07 abril, 2011

Uma lição

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

Isto não anda fácil. Um gajo olha para todos os lados e sente que andamos todos com medo. Teme pelo próprio futuro e dos filhos. Desesperados, perguntamo-nos como é que aqui chegamos. Onde estão os paraísos prometidos? Quem são os responsáveis por o dinheiro não chegar até ao fim do mês? Quem falhou?

De quem é a culpa?

Culpa? Claro que não é nossa, é sempre dos outros. É dos partidos, é dos políticos, é dos bancos, é da Europa, é do sol que se levanta teimosamente a nascente e se deita a poente.

Trabalhar de sol a sol? Lutar contra tudo e contra todos? Ser mais organizado? Ter espírito de entreajuda? Cerrar os dentes? Era o que mais faltava. Nós temos direito a tudo e era o que mais faltava termos de fazer alguma coisa por isso.

Eu bem sei que esta não é a semana certa para me pôr para aqui com depressões e grandes tretas morais. Mas enquanto abríamos garrafas de champagne em pleno estádio da luz, e tanto nos ríamos como chorávamos, agarrados uns aos outros, ali mesmo a dois passos dos Vieiras e companhia – o que eu gostava que vocês vissem a trombinha deles a olhar para nós -, lembrei-me, pela milésima vez, do que nos faz grandes. E, aquele jogo foi a prova provada do que temos de fazer para podermos ganhar. É que aquilo não foi um jogo de futebol, foi um assalto.

Houvesse o mínimo de dignidade, de decência, de vago respeito pelas leis do jogo e o Benfica tinha acabado a jogar com sete estarolas e levava um cabaz.

Para não variar tivemos de arregaçar as mangas e lutar contra quem estivesse à nossa frente: aquele intrujão daquele liner, que num país civilizado nunca mais entrava num campo de futebol; e aquele árbitro a que só faltava também começar a distribuir porrada pelos nossos jogadores. A parte dos vermelhuscos era mais fácil.

Queixumes? Desistências? Nada. Era preciso ganhar contra eles todos e foi isso que fizemos.

Nós todos temos muito que aprender com o FC Porto. Nós, como comunidade, devíamos olhar para o exemplo do nosso clube e aplicar o que ele nos ensina no nosso dia a dia, no nosso trabalho. O que nós vemos em campo está muito para lá do futebol. É, isso sim, uma lição de vida. É um manifesto contra a inveja, um hino contra o baixar de braços, uma ode ao trabalho e à competência. Mas, grande parte dos nossos irmãos portugueses parece não compreender o que é tão evidente.Não vêem que o FC Porto é demasiado competente e demasiado trabalhador para o país, e é por isso que gera tanta inveja. Custa muito dizer, mas Portugal, terra com demasiados ressabiados, invejosos e preguiçosos, não merece o nosso clube.

Fôssemos todos como o Porto e não estaríamos a passar tantas dificuldades e a viver tantas angústias.

9 comentários:

  1. Caro Pedro M. Lopes: o penúltimo parágrafo é lapidar. Diz tudo!

    Os incompetentes é que não vêm o óbvio. Antes dizem que qualquer derrota é fruto de “má indisposição” – citando Jorge Jesus.

    Um abraço, bom jogo e bom resultado.

    ResponderEliminar
  2. Pedro, está excelente este post, não o podias escrever em melhor altura, estou contigo a 100%!


    BIBÓ PORTO

    ResponderEliminar
  3. Pedro, nós os portistas, não temos nada que aprender, já aprendemos há muito tempo. Eles sim, mas não vão aprender nunca, são demasiado medíocres, estão demasiado convencidos por uma máquina de propaganda que mente descaradamente e assim, o que vemos, pois é, provamos ano após ano e nunca dão mérito ás nossas vitórias.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Não podia estar mais de acordo e é essa a mensagem que tento passar aos meus filhos todos os dias enquanto assistimos ás desgraças do nosso país nos noticiários televisivos.
    Fazendo uma citação livre do presidente do nosso clube, o FC Porto está a mais no país que temos mas é fundamental para o país que queremos.

    ResponderEliminar
  5. Eu não diria que o Pinto da Costa seria o 1º ministro necessário mas que falta que faz um à Pinto da Costa. Em vez de termos uns gajos do FMqualquer-coisa a arrumar a casa sempre resolveríamos os problemas dentro da mesma.

    E já agora apoiado por uma equipa à FC Porto.
    Mas que nem pensassem dar os jobs da edp aos boys do orelhas e Cia.

    Ainda ontem comentava o tema aqui pelo dinheiro gasto nestas coisas do FCP. É que se não fosse o FCP poucas alegrias teríamos carago.

    Será que poderíamos viver sem o FC Porto?
    Não, definitivamente não.

    Até logo...

    ResponderEliminar
  6. Comentar este post é um risco que não me atrevo a fazer. Deixo essa tarefa a que não se importe de tentar, e a todos aqueles que mesmo constatando o óbvio que ele demonstra inequivocamente, persistam em não o aceitarem principalmente aqueles que continuam agarrados aos mitos dos apitos, das escutas e de todas as outras tretas que lhes são impingidas para os consolar das derrotas.

    ResponderEliminar
  7. Definitivamente, este país não merece o FC Porto.

    Concordo inteiramente consigo no que respeita a este assunto...

    Também já o tinha referido num post aí há uns tempos...

    E é mesmo isso: no meio de tanta incompetencia e mediocridade, surge algo completamente diferente no país: o FC Porto!

    ResponderEliminar
  8. Grande post PML!

    Até logo no local do costume!

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. http://www.youtube.com/watch?v=MX75fdN2YFY&

    ResponderEliminar