22 setembro, 2011

Manto Azul e Branco - 1921/1925 – Alternância em cor interpolada

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/


Na mesma altura, à laia de equipamento alternativo, apareceu a camisola de “duas metades” (uma azul, outra branca) e de mangas e gola em cor interpolada. O emblema (bola azul com as iniciais FCP) foi ostentado como símbolo nobre do Clube.

Velez Carneiro (na foto com o equipamento alternativo) era um dos jogadores mais queridos dos adeptos portistas. A sua entrega em campo não deixava ninguém indiferente. Combativo, fogoso, nunca virou a cara à luta. Defendeu sempre com denodo a camisola do seu FC Porto.

Em 18 de Maio de 1925 morreu tragicamente. Foi assassinado a tiro, na Travessa dos Congregados. Terá sido um crime passional. Tinha 27 anos. No funeral, manifestação imponentíssima de pesar, incorporaram-se milhares de portuenses e portistas.

Rui Saraiva – Design e edição
Fernando Moreira – Pesquisa e textos

3 comentários:

  1. Um equipamento que era realmente alternativo, embora em 2002 chegasse a ser de revivalista alternativa, mas dos das ideias infelizes, pois então esteve como principal.
    Poderá ter havido quem gostasse, já eu apenas não desgosto, mas... como alternativo, ou segundo equipamento, entre as modernas transformações anuais que levam a que na assistência, de apoio ao F. C. Porto haja na multidão dos adeptos, hoje em dia, um autêntico estendal de cerca de uma dezena de padrões de camisolas diferentes (simplesmente comuns nas cores de azul e branco).

    Bom trabalho, mais uma vez, nestas pesquisas e reposições, com saber de experiência feito...!

    ResponderEliminar
  2. Era bom que quem tem a missão de ano após ano escolher os novos equipamentos, também tivesse em conta os modelos antigos, alguns dos quais muito bonitos.

    Velez Carneiro, já falei sobre ele...Glória e vida de três gigantes, no caso, F.C.Porto.

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Finalmente, um documento, neste caso uma fotografia (Velez Carneiro), que demonstra que o emblema é, de facto, oficial. Um bem haja aos que contribuem para este espaço.

    Ainda assim, o emblema na camisola do Tavares Bastos deve ser tido em conta na nossa história. Na minha opinião, claro.

    Um vez mais, reafirmo que este espaço é uma delícia para mim.

    ResponderEliminar