22 abril, 2009

Na Amadora, há que lá ir... e ganhar!!!

Na ausência do (habitual) mestre do Tarot neste espaço, o Bruno Rocha, cabe-me a mim, desta vez, desenvolver um aparente escrutínio mental, tentando quiçá acertar na galinha dos ovos d’oiro quanto a esta nova jornada desportiva em que o FC Porto irá intervir, desta vez, para a 2ª mão da meia-final da Taça de Portugal com o Estrela da Amadora, o que diga-se em abono da verdade, é quase que uma missão impossível sequer pensar em me aproximar do elevado nível a que este já nos habituou semanalmente.

Assim, o melhor remédio será mesmo falar o menos possível para não correr riscos desnecessários, deixando apenas transparecer o meu ponto de vista. Já a história das basculações laterais, pressões verticais, o pressing em toda a largura ou até mesmo o tão famoso “pass precise”, deixo isso para quem percebe da “poda”, porque cá comigo, é mais “pão e circo”.

Ora bem, mais logo, quando os ponteiros do relógio apontarem para as 20h30, na Amadora, estará (?!) a ser dado inicio ao jogo da 2ª mão das meias-finais da Taça de Portugal, onde o FC Porto estará na condição de visitante do Estrela da Amadora, e ao que tudo indica, só mesmo se acontecesse um descalabro de todo improvável, depois da vantagem de 2 golos trazida do Dragão da 1ª mão, poderia falhar a visita ao Estádio Municipal de Oeiras para jogar a final da mesma competição, a ocorrer no final do próximo mês Maio.

Quando atrás questiono o “estará (?!)”, digo-o apenas porque nem sei se irá haver jogo ou não, porque ao que foi ontem noticiado na imprensa desportiva, aos da Amadora, já não bastariam os salários em atraso, que não colhe em nada se pensarmos no magnifico campeonato que estão a realizar, parece agora também que terão deixado caducar os seguros do clube por falta de pagamento à seguradora, o que está em completo incumprimento com os regulamentos da Federação Portuguesa de Futebol e da Liga Profissional de Futebol, que obriga a que os clubes apenas possam competir desde que os seguros estejam em dia… pelos vistos, neste caso, não estarão, mas também se diga que neste Portugal com organizações amadoras (!!!), nada espanta e nada surpreende… apenas e só mais uma “salsada”, como tantas outras, onde nada foi feito e todos assobiam para o lado. Adiante…

Olhando-se para a lista de convocados, percebe-se a intenção do Prof. Jesualdo Ferreira em dar descanso a alguns dos habituais, preparando-se até para apresentar um onze considerado de 2ª linha, mas que aposto, como em tantas outras alturas, saberá estar à altura dos pergaminhos de tão prestigiado clube como o FC Porto o é.

Jorge Fucile, após longa ausência por lesão que vinha já desde meados de Fevereiro, regressa à lista de convocados, juntamente com Benitez, Rabiola e Ventura, que ocupam as vagas dos ausentes por opção técnica e habituais titularíssimos, Helton, Bruno Alves, Raul Meireles e Cristian Rodriguez.

Em parte, não concordo nem de perto, nem de longe, que este jogo seja uma vitória já assumida, porque apesar de todas as dificuldades por demais conhecidas dos da casa, e da aparente quase missão impossível em virar o resultado da 1ª mão, não poderemos deixar de entrar em campo com vontade férrea de lutar e trabalhar muito, fazendo um jogo sério e competente, para dignificar a história gloriosa do FC Porto e consequente carimbar da passagem à final da Taça de Portugal.

Posto isto, Bamos a eles, carago!!!

LISTA DE CONVOCADOS
Guarda-redes: Nuno e Ventura.
Defesas: Benítez, Cissokho, Fucile, Rolando, Sapunaru e Stepanov.
Médios: Andrés Madrid, Guarín, Fernando, Pedro Emanuel, Tomás Costa, Mariano e Tarik Sektioui.
Avançados: Farías, Hulk, Lisandro e Rabiola.

7 comentários:

  1. Blue Boy:
    É como dizes, ser Portista é isso mesmo, aquela sede de vitória. Não basta chegar lá e defender a vantagem. Queremos ganhar. E depois encher o jamor 90% de azul e branco.

    ResponderEliminar
  2. Hoje apanhamos o Xistra, o tal que não viu Hulk ser abalroado constantemente em Guimarães. Domingo apanhamos o Calabote que ressuscitou, não o da década de 50 pois esse já era mas o moderno calabote (paulo baptista) o do roubo na luz diante do Braga. Um roubo de catedral. Nomearam-no agora para o dragão. Merece uma assobiadela nonumental na entrada.

    ResponderEliminar
  3. Os lagartos choraram, insultaram, humilharam o Paixão em Guimarães (cujo erro mais grave foi não expulsar Derlei) mas daí só resultou uma multa patética ao P. Bento. Vai ser assim até ao fim. Pressionar sem vergonha na cara! Condicionar as próximas arbitragens. É a aposta do Sporting! Sem falar no Moutinho q disse q o árbitro lhe mostrou de má fé o cartão. Então aqui n há motivo para processo disciplinar, Sr. Ricardo Costa?

    ResponderEliminar
  4. Não há que desarmar.
    O Prof. tem de manter a turma moralizada e com força para mais uma vitória.

    Calabote, não esperes muito do Sr. Ricardo Costa. Estará ocupado a ver e rever qual a melhor desculpa para o penalti onde o nulo tropeça nele mesmo e cai dentro da grande area.

    ResponderEliminar
  5. Há que jogar e carimbar a passagem à final no Pulgedo Stadium ali prós lados de Oeiras... o forno já está em banho-maria pós rissóis e panados da praxe :D

    Quem leva o tintol, maduro tinto?

    ResponderEliminar
  6. Respeito e profissionalismo, para mater a chama acesa.
    Poupar, mas sem correr riscos, que a Taça é para ganhar.

    Um abraço

    ResponderEliminar