18 setembro, 2009

"BiBó PoRtO, carago!!", num estádio perto de si...

No derby...

Numa grande instituição, cada pessoa tem a sua respectiva função, para que os objectivos traçados sejam devidamente cumpridos.

Neste caso, num grande clube como o nosso, o presidente organiza e supervisiona o que se vai passando, o treinador dá as tácticas, o olheiro vai espiando jogadores e clubes adversários, o departamento médico restabelece os jogadores quando é necessário e por sua vez estes estão lá para jogar vencer as partidas. Nós, adeptos, devemos contribuir com aquilo que podemos, com o nosso apoio, a nossa voz como forma de incentivo. Cada um com o seu papel, pois o FC Porto somos todos nós, os que fazem tudo por ver este clube cada vez maior e melhor!!

Tal como já tive oportunidade de publicar AQUI, o “derby” do último Sábado entre o FC Porto e o Leixões foi marcante para o blogue, pois ocasionou na curva sul do Estádio do Dragão, a estreia da nossa novíssima bandeira de apoio ao Tetra-Campeão Nacional. Uma linda bandeira, com o nome do nosso espaço, a data da sua fundação, o endereço e como não podia deixar de ser, com o emblema enorme do FC Porto, que lhe dá uma beleza inigualável no meio de qualquer outra.

Aproveito mais uma vez para deixar aqui o meu reconhecimento público ao bLuE bOy por esta admirável iniciativa que muito me orgulha. E também a todos vocês pelas palavras simpáticas, depois desta primeira aparição.

Os nossos guerreiros, seja de que modalidade for, contam a partir de agora com o nosso estímulo, e devidamente identificados. Eu, apaixonado pelo clube e sempre com um gosto especial pelo movimento ultra, não podia sentir-me mais motivado. Eles podem contar connosco!

Assim como sucedeu no relvado, nas bancadas, os ultras portistas também se superiorizaram aos ultras leixonenses. Em termos de presenças, os “Super Dragões” mais uma vez estiveram muito bem. O “Colectivo” surpreendeu-me um pouco pela negativa neste jogo, pois apresentou um sector um pouco “despido” em relação ao que nos tem habituado.

Do lado leixonense, a “Máfia Vermelha” marcou presença, mas também estiveram muito menos em relação ao ano passado. Mesmo assim, fizeram-se ouvir principalmente no fim do jogo, quando houve uma quebra do lado azul e branco.

A meio da primeira parte, ouviram-se normais picardias dum lado e do outro do estádio entre os adeptos das duas equipas, tendo os de Matosinhos sido abafados à medida que a goleada ia sendo imposta.

Na próxima jornada da Liga Sagres, próximo Sábado às 21h15, o nosso mágico FC Porto joga na pedreira de Braga. Prevê-se uma grande deslocação por parte dos nossos adeptos à cidade dos arcebispos. O Braga está em primeiro e até agora conta só com vitórias em todos os jogos feitos para o campeonato. Espera-se um bom duelo também frente aos ultras bracarenses (“Red Boys” e “Bracara Legion”).

Apoio às modalidades...

Domingo à tarde estive presente também no Dragão Caixa, onde assisti à primeira jornada do campeonato de andebol, e respectiva vitória, entre o FC Porto e o Sporting, juntamente com amigos aqui do blog.

E não se compreende minimamente, como é que num jogo destes, o pavilhão não esgota, e as nossas claques comparecem em tão pouco número. A tal diferença que o ano passado já todos dizíamos que se iria fazer notar, já está a surgir. Atrás duma das balizas, onde no fim da época passada não cabia mais ninguém de tão cheia que a bancada estava, nos jogos do "play-off", no Domingo estava um deserto. Era cerca de uma dúzia que de vez em quando, na primeira parte, tentava puxar pela equipa. Na segunda parte chegaram mais alguns elementos, os cânticos foram mais, mas mesmo assim muito longe do ideal.

O FC Porto não é só futebol. E este jogo foi um clássico do andebol nacional. Eu nem quero imaginar como será quando um jogo calhar numa quarta-feira e com um adversário que não nos diga tanto! Atitude e empenho em tudo o que seja o FC Porto!

2200 em Stamford Bridge...

Terça-feira passada foi dia de estreia na Liga dos Campeões 2009/2010. O primeiro jogo reservou-nos logo uma deslocação a terras de sua majestade, como tem sido hábito nas últimas temporadas, mais tarde ou mais cedo. E que bela estreia!

Mais de dois milhares apoiaram a nossa equipa em Londres durante todo o jogo. Foi muito bem audível pela TV em bastantes momentos do encontro, a voz dos nossos adeptos, silenciando constantemente os “blues” de Inglaterra. Até o habitual “Porto… Porto…” normalmente entoado da bancada sul para a norte no nosso Dragão, foi feito da bancada inferior para a superior na primeira parte. A equipa vendeu muita cara a derrota, e os Portistas mostraram também a sua força fora das quatro linhas.

Muitos ultras viajaram da cidade Invicta, aproveitando também os programas do “Dragon Tour”excelente iniciativa que incentiva os Portistas a acompanharem a sua equipa também longe do Dragão - mas também foram bastantes os emigrantes lá residentes, ou em países vizinhos, que arranjaram bilhete através da casa do FC Porto em Londres.

Espera-se também muito do próximo jogo para a “Champions”. É o reencontro, depois do ano passado. Um duelo ibérico!

Um abraço Ultra.

19 comentários:

  1. Pois é Tripeiro, em relação ao Pavilhão está a confirmar-se que a lotação chega e sobra, infelizmente, digo eu.

    Mais uma vez parabéns pela tua prestação como homem da bandeira.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Caro Tripeiro, esse alheamento das claques relativamente às modalidades é preocupante! Vamos acreditar que isso muda ao longo desta temporada.

    Quanto ao jogo contra o Leixões, SD em alta, mas a claque leixonense deu boa réplica na 1ª parte fazendo-se ouvir em muitas alturas do jogo. Foi bom para o espectáculo

    Em Inglaterra, os nossos 2000 adeptos foram uns guerreiros, tal como os nossos jogadores, e por mais do que 1 vez se ouviu bem alto o nome do FC Porto na televisão.

    Quanto a ti, reafirmo os meus parabéns, é uma brilhante iniciativa! E aproveito para te dizer que foi um gosto conhecer-te no jogo contra o Leixões!

    Saudações

    ResponderEliminar
  3. Quais são as dimensões da bandeira?

    ResponderEliminar
  4. Sobre o apoio no Dragão e a bandeira do blog já tive oportunidade de demonstrar o meu orgulho em pertencer a este espaço. Parabéns Blue e Tripeiro.

    Sobre o apoio da claque no andebol o que tenho a dizer é que a cara de frete da meia dúzia que lá apareceu na 2ª parte não merecia os bilhetes gratuitos que concerteza lhes arranjaram.

    ResponderEliminar
  5. Abraço especial ao nosso porta-estandarte.

    ResponderEliminar
  6. Considero que, a apoiar o FCP, deve-se levar uma bandeira do FCP.

    Se toda a gente que quiser publicitar um blog, mesmo que em cor azul e com um pequeno simbolo do FCP incluído,levar uma bandeira para o estádio imaginem a confusão que fica.

    Apoiar o FCP? Sempre! Mas com uma bandeira do FCP, não com a do blog de cada um..

    um abraço

    ResponderEliminar
  7. FLT,

    Nesse caso é melhor substituir, todas as bandeiras dos super dragões, que são 90% das bandeiras que vês no Dragão!

    Isto para não falar em jogos pontuais em que oferecem bandeiras a toda a gente a fazer publicidade a qualquer produto!

    Por esse motivo e mais alguns, não estou de acordo contigo!

    E acho muito bem que este ou outro blog que defendem o nosso PORTO deveriam ter sim uma bandeira no Dragão, dava mais cor e demonstração de apoio!

    BIBÓ PORTO

    ResponderEliminar
  8. Parabéns Tripeiro.

    Estou como o Vila Pouca: Os 2200 lugares do pavilhão parece-me que chegam. Infelizmente, e falo por mim, tenho pena de não ir mais vezes ao Caixinha mas o dinheiro não estica e apesar de ter equacionado o lugar anual não o adquiri. Se o tivesse não deixaria de ir.

    Quanto aos Super, já se sabe que apoiam muito o clube mas não raras vezes cometem excessos e a falta deles nos jogos de pavilhão mesmo com bilhetes oferecidos, é triste.

    ResponderEliminar
  9. Grande Tripeiro! Dar mais uma vez os parabéns pela iniciativa e que continues sempre a levar o nome do nosso blog e do nosso porto bem alto e ao vento.

    De facto o apoio nao se deve so fazer sentir no futebol, é importante que o Dragaozinho se torne num caldeirão em ebuliçao, e faça as equipas adversárias temerem o FCP so pelo ambiente do seu pavilhao.

    Acabo tambem por concordar que os 2200 lugares sao suficientes,ainda que possam vir a ser poucos em fases mais decisivas e mais para o fim dos campeonatos das respectivas modalidades, é preferivel, termos sempre um pavilhão cheio com menos capacidade.

    Abraço

    ResponderEliminar
  10. Parabéns uma vez mais pela iniciativa Tripeiro ;)

    Quanto ao apoio das modalidades,espero que tenha sido uma vez sem exemplo...agora que todos jogam no mesmo sitio,mesmo ao lado do Dragão,num espaço tão bonito,não se compreende que não haja apoio em massa.
    Eles merecem tanto apoio como os jogadores de futebol!

    Enfim,esperemos que esta situação mude...

    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Amigos Vila Pouca, Lucho, Dragão66 e João,

    Pois agora é que se começa a cair na realidade. Infelizmente a lotação do pavilhão chega perfeitamente. Isto falando dos jogos ao longo do ano, nas fases regulares. Quando chegar ao fim da temporada, com os play-off's e jogos decisivos, volta a confusão, a falta de bilhetes, adeptos a ficarem cá fora, aquilo que vimos no final do ano passado.

    Na altura eu e o Lucho falámos sobre isso, já perviamos que isto viesse a acontecer. E atenção: o jogo de Domingo foi um clássico!! Com todo o respeito por qualquer adversário, mas vai custar muito olhar para as bancadas, por exemplo num jogo Porto-Xico Andebol numa quarta-feira às 21h!!

    Pensando racionalmente, e utilizando as palavras do João, "é preferivel, termos sempre um pavilhão cheio com menos capacidade." Há que fazer por isso!

    Nuno Dias, a nossa bandeira tem a dimensão de 3*3.

    FLT, não concordo com o que diz. Mas explico-me, é simples. Normalmente quem gosta de apoiar habitualmente o seu clube do coração, com um grupo de amigos, por exemplo, gosta de se "identificar". Identificar-se apenas no sentido de mostrar a sua presença. Acima de tudo está o clube, é por ele que lá vamos, mas o grupo de apoio normalmente tem um nome e uma marca da sua presença. Utilizando o exemplo da Mafaldinha, vemos que as claques têm um nome e estão organizadas em diversos núcleos. Distinguem-se por diversos materais, nomeadamente as faixas.

    O objectivo é sempre o FC Porto, mas depois cada um adopta diferentes meios. Há também quem lá esteja e não se insira em nenhum grupo.

    Falando deste caso concreto, é um orgulho muito grande esta bandeira, dando obviamente a automática e mais que merecida distinção a este espaço! Um marco da nossa voz, onde os nossos guerreiros espalharem a sua magia.

    Obrigado e um Abraço a todos! :)

    ResponderEliminar
  12. Dragon Soul, também foi um gosto ter-te conhecido pessoalmente. Grande abraço!

    ResponderEliminar
  13. Caro Tripeiro,

    Muitos parabéns pela inciativa. A bandeira está impecável e tem umas dimensões fantásticas. Bem vísivel.

    Quanto ao apoio em Stamford Bridge, simplesmente excepecional. Foram 90 minutos de cânticos bem audíveis e que deixaram os ingleses certamente estupefactos.

    Em relação às modalidades, eu já tinha alertado para isso. É triste o (não) apoio que é prestado às modalidades. E por vezes merecem bem mais que os homens do futebol. O desporto rei é o futebol mas as modalidades merecem mais apoio do que as fases finais dos playoffs. E é de facto bem visto; quando os jogos forem às 4ªs contra os adversários de menor nomeada vai ser ainda mais penoso.

    Em relação às modalidades deixo aqui um reparo. Os detentores de lugar anual pagam 138€ pelo seu lugar ou 128€ se tiverem Dragon Seat. Logo aqui há muitos motivos para criticar. Mas não é por aí que quero ir.
    Os sócios das claques teem acesso gratuito aos jogos das modalidades se tiverem pago a anuidade de sócio da claque (15€).
    ou seja, as claques pagam 15€ pelo mesmo lugar e se formos a ver bem até nem pagam nenhum porque o dinheiro é para elas mesmo.
    Não hajam dúvidas que isto é muito justo. E ainda por cima, vão para lá enfadonhos, como se tivessem a fazer um frete. Não são só precisos nos jogos frente ao Benfas.
    Eu sou dos que mais apoio as claques e vibro com elas mas há muito que melhorar.

    Abraço

    ResponderEliminar
  14. Mas há forma mais expressiva de saudar o F.C.Porto que dizer: BiBó-PoRtO, carago! e expressá-lo numa bandeira?

    Se eu tivesse a idade do Tripeiro estava lá com uma ainda maior.

    ResponderEliminar
  15. O futebol sem claques era o mesmo que uma feijoada sem sal, também é feijoada mas falta-lhe o essencial, ou seja, fica insossa. Quanto a bandeira fica lá muito bem e pronto. Já só cá faltava um purista.

    ResponderEliminar
  16. primeira nota: Tripeiro, enquanto sentires motivação para tal, terás o meu total e inequivo apoio em tudo o que possa ser feito e esteja ao nosso alcance, partindo sempre do principio que a linha que nos orienta e conduz, é unica e exclusivamente a defesa do bom nome e honra do nosso FC Porto... respeitando-se obviamente, toda e qualquer opinião d'outrém.

    segunda nota: pois, há alguns que nem de borla aparecem, quando mais se tivessem que pagar, como eu, como tu, como outros de nós, etc etc... e sim, nem num clássico, ainda que possa duvidar da lotação devido ao dia top do Red Bull Air Race que acredito, retirou publico, quero crer que até aos play-off, a lotação é suficiente e mais que suficiente.

    terceira nota: muito bom apoio de toda a massa adepta do FCPorto em Stamford Bridge... sempre muito audiveis ao longo do jogo. Não fiz lá falta alguma, portanto, será o melhor elogio que possa fazer a quem lá esteve.

    ResponderEliminar
  17. Pedro Superdragão18 setembro, 2009

    Nos tempos que não havia claques, o estádio das antas estava sempre vazio e o FC Porto nunca tinha apoio. Era uma maçada. Eram duas ou três pessoas. Se não fossem as claques, era um marasmo completo.

    Os mais antigos podem confirmar que é verdade. O FC Porto do antigamente sem claques não valia nada. Ou seja, os portista de antigamente não eram portistas, eram adeptos de ópera.

    Verdade ou mentira?

    ResponderEliminar
  18. Pedro,

    Completamente de acordo.
    Lembro-me quando as claques estavam de costas voltadas com o clube, na era Adriaanse e o estádio do dragão naquela altura assemelhava-se a um velório. Até se conseguim ouvir os toques na bola.
    O futebol sem claques é um futebol mais fraco. É fantástica toda a atmosfera vivida e criada pelo Super e Colectivo.
    O que aqui peço é mais apoio para as modalidades dado que teem vantagens (monetárias) que os adeptos "normais".

    Abraço

    ResponderEliminar
  19. Tripeiro,
    Um forte abraço e agradecimento especial por nos representares de tão sublime maneira!!

    Força companheiro, que não te doam os braços!

    ResponderEliminar