18 abril, 2011

Não saber jogar sem ambição...

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

assistência: 47.109 espectadores.

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto), Assistentes: Bertino Miranda e Rui Licínio; Quarto árbitro: Rui Silva.

FC PORTO: Helton «cap.»; Sereno, Rolando, Maicon e Alvaro Pereira; Guarín, João Moutinho e Rúben Micael; Hulk, Falcao e Varela.
Substituições: Varela por Mariano (66m), Helton por Beto (69m) e Falcao por Walter (79m).
Não utilizados: Rodríguez, James, Souza e Otamendi.
Treinador: André Villas-Boas.

SPORTING: Rui Patrício; Abel, Polga «cap.», Torsiglieri e Evaldo; Zapater, André Santos e Matias Fernández; Yannick, Hélder Postiga e Valdés.
Substituições: Zapater por Vukcevic (64m), Valdés por Izmailov (64m) e Hélder Postiga por Saleiro (88m).
Não utilizados: Tiago, Daniel Carriço, Diogo Salomão e Nuno André Coelho.
Treinador: José Couceiro.

Marcadores: André Santos (11m), Falcao (27m e 50m), Walter (87m) e Matias Fernández (88m).

Disciplina: cartão amarelo para Maicon (22m), Álvaro Pereira (39m), Torsiglieri (57m), João Moutinho (73m) e Rolando (77m).

O FC Porto venceu o Sporting por 3-2, em jogo da 27.ª jornada da I Liga, no Estádio do Dragão, mantendo assim a invencibilidade no campeonato. Leões ficam com as contas mais complicadas para chegar ao terceiro lugar.

Os Dragões estão a três jornadas de igualar o feito alcançado pelo Benfica na época 1972/1973, o de terminar um campeonato nacional sem conhecer o sabor da derrota. Faltam os desafios com o Vitória de Setúbal, Paços de Ferreira e Marítimo.

Ambiente ao rubro no Estádio do Dragão, este domingo, com 47 mil espectadores nas bancadas, e que começou com a entrega do prémio de melhor jogador do mês para Freddy Guarín, atribuído pela Liga.

O Sporting adiantou-se cedo no marcador com André Santos a rematar em direcção a baliza, com a bola a sofrer um desvio em Matías, e que acabou por trair Helton.

O FC Porto, campeão nacional 2010/2011, não se intimidou com o golo leonino e lançou-se, sem medo para o ataque. Falcao, o mais inconformado da equipa azul e branca, esteve perto de “bater” Rui Patrício por duas vezes, mas primeiro foi o poste que impediu e depois foi a vez do guarda-redes internacional português negar o golo ao colombiano.

Dizem que à terceira é de vez e Falcao, quando viu Álvaro Pereira percorrer o corredor esquerdo, teve um “déjà vu” do primeiro golo portista do desafio da primeira mão dos quartos de final da Liga Europa contra o Spartak de Moscovo. Belo cruzamento pela esquerda do uruguaio e o colombiano mergulhou para cabecear para dentro da baliza do guardião leonino.

Artur Soares Dias apitou para o intervalo com o ecrã a mostrar 1-1, o mesmo resultado do final do jogo da primeira volta entre as duas equipas.

Na segunda parte, o FC Porto só não marcou o segundo mais cedo porque pela frente encontrou um Rui Patrício decidido a parar todas bolas enviadas pelos azuis e brancos.

Mas quem tem Falcao numa equipa pode sempre esperar por mais golos. O ex-jogador do Sporting, João Moutinho, cruzou para a área e Falcao, antecipando-se a Polga, fez outra vez de cabeça o segundo para os portistas.

Walter, um dos jogadores mais descontentes com a sua situação (a de não jogar regularmente) foi o autor do terceiro golo portista. O avançado brasileiro entrou ao minuto 79 para substituir Falcao.

Já perto do minuto 90, Matías conseguiu reduzir a desvantagem mas já nada havia a fazer quanto à atribuição dos três pontos para a equipa da casa, a melhor em campo esta noite.

Os portistas continuam sem conhecer o que significa perder na I Liga esta época mas esta quarta-feira terão de dar a volta a uma desvantagem de 2-0, em desafio com o Benfica na segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal, no Estádio da Luz.

DECLARAÇÕES NO FINAL DA PARTIDA

André Villas-Boas: «Há ânsia das equipas, isso nota-se, de quererem travar a nossa progressão [terminar a Liga invictos], em vez de se preocuparem com o seu próprio campeonato. A equipa esteve a um bom nível, que soube responder bem à desvantagem, ainda que tenha sido um curto período. O controlo do jogo foi nosso. Tivemos apenas que ter atenção às bolas que o Sporting colocava nas nossas costas. Helton terá se ser reavaliado, mas temos total confiança nos outros guarda-redes. Estamos satisfeitos com os três.»

Falcão: «Estou muito contente, pessoal e colectivamente. Começámos a perder, demos a volta e isso demonstra a qualidade que tem a nossa equipa. Tenho intuição e adivinho o sítio onde a bola cai. Aproveito isso. Temos jogadores fortes no um para um e todos juntos ficamos mais competentes do que os outros. Acabar sem derrotas a Liga seria importante. Estamos dois golos atrás, mas já conseguimos o principal e pensamos muitos na Liga Europa também. Mesmo assim, queremos tentar um bom resultado na Luz.»

16 comentários:

  1. Um bom jogo de futebol onde o FC Porto mostrou que atingiu níveis de competência extraordinários. É de destacar a reacção ao golo do Sporting. Até ao empate foram minutos empolgantes só possíveis a uma grande equipa. Há jogadores, como Ruben Micael, que no momento certo dizem “presente”. Vamos é ver se Helton (tens estado impecável) não fica arredado. Seria um enorme contratempo. E espero que Bellushi fique apto quanto antes.

    E eis a 15.ª vitória consecutiva no Campeonato! Um feito excepcional que iguala o da equipa do FC Porto no Campeonato de 1996-97 quando o treinador era Oliveira.

    Abraços. BIBÓ PORTO!

    ResponderEliminar
  2. Batemos com este jogo o recorde de pontos em Campeonatos com 16 equipas: 77 pontos neste momento!

    As coreografias tanto dos SuperDragões como do Colectivo95 estavam simplesmente fantásticas.

    Aquele inicio de jogo ainda me deixou um pouco receoso, mas o FC Porto lá acordou e mostrou o porquê de ser Campeão.

    Não há palavras para descrever a qualidade do Falcao, transpira classe!

    INVICTOS!

    dazuis.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Começo por desejar as rápidas melhoras ao nosso grande Capitão!

    De resto,mais uma demonstração de qualidade,de força,de atitude.O sporting bem pode agradecer ao seu guarda-redes por não ter levado mais para casa.

    De negativo,apenas relembro que em três jogos sofremos seis golos...a defesa que voltar rápido ao seu nível.

    ResponderEliminar
  4. Até começamos a perder, fruto de uma má abordagem a um lance que estava controlado e sem que a equipa sportinguista fizesse nada para merecer a vantagem. Mas não acusamos o toque e rapidamente arrepiamos caminho, fomos para cima deles, não os deixamos levantar a cabeça e só não empatamos, primeiro porque foi uma espécie de tiro ao boneco, depois, porque quando não batia no boneco, batia no post. Mas quem porfia sempre alcança e quem tem Radamel Falcao marca golos. Empatamos e quando chegou o intervalo, por tudo que se passou, o resultado era muito lisonjeiro para a equipa leonina.


    Na segunda metade, novamente clara superioridade e domínio do F.C.Porto, que chegou merecidamente à vantagem, novamente por Falcao e apenas não dilatou a contagem porque S.Patrício continuou a fazer milagres. Estava o jogo assim, o terceiro ameaçava, quando Helton se lesionou e demorou vários minutos a recuperar. Com a paragem, cerca de oito minutos, a equipa de André Villas-Boas perdeu concentração e o Sporting foi tentando equilibrar, tornou-se mais perigoso, mas sem nunca ser tão ameaçador como o Campeão 2010/2011. Com o terceiro golo, por Walter - gostei do brasileiro. Acho que se tiver juízo e vontade, vai chegar lá... -, parecia tudo resolvido, mas novamente, na euforia que se seguiu ao golo, voltamos a facilitar e o Sporting reduziu, acreditou e acabamos o jogo com algum, muito pouco, sofrimento, que, pela forma como o jogo se desenrolou, não mereciamos.
    Resumindo: vitória clara e justíssima do F.C.Porto, que teve mais domínio, jogou muito melhor, nas oportunidades goleou, como goleou nos cantos, oito a zero.

    Fazer uma análise a um jogo em que houve esta superioridade de uma equipa em relação à outra, baseando a análise num pretenso erro do árbitro, de uma ou outra falta mal assinalada, ou porque o banco devia estar noutro lado, é tapar um sol com a peneira e não ajuda o Sporting. E não ajuda, porque desresponsabiliza os profissionais e ninguém consegue ter sucesso, se quem joga não sentir a exigência de quem dirige. O F.C.Porto é um grande exemplo, mas e infelizmente, é um pequeno oásis no meio de um imenso deserto de lamúrias.
    Meus amigos, jogamos na Rússia na quinta-feira, com tudo o que isso implicou e que dei conta no post de antevisão do jogo, mas apesar disso, hoje demos uma lição de querer, de raça, de competência, qualidade e, principlamente, profissionalismo. 25 vitórias e 2 empates, segundo jogo ultrapassado e faltam apenas três para fazermos história. Quem tem gente feita desta massa, pode confiar.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Bom dia,

    Ontem a nossa equipa rubricou mais uma exibição segura e com atitude vencedora, levando de vencida um Sporting muito fraquinho que só teve uma oportunidade clara de golo na cabeça de Djaló aos 37 minutos da 1ª. parte, e uma meia oportunidade por Valdés, bem anulada por Sereno (num sprint impressionante) aos 55 minutos da 2ª. parte.

    Marcaram aos 10 minutos num remate frouxo de André Santos, que tabelou antes de entrar, traindo Helton.

    A partir daí foi um encostar do Sporting às cordas, com várias oportunidades de golo criadas, e só não carimbamos uma goleada na 1º. parte, graças à excelente exibição de Rui Patrício.

    Na segunda parte foi mais do mesmo, e o Porto só esfriou o ataque após a lesão de Helton.

    Couceiro e Carlos Freitas, estragaram tudo no final do jogo, ao alegarem que o Sporting foi prejudicado, e com a ideia de trocar os bancos etc.

    Não existe penalti de Rolando, o mesmo já tinha cortado a bola, não tinha nenhum jogador adversário nas imediações, a bola não ia para a baliza, apenas e simplesmente escorregou, e felizmente porque não é maneta, a bola fez-lhe volei do relvado para a mão.

    Quanto ao dizer que não houve falta sobre Helton na sua lesão, têm razão. Mas não sei se o árbitro apitou por falta, ou para ser prestada assistência a Helton, uma vez que nem assinalado pontapé de canto.

    Destaques para Falcao que foi o melhor em campo.
    Alvaro Pereira que fez um excelente jogo.
    O triângulo de meio campo esteve bem.
    Rolando e Maicon um pouco trapalhões.
    Sereno esteve bem sem comprometer. Varela esteve trapalhão.
    Beto entrou bem.
    Walter ... é um grande ponta de lança, oportuno. O staff do clube tem de continuar o trabalho psicológico para recuperar um menino analfabeto, que teve muitos problemas na sua infância e que o afectam enquanto atleta. Penso que um regresso ao Brasil por empréstimo seria um passo atrás.

    Espero que a lesão de Helton não seja grave, pois é uma peça fulcral na nossa equipa.

    Fantástica a coreografia no estádio, de parabéns os adeptos que fizeram uma linda festa.

    Abraço e boa semana

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Mais uma vez esta equipa consegiu superar-se, e depois do desgaste da viagem e do jogo de moscovo, e depois de ter entrado a perder, fruto de um golo caido do céu,arrancou para uma óptima exibição com velocidade,opurtunidades e mais importante de tudo com 3 golos.

    De destacar a forma hábil como o Sporting e a comunicação social do costume, consegue transformar um jogo que não deu em goleada graças ao Rui Patrício,num jogo que não deu empate devido a um suposto penalty aos 90 minutos.

    Mas quanto a isso já estamos mais do que habituados!

    Agora voltaremos ao galinheiro da luz com uma tarefa complicada mas não impossivel!

    Eu acredito!

    Força Grande Porto!

    ResponderEliminar
  7. Que dizer de um jogo em que o melhor jogador adversário foi o guarda-redes, apesar de ter sofrido 3 golos?

    Quem for sério dirá tratar-se de um jogo com um resultado muito lisonjeiro para o Sporting, que em condições normais teria saído do Dragão vergado a uma goleada das antigas.

    Mas a mentalidade calimero e seus defensores, não deixarão de a reduzir a uma falha da arbitragem, na falta marcada sobre Helton, que efectivamente não existiu e a uma grande penalidade por mão na bola de Rolando, que existiu, na sequência de uma escorregadela que desequilibrou o defesa, tendo efectivamente tocado a bola com a mão apenas no movimento incontrolável da queda. Ora só é penalti quando o toque é intencional.

    Evidentemente que para os chorões, desde que seja na área contrária é sempre penalti, claro!

    De resto foi um jogo em que a superioridade portista esteve quase sempre presente, de forma categórica. Mesmo a perder, fruto de um golo fortuito, o FC Porto foi sempre a melhor equipa, a que melhores argumentos apresentou e um vencedor justo.

    A invencibilidade no campeonato continua ao alcance, numa época de sonho para AVB.

    Bateu o recorde de pontos conquistados (em campeonatos com 16 equipas) e igualou o recorde de António Oliveira, com 15 vitórias consecutivas.

    Grande FC Porto.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. sera que eu vi bem?
    o sereno a ultrapassar o guarin num pique desde a linha de meio campo ate á linda da grande area?
    lol

    ResponderEliminar
  9. Um classico é um classico e sem dúvida que o Zporting continua a dar-nos imenso trabalho quando vem ao Dragão. Claramente a nossa equipa jogou sem a pressão habitual mas bastou para levar mais 3 pontos e continuar esta serie impressionante de vitorias.

    Bom ambiente de estádio, bom apoio da minha curva sul. Lamento que a minha curva tenha deixado as coreografias de parte e limita-se a elaborar as do clube. A mentalidade ultra esta cada vez mais longe.
    O Colectivo continua a dar show e uma vez mais impecaveis no unico tifo ultra presenteado ontem.

    ResponderEliminar
  10. Mais uma grande noite deste Porto versão AVB, um Porto brilhante e cada vez mais histórico!!!

    ResponderEliminar
  11. a maior virtude do sereno é a velocidade, não percebo qual a supresa.

    ResponderEliminar
  12. Mais uma vitória, mais um jogo com 90min de apoio dos mesmos de sempre, apesar dos paraquedistas que até batem palmas, mas de voz...ta "queto"!

    Nota negativa (mais uma vez) para os aplausos na altura da carga policial sobre os sportings. É algo que nao percebo, que me irrita profundamente!!! só quem nao sofreu na pele pode aplaudir. nem se trata de estar do lado dos ultras do scp.. trata-se de COERÊNCIA! e isso infelizmente continua a faltar a muita gente!!

    Incrivel também é a vergonhosa falta de informação dos media em relação ao vandalismo da draganforce em lisboa...ardeu tudo!! Cabe-nos a nós dar a conhecer.

    Um abraço a todos, especialmente à malta que jogo após jogo chega ao intervalo sem voz.

    Rodrigo

    ResponderEliminar
  13. Mais uma vitória e a sensação cada vez mais próxima de que podemos mesmo acabar o campeonato sem derrotas e com um score de pontos verdadeiramente inigualável nos muito anos de Liga Portuguesa…
    Neste aspecto, foi bastante positivo ver que nem cansaço, nem desmotivação se sentiu ontem no jogo com o Sporting que deu alguma luta, principalmente o seu GR com excelentes intervenções ao longo dos 90 m.

    O aspecto menos positivo foi a lesão de Helton. Quem, como AVB preconiza e faz, continua a fazer jogar a maioria dos titulares nos jogos deste campeonato já ganho está sujeito a isto. Sinceramente, e não querendo colocar em discussão as decisões de AVB (que ate aqui têm tido excelentes resultados), eu rodaria um pouco mais a equipa no jogo de Moscovo e neste jogo com o Sporting. Não digo colocar 11 suplentes em campo, como outros o fazem desvirtuando a verdade desportiva de que tanto apregoam, mas fazer descansar 3 ou 4 titulares dando lugar a jogadores menos utilizados também como forma de tirar ilações de quem realmente é útil neste plantel. Não o fazendo, AVB corre o risco que infelizmente aconteceu. Fucile e Helton lesionados em jogos claramente em que os objectivos já estavam cumpridos…

    Mas agora há que pensar já no jogo da Taça, em que a desvantagem de 2 golos (bem infantis, diga-se) não será fácil de anular. Um adversário deixar-se perder com uma vantagem de 2 golos á altamente improvável na minha modesta opinião. Ainda para mais é o jogo do ano para o nosso adversário. No entanto, acredito que podemos, caso marquemos primeiro, intranquilizar o nosso adversário e reentrar na luta pela eliminatória. Todavia, como disse PdC, o principal objectivo está conseguido. Ser campeão nacional.

    Não querendo fazer deste jogo uma obsessão, como o nosso adversário o faz relativamente a nós, penso que temos condições de fazer um bom jogo, e depois logo se verá…

    Continuo a dizer, que depois do título de campeão nacional o grande e mais relevante objectivo é atingir a final da LE, onde aí teremos de aplicar a máxima de que as finais se fizeram para vencer…

    ResponderEliminar
  14. 27 jogos, 25 vitórias, melhor marcador, mais dois golos do Falcao e segundo melhor marcador também é nosso, melhor ataque, melhor defesa...

    ÉPOCA HISTÓRICA!!!

    ResponderEliminar
  15. AVISEM O VILLAS-BOAS PARA NÃO JOGAR COM O PALITO E COM O FALCÃO NA 4ª FEIRA. OS ENERGÚMENOS VÃO TENTAR LESIONÁ-LOS PARA O RESTO DA ÉPOCA

    ResponderEliminar
  16. OLA
    AOS DE Alvalade FALTOU UM CHINÊS E UM PINHEIRO.

    ABRAÇOS

    SEMPRE PORTO.

    ResponderEliminar