08 outubro, 2008

De Londres a Alvalade, do pesadelo à ilusão

‘Nortada' do Miguel Sousa Tavares

Este é o pior FC Porto dos últimos dez anos.

1. Qual é a verdadeira face do FC Porto, a da noite vergonhosa de Londres ou a da noite de salvação em Alvalade? Eu temo que seja a de Londres, mas tudo depende da perspectiva: para consumo interno e para quem se contente com isso, o FC Porto que venceu em Alvalade com toda a naturalidade, pode chegar; para quem não se quer desabituar de ver o FC Porto no, digamos, segundo patamar europeu (ou seja, entre as 25 melhores equipas da Europa), esta equipa de 2008/09 não chega para a encomenda e isso ficou cristalinamente claro em Londres.

Num primeiro momento, talvez ainda atordoado pelos 4-0, Jesualdo Ferreira deu mostras de não ter percebido bem a tragédia que acabava de viver no Emirates Stadium. Aquelas infelizes declarações de que só se tinham perdido três pontos e que tanto dava perder por um como por quatro, foram gasolina no fogo. Os portistas, que tinham acabado de ver a sua equipa ser esmagada e positivamente gozada, ficaram estarrecidos. Seria possível que só o treinador não se tivesse dado conta de que pior, mil vezes pior, do que o resultado, foi o ar de quase amadorismo, de total impotência, de provincianismo competitivo, de que dera mostras um clube que ainda há quatro anos foi campeão da Europa e do Mundo? Seria possível que só o treinador não percebesse que estamos cansados de um guarda-redes que, quando chega aos jogos importantes, ou oferece golos directamente, ou os sofre com um ar de absoluta banalidade, como sucedeu com o segundo e terceiro golos do Arsenal (no primeiro deles nem chegou a levantar os pés do chão para tentar chegar a uma bola que sobrevoou, fraquinha, o seu 1,92 metros…). Seria possível que só o treinador não tenha percebido o desastre que foi montar uma ala esquerda defensiva com o Benítez e o Guarín — dois jogadores que ainda hoje devem estar a beliscar-se para perceber como é que conseguiram chegar a titulares do FC Porto, e logo num jogo da Liga dos Campeões, em casa do Arsenal? Seria possível que só ele não tenha percebido que, após tantas trocas e baldrocas, só tem dois médios de qualidade, que são o Lucho e, vá lá, o Raúl Meireles, e que só tem dois avançados a sério, que são o Hulk e o Lisandro, e um que mostra potencial, que é o Candeias (mas que Jesualdo Ferreira despreza, como tem desprezado todos os jovens com potencial que aparecem, como o Ibson, o Vieirinha, o Leandro Lima, o Hélder Barbosa, o Bruno Morais, etc.)?

Aconteceu, depois, que, de regresso ao Porto, alguém terá contado a Jesualdo Ferreira que o estado de espírito e de revolta latente dos adeptos portistas não era propriamente adequado àquele tipo de discurso, e ele mudou de tom e passou a falar na vitória em Alvalade. Era o mínimo que se impunha: a mudança de discurso, o fim das experiências com jogadores de ocasião, a vitória em Alvalade.

Em Alvalade, como era exigível, Jesualdo deixou no banco Benítez, Guarín e Mariano (é verdade que depois fez entrar os dois últimos, porque Lucho deu o berro e Tomás Costa tinha de sair antes que os adeptos do Sporting, com a sempre prestimosa colaboração de Lucílio Baptista, o conseguissem expulsar, e olhando para aquele desolador «banco», que já fez a inveja dos rivais, o que ele lá tem é aquilo). Mas, de facto, independentemente das apregoadas intenções, o FC Porto começou a ganhar o jogo quando alguém deixou o Helton em corrente de ar e ele apanhou um torcicolo que o impediu de jogar em Alvalade: com o Helton na baliza, não tenho a menor dúvida de que não teríamos ganho — como nunca ganhámos até hoje nenhum jogo que tenha dependido da sua actuação. Estou muito curioso de ver qual o pretexto de que Jesualdo Ferreira se servirá para devolver a baliza a Helton… e pensar eu que Co Adriaanse acabou com a carreira de um jogador da categoria do Baía só por causa de um «frango» na Amadora!

Mas, não tenhamos grandes esperanças, para depois não sofrer grandes desilusões. Eu disse-o, depois do descalabro de Londres: apesar de tudo, acreditava que o FC Porto podia vencer tranquilamente o Sporting, porque não está a jogar menos que o Sporting e ainda lhe resta, ao menos para consumo interno, uma marca daquela atitude que fez dele o alvo a abater aqui, nos últimos dez anos e mais. Mas, pessoalmente, a minha opinião é clara: este é o pior FC Porto dos últimos dez anos. Jogador por jogador e olhando para o núcleo duro dos 18/20 jogadores que fazem, de facto, uma época. Depois de conscientemente desbaratada a equipa nos últimos anos, restam três jogadores de categoria europeia: o Lucho, o Lisandro e o Bruno Alves. Mas o primeiro, de quem depende quase tudo, dá mostras de um cansaço estranho e preocupante; e os outros estão longe da forma que exibiram na época passada (com excepção para a grande exibição do Bruno Alves em Alvalade). O resto são jogadores simplesmente regulares, banais ou francamente maus. Eis o resultado da política de administração da SAD, de vender todos os anéis, um a um, para poder continuar a gastar à tripa-forra, sem nenhuma sombra de controle do Conselho Fiscal. Eis o resultado de uma gestão feita com «yes men», Carolinas Salgado e «empresários» mixerucos. Mais tarde ou mais cedo tinha de dar nisto. Não sei se Pinto da Costa ainda se preocupa em escutar outras opiniões que não as da sua corte, mas, caso assim seja, deve saber que há uma corrente que sustenta que quem fez, de facto, do FC Porto a potência futebolística que chegou ao topo da Europa, não foi ele, mas, sim, Jorge Mendes e José Mourinho. Não é o meu caso: sei que houve nisso muito mérito, antes de mais, de Pinto da Costa. Detesto ingratidões e faltas de memória e não ignoro que o dito «Apito Dourado» (hoje, isto é cristalinamente claro para mim) foi uma operação montada ao pormenor para tentar afastar Pinto da Costa — justamente visto pelo rival da Luz como o principal obstáculo às suas ambições de mando e comando. Mas também não acho que a eternidade do poder traga alguma coisa de bom aos homens e às instituições. Quem não sabe sair a tempo pela porta grande acaba por sair a destempo pela porta das traseiras. Porém, mais do que a figura do presidente portista, o que eu acho que está em causa é essa corte de bajuladores que vivem e vegetam à sombra dele, gastando fortunas que ninguém consegue explicar ou justificar em termos de gestão. No espaço de pouco mais de um ano, conseguiram desfazer-se do Pepe, do Anderson, do Paulo Assunção, do Bosingwa e do Quaresma — trocados por «craques» como o Benítez, o Stepanov, o Guarín, o Bolatti ou o Mariano González. E, estranhamente, parece que o clube ainda está em pior situação financeira…

2. Uma mini-série de vitórias seguidas, a primeira eliminatória da Taça UEFA ultrapassada e é quanto baste para que a imprensa embandeire em arco com o «novo» Benfica. Parangonas, títulos bombásticos, a sugestão de que quase que nem valia a pena disputar o resto do campeonato. Sem tirar mérito ao que teve mérito, convém lembrar que o primeiro golo contra o Nápoles nasceu de uma falta claríssima não assinalada e o primeiro golo contra o Leixões também pareceu sofrer do mesmo pecado original. Não impede, talvez… mas lá que ajuda, ajuda. Assim como o Lucílio Baptista a arbitrar o jogo do Porto em Alvalade (o árbitro que decidiu que uma mão pousada nas costas é penalty, é, por estranho que pareça, o mesmo que achou que a entrada por trás do Karagounis a partir a perna ao Anderson, romper-lhe os ligamentos e arrumar com ele seis meses, nem falta foi).

3. Tiveram muito azar, tiveram. Mas o que fica para a história é isto: o Vitória de Guimarães, que tanto se empenhou em tentar entrar na Champions pela porta de serviço, roubando ao FC Porto o lugar conquistado com todo o mérito e clareza em campo, quando foi preciso passar do terreno da esperteza jurídica para o da verdade futebolística não conseguiu nem ir à Champions nem ultrapassar a primeira eliminatória da Taça UEFA. Eu não sou crente, mas às vezes também acho que Deus não dorme.

n'A BOLA de 07Outubro2008
fonte: "All Dragons fórum"

19 comentários:

  1. Ai Miguel, ai Miguel... já contribui para esta paróquia na semana passada e até demais do que aquilo que julgava... às vezes, digo, às vezes, tabas tão bem calado, carago!

    Mas cada um é que sabe com que linhas é que se coze... eu sei as minhas, os ideais e as convicções... gostava apenas que todos partilhassem do mesmo, falando para dentro e nunca para fora, mas voilá, cada cabeça, sua sentença.

    ps - não, não foi o Karagounis... foi o Katsouranis... isto de falar só por falar, tb tem destas coisas... por vezes, a confusão mistura-se com a realidade... e já começa a tornar-se um hábito... seria bom rever o que se escreve para não se permitir «patacoadas» desnecessárias e que fazem a delicia dos invejosos e ridiculos.

    ResponderEliminar
  2. Este...é o pior Miguel Sousa Tavares dos últimos dez anos!

    ResponderEliminar
  3. Estou de acordo com o Lucho , com muita pena minha, até porque a minha simpatia por Miguel Sousa Tavares é muito grande , mas a escrever assim , sobre o meu / nosso club , prefiro de longe ler novamente o Equador !

    E BIBÓ PORTO

    ResponderEliminar
  4. Meus caros Lucho e Blue Boy:
    Eu concordo, em grande parte com o que diz MST embora ache que é muito exagerado quanto à qualidade das contratações porque e, tal como ele, faço algumas vezes juízos apressados de jogadores que chegam ao clube. Normalmente começa-se por fazer juizos negativos e, com maior adaptação os jogadores mostram outra qualidade. É evidente (pelo menos para mim) que nos últimos 4 anos têm chegado ao clube jogadores de classe muito duvidosa (argentinos e não só - Bolatti, Mareque, Mariano, Benitez, Renteria, Guarin, Leandro) e deixar-se sair sem honra nem glória jogadores que mostram qualidades (Ibson, Diego, Luís Fabiano) e até outros que pela sua idade merecem outro acompanhamento (Vieirinha, Paulo Machado, Helder Barbosa e até Alan ou Jorginho). Não aceito que, só pelo facto de serem portugueses alguns e o treinador (ou alguém) não querer, se deitem fora activos do clube e não se aproveite ninguém da formação (estou para ver o que vai suceder ao Candeias).
    Alguém concorda com a forma como Baía foi tratado por Co Adriaanse semelhante ao que lhe fez Scolari na selecção. E a forma como a SAD tratou da saída de Bosingwa e Quaresma quando não os deixou jogar pelo clube embora fossem jogadores do Porto.

    Alguém discorda dos problemas que PC arranjou ao clube com a sua "ESTÚPIDA" relação com a "vaca escritora"? É bom não esquecer que MST tem sido, em todo o processo do "Apito", um enorme defensor de Pinto da Costa e do F.C.Porto.

    E alguma vez vocês viram MST a dizer bem ou defender alguém das GAYvotas ou dos lagartos e a não criticar as arbitragens tendenciosas especialmente desde o processo do "Apito"?

    E a crítica aos de Guimarães: alguém discorda da frase: "Eu não sou crente, mas às vezes também acho que Deu s não dorme".


    Cada um é livre de ter a sua opinião e eu também discordo muitas vezes de MST, de Rui Moreira, de Álvaro Magalhães, Manuel Serrão, entre outros mas acredito na liberdade de expressão e, esta SAD, é um cancro enorme além de que eu sei que Pinto da Costa é um ENORME portista mas, dos outros não tenho tanta certeza.

    É bom não esquecer que o Presidente não durará para sempre mas, mesmo que ele morresse hoje, o clube continuaria vivo e a ganhar tal como o faz desde 1893.

    Ninguém é insubstituível.

    ResponderEliminar
  5. É curioso que se apontem aqui os nomes de Luis Fabiano e Diego (especialmente este último) como exemplos de grandes jogadores que o Porto deixou sair pela "porta pequena". Curioso, porque abundam os apontamentos do MST (cuja perspicácia admiro, muitas vezes, mas com quem não estou de acordo outras tantas) a considerar o Diego e o Luis Fabiano jogadores medíocres, sem qualquer ponta de classe...

    É por isso, dragão66, que não me revejo na rápida catalogação dos reforços da equipa, que admites na tua intervenção, mas cais no erro de o voltar a fazer de imediato. O que conheces de Guarin (senão o mísero jogo de Londres) ou mesmo da maioria dos jogadores que citaste para fazeres este juízo apressado? Por acaso, a maior parte dos jogadores citados, teve a oportunidade de jogar regularmente (quando digo regularmente, pretendo dizer "jogos consecutivos na equipa titular"), se entrosar na equipa, adquirir rotinas e forma e mostrar, efectivamente, o seu valor?
    Relembro, apenas a título de exemplo, o caso de Lisandro Lopez, que no 1º ano de FCP foi apontado por muitos como um "grande barrete"!!!

    E recordo, tantos, mas tantos exemplos, de jogadores que são dispensados do FCP (porque "não têm classe" ou não servem) e acabam por brilhar noutros clubes (ex. Luis Aguiar) precisamente porque aí têm a oportunidade de jogar.

    ResponderEliminar
  6. Eu sou do tempo em que nos jogos das Antas entregavam fotocópias de textos do MST q líamos religiosamente!!

    Agora q MST ganhou notável projecção noutras áreas, literatura, Comunicação Social, a verdade é q MST dispersou-se e julgo já não ter condições para uma análise tão capaz como noutras épocas e por vezes cai na tentação de criticar por criticar. E claramente, de forma exagerada. Eu já cheguei a ler de MST q LUCHO era um jogador banal, meus caros, banal...

    Continuo fã dele, mas já não como tudo o q me dá para a mão.

    ResponderEliminar
  7. Concordo,já li muito melhores crónicas que esta.

    ResponderEliminar
  8. O que diria MST se não ganhassemos nada... Passaria a comentador do Record?

    ResponderEliminar
  9. Dragão66:

    Como aqui já foi dito várias vezes, e só em jeito de aparte, desde que me conheço que sempre admirei, tal como continuo ainda hoje a admirar, tudo aquilo que provém do MST... as crónicas, as intervenções televisivas, os livros, etc.

    No entanto, isso não me livra de apontar as baterias ao MST e em jeito de critica, dizer que o MST de hoje é muito diferente do MST de ontem... hoje em dia, anda sempre muito ao sabor do vento no que ao FC Porto diz respeito e refiro-me às análises ao plantel... hoje não prestam, amanhã já são assim assim, voltam a não prestar, depois já são fantásticos, etc etc.

    A linha de raciocionio pulula muito e se hoje o Fabiano e o Diego é que eram bons, era bom que se relembrasse de tudo aquilo que escreveu dos próprios na altura em que cá estavam e não deixasse que a falta de memória lhe tolhesse as ideias... tal como hoje já diz que Lucho é um jogador de classe europeia, tempos houve que era só mais um que tinha chegado no contentor... e exemplos destes são aos montes.

    Vejam lá que até hoje, o empresário bom , mas bom mesmo, já é o Jorge Mendes... quando era ele a mandar no balneário com um catrapázio de jogadores influentes, nessa altura, não podia ser por isto e por aquilo pq era nefasto pró clube e tal e coisa... mas hoje, não, hoje, aquele é que é bom; e maus são todos os outros.

    Por isso digo que não pode ser assim, não pode ser assim... ou mantêm uma linha de raciocionio/análise coerente, ou então, prontos, é pró lado que melhor der jeito... e depois têm que se sujeitar a algumas picadelas desnecessárias e evitáveis.

    Agora, quanto ao apito, arbitragens e outros que tais, tamos mais que entendidos... MST sempre foi e continua a ser um nosso acérrimo defensor... mas então estraga tudo quando dispara prós próprios pés com criticas que fazem corar de vergonhas os dizeres dos Delgados, Manhas, Cartaxanas, etc etc.

    Às vezes, quando leio certas coisas, e sejam elas de quem quer que sejam, dou comigo a pensar:

    "com amigos destes, quem precisa de inimigos?"

    ResponderEliminar
  10. miguelpibe@gmail.com08 outubro, 2008

    Lendo todos os comentários é fácil de concluir que o MST pode ter jeito para muita coisa menos para falar de futebol porque lhe falta a mais elementar das condições...coerência !A titulo de exemplo se hoje lhe perguntassemos o que acha de Lucho diria tudo menos tratar-se de um jogador banal! Como diria Pimenta Machado " no futebol o que hoje é verdade amanhã é mentira..."

    ResponderEliminar
  11. O MST procede desta forma para que lá por baixo, não seja conoctado com a " voz do dono", junto dos delgados, serpas e quejandos....
    Apesar de tudo não me apetece criticá-lo muito, o que ele sabe fazer melhor é escrever e o futebol para ele não passa de um hobby...

    ResponderEliminar
  12. Apesar da troca no nome do grego, ele colocou o dedo na ferida: O boi do Lucilio não viu, ou não quis ver, duas violentas cargas, em anos seguidos, sempre no FCP-Benfas. Primeiro, Karagounis arrebentou com Lisandro. No ano seguinte, aí sim, Katsouranis fez o mesmo a Anderson.

    Tb aqui já tudo foi dito. MST faz parte de uma linha de pensadores, onde tb incluo Rui Moreira, que gostam de ser mais papistas do que o papa. Ou seja, na ânsia de se afirmarem como comentadores independentes, cometem autenticas barbaridades ao clube que dizem amar.

    E atenção que aqui não se trata de crítica a quem ostenta opinião diferente. É que uma coisa é dizer, taxativamente, que preferem Nuno a Helton, com uma justificação plausível. Outra é constantemente acincalhar o brasileiro guarda-redes, artigo sim artigo não, só porque lhe apetece. Ora f***-se!

    Assim é fácil escrever!

    Continuo na minha. Só lhe devem pagar se ele escrever a dizer mal. E muito mal.

    É mais um que opina sobre os gastos exagerados da SAD, pasme-se, sem o controle do Conselh Fiscal. Mas este tipo não vê o absurdo que escreve? Não vai a assembleias? Se tem tantas dúvdas sobre o paradeiro de €€€, se acha que o conselho fiscal é apenas um acessório fútil, que apareça por lá e diga de sua justiça...

    É mais outro Octávio Machado da escrita. Muito escreve, mas nada diz de sustentável...

    ResponderEliminar
  13. Caros AMIGOS
    Não negando o direito que cada um tem de falar e de opinar, não desvalorizando o meu apreço pelo Miguel S Tavares, que continuo a ver e a ouvir quando para isso lhe dão a vez acho que esta cronica é no minimo despropositada e muito extemporanea. Nesta altura o que todos nós PORTISTAS temos de fazer é unir a nossa voz em torno da nossa EQUIPA para que lhe possamos dar ainda mais motivação tendo em conta os combates que aí veem. Isto porque só com vitorias é que provamos que somos melhores e sem o nosso apoio os nossos inimigos estão sempre prontos para nos tentarem desunir. E isso é algo que não vai acontecer porque o orgulho no nosso PORTO é sagrado.
    FORÇA PORTO
    276mqj

    ResponderEliminar
  14. O MST, é doente pelo FCP, e que ninguem mas ninguem tenha dúvidas disso.

    Leiam o Livro dele " não te deixarei morrer, David Crockett", na pagina 102 - Vou levar o meu filho às Antas.
    Um pedaço de trecho..."De repente, ele estremecerá, a sua mão apertará a minha, excitado e assustado, os olhos fixos na boca do tunel pela qual saem correndo, um a um, os onze deuses de azul e branco, saudados por um grito de cinquenta mil gragantas; Po-oo-orto! Po-oo-orto!. Então aí o meu filho perguntar-me-à, como costuma fazer, É o petra-campeão, pai, não é? Este é o instante mágico, o instante iniciático, que sela para sempre o amor irracional entre um homem e um clube de futebol, um amor para a vida, que ninguém, jamais, poderá alterar.

    Para mim, é mesmo isto. É um amor irracional, que ninguêm jamais poderá alterar. Ai de quem prejudica o nosso amor!!!! Há gente que tem muita responsabilidade e que tem arrastado o Clube, por locais que não deve.
    Felizmente temos tido sorte, e outros nos tem ajudado com jogadas de mágica quer no relvado quer nos tribunais.

    É hora de reunir e de mostrar força, de apoiar e de lutar. No final e internamente descutiremos o que está mal. O ano de 2009, vai ser um marco muito importante no nosso FCP.
    POOOOORRRRTTTTTOOOO.

    ResponderEliminar
  15. Salomão, Blue Boy Lucho e todos os outros:

    A catalogação que fazemos dos jogadores é, normalmente fruto de algumas situações particulares e, muitas vezes, também, de alguma irracionalidade ao apreciar o grande Futebol Clube do Porto. A verdade é que hoje, um jogador está no Porto e amanhão já foi vendido e para o seu lugar contratatm 10 jogadores. Este ano, que me lembre, saíram o Bosingwa, o Paulo Assunção e o Quaresma e mais o Marek Cech. Entraram Sapu, Rolando, Benitez, Fernando, Guarin, Tommy, Cebola, Hulk, Pelé, Candeias. Acham natural que um clube TRICAMPEÃO necessite de contratar 10 jogadores? E que não contrate um nº 6 de créditos firmados em vez de 2 promessas? Além de que este tipo de situação foi feita de igual forma no ano passado. Não concordo e, se não existem interesses (e eu sei que os há), então há muita incompetência. Como é que se compreende que em 4 anos já se contrataram 6 ou 7 laterais esquerdos e o melhor é um lateral direito adaptado que foi o mais barato de todos? Que tipo de prospecção é que é esta?
    Em hóquei patins, o Porto é heptacampeão e não muda de jogadores todos os anos. No ano passado saíram 2 jogadores influentes e entraram 2 jogadores já conhecidos. No básquete mudam-se os americanos e um ou outro e no andebol igual e não temos uma equipa campeã. Não me parece lógica esta contratação de tantos jogadores.

    Em relação a Guarin (caro Salomão) basta ler um post colocado aqui no blog em que um portista (penso que em França) disse sobre o Paulo Machado a jogar no St.Etiénne: "Fez mais num mês do que o Guarin em 2 anos".
    Quer o Diego, quer o Luís Fabiano, eram jogadores de créditos firmados no Brasil e o Diego foi o maior disparate (entre muitos outros) do Holandês Maluco (Co) sendo que o Fabiano como qualquer atacante brasileiro tem muitas dificuldades no primeiro ano na Europa. Já agora, o Lisandro Lopez mostrou sempre uma garra e um espírio de sacrifício enormes e só tenho pena que a sua renovação esteja a ser muito difícil.

    Quanto a MST, também eu não concordo com as suas críticas ferozes a alguns jogadores, nomeadamente ao Helton, como já fez no passado a outros como Pepe, Raul Meireles. Agora, gosto imenso de ler os seus escritos (procuro sempre lê-la à 3ª e de borla) não por estas críticas aos jogadores e SAD, porque isso não falta quem o faça, mas pelas contundentes palavras que ele dirige, muito em especial, aos GAYvotas num jornal de GAYvotas.

    ResponderEliminar
  16. Octávio Machado da escrita !!!???
    Hehehehehehehe
    Gostei dessa !!!

    18INVICTA93

    ResponderEliminar
  17. não percebo as criticas aqui ao miguel sousa tavares...para mim não poderia ter sido mais claro o que disse..sublinho cada palavra do que ele disse...e ainda dizia mais....
    quanto a jogadores serem fracos, estão ao nivel do treinador e principalmente do treinador adjunto que nem lembra ao diabo estar lá...

    ResponderEliminar
  18. Não querendo tecer grandes comentários...apenas digo uma coisa:
    Há alguns jogadores deste plantel do FCPOrto que são muito, mas mesmo muito fracos...que não merecem envergar aquela camisola.


    PS:Obviamente que há exagero nas palavras de MST, no entanto, ele tem razão nalgumas coisas que diz...Oxalá MST esteja realmente enganado...

    ResponderEliminar
  19. Meus Amigos,não se pode seguir à letra tudo quanto o Miguel diz.Porque o Miguel embora portista está em Lisboa e por conseguinte longe da realidade do Porto cidade e do FC Porto clube.
    O que eu percebo é que o Miguel gostaria de ter motivos para exaltar sempre o nosso Clube,mas por vezes devido a precalços como o de Londres,nem sempre é possível.

    O ano passado afirmei no FC Porto-site que dadas as diferenças entre a nossa equipa de futebol e as dos grandes "tubarões" da Europa, a equipa do FC Porto para ter hipóteses de chegar longe teria de trabalhar sempre nos limites.Se possível mais do que os outros.
    E o que vejo é o Jesualdo continuar a conceder dias de férias a mais antes da equipa estar completamente afinada.Quando ainda é notória a falta de adaptação dos jogadores novos que entraram,ao futebol português e à equipa do FC Porto.
    A minha proposta é a de que depois de estarem bem entrosados e o conjunto afinado,então poder-se-ia facilitar.Neste momento não.

    Tambem concordo com aqueles que referem ser preciso dar tempo ao tempo,para ver se certas aquisições dão frutos ou não.
    Os melões tb só depois de abertos é que se sabe se são bons ou não.
    Quero dizer com isto,que não há ninguém que acerte sempre.Umas vezes a coisa resulta e outras não.É preciso é no fim,ao fazer-se a contabilidade verificar se se acertou mais vezes do que se errou.

    Abraço

    ResponderEliminar