24 dezembro, 2008

Um conto de Natal

Como é Natal não vos vou importunar com links nem frases tipo 'estamos no bom caminho', ou 'de eliminados a primeiro lugar no grupo', ou 'de excelente recuperação na liga', ou 'de estamos ainda em todas as frentes', ou 'de o onze base estar cada vez mais como o aço', ou 'de o Licha recomeçar a marcar', ou ainda 'de o Hulk e do Cebola estarem cada vez mais integrados'.
Responder-me-iam, provavelmente, que a culpa é do Prof. que lenta e pacientemente está a forjar uma equipa coesa capaz de lutar pelo título e sabe-se lá mais o quê.
Não senhor! Deixemo-nos, por agora, dessas coisas.
Enfim, como é Natal e eu sei que ainda tem que ir comprar as meias ou os chinelos para as prendas da ordem, fica assim aqui um conto (não confundir com 5 Euros) alusivo à época.

Um Portista de meia-idade contemplava, como de costume, a imponência do Estádio do Dragão, num belo e tranquilo amanhecer de véspera de Natal.
Pela indumentária azul e branca que orgulhosamente envergava era, naturalmente, alvo da imensa curiosidade dos turistas e visitantes de outros lugares.
Naquele dia com aquele nascer do sol aproximou-se uma jovem que lhe colocou a questão habitual:
- O senhor é o Pai Natal?
- Não menina, sou Portista.
- Portista?
- Sim menina, com muito orgulho!
- Um verdadeiro Portista?
- Mas claro!!!
- Há muitos anos?
- Sim, quase todos os dias faço a minha visita ao Dragão e este retribui sempre a minha dedicação.
- E o que é isso de ser Portista?
- É assistir aos jogos sabendo que a equipa joga sempre para ganhar sem esperar que as coisas se façam por outro lado!
- É lutar contra os invejosos e oportunistas, não viver do passado e acreditar que o dia de amanhã será sempre melhor do que o dia de hoje!
- É dedicar os nossos títulos aos nossos adversários pois sem eles não seriam tão deliciosos e eles sabem que pró ano há mais!
- É saber que as nossas vitórias não são duradouras. Queremos mais. Queremos sempre muito mais!
- É não admitir, de maneira alguma, ser pouco incompetente. Temos que ser sempre competentes!

Entretanto o pai da tal jovem, que se tinha deslocado uns metros para tirar umas fotos, acerca-se e pergunta à filha:
- Então, já sabes o que queres para prenda de Natal?
Resposta pronta da jovem com um sorriso de encher os olhos:
- Sim Pai, quero ser Portista!!!

Um Bom Natal para todos!
E, conselho do Rato, se virem por aí alguém equipado de vermelho e branco não lhe atirem um sapato.
Atirem-lhe antes... (o) flores.
É que pode ser o Pai Natal.
Oh! Oh! Oh!

24 comentários:

  1. Belo conto de Natal Estilhaço.

    Um feliz Natal para ti e para a família.


    FELIZ NATAL A TODOS OS PORTISTAS e ... já agora também extensivo a todos os outros bons adeptos dos restantes clubes.

    ResponderEliminar
  2. Já agora, aproveito para desejar um FELIZ NATAL a todos os meus colegas de equipa neste blog de adoração ao FC Porto.

    E também aos que comentam os posts q elaboramos, pois sem vocês isto tb não faria mt sentido.

    TUDO DE BOM PARA VOCÊS TODOS.

    ResponderEliminar
  3. Estilhaço: Este conto está, como de costume, fantástico. Eu que trabalho na publicação de livros, qualquer dia convido-te para escreveres um conto. Parabéns!

    Feliz Natal para todos!

    ResponderEliminar
  4. Olhem só a lata destes bermelhóides ranhosos!!!

    http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=155154

    Era quem lhe cuspisse na cara uma bisga mesmo daquelas sebosas...

    ResponderEliminar
  5. Nada como um Estilhaço inspirado para desejar a todos os colaboradores e seus familiares, amigos, conhecidos e também, a todos os que visitam o Bibó-PorTo, um Santo Natal e um prospero Ano Novo.
    Um grande abraço para os homens e um beijinho para as meninas, que já se estão a esticar, mas como é Natal...

    ResponderEliminar
  6. Parabéns pelo texto tá muito original!!!
    Boas Festas aos bloguistas e a todos os portistas...

    ResponderEliminar
  7. O Natal é quando os jovens quiserem e todos os dias é Natal.

    Todos os dias, jovens oferecem a si próprios uma prenda eterna muito especial: tornam-se portistas. Uma sábia escolha. Garantem, naquele momento, uma vida clubística cheia de vitórias, alegrias, comemorações... E evitam uma pesada factura em psicólogos numa vã tentativa de expiarem todas as frustrações acumuladas por escolhas erradas de clubes errados.

    Esta prenda é um momento mágico de que todos nos orgulhamos para o resto das nossas vidas.

    Gostava de agradecer a todos os colaboraram e/ou participaram neste blogue, durante este ano, pelos momentos agradáveis que passei em vossa companhia. Foi um orgulho ter compartilhado as vossas prosas, pensamentos, satisfações, alegrias e tristezas.

    Um grande bem-haja a todos.

    Desejo a todos um Feliz Natal na companhia dos vossos entes mais queridos.

    ResponderEliminar
  8. Como sabem não sou um grande adepto desta quadra. Mas mesmo assim não podia deixar de desejar a TODOS um Feliz Natal .

    Beijinhos para todas

    Abraços para todos

    ResponderEliminar
  9. Bom natal

    visitem

    http://campeoesfcporto.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. Estilhaço,

    Belo conto. Um Feliz Natal para ti também.

    ResponderEliminar
  11. E, claro, para todos os outros membros desta enorme FAMÍLIA que é o Porto.

    Em particular, um abraço especial de Boas Festas aos demais comentadores da casa, bem como aqueles que, pela sua dedicação e fidelidade diária nos comentários, já fazem parte da mobília:)

    A todos vocês um Feliz Natal!

    ResponderEliminar
  12. Finalmente, como apesar de ser véspera de Natal eu mantenho a bílis a funcionar, cá vai:

    BOAS FESTAS, FELIZ NATAL E UM ÁRBITRO CORAJOSO

    O branqueamento, em todo o seu esplendor, continua, com os jornais a darem o necessário espaço à indignação de dois pesos pesados da Luz: Nuno Gomes e Rui Costa.


    Já se esperava. É tão regular como o frio, nesta época ou a iluminação natalícia. Temos sempre direito, mais dia menos dia, à vox populi, encarnada por figuras de presépio "íntegras", que procuram mostrar à saciedade o quão injusto é o Pai Natal, para os encarnados [ou corja, se preferirem].


    Vai daí, apesar do título de campeão de Inverno, apregoado ad nauseum pela imprensa, o director desportivo benfiquista não ficou contente. Continuando a envergar os fatos Armani mesclados com as correntes de ouro, personificando o mais dilecto dos estilos populares [ou labrego, conforme a preferência], o anterior nº 10 mostra-se chocado com a anulação do golo a Cardozo, no recente confronto com o Nacional. Compreende-se. Dois pontinhos a voar provocam sempre mossa.


    Como, desta feita e aparentemente, a pressão exercida habitualmente no túnel não deu sucesso [a que não será alheia a formação militar do árbitro, bem capaz de dar duas galhetas bem aplicadas no "maestro"], as páginas da imprensa tornaram-se, assim, no novo ringue onde se procura aplicar a pena de talião.


    Felizmente, Pedro Henriques é um GRANDE HOMEM. Tem-nos no sítio. Não só cumpriu escrupulosamente a lei, anulando um golo precedido de falta, como ainda foi capaz, mesmo sob a pressão mediática esperada, de corroborar a justiça da decisão.


    Habitualmente temerosos, os homens do apito podem ter aqui um exemplo a seguir. Não há que ter medo de, mesmo ajuizando lances no covil dos encarnados [ou corja, se preferirem], de aplicar as penas correctas, passem elas pela anulação [e bem] de golos, ou outras mais prosaicas.


    Sem direito a contraditório, o boi do Rui Costa [sem querer insultar os bovinos] utiliza o estafado e poeirento bode expiatório predilecto dos neandertais sulistas: o sistema, esse famigerado polvo que os impede de vencer regularmente. Passando por cima do estereotipado discurso, próprio para os QI's a que se destina, importava perguntar ao boi do Rui Costa [friso, sem querer insultar os pobres bovinos] onde estava ele quando:


    - Luisão mimoseou Sapunaru com uma cotovelada no septo nasal, logo aos 4 minutos do SLB-FCP, sem que o árbitro marcasse a respectiva grande-penalidade e admoestasse o Shreck vermelho com a ordem de expulsão;


    - Nuno Gomes, continuamente ausente da principal tarefa de que é incumbido, que é a de marcar golos, mas cada vez mais lesto a atingir à margem das leis os seus adversários, pontapeou Helton, perante o beneplácito do juiz de campo e seus pares;


    - Na capital do Móvel, Nuno Gomes prevaricou, ao bom estilo karateca de Bruce Lee, agredindo ignominiosamente um jogador da equipa da casa. Como tudo lhes é permitido, numa espécie de realidade alternativa, Maxi Pereira estreou-se nas lides da tourada. A complacência arbitral, décadas a fio beneficiando o clubezeco do regime, continua válida. E em grande.

    Como o boi do Rui Costa [sem qualquer desprimor para os ditos cujos], sempre aureolado por encómios enjoativos, se acha a 8ª maravilha do Mundo, seria de esperar que neste cantinho à beira-mar plantado, onde a democracia já atingiu a maioridade, a isenção, deontologia e crítica acérrima, mas imparcial, dos jornais fizesse o director-desportivo referido descer à terra. Mas não. Os tiques dos sabujos costumeiros, usando consciente e abusivamente as páginas dos pasquins para acertar contas pessoais, em vendetas fátuas, incapazes de discernirem o óbvio: toda a grandeza do Benfas [ou corja, mais apropriadamente] foi alicerçada em maquinações grotescas que desvirtuaram a verdade desportiva, ano após ano. Com a estrela empalidecida, os saudosos da década de 60 continuam a almejar o dia da chegada do D.Sebastião, que os resgatará a anos de desilusões, de frustrações e humilhações. Mas esse dia tarda a chegar.

    nota: No meio da hipocrisia geral e histérica, um dos assalariados do clube da Luz saiu-se com uma frase que, à boa maneira de Goebbels, ameaça fazer jurisprudência. "Se fosse favorável ao Porto, Pedro Henriques marcava", debitou o anormalóide de serviço naquelas bandas, com o tom professoral de quem acha que tem razão. Não tem. Pedro Henriques foi o árbitro do último Nacional-Porto. E isto dito assim, por si só, deveria chegar para aqueles que andam atentos ao fenómeno desportivo. Para os outros, relembro o resultado. 1-0, favorável aos homens da Madeira. E recordo também as incidências da partida. Pelo menos, a que aconteceu ao minuto 30. Com 0-0 no marcador. Todos os que viram o jogo foram testemunhas. Do atropelamento, dentro da grande área, que Mariano Gonzalez sofreu. Sem que alguém tirasse a matrícula ao causador do acidente. Para a história, claro está, ficou o resultado. E a ausência de qualquer polémica nas páginas centrais da "Bola". Porque será?

    Bom Natal? Foda-se, só mesmo para os portistas. A todos os outros, aquele clã institucionalizado de anti-portistas, que o pior lhes aconteça em 2009.

    ResponderEliminar
  13. Paulo Pereira: Concordo 100% com tudo o que tu dizes.

    Acrescento apenas que o Pedro Henriques esqueceu-se de expulsar o Yebda aos 50 minutos (não fui eu que o disse, foi o Joaquim Rita - insuspeito vermelho). No ano passado, em Alvalade entre os lagartos e as GAYvotas depois do bandeira assinalar penalti contra os vermelhos ele disse que não era. Foi ele também que apitou à dois anos aqui no Dragão contra os lagartos o livre (que não existiu) e que deu a vitória aos lagartos. E etc., etc., etc. Mas o resto nãi interessa, era favorável aos GAYvotas.

    E o túnel do Dragão isso é que é importante mesmo que seja com um motorista! No túnel da Luz isso já não é importante porque são os GAYvotas (com o palhaço Rui Costa) a pressionar e a insultar os árbitros e os adversários. Vou ver o que a Liga vai fazer.

    Só tenho pena que, mais uma vez não se ouça uma palavra vinda dos responsáveis do Porto.

    Feliz Natal e muita felicidades às risquinhas azuis e brancas.

    ResponderEliminar
  14. Viva !

    Pois : "De pequenino se torce o pepino" !

    Votos dum Feliz Natal para todos os membros do blog , para todos os comentadores e para todos os leitores.

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  15. Grande Paulo Pereira, mai nada:)

    ResponderEliminar
  16. Um Feliz Natal para toda a família Bibó Porto e para todos os portistas.

    Abraço a todos.

    ResponderEliminar
  17. É assim mesmo, Paulo Pereira. Isso é que eu chamo espirito natalício.!!!!!!!

    Estás com uma veia poética ...

    Concordo contigo a 100%

    Feliz Natal.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  18. Votos de um Santo e Feliz Natal, para toda a família portista.

    Que o Pai Natal, nos encha a todos de sabedoria, força, argúcia, simpatia, muita saúde, e muita...muita...muita paciência para aturar estes mouros de berde e bermelho.

    Boas Festas.

    ResponderEliminar
  19. Estilhaço, boa prenda de natal o teu post! Impecavel.

    A todos os meus colegas colaboradores neste espaço, a todos os leitores, comentadores, Portistas, equipas, atletals e dirigentes do FCP e demais, Muitas, mas muitas felicidades nesta quadra especial.

    E que a isto seja acrescido um 2009 de muitas mais alegria azuis e brancas.

    BIBÓ PORTO, CARAGO!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  20. Já tive oportunidade de enviar a minha mensagem de Natal a todos os meus Amigos/as mais próximos, bem como a todos os Amigos/as que conquistei desde o «nascimento» deste espaço de eleição do universos FC Porto.

    Um forte desejo tb para toda esta equipa maravilhosa de colaboradores/as que diariamente faz elevar cada vez mais este espaço na blogosfera azul-e-branca.

    No entanto, nunca será demais repeti-lo, desejando a todos aqueles que nos visitam diriamente, um Santo e Feliz Natal para todos vocês e todos aqueles que vos rodeiam e de quem vocês gostam.

    Feliz Natal malta!!!

    ResponderEliminar
  21. Bem, o meu natal correu bem e a voçês?

    Um abraço

    ResponderEliminar
  22. "Sinto que o Porto pode ganhar tudo", Rolando in o Jogo

    No mesmo jornal pode-se ler que os gatinhos da 2ª circular elegeram o postiga como melhor contratação... se calhar os portistas tambem o elegeram com melhor venda! ahahahahah

    ResponderEliminar
  23. E, ao invés, no dia de Natal, no JN, a coluna do Rui "arghhh" Moreira, afirmando peremptoriamente que, e passo a citar, "como portista sente vergonha do que se passa no túnel do Dragão".

    Pois, eu também sinto vergonha. Cada vez mais. De ver o Porto representado na imprensa escrita por um tipo assim. Sem personalidade formada, vivendo ao sabor da opinião pública.

    Podia (e devia) ter falado da coacção sistemática de Rui Costa, useiro e vezeiro na pressão sobre árbitros. Mas não. Aproveitou o eco na imprensa sulista de um incidente, lamentável sim, mas isolado, e envolvendo não a equipa de arbitragem, mas um mero assalariado da Liga.

    Enfim, é o portismo de luvas de pelica, cavalheiresco, politicamente correcto, que vamos tendo. É que, bem vistas as coisas, nunca se sabe de onde pode vir o próximo "tacho", não é venerável Dr?

    ResponderEliminar