10 janeiro, 2015

NOTAS SOLTAS

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

1. Acabou 2014, um ano nada meigo para nós Portistas e cujo balanço já AQUI foi (bem) feito pelo Delindro.

Segue-se 2015, onde vários desafios se avizinham em diferentes frentes, com o handicap de termos cedido importantes pontos no último clássico. No entanto ainda temos uma palavra a dizer, isto é, se nos permitirem! Não vale a pena voltar a chover no molhado, não é preciso ir buscar mais vídeos ou imagens, todos sabemos que o que se tem passado jornada após jornada é uma completa VICIAÇÃO de resultados.

Claro que depois parece fácil andar 6 pontos à frente, ter um guarda-redes a bater records de imbatibilidade ou ter defesas ao nível do super Bayern. No entanto o FC Porto nunca desiste e cá vamos para a luta, mesmo em clara desigualdade. Combate esse que se estende aos pavilhões, onde os campeões de Andebol têm conseguido milagres contra tudo e contra todos e onde esperamos que o Hóquei recupere a chama que permitiu fazer história ano após ano.

2. Pedroto faleceu há 30 anos e não terá sido contemporâneo de muitos de nós. Mais ainda, só quem hoje terá 60 ou mais anos poderá falar com toda a propriedade daquele que foi sem qualquer margem para dúvidas o maior treinador Português de sempre. Detentor de um palmarés rico que inclui campeonatos nacionais, taças de Portugal e até um titulo europeu de Juniores com Portugal, fica no entanto um certo sabor a pouco pelo muito que construiu e pelas revoluções que encabeçou, não só no nosso clube mas também nos “milagres” que praticou em Setúbal ou no Bessa, entre outros. Analisando todo o seu percurso e as suas qualidades, parece claro que noutras circunstâncias teria sem dúvida construído um palmarés imbatível.

Para os Portistas ficarão sempre duas dúvidas eternas: que clube teríamos se em 1969 Pedroto não tivesse sido desautorizado por Afonso Pinto de Magalhães? E também no que teria acontecido se a dupla Pinto da Costa – Pedroto não tivesse tido um final tão precoce em 1985.

No entanto mais importante do que isso é deixar um enorme Obrigado. E uma palavra muito especial à sua família e amigos mais próximos, porque os anos passam mas a saudade nunca desaparece.

3. Ainda sobre Pedroto e a sua obra, aconselho-vos a ver este documentário (com a devida vénia ao Pedro Cardona).

Para quem tiver um pouco de tempo e vontade, garanto que é um programa com histórias e imagens fantásticas, onde nem o Octávio chateia! No entanto a prometida 2a parte, aquela que seria sobre o grande arranque do FC Porto, ficou no baú… Diz quem acompanha estas coisas que apesar de ter sido realizada NUNCA foi transmitida.

Mais uma vez algo muito curioso num canal (público…) onde as repetições de alguns programas são quase permanentes. Parece que estamos sempre a bater no ceguinho, mas a verdade é que se fosse relacionado com outros clubes ou outros símbolos provavelmente já a teriam colocado no ar no mínimo umas 200 vezes!

4. O treino de 1 de Janeiro é cada vez mais uma tradição bonita no nosso clube, que serve para todos os nossos atletas sentirem uma vez mais o carinho e a vontade de ganhar de uma massa associativa que adora o FC Porto. Fica no entanto um repto a todos nós para que possamos transportar esta capacidade de mobilização para os nossos jogos, onde mais do que nunca é fundamental uma presença maciça que possa incentivar os nossos e intimidar os outros (aqui incluindo as equipas de arbitragem que tão mal nos tem tratado).

E já agora um repto ao clube, que já aqui escrevi. Porque não mais treinos abertos durante o ano, à imagem do que acontecia nos tempos do Complexo Desportivo das Antas? Se calhar os ganhos de uma proximidade maior com os adeptos seriam bem maiores do que muitos imaginam. E para quem não acredita que isso é possível no futebol profissional moderno, convido-os a pesquisar sobre as políticas de treinos no “amador” Bayern de Munique.

Bom fim-de-semana e todos ao Dragão!

0 comentários:

Publicar um comentário