16 setembro, 2009

Perder o jogo... mas ganhar uma equipa!

assistência: --- espectadores.

árbitros: Konrad Plautz (Áustria), Bernhard Zauner e Andreas Fellinger; Stefan Messner.

CHELSEA: Cech; Ivanovic, Ricardo Carvalho, Terry «cap.» e A. Cole; Essien, Ballack, Malouda e Lampard; Kalou e Anelka.
Substituições: Kalou por Belletti (76m).
Não utilizados: Turnbull, J. Cole, Sturridge, Hutchinson, Bruma e Borini.
Treinador: Carlo Ancelotti.

FC PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves «cap.» e Alvaro Pereira; Fernando, Guarín e Raul Meireles; Mariano Gonzalez, Hulk e Rodríguez.
Substituições: Mariano González por Falcao (54m) e Rodríguez por Varela (64m).
Não utilizados: Nuno, Belluschi, Maicon, Tomás Costa e Sapunaru.
Treinador: Jesualdo Ferreira.

disciplina: Cartão amarelo a Essien (15m), Malouda (18m) e Fernando (77 e 90m). Cartão vermelho, por acumulação, a Fernando (90m).

golos: Anelka (47m).


Em jeito de rampa de lançamento para o que vem já a seguir, apetece-me apenas dizer que vergonha nestas horas, é coisa que não faz parte do meu vocábulo futebolístico… hoje, tacticamente, o FC Porto fez um jogo quase perfeito, faltando apenas marcar, ou ainda melhor, bastaria não ter sofrido.

O Chelsea jogou à Chelsea; o Porto jogou à Porto. Naquelas condições climatéricas, assistimos a um jogo muito interessante, de prender a atenção e respiração até ao último apito do árbitro, mas também de suspiros de alivio ou de ansiedade, dependendo da zona defensiva por onde a bola saltitava.

Muito humildemente, quero dar os meus parabéns a toda a equipa pela demonstração de querer, raça e bravura que demonstraram ao longo dos 90 minutos de Stamford Bridge, mas particularmente, ao Prof. Jesualdo Ferreira, alguém a quem ainda não se tinha ouvido o apito inicial, já dizia «cobras e lagartos» das suas opções para o onze (titularidade de Guarin), mas afinal, demonstrou-me mais uma vez, se preciso fosse, que apesar de algumas desconfianças que por vezes me levam a apontar-lhe o dedo, demonstra a cada jogo que passa, ser um motivador táctico de excelência, deixando depois o «resto» nas mãos dos nossos fantásticos jogadores.

Se mais provas fossem necessárias, e ainda que o resultado não tenha sido desta vez o mais feliz, porque "de vitórias morais, anda o mundo cheio", o FC Porto é a única equipa com classe, com pulmão e com nome para estas andanças na Europa do futebol, onde depois de assistir a mais esta demonstração, tenho a crença absoluta que vamos conseguir alcançar os nossos objectivos mais imediatos nesta fase de grupos da Liga dos Campeões, mesmo sabendo que é difícil, mas difícil também sempre o foi, mesmo que numas vezes mais, noutras menos, mas este, foi um daqueles momentos difíceis e a (minha) equipa correspondeu com o que dela se esperava (e exigia!).

A liga milionária, como muitos lhe chamam, arrancou hoje, e o que vi, muito sinceramente, e se calhar até quando todos esperaríamos o contrário, foi ver um tal de clube milionário e, dizem-me este ano na Premier League, um SUPER Chelsea, em largos momentos do jogo encostado às cordas e a defender com tudo e todos, despachando bolas para onde estavam virados… não, este resultado, não me envergonha nem um pouco!

Bem, viremo-nos então para o jogo jogado… o Prof. Jesualdo Ferreira resolveu, contra todas as expectativas, lançar para cima da mesa, um «onze» que ninguém apostaria, oferecendo a titularidade a Guarin, que até aqui, nem um único minuto tinha jogado em provas oficiais com as cores do FC Porto. Da surpresa à estupefacção (geral), foi um ápice. Apesar desta aposta ultra-arriscada, Guarin, acabou a cotar-se como um dos melhores em campo.

Para além da tal surpresa, também a titularidade foi oferecida a Cristian Rodriguez e a Mariano para jogarem nas alas, em apoio a Hulk, que continuo a bater na mesma tecla do inicio da temporada, ali, ao centro, não rende 10% do que é dele expectável, desgastando-se em demasia na luta com os defesas adversários, o que pouco ou nada traz de bom às acções atacantes do FC Porto, mas isso, serão outras guerras para um dia se voltar à discussão, que fica por ora em aberto.

Iniciada a partida, o FC Porto entrou bem, obrigou os de Londres a respeitar-nos qb, e chegou até a assustar Cech logo nos minutos iniciais, mas também é verdade que, digamos assim, o domínio do Chelsea em momentos da partida, não foi conquistado de forma clara e inequívoca, tendo sido também consentida em parte pelo FC Porto.

Helton, desta vez, e sempre que chamado a intervir, mostrou-se à altura da grandeza da partida e se calhar até, seria justo dizê-lo, grande cota parte do nulo ao intervalo, deveu-se às suas defesas. No entanto, não se pense que só o nosso teve trabalho redobrado, porque do outro lado, Cech, estaria concerteza a sonhar com uma noite bem mais calma, mas que não fora a falta de frieza de alguns dos nossos atacantes na zona de finalização, mas também em abono da verdade, a mestria das suas defesas, poderia por mais de uma vez, ter ido buscar a bola ao fundo das redes.

Na segunda parte, ainda que a entrada em jogo tenha também sido de registo, notou-se um afrouxar da pressão nas linhas de meio-campo, acabando com isso a acontecer o que todos menos esperariamos… depois de uma falha na zona central da defesa, Anelka remata, Helton defende um primeiro remate, mas na recarga, mesmo pressionado por Fernando, o avançado francês não perdoa e faz o 1-0 para o Chelsea.

De seguida, e com praticamente ainda toda a segunda parte por jogar, do banco, saltam Falcao e Varela lá para dentro, indo ocupar os lugares de Cristian Rodriguez (que saiu extenuado) e Mariano Gonzalez (mais uma exibição pálida e complicativa qb, como em tantas e tantas outras), procurando dar um maior pendor ofensivo à equipa, obrigando então a defesa adversária a estender o autocarro em frente da baliza defendida por Cech.

Depois de equilibrados os pratos da balança, conseguimos ainda criar boas situações para poder restabelecer o empate, mas por falta de frieza na hora do remate ou por um toque a mais na bola, não conseguimos atingir os nossos objectivos… vindo a piorar ainda com a expulsão de Fernando, quando já tinham sido cumpridos os 2 minutos de compensação dados pelo árbitro austríaco, com a amostragem do 2º amarelo e consequente expulsão, o que vem criar um enorme problema defensivo a meio-campo para o próximo jogo frente ao Atlético de Madrid, em casa, já que se nos recordarmos, Fernando, foi o único trinco do plantel que foi inscrito para esta primeira fase de grupos da Liga dos Campeões (Prediguer, contratado já quase no fecho do período de inscrições, não foi sequer inscrito).

Terminada a partida, e como digo no título deste post, ficou no ar um sabor a alguma injustiça no resultado, mas com a certeza que estamos e vamos no bom caminho, mas também, que o nosso futebol, ao contrário do que cá dentro nos querem fazer crer, se recomenda e de que maneira!

Estou, como sempre estive, nas boas ou más, totalmente confiante nos «meus meninos», dê por onde der!!!

Nota final para o empate caseiro sem golos do Atlético de Madrid frente aos cipriotas do APOEL, resultado que, na teoria, e para além da surpresa óbvia, acaba por se revelar (muito) positiva para as nossas cores, já que na próxima ronda, recebemos os espanhóis no Dragão, podendo, em caso de vitória, cavar já um fosso na luta pela melhor posição a caminho dos oitavos-de-final.

42 comentários:

  1. Do tempo do Lucho15 setembro, 2009

    Devo que dizer que é um alívio reconfortante quando no lugar do Lucho vejo o Guarin, num jogo destes. É outra classe. Outra categoria.

    Devemos estar mais fortes.

    Quantos milhões gastamos mesmo em contratações?

    ResponderEliminar
  2. Jesualdo queixava-se, na semana passada, que os adversários jogam muito fechados no Dragão. E em Stamford Bridge, o FC Porto joga como? Aberto? Ao ataque? Ou fechadinho?

    De que te queixas, Tone?

    ResponderEliminar
  3. O Porto joga, até ver, de forma contida, com dominio repartido no jogo. Já se podia ter sofrido. Já se podia ter marcado.

    Um jogo que, ao contrário do que preconizavam, não está a correr mal. Guarin deu, até ver, maior consistência ao meio-campo, apesar da sua surpreendente titularidade. No entanto, aí não opino. Jesualdo saberá, melhor do que ninguém, quem lhe oferece as melhores garantias.

    Esperemos pela 2ª metade, mas continuo esperançado num bom resultado.

    ResponderEliminar
  4. Já dizia o meu avô:
    «Para quê estar em pé, quando podes estar sentado? E para quê estar sentado, quando podes estar deitado?»

    Contrapõe o Jesualdo:
    «Para quê estar a ganhar, quando podes estar empatado?»

    ResponderEliminar
  5. Viagens de borla15 setembro, 2009

    Pedro Proença no SP. Braga - FC Porto.

    O Proença é sócio de que clube mesmo?

    Ao intervalo:
    Atletico Madrid 0 : 0 APOEL

    Queres ver que os cipriotas são mais fortes do que pensávamos?

    Amanhã, os autocarros e o metro são grátis no Porto e em Lisboa.

    ResponderEliminar
  6. Chelsea 1:0 FC Porto

    E agora?

    Quem nos safa? Eu acredito no Guarin.

    ResponderEliminar
  7. Um dia, havemos de ganhar em Inglaterra. Um dia...

    Fernando expulso?
    Não há problema. Foi contratado o Prediguer para o seu lugar.

    O Prediguer não foi inscrito na Liga dos Campeões? Faz sentido.

    ResponderEliminar
  8. Perdemos, podiamos ter empatado, se calhar ganhamos um jogador - Guarim - tenho sido critico dele mas dou com vontade a mão à palmatória se for o caso,Varela provou estar muito bem, Hulk, enfim...muito fraco...
    Agora sem o Fernando, quem vai para trinco???
    Foi bom o Atletico ter empatado em casa....

    ResponderEliminar
  9. Quanto é que o Prediguer custou? 4,2 milhões de euros? E não joga na Liga dos Campeões porque não foi inscrito? Entendido.

    Atletico Madrid 0 : 0 APOEL

    ResponderEliminar
  10. Já tenho dito em conversa com os meus filhos que muitos portistas ainda vão morder a lingua em relação ao Guarin!

    ResponderEliminar
  11. Viva !

    Vi o jogo.

    De novo se confirma que não é fácil jogar contra uma equipa Inglesa no início de época.

    Excelente primeira parte do Porto.

    Na segunda, o Chelsea afirma-se fisicamente superior, impondo o seu ritmo. O vazio que teve o Porto durante um tempo, na segunda parte, não é mais que o vazio que tem as equipas continentais neste momento perante as equipas inglesas.

    Creio que faltou um avançado de raíz na primeira parte. Nessa primeira parte em que o Porto ainda tinha força física.

    Foi excelente o meio campo do Porto, sobretudo na primeira parte. Só que Meireles, Fernando ou Gaurin não podem fazer tudo.

    E depois há aquele desgaste perante o combate físico com os Ingleses.

    Eu sempre escrevi que as equipas inglesas só são abordáveis lá para Março.

    Uma só tentativa, salvo erro,de meia distância ( Meireles ) aos 39 minutos. O resto foi cruzamento.

    Acho que seria preciso tentar mais as meias distâncias.

    Inglês adora isso : Cruzamento e futebol de salão. ( no início da época )

    Para quem pensava ( e se esfregava as mãos )que o Porto ia ser cilindrado, a prova mostra e está feita que o Porto é um grande da Europa. Faz jogo igual com qualquer um !

    Estou confiante quanto ao apuramento, na medida em que se respeitem os adversários ( coisa que o Atlético de Madrid não fez e tanto melhor para o Porto ). Os Cipriotas são adversários que merecem atenção. A este nível não há pequenas equipas.

    Apesar da derrota,o Porto surpreendeu-me agradavelmente.

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  12. E pronto.
    Em dia de Champions pululam os anónimos na net. Biba a Champions.

    E já está.
    Pelo menos na teoria foi-se a partida mais difícil do grupo.
    O Chelsea talvez tenha sido melhor mas esperava uma diferença bastante maior, o que não aconteceu pois o jogo foi discutido mesmo até ao fim.
    E até não será necessário que o delegado ao jogo omita coisa alguma.

    Até dia 30 no Dragão com a arrogância habitual dos além fronteira.

    ResponderEliminar
  13. O que aborrece demais é saber que nos últimos 6 golos sofridos na LC, 3 foram oferecidos pela complacência absurda e o excesso de confiança.

    ResponderEliminar
  14. Suponho que fomos invadidos pelos anónimos desiludidos, pois não viram nenhum golo que corre o mundo.
    Concordo com o título do post. Perdemos o jogo mas ganhamos uma equipa, e que equipa meus senhores, pois demo-nos ao luxo de sentar no banco dois dos habituais titulares e mesmo assim manter o nosso prestígio.
    Chorai cambada de invejosos e desamparem a loja, porque o vosso futebol ainda tem que provar se vai chegar para consumo interno.

    ResponderEliminar
  15. Penso que o titulo da cronica deveria ser mais "A tradiçao ainda é o que era"..
    Sobre o jogo..bem acho k pode ser visto por prisma diferentes quer se goste mais ou menos de varios momentos do jogo...Como havia preconizado grande poder ofensivo dos Blues na incorporaçao dos laterais o que provocou grandes desiquilibrios nas faixas defensivas...
    sobre Guarin eu nao vou dizer nada...eu so lamento que Jesualdo nao seja coerente tacticamente com o discurso do dia anterior..quem joga para o ponto,claro que no papel os elementos em campo ate podiam desenhar o normal sistema, mas nao me venham com coisas..o resultado é justo e correcto para com a nossa ambiçao!!
    Individualmente Helton esteve muitissimo bem e nao foi por ele, desta vez e apesar do frissom e alivio a cada bola parada a defesa nao comprometeu no jogo zonal, mas calafrios foram muitos, fucile com um jogo mais dado a sua capacidade de luta, ainda que com muito trabalho pela frente dado os inumeros ataques e adversarios directos penso que a nota positiva lhe acenta bem.
    A.Pereira extraordinario a nivel ofensivo consolidou o seu crescimento apesar de tb ele se ver em palpos de aranha com Ivanovic que arrancou cruzamentos atras de cruzamentos, foi sujeito a enorme desgaste mas exibicao portentosa ainda que nem sempre bem coadjuvado por quem fechava daquele lado.
    Fernando apesar de ter feito um jogo regular, aquele vermelho é injustificavel, uma dor de cabeça pra daqui a 15 dias pela certa!!!!
    Meireles nem peixe nem carne, mas melhorzinho um pouco que aquilo que tem feito, teve na cabeça meia oportunidade de golo.
    Rodriguez assim como toda a equipa foi o espelho do falhanço rotundo no capitulo das transiçoes, nao deixou de lutar , mas longe ainda da forma que o caracteriza.
    Mariano nao foi surpresa a sua inclusao, mas foi um falhanço grande maioria das suas acçoes, nao trouxe por certo e a posteriori o que jesualdo havia pensado, foi a unidade de menor rendimento.
    Hulk ta visto a Champions nao é com ele, correu, lutou, tentou , ams de costa pra baliza encravado entre 2 centrais daquele valor estava condenado a uma luta desigual, lançou mao de alguns numeros do seu repurtorio, deve ter somado mais uma meia duzia de faltas ofensivas feitas que nao sofridas...ainda nao foi desta que marcou tambem nao era façil, pareceu-me anormalmente desagastado com o correr do jogo pra o fim.
    Falcao e Varela devem ter mostrado ao timido e inveterado conservador Jesualdo que teriam tido cabidela num esquema e estrategia mais condigna com o discurso da vespera..o Porto nao foi menos forte e audaz com ele em campo, nem sequer permitiu maiores veleidades ofensivas ao rival, como que a dizer, tb nao teria sido por eles que a tradiçao de nao ganhar se manteria.
    Guarin para mim senao o melhor em campo, porque Helton terá feito talvez dos melhores jogos de ha muito tempo para cá, esteve enorme no cumprimento das missoes do miolo tendo saido dos seus pes e cabeça talvez as 2 ocasioes de maior frisson na baliza de Cech..no entanto a sua inclusao matou tudo aquilo que eram as minhas crencas de quebrar a malapata.
    Temos pena, mas prefiro ver assumir que nao temos armas pra jogar taco a taco em Standford bridge como alias poucos o farao, que jogar em muito do tempo de posse de bola adversario com 10 elementos atras da linha da bola e um super heroi destacado numa ilha e parcela do campo rival...Por isso a derrota aceita-se, vitorias talvez no dia em que tiver-mos de facto a ousadia de jogar com os olhos na baliza adversaria.Quanto ao ter-mos ganho uma equipa ..nao acho nada disso, porque acho que ja a tinhamos...salvou-se o empate dos colchoneros, a vitoria daqui a 15 dias abre francas possibilidades de carrilar 9 pontos consecutivos!!!

    ResponderEliminar
  16. Mais uma vez jogamos em Inglaterra, Jesualdo altera o 11 e o resultado é o mesmo: derrota. Na única vez que Jesualdo não alterou o 11 normal (Manchester) empatámos e foi quando estivemos mais perto de ganhar. Mas Jesualdo não aprende nada e hoje voltou a alterar tudo: Sistema, jogadores, e até posições destes.
    E porque é não fez a 3ª substituição quando o meio campo já não conseguia jogar?
    Se a entrada de Guarin (apesar de não a entender) para o ligar de Belluschi ainda se aceita para dar mais músculo, a entrada de Mariano e até de Cebola não se percebem quando os 2 jogadores que saiem foram os melhores atacantes do Porto nestes primeiros jogos.

    Um clube da dimensão do FUTEBOL CLUBE DO PORTO não ganha equipas com derrotas. Os jogos ganham-se jogando sem alterar sistemas nem jogadores em função da qualidade do adversário. A equipa está rotinada de uma determinada forma e alterar rotinas só serve para criar problemas especialmente nesta fase da época em que se está a construir e a assimilar processos novos. Para mim, foi um passo atrás, mas Jesualdo já nos habituou a estes passos em falso. A ver vamos se seremos capazes de corrigir este tiro no pé pois esta equipa do Chelsea estava perfeitamente ao alcance se um bom Porto.

    Boas exibições de Helton, Fucile e Guarin com Álvaro Pereira a sentir bastantes dificuldades para evitar os cruzamentos pois está normalmente muito próximo dos centrais e teve pouca ajuda quer de Meireles quer de Cebola. No entanto, Álvaro subiu bem só que, na maior parte das vezes faltava-lhe gente na área para cruzar. Rolando e Bruno Alves com alguns falhanços tal como Fernando (como no lance do golo), Meireles acabou de rastos e errou muitos passes. Hulk foi fraquinho também porque muito sozinho na frente ou encostado ao flanco esquerdo onde tyem mais dificuldades. Mariano um desastre.

    ResponderEliminar
  17. Mais uma vez jogamos em Inglaterra, Jesualdo altera o 11 e o resultado é o mesmo: derrota. Na única vez que Jesualdo não alterou o 11 normal (Manchester) empatámos e foi quando estivemos mais perto de ganhar. Mas Jesualdo não aprende nada e hoje voltou a alterar tudo: Sistema, jogadores, e até posições destes.
    E porque é não fez a 3ª substituição quando o meio campo já não conseguia jogar?
    Se a entrada de Guarin (apesar de não a entender) para o ligar de Belluschi ainda se aceita para dar mais músculo, a entrada de Mariano e até de Cebola não se percebem quando os 2 jogadores que saiem foram os melhores atacantes do Porto nestes primeiros jogos.

    Um clube da dimensão do FUTEBOL CLUBE DO PORTO não ganha equipas com derrotas. Os jogos ganham-se jogando sem alterar sistemas nem jogadores em função da qualidade do adversário. A equipa está rotinada de uma determinada forma e alterar rotinas só serve para criar problemas especialmente nesta fase da época em que se está a construir e a assimilar processos novos. Para mim, foi um passo atrás, mas Jesualdo já nos habituou a estes passos em falso. A ver vamos se seremos capazes de corrigir este tiro no pé pois esta equipa do Chelsea estava perfeitamente ao alcance se um bom Porto.

    Boas exibições de Helton, Fucile e Guarin com Álvaro Pereira a sentir bastantes dificuldades para evitar os cruzamentos pois está normalmente muito próximo dos centrais e teve pouca ajuda quer de Meireles quer de Cebola. No entanto, Álvaro subiu bem só que, na maior parte das vezes faltava-lhe gente na área para cruzar. Rolando e Bruno Alves com alguns falhanços tal como Fernando (como no lance do golo), Meireles acabou de rastos e errou muitos passes. Hulk foi fraquinho também porque muito sozinho na frente ou encostado ao flanco esquerdo onde tyem mais dificuldades. Mariano um desastre.

    ResponderEliminar
  18. A nível táctico,o Porto esteve muito mal num aspecto:cobertura nas alas.Inacreditável o espaço concedido a Ivanovic,Cole,Malouda.Não pode ser!Imaginem que jogava o Zé,e que na área estava Drogba??Nem quero pensar.Esse aspecto tem que ser corrigido.
    Guarin,a par de Helton,foi o melhor em campo,agradável supresa.Mas seria bom que assim continuasse...

    Depois do jogo é fácil dizer,mas acho que devia ter jogado Falcao e/ou Varela.Na primeira parte,subíamos bem,mas não estava ninguém na área,ou Hulk não tinha apoio e era presa fácil para os defesas.Quando entraram Falcao e principalmente Varela,criamos algumas opurtunidades para empatar.Jogamos melhor.Durava o jogo mais uns minutos e não sei não...Varela foi como se tivesse dito "CONFIEM EM MIM".

    Hulk,foi-se apagando ao longo do jogo...tive um verdadeiro ataque de nervos quando mesmo no fim,teve duas opurtunidades para cruzar tendo vários colegas na área e perdeu a bola.

    Helton enorme!Porque não és sempre assim rapaz?Ou parecido,vá.

    Fiquei irritada,até mordi a almofada.Caramba,a história podia ter sido tão diferente!Raios,às vezes perdemos opurtunidades de criar perigo de maneira tão estúpida,ou um toque a mais na bola,ou um ressalto,ou demasiado tempo perido...ggrrr

    Ainda assim gostei do esforço,gostei da atitude,da vontade de mudar as coisas até ao último minuto.
    Creio que podemos estar optimistas em relação ao futuro.Mas há que corrigir certas coisas.
    Venha o Braga.

    ResponderEliminar
  19. Ser portista é ser exigente, mas uma exigência realista, com os pés na terra e não uma exigência megalómana, absurda e completamente fora da realidade.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  20. Não percebo.. Ninguem pode dizer que fizemos grande jogo.. na 1ª parte o porto recuperava a bola, saía para a frente e só estava rodriguez e hulk.. o jesualdo tava cheio de medo se nao punha-os a subir.. e nao percebo como nos cantos e livres do chelsea eles ganhavam sempre a bola de cabeça..

    ResponderEliminar
  21. Ahh e Mariano também.. Nao percebo porque embirra nele.. Nao jogou nem joga nada.. notou-se a diferença com o Varela !

    O jesualdo tinha medo que o varela pusesse o porto a atacar se calhar

    ResponderEliminar
  22. Grande Porto o de ontem. Um imenso orgulho em ser deste clube.

    ResponderEliminar
  23. Portista do Centro16 setembro, 2009

    Deixo o meu comentário a partir do mesmo link ou de outro... do mesmo.
    Jesualdo F. na Liga dos C. joga contra a melhor equipa Inglesa (palavras dele) com uma equipa difefrente (sem rotina de jogo)!!!!!
    Depois de estra a perder é que lança o Varela (melhor jogador neste principio de ano), Falcão (quatro jogos quatro golos). E o Hulk como homem mais avançado!!! este jogador tem que jogar numa ala para ter espaço para correr. Ou seja JF no seu melhor e dizem-me que ganhamos uma equipa!!!

    ResponderEliminar
  24. Vou explicar o sentido de "ter ganho uma equipa", porque parece que há pessoas que de tão complicativas, têm imensas dificuldades em perceber o sentido que se quer dar às palavras, quando se utiliza determinado tipo de chavões.

    Reformulando, diria então:

    "Perdemos o jogo... mas ganhamos o futuro para o resto da temporada!"

    E assim, já se consegue perceber a mensagem que eu, na minha simples e anónima opinião, que vale o que vale, que é pouco, eu sei, pretendo afinal passar?

    Ou continua ainda a ser tão, mas tão complicado perceber nas entrelinhas?

    ResponderEliminar
  25. Que saudades dos tempos do «à antiga portuguesa», em que perdíamos e ganhávamos sempre uma equipa. Sempre. Nunca falhava. Na Europa, era assim. Chegávamos com a cabeça erguida de quem sentia que ganhou, não o jogo, mas uma equipa. Eram tempos gloriosos. Aquele brilhozinho nos olhos dos jogadores e treinadores. Tínhamos ganho um equipa. Valia mais do que onze vitórias em Inglaterra. Não tinha preço. Um orgulho.

    Descobri, hoje, que esses tempos voltaram. Oh, que emoção. Tempos estes que julgava perdidos nos anais da história. Voltaram. À antiga portuguesa. Voltamos a ganhar uma equipa. Foi especial.

    Obrigado, Jesualdo Ferreira.

    ResponderEliminar
  26. Parece-me, que não tivemos outro resultado, porque ontem não houve um HULK em estado normal, só isso safou os ingleses

    ResponderEliminar
  27. Guarin, Helton e Fucile acabaram por ser os melhores em campo. Não concordo com a táctica usada pelo Jesualdo, acho que devia jogar como temos vindo a jogar, em 4x3x3, e não na táctica do “caguinchas”. Enfim!

    Mesmo admitindo o 4x4x2 acho inadmissível deixar o Varela no banco, e tinha dito isso antes do jogo. Fez-me lembrar o último jogo que fizemos contra o Chelsy fora, com o Quaresma solto no ataque e que perdemos 2-1 com o frango do Helton. Foi com a entrada de Varela (e Falcao) que a equipa retomou o caminho da baliza do Chelsy. Pareceu-me uma táctica muito defensiva, tudo bem que um meio campo com Essien, Ballack e Lampard impõe respeito, mas descurámos as alas não aproveitando o espaço. Ivanovic foi um perigo constante com cruzamento venenosos, aquele lado esquerdo parecia uma auto-estrada com a falta de compensações às subidas do Álvaro Pereira, que fez o que pode no ataque com a ausência dos habituais extremos. Acho que perdemos uma boa oportunidade que quebrar a malapata!

    De resto foram apenas 3 pontos, contra a equipa mais forte do grupo, o Atlético também comprometeu em casa, o que é bom, e cheira-me que tal como previa vamos passar com 11 pontos!

    Saudações

    ResponderEliminar
  28. Ganhámos equipa? Espera lá. Já tínhamos equipa e boa, como se viu, quando o Jesualdo parou de inventar.

    Este blog é controlado pelo Jesualdo só pode!
    Não ganhámos equipa nenhuma, porque, mais uma vez, é preciso dar ênfase, JÁ TÍNHAMOS EQUIPA!

    Para de inventar Jesualdo. Primeiro jogo do grupo dá para arriscar um bocadinho.

    Mais, a primeira parte foi horrível. Ninguém pressionava naquele meio campo.

    ResponderEliminar
  29. Ressalvando que cada um terá, logicamente, direito à sua opinião, parece-me que alguns aguardam pelo 1º precalço para começarem o linchamento de Jesualdo.

    Acho que, em relação à constituição da equipa inicial, Jesualdo fez o que tinha a fazer. Não jogar de peito feito em Londres, coisa que de resto ninguém faz. Usou de uma equipa teoricamente mais concentrada, a nível táctico, que lhe permitiria procurar controlar ou, em alternativa, minimizar o efeito de rolo compressor que o meio-campo do Chelsea habitualmente usa.

    Não concordo que, por isso, o treinador seja apelidado de cobarde, só porque armou a equipa em relação ao adversário. Aliás, isso é normal em jogos europeus, sendo que os restantes grandes da Europa o fazem amiúde.

    O próprio Chelsea, esta época, já utilizou o 4-4-2, o 4-3-3, já jogou com um trinco, de vincado cariz defensivo, já prescindiu do mesmo. Isso significa o quê? Que Ancelloti tem medo? Ou, em alternativa, que a sua equipa não é hermética, não vive confinada apenas a um sistema táctico, e que os adopta conforme o adversário que lhe sai na rifa?

    O Porto perdeu? Sim. Mas também provou possuir armas para conseguir aquilo que se pretende: o apuramento para os oitavos.

    Quanto ao prestígio, julgo que o mesmo permanece intacto, bastando constatar isso nos cabeçalhos dos principais jornais desportivos europeus.

    Agora, quanto a alguns, até poderiamos jogar de início com Farias, Falcao, Hulk, Varela e mais algum que se arranjasse. Pelos vistos, isso é que era inteligente e demonstrativo do caracter da equipa.

    ResponderEliminar
  30. Não consigo conceber, como agora apelidam de "caguinchas" uma táctica, que o ano passado tanto elogiaram e que quase nos deu uma vitória em Manchester, aliada de uma excelente exibição. É, e torna-se, essencial jogar assim na Europa do Futebol, em que os jogos devem obdecer a uma irreprensível atitude tactica, com o 4ª médio a ser fundamental nesta capítulo. Aponto como unicos erros de jesualdo, n ter posto Hulk na direita muito mais cedo.

    Lembrem-se que Cebola ainda n está na sua melhor forma. Tivemos uma atitude fantástica. O nosso meio campo foi incansável e deixou tudo em campo. Penso que o jogo passou pelo maior problema do futebol portugues (o nosso problema cultural) - a finalização - Meireles no 2º jogo consecutivo falhou de cabeça (porquê cabecear ali com tempo para tudo) um golo fácil. Se as bolas de Hulk e Guarin tivessem tido o destino da baliza, hoje não teriamos estes comentários todos a malhar num Homem, que penso que até nem teve muiita culpa. Mas são opiniões..

    Abraço

    ResponderEliminar
  31. João Rocha, estás enganado, no ano passado nesse jogo contra o Manchester jogámos na habitual táctica 4x3x3, com as devidas nuances é claro. E por isso deu bom resultado! Pois não se mudou a equipa titular.

    Senão revê a equipa titular desse jogo: Helton, Bruno Alves, Rolando, Sapunaru, Cissoko, Lucho Gonzalez, Fernando, R Meireles, C Rodriguez, Lisandro López, Hulk.

    ResponderEliminar
  32. Gostei do jogo.

    Não fizemos um jogo bonito, mas foi um jogo inteligente.

    Acho que a equipa foi bem armada e na primeira parte, se tivessemos sido mais incisivos no contra-ataque, a história podia ter sido outra.

    Não me parece justo criticar o Jesualdo pela forma como escalou a equipa para este jogo... basta recordar que há uns meses atrás o Barça jogou lá e passou as passas do Algarve marcando o golo salvador no único remate à baliza...

    A nossa dimensão não se compadece com a aceitação da derrota, mas temos que ter os pés bem assentes na Terra...

    Do 11 do Chelsea, pelo menos 10 jogadores, foram contratados por Mourinho... um treinador que já saiu de lá há 2 anos...

    O Anelka sozinho tem mais jogos na Champions que os 5 avançados do Porto que participaram no jogo...

    Jogamos contra uma das maiores equipas do mundo...

    Não podemos ficar satisfeitos com a derrota, mas a equipa mostrou uma excelente atitude nunca se dando por vencida, ignorando as camisolas do adversário, cerrando os dentes em busca de um golo que mudasse o rumo dos acontecimentos...

    Por isso está de parabéns...

    ResponderEliminar
  33. Evidentemente que cada um tem a sua opinião, e aqui neste espaço a asfixia democrática só se aplica a quem tem alternativas mais “brumelhas” para descarregar as frustrações, no entanto continuo a não perceber quem não continua a perceber o FCP. Como é? Querem chegar em plena casa do Chelsea sem nenhumas cautelas defensivas. Jogar ao ataque que nem leões e trazer uma derrota pesada e orgulho ferido como nos aconteceu o ano passado?
    O professor Jesualdo Ferreira, não é um treinador qualquer, é o treinador do Porto, e cá pra nos que ninguém nos escuta, até ver continuo a acreditar que sabe muito mais de futebol do que qualquer treinador de bancada, incluindo (sem ofensa) o calceteiro erudito.

    ResponderEliminar
  34. Eu não ponho em causa a atitude dos jogadores e sei reconhecer as diferenças entre Porto e Chelsea. Mas também é verdade que o Chelsea não tinha Deco, Bosingwa e Drogba. Eu sou dos que acham que com estes jogadores, fora de casa e especialmente na Champions, o Porto deve jogar num 4-4-2 mas nunca no 4-5-1 (e ainda por cima muito recuado) que dá todas as possibilidades a quem ataca de subir os laterais à vontade. Como se viu até ao golo o Ivanovic fez os cruzamentos todos que quis e nunca teve ninguém a tapá-lo embora o Porto tivesse 5 unidades no meio campo. Além de que alterar um sistema de jogo para um teoricamente mais defensivo dá aos jogadores que vão jogar ainda maior sensação de medo.

    No entanto, é verdade que podíamos ter marcado e que 1 dos melhores elementos do Chelsea (se não o melhor) terá sido o Ricardo Carvalho que fez uma exibição de grande nível.

    Paulo Pereira: Não sou um defensor de Jesualdo mas, na época passada, não tive problema nenhum em achar que ele devia continuar e que a rábula da renovação foi muito mal conduzida pela SAD (e pelo que já ouvi, o PC depressa se arrependeu por ter renovado com ele pois queria mesmo era o Jesus).
    No entanto, e depois do descalabro contra o Arsenal, achas que ele teria renovado se fosse a Manchester jogar com a equipa à defesa? Não temos os jogadores do Chelsea mas os jogadores do Porto também são muito bons. E não se pode tirar (sem grande razão) da equipa 2 dos jogadores mais influentes da equipa neste começo de época. Não é respeito pelo adversário, é medo!

    Blue:
    Eu percebi o que querias dizer mas, nos dias de hoje, o Porto não se pode contentar em ganhar equipas, tem de querer sempre ganhar. E o que se viu ontem foi uma equipa muito juntinha mas muito atrás e com o Hulk sozinho na frente.
    E porque raio o Jesualdo não refrescou o meio campo nos 10 minutos finais com o Chelsea só a defender e Guarin mas especialmente Raul Meireles completamente acabados fisicamente. Belluschi ou Tomás Costa, naquela altuar podiam ser boas opções até para remates de fora da área. Desculpa, mas isto eu não entendo!

    Daqui a 15 dias, sem Fernando, irá Jesualdo apostar novamente em Guarin? É que no único jogo que ele fez a trinco (com o Arsenal em Londres) foi um desastre. Fernando vai fazer muita falta contra o Atlético e o Porto tem 2 jogos de enorme grau de dificuldade no campeonato até lá.

    PORTO SEMPRE!

    ResponderEliminar
  35. E pronto pessoal, chega de falar do jogo de ontem, pois temos todos de nos vergar ao grandessíssimo embate que só amanha se realizará entre o exterminador implacável e essa mais que conhecida potência do futebol Europeu de seu nome Bate Borisov, que é nada mais nada menos que o líder do campeonato de Curral de Moinas.

    ResponderEliminar
  36. dRAGÃO 66,

    A exibição referida, do Porto em Manchester, só foi possível pela forma de jogar dos próprios diabos vermelhos. É normal vê-los assim, dominados (basta ver esta temporada o jogo deles com o Arsenal), dado que o meio-campo não consegue, de forma nenhuma, ser tão pressionante ou possuir a mesma capacidade defensiva, do que o do Chelsea.

    Volto a frisar que a saída dos jogadores (Varela e Falcao) não me parece ser uma atitude de medo. Jesualdo apenas se limitou a apresentar um onze que, face às características do adversário, lhe daria mais garantias.

    Achei irrepreensível a apresentação do onze inicial e nada me garante que, com Varela e Falcao incorporados, o Porto fosse mais perigoso. Aliás, acho que perderia, claramente, em capacidade de luta, de defesa, etc, etc...

    Mas, lá está, nunca saberemos isso. Só não posso concordar que se ache a intervenção do treinador como decisiva no resultado final, penalizador. Friso, Jesualdo para mim esteve bem.

    ResponderEliminar
  37. Também nós temos direito ao nosso Paulo Bento. Jesualdo é talvez o treinador que mais vitórias morais tem. Ontem, há dois anos com este mesmo Chelsea, no passado ano com o Manchester, que poderia corrigir cá, mas levamos um banho, com o Atlético de Madrid. Enfim, vitórias morais, são um fartote.
    Guarin, grande jogador que Jesualdo escondeu no seu cofre durante um ano e meio.

    ResponderEliminar
  38. Jogadores corajosos e treinador medroso! O nosso técnico Jesualdo Ferreira aprendeu bem a lição de como se jogar sem "ponta-de-lança" com o Seleccionador Carlos Queirós. A equipa melhorou muito quando entraram Falcão e Varela voltando ao esquema habitual e no qual os jogadores desenvolvem um bloco muito mais combativo e mais ofensivo, pena o Srª Jesualdo ter se lembrado disso quando já estávamos a perder. De qualquer maneira acredito nos jogadores e no potencila do F.C.Porto para alcançar a classificação no grupo.
    fernandes fernandes

    ResponderEliminar
  39. O toque de qualidade que faz de nós os melhores de Portugal e tetracampeões nacionais esteve em Stamford Bridge.

    Continuam a faltar no entanto os pormenores necessários para o salto qualitativo que a equipa necessita para ombrear em plano de igualdade com os grandes da Europa (sem necessitar de gastar fortunas): Qualidade de passe e eficácia no remate (estes os principais).

    Os erros em alta competição pagam-se caros. Foi o que voltou a acontecer.

    Ontem Helton esteve enorme, rectificando a imagem que lá tinha deixado quando ofereceu a vitória ao Chelsea. Não foi por ele que o Porto desta vez não ganhou, bem pelo contrário.

    Hulk ainda não foi desta que deslumbrou na Europa. Já Guarín foi uma bela surpresa. Se jogasse sempre assim...

    Álvaro Pereira confirmou que é um jogador de grande qualidade e até tecnicamente superior a Cissokho.

    Varela é 100 vezes mais útil que Mariano. Continuo a não entender este fetiche de Jesualdo!

    O Professor quis jogar na experiência. São opções. Demonstrou não confiar nos novos. Não me parece uma boa mensagem para quem ficou de fora e que tem contribuído para a carreira positiva que o FC Porto vem fazendo internamente.

    Interessa enaltecer a coragem, a atitude, a raça e o querer para aqueles rapazes que equiparam de «laranja», que infelizmente ainda não é «mecânica»!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  40. Perdemos contra uma grande equipa !

    E , o F.C.PORTO (em muitas fases do jogo)encostou o Chelsea às cordas !

    Temos Equipa


    Abraço

    ResponderEliminar
  41. Viva !

    O diário "L'Equipe" , edicão papel, cita o Chelsea-Porto na página dois. Sim na página dois.

    E o artigo começa assim : "Chelsea pode agradecer a Nicolas Anelka por ter descoberto a abertura ".

    Continuando : " O Chelsea sofreu perante uma sedutora equipa lusitana ".

    Não me venham cá com tretas. O Porto é um grande da Europa.

    Equipa A ou equipa B ? Que é isso? A este nível não há diferenças. Intão, sim Intão, melhor jogar nas distritais ( sem qualquer ofensa ).

    Não entendo porque certo Portistas estão sempre a destruir quando a procissão ainda vai no adro ( tá ok ! não faço mais plágio de Rubem A ).

    O diário "L'Equipe" é mais que explicito : " Os Londrinos sofreram imensamente perante uma equipa Portuguesa cujo saque estival ( Lisandro, Lucho, Cissokho) não parece ter incomodado.

    Intão : Conhecem uma equipa que perde os seus melhores jogadores e que continua a fazer jogo igual com os melhores da Europa ?

    O Porto é único na Europa !

    A única critica que faria, mas aí talvez esteja a ser chauvinista : O Cisso sabe atacar e defender no corredor ( é verdade que saíndo deste perde a bússola ). Ora pelo que vi A. Pereira tem dificuldades em defender e atacar.

    Mas é um jogador novo.

    Com isto, apenas quero dizer que é preciso tempo.

    A antiga máxima do tribunal que nada tem haver com certos Super Dragões , dizia que : "Roma não se fez num dia nem o Porto numa semana."

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  42. Meus caros portistas:
    Eu não sou contra Jesualdo mas sinceramente não gostei que se alterasse significativamente o modo de jogar desta equipa que ainda está em crescimento.

    Eu entendo a entrada do Guarin que deu mais músculo e até jogou bem (espero que continue assim) e até entendo a entrada de Cebola se bem que praticamente ainda não jogou, esta época. Agora o que eu não entendo é que se tirem logo ao mesmo tempo 2 jogadores que têm sido dos mais importantes e, ainda por cima, para lá pôr o Mariano.

    Um dos maiores problemas do Porto foram as subidas do Ivanovic que nunca foram acompanhadas nem por Meireles nem por Rodriguez mesmo tendo 5 jogadores no meio campo.

    Mas pronto, fiquei triste com a derrota (não gosto de vitórias morais porque isso faz-me lembrar o antigamente em que os mouros gostavam muito do Porto porque nunca ganhava nada) e agora o que importa é ganhar já o próximo jogo em Braga porque não me venham dizer que o Braga é mais forte do que o Porto.

    PORTO SEMPRE!

    ResponderEliminar