28 janeiro, 2015

JACKSON & GONÇALO

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

FC PORTO-académica, 4-1

Taça da Liga, 4ª jornada (grupo D)
Quarta-feira, 28 Janeiro 2015 - 20:45
Estádio: Dragão, Porto
Assistência: 14.609


Árbitro: Tiago Martins (Lisboa).
Assistentes: Paulo Ramos e Pedro Mota.
4º Árbitro: Bruno Jesus.

FC PORTO: Helton, Danilo, Reyes, Marcano, José Ángel, Rúben Neves, Campaña, Evandro, Ricardo, Jackson Martínez, Tello.
Suplentes: Ricardo Nunes, Martins Indi (71' Marcano), Quaresma, Quintero (54' Campaña), Herrera, Óliver Torres, Gonçalo Paciência (61' Jackson Martínez).
Treinador: Julen Lopetegui.

ACADÉMICA: Cristiano, Jimmy, Aníbal Capela, João Real, Ofori, Lucas Mineiro, Nuno Piloto, Pedro Nuno, Hugo Seco, Rui Pedro, Marinho.
Suplentes: Fábio Santos, Obiora, Ricardo Nascimento (42' Ofori), Mbala (67' Rui Pedro), Rafael Lopes (78' Marinho), Hugo Ribeiro, Fernando Alexandre.
Treinador: Paulo Sérgio.

Ao intervalo: 0-1.
Marcadores: Jackson Martínez (6'), Jackson Martínez (59'), Mbala (72'), Gonçalo Paciência (75'), Evandro (80' pen).
Disciplina: cartão amarelo a Jackson Martínez (c)(41'), Marcano (45'), José Ángel (56'), Danilo (77'), João Real (80'), Rafael Lopes (90+2').

O FC Porto atingiu as meias-finais da Taça da Liga com relativa facilidade. Poderiam ter sido mais, tamanha a diferença entre as equipas denotada no relvado do Dragão.

Jackson foi um dos protagonistas da noite com o atrativo de ter marcado um golo de antologia e por passar a ser o recordista de golos no Estádio do Dragão. Isto tudo em 2 épocas e meia de Dragão ao peito. É obra!

O FC Porto iniciou o jogo da forma como pretendia. Marcou cedo aos 6 minutos. Jackson aproveitou um erro infantil de Aníbal Capela, que tentou fintar Ricardo, em zona proibida. Jackson recolheu, encarou a baliza e disparou de forma fulminante batendo guarda-redes academista.

O golo madrugador permitiu ao FC Porto gerir o jogo como bem gosta. A Académica ruiu depois de ver tão cedo a sua estratégia desmontada. O jogo entrou numa fase de algum adormecimento, quase que se poderia dizer que houve tédio porque apesar do FC Porto controlar e dominar como queria, os 14 mil adeptos bem poderiam bocejar ao som dos cânticos das claques. Na primeira parte, houve ainda registo para duas oportunidades de Tello, mas como vem sendo habitual, o espanhol desperdiçou. Já o tinha feito na Madeira.

O segundo tempo fica o registo do golo de antologia de Jackson aos 59 minutos. Mas o outro destaque surgiu à passagem dos 60 minutos. Jackson sai após golo de calcanhar e é substituído por Gonçalo Paciência, filho de Domingos Paciência.

Costuma-se dizer que filho de peixe sabe nadar e a resposta de Gonçalo foi bastante feliz e satisfatória. Jogando pelo 3º jogo consecutivo, o filho de Domingos correspondeu ao que lhe foi exigido: marcar golos. Mas, antes, a Académica aos 71 minutos reduziu para 2-1 por Mbala. Nem deu para aquecer o jogo pois três minutos volvidos Gonçalo repôs a vantagem de dois golos no Dragão, ampliando o marcador para 3-1.

O golo é de uma fantástica movimentação do ponta-de-lança que, com um toque mágico e finta com o corpo, retirou um adversário do caminho e de pé esquerdo atirou para o fundo das malhas. Soberbo!

Mas Gonçalo não se ficou por aqui. Aos 81 minutos, desmarcado por Quintero, o miúdo entrou na grande área e foi derrubado. Evandro, na conversão, não perdoou e estabeleceu o resultado final em 4-1.

O FC Porto está apurado para as meias-finais da Taça da Liga, deslocando-se à Madeira para defrontar o Marítimo na próxima dia 11 de Fevereiro onde vai disputar o acesso à final da prova. No próximo Domingo regressa a Liga Portuguesa com a recepção ao P. Ferreira no Estádio do Dragão.



DECLARAÇÕES

Lopetegui: “Queríamos muito chegar às meias-finais”

Com três vitórias e um empate em quatro jogos, o FC Porto garantiu desde já uma vaga nas meias-finais da Taça da Liga antes de folgar na derradeira jornada do grupo D da competição. Após o triunfo sobre a Académica (4-1), Julen Lopetegui não escondeu que esse era o grande objectivo dos Dragões na antecâmara deste desafio e garantiu muitas "ganas" na luta por um lugar na final.

“Queríamos muito chegar às meias-finais, mas também sabíamos que teríamos de vencer a Académica, uma equipa muito organizada tacticamente e que procurou tirar-nos espaço para jogar. Creio que a minha equipa fez um óptimo trabalho, ainda que sentindo maiores dificuldades na primeira parte. Conseguimos fazer mais golos na segunda e aí colhemos os frutos do nosso trabalho. Tínhamos obrigação de vencer”, afirmou Julen Lopetegui momentos depois da partida com a formação de Coimbra, relativa à quarta jornada do grupo D da terceira fase da Taça da Liga.

Consciente da árdua tarefa que espera os Dragões no jogo das meias-finais, frente ao Marítimo, nos Barreiros, o treinador portista garante que o FC Porto não vai à Madeira para passear. “Damos importância a todas as competições e estamos encantados por chegar às meias-finais da Taça da Liga. Não vamos à Madeira fazer turismo e sabemos que nunca é fácil disputar uma meia-final fora de casa, mas temos muita esperança e toda a ilusão do mundo em chegar à final. É com esse objectivo que vamos para lá”, reiterou Julen Lopetegui.

Na noite em que Jackson Martínez se tornou o melhor marcador da história do Estádio do Dragão e Gonçalo Paciência se estreou a marcar pela equipa principal, o técnico espanhol não se coibiu de individualizar nos elogios aos dois goleadores. “O Jackson é o nosso avançado titular e tem uma atitude fenomenal em todos os jogos. Dá muito à equipa, não só nos golos que marca. O Gonçalo é um jogador com um grande futuro pela frente e nunca é fácil chegar à equipa principal do FC Porto, mas é ainda mais difícil manter-se lá”.



ARBITRAGEM



RESUMO DO JOGO


0 comentários:

Publicar um comentário