbrios defensivos e balanços ofensivos, Mariano e Farias ainda que menos prováveis não ficam descartados de todo.

Jesualdo promete ambição e grande espírito de união como factores integrantes e necessários para a vitória, na verdade e antevendo que à medida que a equipa vá ganhando expressão na componente física mais se notará o crescimento da mesma, gerindo melhor cada posse de bola e obrigando-se a saber o que fazer com a mesma, mais se aproximará de uma equipa da alta-roda europeia, com ritmos eloquentes e futebol de grande capacidade competitiva.

Assim, amanhã pela hora do costume, a minha aposta vai para: Nuno, Sapunaru, Bruno Alves, Rolando e Lino, como elementos da defensiva, Fernando, Raul Meireles e Tomas Costa, os eleitos para o tridente de meio campo, Lucho, Lisandro e Rodriguez as setas mais venenosas no ataque a baliza ucraniana, o tal 4x3x3 de nova dimensão que tarda em nos dar garantias mas que promete ser o de muitas alegrias.

LISTA DE CONVOCADOS
Guarda-redes: Nuno e Ventura.
Defesas: Sapunaru, Bruno Alves, Pedro Emanuel, Rolando e Lino.
Médios: Fernando, Guarín, Raul Meireles, Lucho e Tomás Costa.
Avançados: Cristian Rodriguez, Farias, Hulk, Lisandro, Mariano Gonzalez e Tarik.

# post publicado em simultaneo no fórum fcporto.planetaportugal

14 comentários:

  1. Excelente antevisão do jogo de logo pelo nosso especialista Bruno Rocha. O jogo vai ser muito disputado mas estou confiante em mais uma vitória do nosso Porto.

    Se Jesualdo for mais arrojado q o habitual podemos ter tarik no lugar e tomás e assim, sim um 4-3-3 puro.

    ResponderEliminar
  2. Bruno, antevisão cuidada e repleta de informação.
    Até me levas-te a pesquisar o que raio são as matrioskas
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Matrioska

    Segundo o que li da entrevista do Betão parece que o Dynamo vai trazer o autocarro.
    Que se encha o Dragão e, com o devido respeito pelo adversário, se obtenha os 3 pontos.

    ResponderEliminar
  3. Bom dia pessoal. Logo lá estarei como quase sempre aplaudir o meu adorável PORTO. Quanto ao professor, só lhe peço ke seja AUDAZ e CORAJOSO e ke incuta estes "adjectivos" nos jogadores.
    Só mais um assunto de menor importância, mas de grande valor humano para mim, e este pedido é dirigido ao pessoal ke habita na capital. Não há por ai ninguém ke se prontifikue a dár uns empurrões ao desprezível execrável rato de esgotos do salazarista cartaxana ?
    Saudações des PORTISTAS..

    ResponderEliminar
  4. Ganda post do Amigo Bruno Rocha... não sei se sabes, mas desde que começaste a debitar umas coisas por aqui em formato de colaborador fixo, elevaste de tal forma a qualidade destas antevisões e análises da técnica da táctica e vice-versa, que agora não sei como vais descalçar a bota quando te começar a dar a preguiça, mas isso, já são outras histórias que terás depois de resolver ;)

    No resto, como dizia, mais uma excelente análise que aqui nos deixas do adversário que mais logo nos defrontará no nosso Palco das Emoções, mas ao mesmo tempo tb, com leituras muito esclarecedoras dos nossos heróis.

    Não digo que vá-se lá saber o porquê, mas sempre gostei bastante da qualidade de jogos das equipas do Dinamo de Kiev e por isso, penso que mais logo, não será uma pêra fácil a luta pela vitória... há que manter muita cabeça fria, estar atento aos contra-ataques mordazes dos czares, e procurar imprimir um ritmo de jogo rápido, mas directo à baliza adversária, não permitindo que o adversário tenha tempo sequer para pensar.

    Acredito que no final dos 90 minutos, os 3 pontos serão nossos... mas antes disso, há que mostrar brio, orgulho, crença e muito espirito de sofrimento na procura dessa vitória que a todos nos fará sorrir.

    Bora pra cima deles, sem dó nem piedade!

    ResponderEliminar
  5. Já que pediram a minha opinião, cá vai. Vamos perder por 3-0. Um resultado justo e merecido pois não temos treinador. Há jogadores amuados e que só pensam em $$$, tais como, Lisandro, Lucho, Bruno Alves. Temos um presidente que está mais preocupado com a mulher e com a reforma do que em dirigir de forma exemplar o nosso clube. Lamentavalmente, o digo, este ano não temos quaisquer hipóteses na Liga dos Campeões. Já tivemos a primeira visita ao inferno em Londres e hoje será dada a devida extremunção. Paz à nossa alma. Talvez tenhamos mais sorte numa próxima liga.

    ResponderEliminar
  6. O temido regresso do pechisbeque
    JORGE MAIA

    Não era inevitável, mas era previsível. O pechisbeque voltou em força às primeiras páginas dos jornais, e desta vez a culpa não é da crise do subprime. Quero sublinhar que a expressão "pechisbeque" - utilizada para designar as primeiras páginas dos jornais que valorizam o Benfica muito para além do seu valor facial, pela necessidade de dourar a pílula que se serve aos adeptos encarnados - foi aplicada originalmente pelo director de outro jornal desportivo há um par de semanas. Na altura, celebrava-se a sequência de triunfos dos encarnados sobre o Sporting e o Nápoles e tinha-se como certo que este Benfica dispensava os corantes e os conservantes: podia servir-se ao natural. Afinal, bastaram dois jogos para voltarmos à comida de plástico. Ou ao pechisbeque. Entretanto, Quique Flores, em entrevista ao jornal "AS", reconheceu que a vantagem do FC Porto no futebol português se explica com a existência de um projecto credível, que vai da formação de jogadores às vertentes sociais. Banalidades que não fazem boas primeiras páginas.


    Elementar, meu caro Maia.

    ResponderEliminar
  7. Por acaso amigo blue preguiça é habito que nao habita em mim sobretudo se for o Porto a levar com ela..como tal ta assegurada a contribuiçao pra as antevisoes, anao ser que por questoes profissionais nao me seja de todo possivel....
    Amigo profeta da desgraça, apesar da diplomacia que impera neste e noutros blogs ninguem lhe pediu opiniao sobretudo se for da qualidade daquela que nos tras...
    Ainda assim digo-lhe que pois nao sera facil o fogo do Dragão derreter os homens do gelo...agora nao conheco um so jogador que entre em campo a pensar no dinheiro que devia ou nao ganhar...agora que depois do que fazem la dentro se sinta no direito de reivindicar mais isso acredito que ha mtos e nao é so aqui no nosso clube..com uma diferença ja reparou que isso acontece no porto porque o futebol que temos demonstrado noutras epocas os valoriza e lhes permite sonhar com outros voos, ao contrario de outros que jogam em Portugal e nos outros clubes de forma a tentarem reabilitar a carreira sem que consigam ..e mutios deles sim sao pagos a peso d'oiro..voces sabem do que estou a falr!!!!
    o que interessa é que o clube com esses ou com outros prossiga o seu caminho vindouro na senda de muitos exitos e alegrias aqueles que sempre lhes prestam tributo nos bons e nos maus momentos...
    Logo espero ganhar...mas o que quero mesmo é que no fim das 6 jornadas a tabela mostre a nossa classificaçao para a fase seguinte..
    Allez PORTO ALLEZ....

    ResponderEliminar
  8. João Salvador Rocha21 outubro, 2008

    E como diz o meu Afilhado do alto dos seus 2 anos,4 meses e 7 dias: "Alez Porto Alez nós somos a tua voz, queremos esta vitoria, conquistada por nós".. Meus amigos, esta tem que ser uma vitória que tem de marcar o ponto de viragem no futebol azul e branco deste ano. Quem sabe jogar não esquece, e recuso-me a dizer que estamos mais fracos do que o ano passado, não estamos mais fracos, porque o FCP nunca é fraco, estamos sim diferentes, e podemos ter um treinador burro e cagao, mas nuam coisa tem razao, os processos de progressao de uma equipa levam tempo, temos é que acreditar no valor que lá temos. Porque uma coisa é certa, os jogadores podem mudar e as direcçoes tecnicas tb, mas a raça e o balneário forte e a união de todos aliada á constante vontade dum grupo azuil e branca querer ganhar todos os jogos, será sempre a inveja de todos os nossos adversários.

    Saudaçoes desPORTISTAS

    ResponderEliminar
  9. Se eu estivesse no lugar do Jesualdo Ferreira, hoje actuaria em 4-3-3 bem definido, colocando Tarik no onze e retirando Fernando. Dessa forma, jogaria com Meireles como pivot-defensivo, com Tomás Costa e Lucho a completar o trio de meio-campo. Na frente, Tarik à direita, Rodríguez à esquerda e Lisandro no centro. Cá atrás, também considero que Lino possa ser uma boa opção, dado que o jogo prevê-se de ataque continuado da nossa equipa, embora Fucile também seja uma opção viável. De resto, congratulo-me com o facto de Nuno conservar a titularidade, situação completamente merecida.

    Logo é para ganhar. Tenho pena de não ir ao Dragão, verei pela TV. Estou muito confiante, somos muito superiores e temos obrigação de ganhar o jogo teoricamente mais fácil do grupo.

    ResponderEliminar
  10. É assim mesmo, João! O senhor é cá dos meus :)
    E enquanto houver adeptos com a alegria dessa música nós seguiremos em frente.

    ResponderEliminar
  11. Lucho:

    Não me parece que Tarik, depois de longa ausência seja para entrar já à queima... com o desenrolar do jogo, acredito que vai acabar por saltar lá para dentro para reforçar ritmos de jogo... ou, o que se espera que não aconteça, com o objectivo de ajudar a descobrir o caminho do golo.

    Legionário:

    Ratazanas? dasseeeee lá pró atrasadinho da criatura... aquilo já não tem cura... resta-nos deixar que a lei da vida resolva o problema com naturalidade.

    Profeta da desgraça, undertaker ou outro qq:

    Pois, até teve o seu quê de piada a primeira piada, mas já deixou de ter... é chegada a hora, não sei se me faço entender.

    Hurakatai:

    Ora nem mais, nada como dar de comer o que a maralha mais gosta... banha da cobra!

    Aqui que ninguém nos ouve (ou lê), por mim, que assim continue por muitos e longos anos, tal como já vem acontecendo desde há muito... é que é bom sinal, mto bom sinal... entendes?

    Bruno Rocha:

    Não esperava outra coisa... preguiça pa falar do nosso FC Porto? mas qual preguiça, qual quê?

    João Salvador Rocha:

    Bem vindo a este espaço com o teu 1º comentário, se é que não estou enganado... e fazendo votos para que a voz do teu afilhado, jamais se apague ou se cale... até os comemos, carago! e mai'nada!

    Bruno Pinto:

    Como já dizia atrás, não acredito muito nesse 4x3x3... vou mais pelo onze do Bruno Rocha... e na defensiva, pois, tb eu apostava no Fucile, mas parece que nada disso, pq nem sequer foi convocado e como tal, Lino deve ser dono e senhor desse lugar.

    ResponderEliminar
  12. Caro Bruno,

    Óptima análise, como sempre.

    Apenas uma dúvida: não acha que com o 11 que apontou, o desenho táctico será mais próximo do 4-4-2? (4-1-3-2)?

    Um abraço,

    Joaozinho

    ResponderEliminar
  13. Logo, lá estarei no Dragão para mais uma vitória em que acredito mas que não será nada fácil até porque os ucranianos jogam bom futebol. Esperemos que o Jesualdo não invente. Boa crónica Bruno. Sempre muito incisiva e bem explicada.

    Além disso hoje entramos a ganhar pois o PC não vai a tribunal pelo Nacional-GAYvotas. A juntar a isto, o juiz ainda disse que PC nunca deveria ter sido sequer acusado.
    Lá vão os mouros ficar com mais azia e vamos ter mais alguns brilhantes escritos do Ratazana. Agora o Orelhas e os GAYvotas calaram-se e é o Ratazana a voz para os palhaços vermelhos tentarem ganhar na secretaria.
    POr tudo isto, é fundamental ganhar ao Kiev.

    PORTO SEMPRE!

    ResponderEliminar
  14. Viva !

    Bela antevisão. Concordo com o esquema táctico apresentado

    O jogo dá na rtpi. Espero que a minha reunião de trabalho acabe a tempo de me deixar ver o desafio.

    Os três pontos são indespensáveis !

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar