01 outubro, 2014

JOGO ELECTRIZANTE DEU EMPATE.

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Shakhtar Donetsk-FC PORTO, 2-2

UEFA Champions League, Grupo H, 2.ª jornada
Terça-feira, 30 Setembro 2014 - 19:45
Estádio: Arena Lviv, Ucrânia
Assistência: -


Árbitro: ​Cüneyt Çakır (Turquia).
Assistentes: Bahattin Duran e Tarik Ongun; Barış Şimşek e Süleyman Abay (adicionais).
4º Árbitro: Çem Satman.

SHAKHTAR DONETSK: Pyatov, Srna, Kucher, Rakitskiy, Márcio Azevedo, Fernando, Stepanenko, Alex Teixeira, Douglas Costa, Luiz Adriano, Taison.
Suplentes: Kanibolotsky, Fred, Bernard (79' Douglas Costa), Marlos, Ordets, Gladkiy, Ilsinho (75' Taison).
Treinador: Mircea Lucescu.

FC PORTO: Fabiano, Danilo, Maicon, Martins Indi, Alex Sandro, Marcano, Óliver Torres, Herrera, Brahimi, Aboubakar, Tello.
Suplentes: Andrés Fernández, Jackson Martínez (65' Aboubakar), Quintero (65' Marcano), Evandro, Adrián López (78' Brahimi), Ricardo, Rúben Neves.
Treinador: Julen Lopetegui.

Ao intervalo: 0-0.
Marcadores: Alex Teixeira (52'), Luiz Adriano (85'), Jackson Martínez (89' e 90+3' pen).
Disciplina: Kucher (34'), Óliver Torres (35'), Stepanenko (36'), Maicon (48'), Srna (48'), Fernando (69'), Ilsinho (90').

O FC Porto empatou (2-2), esta noite, na Ucrânia num jogo frente a uma equipa perigosa e bem organizada. A contar para a 2ª Jornada da champions League, o FC Porto esteve à porta do inferno mas salvou a honra do convento ao cair do pano. Num jogo em que o FC Porto teve momentos brilhantes mas que lhe faltou, como tem faltado em muitos jogos, a concretização do último passe.

Além disso, depois de ter a oportunidade de se adiantar no marcador através de uma grande penalidade no 1º tempo que Brahimi desperdiçou, no 2º tempo dois erros de palmatória iam estragando por completo uma noite que podia ter sido catastrófica. O encontro teve uma primeira parte frenética, com lances de golo quer de um lado, quer do outro, principalmente dos Dragões. Numa partida que controlaram na maior parte do tempo, os azuis e brancos viram a equipa de arbitragem errar numa grande penalidade não assinalada contra o Shakhtar aos 20 minutos por mão na área do Shakhtar.

A formação portista entrou no terreno com uma atitude personalizada, com as suas linhas muito bem definidas e com algumas surpresas no onze inicial. Desde logo a ausência de Jackson Martínez na frente de ataque. Jogou Aboubakar, um jogador mais explosivo, talhado para o contra-ataque e também a utilização do central Marcano na posição de trinco, em vez do jovem Rúben Neves.

O certo é que nos comentários de antevisão ao jogo, muitos vaticinavam dificuldades para o FC Porto perante estas novidades no onze e criticaram bastante a equipa escalonada por Lopetegui. Trocando a bola em passe curto no meio-campo adversário, com variações de flanco e explorando as costas do adversário, o FC Porto tinha 3 setas apontadas à baliza ucraniana: Brahimi, Aboubakar e Tello.

A atitude e postura do Shakhtar foi de parada e resposta, permitindo um jogo partido, com muitos espaços principalmente na 1ª parte. A equipa ucraniana teve um remate perigoso de Taison aos 9 minutos para defesa de Fabiano e Danilo respondeu aos 13 minutos num remate a rasar o poste. Parada e resposta era o lema de cada uma das equipas.

Aos 29 minutos, remate perigoso de Douglas Costa. Defesa incompleta de Fabiano e depois é Maicon que cedeu canto com dificuldade com a bola a sair junto ao poste. Aos 35 minutos, Brahimi falhou uma grande penalidade, numa falta sofrida sobre o próprio. Brahimi rematou para o lado esquerdo de Pyatov, guardião que se lançou na direção certa! A fechar a 1ª parte, numa transição rápida, Aboubakar no meio-campo com um toque subtil isola Tello pela meia esquerda. O espanhol, tal como em Alvalade, em vez de cruzar para a grande área optou por jogada individual e rematou ao lado da baliza. Mais um desperdício de um jogador que tem tudo para fazer a diferença e, no momento de definição dos lances, decide erradamente.

O segundo tempo foi bastante mais táctico, menos empolgante, com sentido único. E tudo por causa de um erro clamoroso. Aos 52 minutos, Óliver Torres cometeu uma calinada de todo o tamanho. Incrível a forma como o FC Porto sofreu o golo. Óliver deixou-se desarmar por Kucher junto à área portista, que depois de ter a bola assistiu Alex Teixeira para o golo!

O jogo passou a ter sentido único. O Shakhtar recuou as linhas e deu a iniciativa ao FC Porto, tentando o contra-golpe. O FC Porto fez duas substituições. Sairam Aboubakar e Marcano e entraram Jackson e Quintero. Herrera recuou no terreno para a posição 6.

Quintero teve uma grande entrada no jogo, mexendo com o jogo e criando passes de ruptura. Aos 65 minutos o esquerdino teve um remate perigoso à entrada da área e aos 85 minutos, assistiu o espanhol para um remate perigoso e grande defesa de Pyatov. Faltou alguma sorte ao FC Porto. Não marcou aos 85 minutos, mas 3 minutos depois iniciou-se a reviravolta.

No entanto ainda antes disso, Maicon complicou a vida portista. Não jogou prático à saída da área portista. O central brasileiro perdeu a bola que sobrou para Bernard. Este assistiu Luiz Adriano para o segundo golo. Missão quase impossível para o FC Porto.

Aos 88 minutos, Penalty para o FC Porto. Rakitskiy meteu mão a uma bola cruzada por Adrián. Jackson rematou rasteiro ao ângulo inferior esquerdo da baliza de Pyatov. Este, tal como no primeiro penalty, voltou a atirar-se para o lado certo, mas desta vez não foi a tempo de defender o remate de Jackson. O FC Porto ainda acreditava! E tinha razões para tal.

Aos 93 minutos, Tello tem finalmente uma boa iniciativa e uma bela decisão. Belo movimento de ataque de Tello no lado esquerdo do ataque, centro para a pequena área e Jackson antecipou-se a Rakitskiy, batendo Pyatov! Enorme alma do FC Porto na resposta às adversidades. Final de jogo electrizante. Um empate mais que merecido e que peca por escasso.

A vitória seria mais que merecida pelo jogo que os portistas fizeram, pela atitude em campo mas por outro lado o empate é também um castigo merecido porque cometer dois erros de palmatória numa prova como esta não é admissível.

O FC Porto mantém a liderança do Grupo H com 4 pontos e na próxima jornada recebe o Ath. Bilbao no Dragão a 21 de Outubro.



DECLARAÇÕES

Lopetegui: “Alma e coração para acreditar até ao fim”

Insatisfeito com a igualdade (2-2), Julen Lopetegui acredita que o FC Porto foi a equipa que mais fez por merecer a vitória no jogo frente ao Shakhtar Donetsk, mas sublinhou a qualidade do colectivo ucraniano, que soube capitalizar os poucos deslizes defensivos dos azuis e brancos. Destacando o facto de o FC Porto ainda não ter perdido qualquer jogo oficial em 2014/15, o técnico espanhol elogiou a forma como os Dragões conseguiram chegar ao empate.

“Estou muito satisfeito com a capacidade que demonstrámos e com a exibição que fizemos. Creio que fizemos um grande jogo, frente a um grande adversário. Numa competição como UEFA Champions League os erros pagam-se ainda mais caro, mas defrontámos uma grandíssima equipa e soubemos sofrer sempre que foi necessário, nunca deixando de acreditar. Tivemos alma e coração para acreditar até ao fim. Uma equipa que quer ser grande, tem de acreditar e lutar até ao fim mas, no cômputo geral, foi uma injustiça não termos vencido este jogo”, afirmou Julen Lopetegui após o desafio com o Shakhtar Donetsk, a contar para a segunda jornada do Grupo H da UEFA Champions League, liderado pelo FC Porto, com quatro pontos.

Os jogadores:

Maicon, lamentou os erros que originaram os golos do Shakhtar Donetsk. “A equipa portou-se bem e merecíamos a vitória. Conseguimos um ponto importante, que nos dá ânimo nesta competição. Entrámos forte e tivemos o azar de não conseguir concretizar a grande penalidade, e a realidade é que eles marcaram em dois erros defensivos nossos, mas isso também faz parte do futebol. Domingo temos mais um jogo que queremos vencer”, afirmou o defesa brasileiro, que capitaneou a equipa do FC Porto em Lviv.

“Triste” pela grande penalidade que desperdiçou quando o marcador ainda registava 0-0, Brahimi sente que os Dragões foram superiores e que criaram as melhores oportunidades de golo. “É frustrante não saírmos daqui com a vitória, mas há que continuar a trabalhar porque temos um jogo importante com o Sporting de Braga, no domingo”.

Lançado por Julen Lopetegui no decorrer da segunda parte, Jackson Martínez viria a revelar-se decisivo no empate do FC Porto frente ao Shakhtar Donetsk, “saltando” do banco para apontar os dois golos portistas. O avançado colombiano destacou a perseverança da equipa e atribuiu ao “bom trabalho colectivo” os dois golos que marcou, que elevam para três o registo pessoal do camisola nove na presente edição da UEFA Champions League.

“O treinador pediu-me para tentar ajudar na pressão e dei o meu máximo para o fazer. Não fiquei triste por ter sido suplente e a realidade é que o Aboubakar jogou muito bem. Não assinei contrato para ser sempre titular e qualquer opção do treinador será respeitada. É uma pena não termos conseguido vencer, pois acho que merecíamos, mas faltou-nos concretizar melhor a nossa superioridade. Os meus golos foram consequência de um bom trabalho colectivo”, declarou Jackson Martínez.



ARBITRAGEM



RESUMO DO JOGO

8 comentários:

  1. Depois das incidências do jogo (com as asneiras defensivas incluídas) o empate soube-me a VITÓRIA! Tanto que até saltei para dar um abraço à filhota!
    Sinto que estamos a voltar aos "bons velhos tempos"...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Não posso deixar de reproduzir um comentário que li noutro forum:
    "O FC Porto volta a ter um treinador a sério como Mourinho e Villas Boas. Um treinador que não gagueja, não é bronco, encara os badamecos dos jornalistas olhos-nos-olhos e está-se cagando para os media portugueses, os seus "opinion makers" e "paineleiros" desportivos das deprimentes TVs ao estilo sul americano. O FC Porto está a construir mais uma equipa para maravilhar a Europa como em 2003, 2004 e 2011. Tenham calma, o destino é Berlin. Por muitos batistas, capelas , paixões, duartes, "garantias", proenças, xistras, elmanos, motas, olegários ferreiras, que nos surgem pela frente, o FC Porto continuará a conquistar títulos, a triturar e sobre tudo, a maravilhar a Europa que é o seu habitat natural."

    ResponderEliminar
  3. É isso que também eu penso Dragão Azul Forte.
    Temos mister e temos equipa!

    Agora domingo é lutar muito pq o Proença há mt que fez as pazes com os que lhe f*deram o focinho. E por isso teremos q ganhar contra 14.

    ResponderEliminar
  4. Assino por baixo e de letra.

    Caso fossem outros, que se contentam com derrotas transformadas em vitórias morais, eram uns heróis na viragem de um resultado em 5 minutos.
    Mas como de costume há que transformar o esforço em novelas de ter entrado o Rato em vez do Tône.

    E ainda há pessoal que vai nisto.
    Talvez os mesmos que acharam o Bate mesmo muito fraquinho.

    Haja pachorra...

    ResponderEliminar
  5. O Maribor afinal é que não era assim tão fraquinho, mas o Bilbau que perdeu com o bate não vale mesmo nada. Isto já é a preparação para o jogo do Dragão com o Bilbau se o Porto ganhar eles já tinham avisado que eram fracos. Só não consigo entender a imprensa dos pasquins, então se o Lopetegui é tão fraquinho como eles dizem porquê não o elogiam como elogiaram o palhaço fonseca??? francamente estas bestas só enganam mesmo os adeptos da mouraria que são burros todos os dias.
    Querem apostar que se o 5LBosta perder logo vêm com a conversa que os alemães são fortissimos e que até já estiveram em 1º do campeonato, vai uma aposta??

    ResponderEliminar
  6. GUIA PARA UMA ÉPOCA DE SONHO...

    - Temos um GRANDE treinador e um EXCELENTE líder!

    - A questão da "rotatividade" é um MITO. Vai permitir ter um PLANTEL e não um 11, todo motivado para qq competição.

    - Temos um GRANDE plantel que AINDA não está afinado para perceber alguns momentos do jogo e responder com critério.

    - O carácter e a alma da equipa (e do clube) estão lá e ATÉ AGORA, não foi por falta disso que não ganhámos os jogos todos.

    - Percebo CLARAMENTE os princípios de jogo de Lopetegui, mas acho que:

    1. O início de construção não deve demorar TANTO na nossa zona defensiva e poderia ser um pouco mais rápida. Nem sempre se pode sair a jogar e é FUNDAMENTAL perceber esses momentos, INDIVIDUAL e COLECTIVAMENTE.

    2. Fabiano tem que ter MAIS CRITÉRIO na saída de bola (ou passa à mão sem riscos ou ao pé para BEM LONGE )

    3. Há vários jogadores demasiado estáticos no jogo, não oferecendo linhas de passe, pelo que poderia haver mais dinâmica nesse sentido (passa e desmarca-se...SIMPLES!)

    4. Os extremos têm de ASSISTIR quando há um colega em boa posição e ARRISCAR o golo quando não têm ninguém. BÁSICO! (Tello, Tello...)

    5. E POR FAVOR...rematem!!! Rematem mais à baliza!!! TANTA qualidade, TANTOS lances perigosos que se perdem por NEM SEQUER haver finalização ou tentativa!

    6. Bolas paradas defensivas...acho que temos estado bastante bem! Nas OFENSIVAS...muito pouco critério e com jogadores como MAICON, INDI, MARCANO e JACKSON ou ABOU...tem q dar mais golos!

    7. A sensação q tenho é q temos IMENSOS ingredientes para uma QUASE super-equipa e AINDA falta qq coisa...Estou ANSIOSO q a equipa se solte, que perceba o seu ENORME potencial e «ESMAGUE» aquela corja de ressabiados, invejosos, vendidos e mentirosos que nós sabemos!

    A qualidade é como o AZEITE, não engana e vem SEMPRE À tona...Só espero que seja em BREVE!

    Quanto à imprensa...já vi TANTO q...é para o lado q durmo melhor!

    Vamos acreditar minha gente!!!

    Pedro Pinto

    ResponderEliminar
  7. Sobre o jogo de ontem:

    1) Nojenta e ordinária como sempre a comunicação social lisboeta não disfarçou a sua azia pois já contava com uma derrota e a crise anunciada no reino do Dragão, com o “louco” do Lopetegui à cabeça. Desde anúncios em rodapé em canais televisivos de que o “FC Porto teve a sua primeira derrota oficial da época”, passando por sites que até colocaram o resultado em 3/1;

    2) Um jogo com uma montanha russa (ou ucraniana) de sentimentos… Após o 2º golo deles, estávamos no “inferno”, após o nosso empate com 2 golos em período de compensação, estávamos no “céu”;

    3) Uma análise sincera (à parte dos meus óculos azuis e brancos) sobre o jogo obriga-me a dizer que só não o ganhámos por erros infantis e inadmissíveis em alta competição;

    4) COMEÇA JÁ A SER PATOLÓGICO A QUANTIDADE DE PENALTIES FALHADOS NOS ULTIMOS 2 OU 3 ANOS, MAIS PRECISAMENTE APÓS A SAÍDA DE HULK!!!! PELO AMOR DA SANTA, TREINEM PENALTIES, ESCOLHAM MARCADORES FIXOS (2 OU 3 QUE SE ESPECAIALZIEM), MAS EM LADO NENHUM DO UNIVERSO SE VÊ UMA EQUIPA A FALHAR TANTOS PENALTIES DURANTE TANTO TEMPO. ISTO É PATOLOGICO E TEM DE SE RESOLVER SOB PENA DE CHORARMOS LÁ MAIS PARA A FRENTE…

    5) Vi coisas muito boas ontem, mas também vi coisas más… Foi um jogo por vezes paradoxal… Dominamos quase o tempo todo, desperdiçamos oportunidades e depois oferecemos 2 golos… De muito positivo a reação séria ao 2º golo.

    6) Oliver fez um jogo globalmente positivo mas parou-lhe o cérebro no 1º golo, porquê?

    7) Maicon tem feito uma época excelente mas parou-lhe o cérebro no 2º golo, porquê?

    8) Tello é capaz do melhor, bela jogada no 2º golo que deu assistência e inicio da jogada que deu o penaltie do 1º golo, mas por vezes define mal. Com a sua velocidade e técnica, definindo melhor os lances (trabalho que também é do treinador) pode ser um caso sério.

    9) Aplaudo de pé aquilo que muitos criticam em Lopetegui. Podem chamar-me o que quiserem, mas os jogadores sentirem que não têm lugar fixo no onze façam o que fizerem, poderá ser muito bom no futuro…

    10) Gosto que Lopetegui comece a ser criticado e gozado pela comunicação social… É muito bom sinal… AVB foi, VP foi, Mourinho também foi (só passou a virgem após sair do FC Porto)… Por curiosidade reparem nas loas que se teceram a Paulo Fonseca durante largos meses pelos “lá de baixo”, “o coitadinho que não tinha culpa nenhuma do plantel que lhe deram”.

    ResponderEliminar
  8. Viva,

    Gostei do Porto. Houve fases de jogo em que a circulação de bola me fez pensar no Porto da final de Basileia.

    O Porto esta' a construir um coletivo: isso é bom! O Porto consegue recuperar desvantagem-ns: isso é bom! Fanta'stico gesto técnico de Bramini que ja' deve estar a correr mundo: isso é bom!

    Acho que o Porto esta' a construir um coletivo dai' talvez a rotatividade necessa'ria. Penso que o treinador esta' fazendo bom trabalho, apesar da juventude do plantel.

    O Shakhtar não é assim tão fraco como dizem. Igual quanto ao Lille. Quem é que pode pensar que o Losc é uma equipa fraca? O Porto foi falado em tudo o que é comunicação social a norte de La Loire

    O Porto esta' de novo a crescer muito e isso incomoda.

    E Viva o Porto!

    Nuno PortoMaravilha

    ResponderEliminar