07 setembro, 2011

Retomar da liderança, no campo de batalha da Marinha!

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

UD Leiria 2-5 FC Porto

Liga 2011/12, 3ª jornada
6 de Setembro de 2011
Estádio Municipal da Marinha Grande


Árbitro: João Capela (AF Lisboa).
Assistentes: Ricardo Santos e Pedro Garcia.
Quarto árbitro: Hugo Miguel.

UD LEIRIA: Gottardi «cap.»; Ivo Pinto, Diego Gaúcho, Edson e Shaffer; Manuel Curto, André Almeida, Maykon e Elvis; Djaniny e Bruno Moraes.
Substituições: Bruno Moraes por Robinho (46m), Manuel Curto por Marcos Paulo (46m) e Elvis por Cácá (75m).
Não utilizados: Luiz Carlos, Luís Leal, Erichot e Patrick.
Treinador: Pedro Caixinha.

FC PORTO: Helton «cap.»; Fucile, Rolando, Maicon e Alvaro; Fernando, João Moutinho e Belluschi; Hulk, Kléber e James.
Substituições: Hulk por Varela (58m), João Moutinho por Defour (68m) e Fernando por Souza (80m).
Não utilizados: Bracali, Cristian Rodríguez, Walter e Mangala.
Treinador: Vítor Pereira.

Ao intervalo: 0-2

Marcadores: James (21m e 64m), Kléber (35m e 74m), André Almeida (50m), Diego Gaúcho (78m) e Varela (90+1m).

Disciplina: cartão amarelo para Manuel Curto (34m), Álvaro (86m) e Souza (89m).

Longo período de ausência de futebol da nossa equipa, após uma derrota, algo que normalmente ninguém gosta de ter, mesmo sabendo que deixámos uma boa imagem nesse encontro. Ultrapassámos bem este período difícil, no qual Vítor Pereira teve de lidar ainda com alguns dias de mercado e o “desertar” de jogadores para as respectivas selecções. Não foi um jogo fácil de preparar com certeza, a culpa não sei de quem é para terem marcado o jogo em atraso para o dia de hoje. Por esse facto não foi possível contar com alguns internacionais, enquanto outros chegaram a conta-gotas e ainda tivemos uma chegada “Incrível” na noite anterior ao jogo.

O mister foi forçado a alterar o 11 que vinha sendo habitual, sem surpresa a inclusão de Álvaro e James, já Fernando foi a grande surpresa da equipa montada por VP.

A juntar aos factos já relatados, tivemos mais um adversário que nos causou enormes dificuldades e que pode ajudar a explicar alguns momentos menos bons que o porto teve neste jogo – o relvado. A bola, foi notório para todos os que assistiram ao jogo, nunca tinha os mesmos ressaltos, nunca era previsível a sua trajectória, dificultando passes, recepções, condução de bola (atente-se no lance aos 10’, Hulk isola-se com muita facilidade e leva a bola dominada mas aos saltos que o impede de rematar com sucesso). Para quem necessita de jogar a bola com segurança de pé para pé, foi praticamente impossível durante quase todo o tempo de jogo fazê-lo com qualidade e segurança. O jogo de pé para pé foi ultrapassado pelo jogo mais directo, onde era visível a intenção de procurar Kléber e Hulk nos espaços da defensiva contrária.

Aparte do relvado, tivemos uns primeiros 25-30 minutos algo intranquilos, onde concedemos muitos espaços no momento de transição defensiva, após a perda da bola. Caixinha referiu isso na conferência de imprensa e aproveitou ao máximo esse facto. Os laterias leirienses tiveram liberdade para criar situações de 2x1 sobre Álvaro e Fucile, pois James e Hulk quase nunca baixaram no terreno para ajudar defensivamente. No miolo do campo, foi noite de jogar com o trio que deu um grande empurrão para a grande época 2010/2011 e no qual Belluschi deu nas vistas e provavelmente ganhou o lugar a Guarín – o argentino jogou, fez jogar, procurou movimentos de ruptura, apareceu muitas vezes perto da área e a finalizar. Bom jogo de Belluschi, já por outro lado, Moutinho esteve um pouco apagado, pese embora ter estado ligado ao primeiro golo do Porto.

Aos 29’ um lance decisivo no jogo. Ataque perigoso do Leiria, com cruzamento a ser afastado no limite por Rolando e lançamento imediato para James que encontrou um Moutinho sozinho na zona central. Este conduziu bola até entrada da área, esperando que chegasse James lançando um foguete para o 1º festejo do Dragão. Quem não mata, morre… A partir daqui o que faltava dos primeiros 45minutos foram nossos. As linhas de pressão aumentaram, agressividade e velocidade foram postas nos limites. Num dos momentos de pressão, Kléber consegue rematar ao poste. Parecia que ia continuar a pairar o fantasma de “El Tigre”, mas este foi desfeito após uma recuperação de bola de Belluschi, a isolar-se e quando parecia rematar, faz um passe a colocar Kléber na cara do guarda-redes! Desta vez o brasileiro, algo a medo, lá atirou a contar para o 2-0. O enguiço estava quebrado.

A 2ª metade trouxe-nos muito mais emoção, embora não tenha sido constante. O leiria abriu a equipa para um claro 4x3x3, encostando Djaniny a uma faixa, ele que deu que fazer pela sua velocidade e capacidade técnica demonstrada. Entrámos mal no jogo novamente, sofrendo logo ao minuto 7 após um alivio de um canto no qual preenchemos mal a entrada da área, permitindo a André Almeida rematar contando com o desvio de Maicon para o fundo da baliza. Maicon mostrou-se muito inseguro novamente, muitas más abordagens, ao querer por diversas vezes adivinhar os lances dos avançados contrários, colocando em risco a baliza de Helton. O leiria cresceu com o golo e meteu mais velocidade quase sempre pelo flanco esquerdo. Aos 58minutos, deu-se um apagão no Estádio da Marinha Grande (como nos trazem óptimas recordações, os apagões!). Durante cerca de 12minutos não se jogou e o apagão levou com ele Hulk, lesionado no tornozelo numa queda com um defesa da “casa”, deixando-o talvez inapto a recuperar para 6ª feira.

Fez bem o apagão à equipa e o colectivo mostrou que sabemos bem jogar sem Hulk. A partir deste momento, tivemos mais segurança na troca de bola, procurámos sempre os colegas que permitiam os melhores apoios para a posse de bola ser feita com qualidade e sem pressa de chegar a frente libertando assim espaços entre as linhas defensivas leirienses. Assim tivemos cerca de 25’ de grande qualidade, o nosso melhor período no jogo, onde sem Hulk sobressaiu James que marcou o 3-1 a papel químico do golo que abriu o marcador. Troca de bola no flanco direito, com esta a circular para James que remata com grande qualidade a dar o golo da tranquilidade. O porto continuou por cima no jogo a controlar o ritmo da partida e VP promoveu a estreia de Defour, tirando Moutinho do jogo. Alguma curiosidade para ver este reforço, portou-se bem, sem dar muito para ver, alguns movimentos interessantes e bom toque de bola. Aos 84 minutos, Belluschi sem dar o lance por perdido dentro da área, consegue tocar para James, que faz um grande passe para Álvaro no corredor contrário a assistir o nosso ponta de lança, também ele a bisar na partida.

A partir daqui deixámos o jogo correr até ao final, mas num livre lateral permitimos o 2º golo do adversário, aos 89’. Mais uma vez Maicon, deixou-se antecipar – a defesa é à zona, mas é preciso atacar os espaços e não esperar que ela venha ter connosco. Ainda houve tempo para Varela (anda muito apagado e assim não é solução, apesar do golo) finalizar com êxito, após uma boa desmarcação de Defour que colocou a bola no extremo para colocar no marcador uma mão cheia de golos para os Dragões.

Notas positivas: Capacidade ofensiva e concretizadora; parece que temos ponta de lança como já vinha afirmando.

Notas menos boas: Demasiada bola concedida ao adversário; golos sofridos de bola parada; pressão e agressividade pouco expressivas;

Melhor em campo: James – 2 golos e duas aberturas fantásticas que resultaram noutros 2. Pegou no jogo sem medo.

Estamos no lugar que é nosso por direito próprio! Até ao fim... esperamos todos!



DECLARAÇÕES

Vítor Pereira

"O relvado não está em boas condições, não permite boa circulação de bola, a espaços conseguimos fazê-lo, outras vezes os ressaltos de bola não davam confiança aos jogadores. Encontrámos adversário a jogar o jogo pelo jogo, mas a vitória justíssima, com um ou outro pormenor a corrigir.

A equipa quis sempre circular, o terreno não está bem tratado e não permite jogo de grande qualidade. Foi sempre nossa intenção jogar, foi um jogo conseguido. É muito cedo, mas gostamos de ir na frente, estamos habituados a isso e é um estímulo. O importante é chegar ao fim na frente, mas para mim os campeonatos ganham-se no início, no meio e no fim.

O Domingos já provou a sua qualidade, não há milagres, muitos jogadores novos, há que dar tempo ao tempo e o Sporting é candidato ao título também".

Hulk

"Tive uma forte dor quando o jogador do Leiria caiu em cima de mim. Oxalá não seja nada de mais, no joelho parece que não é nada, vamos ver no tornozelo.

Graças a Deus consegui chegar e ajudar os meus companheiros. Com certeza que se não fosse a lesão tinha estado mais tempo em campo, a ajudar os meus companheiros. Temos de continuar assim, a ganhar. Vencer o campeonato novamente sem derrotas é difícil mas não é impossível".



RESUMO DO JOGO

18 comentários:

  1. Alguém pediu um PL?! Aí está ele!

    Grande joga, com Kleber e James em grande nível! Desconcentração na defesa, mas com grande acutilância ofensiva!

    E aí estamos nós no lugar que merecemos!

    Obs - apesar do golo, pergunto: que se passa com Varela?!

    Saudações

    ResponderEliminar
  2. Apesar do FC Porto ter ganho o jogo, é caso para ficar apreensivo com a exibição da defesa azul e branca, principalmente os centrais, aquilo é um autêntico passador! Depois o meio campo não segurou a bola como é habitual, dando a sensação de esgotamento precoce! Temo que contra uma equipa melhor apetrechada, de qualidade superior, os Dragões acabem por passar um mau bocado.
    Quanto a Kléber, é verdade que marcou dois golos e é um jogador dinâmico, esforçado, mas já não é a primeira vez que isolado falha tendo só o guarda-redes pela frente! Dá a nítida sensação de falta de capacidade de remate, pois normalmente chuta fraco e contra o adversário!
    Já num dos meus posts anteriores referi que em contra partida, por exemplo, o Walter não é tão mexido como o Kléber, mas tem uma capacidade de remate, nos aspectos de potência e precisão, muito superior ao seu colega Kléber!
    Destaques: pela positiva, o sensacional James! Muito bem! Um jogador com grande capacidade técnica e muito dinâmico! O Hulk também merece relevo por aquilo que fez antes de se lesionar!
    Pela negativa, que se passa com o Varela! Continua a ser sem sombra de dúvida um grande jogador, mas neste momento nem a 50% do seu rendimento normal parece estar...!
    Dos outros nem quero falar, dado o seu rendimento estar muito abaixo do normal.

    ResponderEliminar
  3. Um jogo com sete golos não acontece todos os dias. Mas o FC Porto em todos os dias que joga, joga para ganhar... Não foi brilhante numa partida em que, no seu desenrolar, se notaram alguns aspectos menos bons que, claro, serão corrigidos atempadamente. O meio campo esteve algo permissivo, pouco pressionante e com dificuldade em servir da melhor forma os atacantes. Defour até trouxe outra dinâmica, numa altura em que o jogo estava decidido.

    Hulk mostrou por que é um jogador “à Porto”. Excelente desempenho de James que, estou certo, vai dar cartas neste campeonato e na “Champions”. Boas prestações de Kléber (é um matador) e Álvaro Pereira (sobretudo na 2.ª parte). Moutinho não sabe jogar mal embora pudesse fazer mais. A forma virá. Belluschi abaixo do seu potencial e Varela um desastre. Nada lhe saiu porque está a atravessar um péssimo momento: lento, trapalhão, medíocre em quase tudo quanto fez. Nem uma assistência para golo e um tento marcado limpam a exibição desastrada.

    Estamos no bom caminho… e em primeiro, o nosso lugar.

    Um abraço.
    BIBÓ PORTO!

    ResponderEliminar
  4. Sai daqui, barata agoirenta... agora sim, já posso comentar.

    Enquanto os dois amiguinhos de Lisboa, Vieira e Godinho, conspiram pelos hotéis - terá sido numa sala privada, no restaurante ou em algum quarto? - e Duque estava lá como pau de cabeleira ou a segurar a vela, como queiram, o F.C.Porto, agente provocador desta amizade conspirativa súbita - porque não se fundem? -, fez pela vida, fiel ao seu princípio, os jogos ganham-se no campo.
    Depois de uns 25 minutos atrapalhados, muito por culpa de um Leiria atrevido, pressionante e bom a trocar a bola, mas também da má organização colectiva do Campeão, lento a recuperar, espartilhado no meio-campo e pouco intenso na pressão, já para não falar da permissividade de Hulk, que raramente impediu as subidas do lateral da equipa leiriense, o F.C.Porto melhorou, principalmente depois do 1º golo, por James, que aproveitou bem um contra-ataque conduzido por J.Moutinho, rápido a levar a bola e a soltá-la no momento certo, dando numa bandeja ao jovem colombiano a possibilidade de inaugurar o marcador.

    A partir daí e até ao intervalo, só deu Porto, com Kléber a marcar o 2º golo, primeiro em jogos oficiais com a camisola do F.C.Porto, com mais uma assistência de excelência, agora de Belluschi. Depois do 2 a 0 os azuis e brancos passaram a dominar e até podiam ter aumentado a vantagem, o que seria injusto para o Leiria que, pelo que fez, em particular até metade da primeira-parte, não merecia maior penalização.

    Na segunda-parte, a toada foi semelhante e apesar de sofrermos um golo, não por dominio do Leiria, mas num ressalto e nestas circunstâncias, com a diferença mínima, quem marca cresce, quem sofre abana, nunca estivemos em verdadeiro perigo de sofrermos o empate. Com o apagão e depois com o terceiro golo, novamente por James, o jogo ficou decidido apesar do conjunto de Pedro Caixinha nunca ter baixado os braços. Mais tarde Kléber faria o 4 a 1, o União ainda reduziria, para já nos descontos, Varela ter colocado o resultado final em 5 a 2, resultado justo, talvez exagerado, mas que coloca novamente o F.C.Porto na liderança do campeonato, isolado, é bom que se diga.

    Conclusão:
    Depois de um mercado como não há memória e de compromissos com as selecções que impediram o normal trabalho da equipa, obrigando a ter na convocatória dois jogadores, Hulk e Mangala que jogaram ontem pelas suas selecções, um facto que se não é inédito, eu não me lembro de nada igual, ainda não estamos bem, ainda cometemos erros que não podem acontecer, mas só podemos melhorar. Ultrapassar esta fase, ganhando, é importante, ajuda a equipa a ganhar confiança e a crescer. Uma certeza tenho: temos muita qualidade no plantel - hoje não puderam estar por compromissos com as selecções, Sapunaru, Otamendi e Guarín -, gente que estará à espreita de uma oportunidade - já se viu um cheirinho de Defour, na assistência para Varela marcar - e que vai obrigar os titulares a nunca se distraírem. Com dois golos, Kléber pode ter ganho a confiança que lhe faltava e no futuro ser aquele jogador que muito promete.
    Regressou Fernando, regressou bem e sem má cara, o mesmo para Alvaro. Não vai ser por aí que eles nos vão distrair.

    Uma palavra para Hulk: é com esse espírito e com essa disponibilidade que se fabricam os Campeões. Espero que a lesão não seja grave.

    Notas finais:
    Lamentável o estado relvado. Dois jogos fora, Guimarães e Marinha Grande, dois péssimos relvados. Porquê? Será estratégia para prejudicar o jogo de bola no pé e esbater a superioridade do F.C.Porto?

    Parabéns aos milhares de adeptos portistas que foram até à capital do vidro. A uma terça-feira e à noite, fazer tantos quilómetros para acompanhar o F.C.Porto, merece ser registado.

    E como os últimos são os primeiros, o último é esse jovem e talentoso colombiano, de apenas 20 anos, James Rodríguez, o melhor em campo, para mim, claro.

    ResponderEliminar
  5. F. C. Porto: 5-2 ao Leiria, na Marinha Grande. E... vão três vitórias em 3 jogos... no reassumir do 1º lugar nacional. Quanto ao resultado, no final foram Cinco! Já nos estamos a habituar à chapa cinco... Só que desta vez não foi a zero, pois nem todos são iguais, apesar destes de Leiria também terem apagado a luz (só faltou ligar a rega) com azia...!!!
    O árbitro deste jogo já começou a tentativa que a "santa aliança" vermelha e verde hoje procurou num restaurante lisboeta...

    ResponderEliminar
  6. Só vi parte do 1º tempo e como tal não me vou alongar nos comentarios, pelo que leio e ja tive oportunidade de ler o resultado é um pouco enganador, ainda que ao que parece Kleber e Varela tenham ficado a dever mais um par de golos ao placard, mas tb a União de Leiria poderia ter feito mais um ou outro.
    Do período que vi não gostei muito e concluo por esta apreciação feita pelo meu Amigo que esta ideia lhe é extensível..muito momentos de perigo ou frisson causados pelas ofensivas leirienses..Parece-me tb que há muito boa gente em má forma fisica ou mau momento futebolistico pura e simplesmente ..
    Valeu James, Belluschi como estrelas maiores e municiadoras de Kleber...Estamos na liderança algo que os habituais pasquins adoraram fazer 1ª pagina com agremiaçao do costume...Sexta feira voltamos a carga com mais um adversario valoroso e em bom momento com excelentes executantes e por tanto longe de serem favas contadas!!!

    PS: Este foi para mim que não vi o jogo, o melhor "post" sobre o jogo que já escreveste, tás a entrar na onda, aqui a malta agradece!!

    ResponderEliminar
  7. caríssimas(os),

    escrevo só para reforçar a seguinte ideia: regressámos à nossa condição de líderes do campeonato!
    e por pleno direito!


    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  8. Sim, estamos de parabéns, mas também estou com uma neura que até me tirou o sono.. Então não é que, mesmo depois de já me terem dito, imensas vezes, para não ir à Bola e muito menos ler os comentários que lá se vomitam, hoje, deparo-me com a notícia de que o Hulk poderá estar lesionado e vejo comentadores/seres, a desejarem que fique lesionado por muito tempo, etc.. Fiquei indignada e escrevi 3 comentários a demonstrar a minha indignação. Pois nem 1 dos meus comentários foi publicado, nem 1! Em contrapartida, dão espaço e nem censuram um retardado (sem querer insultar os retardados), anti-FCP, racista, de nick fãdesporto, que só pode ser alguém que lá trabalha, pois pelo teor e pela quantidade de comentários que publica, não é um simples utilizador. A notícia está aqui: http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=285811 Todos os dias tento não ir lá, tento ignorar aquele pseudo-jornal, mas não resisto a responder a uma grande parte de retardados que por lá andam, se bem que nem publicam a maior parte do que eu escrevo. Preferem dar espaço a porcos machistas que me insultam à vontade.. Claro que todos com nicks com slb lá pelo meio.. Começo a pensar que A Bola é mesmo um jornal escravo do Benfica, pois tanta submissão doentia não é normal para um único jornalista sequer! Chego a pensar que os ordenados deles dependem da mentira que por lá fazem lavar cérebros como se de verdades se tratassem e os fanáticos, vão todos atrás daquela bíblia doentia! Socorro!!

    ResponderEliminar
  9. Este jogo fez-me lembrar a época passada… 5 golos marcados e um apagão!

    Claro que estou preocupado com os 2 golos sofridos (apesar dos 5 marcados) e volto a insistir numa tecla para a qual há muito venho alertando: Maicon e Fernando não são jogadores com qualidade suficiente para serem titulares neste FC Porto… Podem ser alternativas ao onze inicial mas nunca poderão ser titulares indiscutíveis desta equipa…

    Do jogo de hoje a salientar 3 nomes: James, Kleber e Beluschi!

    James pela criatividade que deu à equipa, foi sempre muito irrequieto na frente de ataque e um verdadeiro quebra-cabeças para a defesa adversária!

    Kleber pelos 2 golos, ao fim ao cabo aquilo que se pede a um ponta de lança. As muitas preocupações em relação à sua ausência de golos (de muitos portistas e não-portistas) pelo menos diminuirão nestes próximos dias mas só até 6ªF, altura em que aposto que se voltará a questionar se o brasileiro irá marcar ou não… Eu em relação a Kleber, mantenho o que disse num post há uns tempos atrás: Kleber é um jogador com enorme potencial que pode, já nessa época, vir a ser uma excelente alternativa para o lugar de ponta de lança. Se é igual a Falcao?!?! Claro que não… mas também não há muitos avançados no mundo que o sejam!

    Beluschi pela classe que demonstra… É um jogador fenomenal e com um toque de bola verdadeiramente incrível! Para mim, é titular desta equipa de caras!


    Resumindo, 3 jogos, 3 vitórias sem espinhas e a liderança do campeonato! Estamos tão "mal" habituados!!!

    ResponderEliminar
  10. Dia de semana, 400 km, boa exibição, grande vitória, grande apoio dos ultras do FC PORTO!

    Faltam 27. Rumo ao BI!

    ResponderEliminar
  11. Três jogos, três vitórias e o primeiro lugar na tabela classificativa, portanto tudo normal. Atenção aos donos da verdade desportiva, pois se não me engano, andam pelos hotéis a cozinhar uma verdade que os façam ganhar sem ser no relvado.

    ResponderEliminar
  12. Bom dia,

    Excelente vitória do nosso Porto. Grande exibição de James. Ontem tivemos um meio campo que funcionou e James trouxe velocidade ao ataque.

    O triângulo de meio campo constituído por Fernando, Moutinho e Belluschi deu frutos. Com Fernando na equipa podemos libertar Moutinho para o transporte e construção de jogo, e corrigir um facto que tem condicionado o rendimento de Kléber, que é a falta de um homem nas suas costas a apoiar e a aproveitar os espaços por ele criados. Belluschi a jogar nas costas de Kléber, aproveita os espaços criados por Kléber, e daí resultam lances de perigo.

    Grande jogo também de Belluschi e Kléber bem melhor, com um jogador no apoio. Fernando ganhou novamente o lugar.

    O relvado estava uma vergonha.

    Fantástico o apoio dos nossos adeptos à equipa.

    Abraço

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.com/

    P.S

    Última Hora:
    Pedro Caixinha, afirmou que para além dos jogadores o SL Bosta emprestou também o electricista responsável pelo apagão!

    ResponderEliminar
  13. Boa vitória num jogo a dois tempos. Um antes do nosso primeiro golo e outro depois.
    Com bola estivemos sempre impecáveis facto a que não é alheio, na minha opinião, as entradas de James e Belluchi na equipa. Muito bem os dois, principalmente o James -> MVP.
    Mais um louvor para o Hulk, pelo esforço, e para o Kléber que fez o que compete a um ponta de lança. Pena o remate forte e colocado ao poste.
    Defensivamente não estivemos tão bem principalmente nos primeiros 15-20mn, sem qualquer pressão sore o adversário nem na saída de bola nem no último terço, e estivemos mal nas bolas paradas defensivas o jogo todo.
    Mas se estivesse tudo perfeito e sem nada a melhorar que graça é que isto tinha?
    Estamos na frente, sexta há mais.
    VAMOS PORTO!

    ResponderEliminar
  14. James, "el bandido" está de volta, e com ele parece ter tb regressado o Porto do ano transacto. Que seja para continuar!

    ps- parabéns pela crónica.

    ResponderEliminar
  15. @ Vampira

    não percas tempo com quem não te merece. ;)
    e lembra-te: um pasquim é um pasquim; e será sempre um pasquim. o da Travessa da Queimada não é excepção.


    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  16. A ausência de alguns internacionais não impediu que os Campeões nacionais escalonassem um onze forte, competente e eficaz. O plantel dispõe de óptimas soluções. Álvaro Pereira reapareceu a titular, tal como Fernando, Belluschi e James Rodríguez. E até Hulk, que jogara no dia anterior pelo Brasil, foi também titular.

    O treinador do União de Leiria, apresentou um esquema de futebol no campo todo, com especial atrevimento ofensivo, como eu gostava aliás, que todas as equipas assumissem.

    Resultado, uma goleada. Nem foi necessário ao FC Porto apresentar um futebol de grande gabarito. Limitou-se a marcar um ritmo intermitente, ora acelerando espalhando o pânico ou marcando golos, ora acalmando o jogo permitindo-se a devaneios que lhe haviam de custar dois golos muito consentidos.

    James Rodríguez foi a estrela mais cintilante da constelação azul e branca onde brilhou também Belluschi. O colombiano mostrou-se muito inspirado e com pontaria afinada. Jogou, fez jogar, marcou e assistiu para golo. Já o argentino emprestou criatividade, foi importante na pressão alta, conseguindo ganhar dessa forma o lance que haveria de resultar no primeiro golo de Kléber. E por falar em golos, todos eles foram conseguidos de bola corrida, quiçá para calar determinadas vozes que empolavam o facto de o FC Porto só ter marcado, até hoje, de bola parada! CINCO num só jogo, isto talvez vos remeta para um determinado jogo da época passada.

    Referência muito especial para a disponibilidade de Hulk, que apesar de desgastado mostrou-se sempre dinâmico, empreendedor e perigoso. Saiu logo a seguir ao «apagão» de que o Estádio Municipal da Marinha Grande foi acometido, queixando-se de um toque no joelho. Destaque também para os dois golos de Kléber, importantes sobretudo para a moralização e aumento da confiança de que o atleta vinha necessitando.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  17. Boa noite...Mais um jogo na liga mais uma vitória... Excelente acutilância ofensiva da nossa equipa com James(reforço da época) de volta e Kléber a estrear-se a marcar...

    Apesar da vitória(3/3) continuo a não perceber o porquê de Varela esta como está e já se viu que o Maicon não tem calibre para o FCP...

    Apesar de tudo estamos no bom caminho e no nosso lugar habitual...


    Saudações do TRIPEIRO: Pedro.
    Abc

    ResponderEliminar
  18. algumas abébias na nossa defensiva, um super James a prometer uma época de LUXO, um Leiria muito tenrinho, triunfo fácil, liderança isolada... num jogo em que Varela voltou a mostrar-se "triste" e "sem alegria"... qué passa contigo homem????

    ahhh, parabéns a todos os indefectiveis que se deslocaram à Marinha Grande... numa noite de 3ª feira e com preço mínimo de 15EUR.

    ps - Pedro Teles, tu não tás a apanhar a coisa... quem te lê, só pode é ter um pensamento direccionado para que com toda a certeza, és parte da mobília cá da tasca, há muito e muito tempo ;)... parabéns!

    ResponderEliminar