11 janeiro, 2015

“BÊS” DERROTADOS EM CLÁSSICO INGRATO

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

benfica b-FC PORTO B, 3-2

Segunda Liga, 22.ª jornada
11 de Janeiro de 2015
Centro de estágio e formação do Benfica, no Seixal


Árbitro: Manuel Oliveira (Porto).

BENFICA B: Bruno Varela; Nélson Semedo, Lindelof, Fábio Cardoso, Pedro Rebocho; João Teixeira, Dawidowicz e Gonçalo Guedes; Nuno Santos, Hélder Costa (cap.) e Victor Andrade.
Substituições: Victor Andrade por Renato Sanches (64m), Gonçalo Guedes por Sarkic (78m) e Nuno Santos por João Carvalho (89m).
Não utilizados: Miguel Santos, João Nunes, Marcos Valente e Alexandre Alfaiate.
Treinador: Hélder Cristóvão.

FC PORTO B: Raúl Gudiño; David Bruno, Diego Carlos, Lichnovsky e Rafa; Leandro Silva, Pité e Francisco Ramos; Ivo Rodrigues, Kayembe e Gonçalo Paciência (cap.).
Substituições: Diego Carlos por Tomás Podstawski (40m), Ivo Rodrigues por Víctor García e Pité por André Silva (75m).
Não utilizados: Kadú, Leander Siemann, Pavlovski e Frédéric.
Treinador: Luís Castro.

Ao intervalo: 1-1.
Marcadores: Gonçalo Guedes (13m, pen.), Francisco Ramos (36m), Gonçalo Paciência (53m) e Fábio Cardoso (57m e 73m).
Disciplina: cartão amarelo a David Bruno (56m), Dawidowicz (58m) e Lichnovsky (72m); cartão vermelho directo a Rafa (12m) e Renato Sanches (90m+2).

O FC Porto B perdeu este domingo diante do Benfica B (2-3), no Centro de estágio e formação dos lisboetas, no Seixal, em jogo referente à 22.ª jornada da Segunda Liga. Com este resultado, os “Bês” portistas terminam a ronda na décima posição, com 32 pontos, menos oito do que o líder Freamunde.

O clássico entre as segundas equipas de Benfica e FC Porto começou em grande ritmo, mas rapidamente ficou condicionado, sobretudo para o lado dos azuis e brancos. Rafa viu o cartão vermelho directo por falta sobre Gonçalo Guedes, logo aos 12 minutos, e foi o próprio avançado dos lisboetas que assumiu a cobrança da grande penalidade, com sucesso. Em inferioridade numérica no campo e no marcador, o conjunto comandado por Luís Castro reorganizou-se e nem assim se deu por vencido. Bem pelo contrário.

Francisco Ramos, num remate que parecia não estar destinado às redes e que contou com a ajuda de Bruno Varela, estabeleceu a igualdade aos 36 minutos, momentos antes de Leandro Silva ficar a milímetros da reviravolta com uma “bomba” a mais de 30 metros da baliza (40m). Com muito trabalho e ainda mais organização, o FC Porto B sabia ir contornando as vicissitudes do clássico e segurou a igualdade até ao intervalo.

A reviravolta anunciada por Leandro Silva foi concretizada, e de que maneira, por Gonçalo Paciência. O capitão dos Dragões apontou o 2-1 num remate espantoso à entrada da área, descaído para a esquerda, sem hipóteses para o guarda-redes do Benfica B (53m). Os azuis e brancos quase nem saborearam a obra de arte assinada pelo seu capitão e viram Fábio Cardoso selar novo empate pouco depois (57m). O defesa do Benfica B esteve particularmente activo no ataque e também foi dele o terceiro golo dos visitados, na sequência de um pontapé de canto (73m).

Novamente obrigado a correr atrás do prejuízo e em inferioridade numérica, o FC Porto B fê-lo quase sempre mais com o coração do que com a cabeça, podendo ainda assim queixar-se de uma grande penalidade clara não assinalada após uma falta sobre Pité, em mais uma decisão incompreensível do árbitro Manuel Oliveira.

fonte: fcporto.pt



RESUMO DO JOGO

-----

0 comentários:

Publicar um comentário