08 maio, 2015

“BÊS” SEM SORTE DERROTADOS PELO CITY.

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

manchester city U21-FC PORTO B, 1-0

Premier League International Cup, final
8 de Maio de 2015
City Academy Stadium, em Manchester (Inglaterra)


Árbitro: Ollie Yates.
Assistentes: Harry Hawkins e Leigh Doughty.
Quarto árbitro: Tom Nield.

MANCHESTER CITY SUB-21: Andus Gunn (g.r.); Evans, Ellis Plummer, Pablo Maffeo, George Glendon (cap.), José Ángel Pozo, Olivier Ntcham, Jack Byrne, Jorge Íntima, José Ángel Pozo e Kelechi Ihanacho.
Substituições: Brandon Barker por George Glendon (63m), Kean Bryan por Kelechi (63m), Manu Garcia por Jack Byrne (85m).
Não utilizados: Ashley Smith-Brown, Billy O’Brien, James Horsfield, Aaron Nemane.
Treinador: Patrick Vieira.

FC PORTO B: Ricardo Nunes (g.r.); David Bruno (cap.), Igor Lichnovsky, Diego Carlos, Rafa; Tomás Podstawski, Francisco Ramos, Leandro Silva, João Graça; Frédéric e André Silva.
Substituições: Anderson por João Graça (72m), Pavlovski por Leandro Silva (72m), Pité por Tomás Podstawski (86m).
Não utilizados: Kadú (g.r.), Mikel, Víctor García, Roniel.
Treinador: Luís Castro.

Ao intervalo: 1-0.
Marcador: Kelechi Ihenacho (4m).
Disciplina: cartão amarelo a Igor Lichnovski (90+2m).

​A boa campanha do FC Porto B na Premier League International Cup terminou com uma derrota injusta diante do Manchester City (0-1), na final que teve lugar esta sexta-feira no City Academy Stadium, em Manchester. Um golo de Kelechi, logo aos quatro minutos, permitiu que o troféu ficasse em Inglaterra, num jogo em que os Dragões foram superiores e em que até podiam ter goleado tantas foram as oportunidades que tiveram para marcar.

Face ao calendário preenchido - este foi o 49.º jogo oficial da equipa nesta temporada -, Luís Castro optou por fazer seis alterações no onze que alinhou de início no jogo de terça-feira, frente ao Sporting de Braga, para a Segunda Liga. Igor Lichnovsky foi um dos que regressou à titularidade e foi nos pés do central que teve origem o golo dos citizens, logo aos quatro minutos: mau atraso do internacional chileno para Ricardo Nunes interceptado por Kelechi Ihanacho, que não perdoou quando se viu sozinho perante o guarda-redes portista.

Foi a primeira e a maior oportunidade de golo dos ingleses num jogo dominado pelo FC Porto B, que teve uma excelente reacção à desvantagem precoce no marcador. Exercendo uma pressão alta, que bloqueava a construção do jogo do Manchester City a partir da defesa, os azuis e brancos ameçaram o empate por diversas vezes. Primeiro, foi de Frédéric um excelente remate (31m) na conclusão de uma boa jogada de envolvimento do ataque portista; no minuto seguinte, foi André Silva quem teve o golo nos pés; depois, foi David Bruno a assustar Andus Gunn (38m); e, por fim, André Silva obrigou o guardião britânico a aplicar-se com uma boa defesa (47m).

Faltava eficácia na hora da finalização ao FC Porto B, que chegava ao intervalo com um resultado injusto face àquilo que produziu e que não deixou o adversário produzir. E a verdade é que a história da segunda parte também não foi muito diferente: os Dragões mais dominadores, mais rematadores, com mais posse de bola e com os mesmos problemas de eficácia. Logos nos primeiros minutos, André Silva voltou a dispor de duas boas oportunidades para colocar (alguma) justiça no marcador. Mais tarde, o avançado portista voltaria estar em evidência mais tarde ao isolar Rafa que também não conseguiu bater Gunn (67m).

A cerca de um quarto de hora do fim da partida, os azuis e brancos viram ainda um golo anulado por suposto fora-de-jogo de André Silva, num lance que parece ter sido mal ajuizado pelo árbitro Ollie Yates. Azar para o FC Porto B, muita sorte para o City, que também pode agradecer ao seu guarda-redes o facto de ter terminado a partida com a baliza inviolada. A cinco minutos do fim, Gunn voltou a negar o empate a Anderson, garantindo que o troféu da primeira edição da Premier League International Cup ficava mesmo em mãos britânicas.

fonte: fcporto.pt



RESUMO DO JOGO

0 comentários:

Publicar um comentário