15 maio, 2008

15 minutos de fama...

É o tema do momento, recorrente na Nação Portista. E não só. Bastam meia dúzia de cliques no teclado de qualquer computador e a blogosfera aparece em todo o seu esplendor. O ciberespaço debate o Apito. O Apito Final. O último acto, perpetrado para coincidir cirurgicamente com o encerrar do pano, na peça teatral que foi esta Superliga.

Andy Warhol, a figura maior da pop art, profetizou um dia que “In the future everyone will be famous for fifteen minutes [No futuro, toda a gente será célebre durante quinze minutos]. Ricardo Costa, distinto justiceiro da Liga e da sua Comissão Disciplinar, teve os seus. Na conferência de imprensa, anunciadora dos castigos, as luzes da ribalta incidiram, por momentos, naquela figura que se movimentava, até então, apenas na sombra. A excitação mal contida, os olhos brilhantes de alegria, o timbre na voz, denunciador da tensão que o consumia, eram os sinais exteriores do júbilo sentido por uma personagem singular. Nesta homilia sobre a virtude, tivemos que suportar a catadupa de auto-elogios, com a personagem a vangloriar-se perante as tv’s. E, enquanto os holofotes mediáticos se entretinham com ele, o “quem nós sabemos” sorria, em casa. Foi uma vitória pírrica, é certo, mas o aguilhão da vingança picava-o. E o Orelhas sentia-se medianamente satisfeito. Não seria para menos…

O trabalho de sapa efectuado por Ricardo Costa merecerá os encómios dos autores da trama. Estrategicamente colocado nos órgãos decisores do futebol, foi capaz de viver na sombra, meses a fio. Estudou as lições das células terroristas, decorando os seus principais mandamentos. Chegar, misturar-se, não levantar suspeitas, integrar-se e, quando a oportunidade surgir, agir de acordo com o estipulado. E foi isso que ele fez. Quando a “mãe de todos os ataques” contra o Porto se pôs em marcha…

Haverá quem considere isto um amontoado de disparates, sem ponta de sustentação, ou uma mirabolante teoria da conspiração. Que seja. Habituei-me, com o passar dos anos, a ser senhor do meu próprio nariz. E das minhas convicções. Atribuo, por isso, pouca importância aos detractores da minha fé no azul e branco e na flâmula do Dragão. As suas críticas resvalam na couraça da minha indiferença. Confesso-me, sem pudores. Sou adepto incondicional de Pinto da Costa. E sim, o “Apito” para mim não é mais do que uma cabala. Bem urdida. Monstruosa.

Seria demasiado evidente justificar que, após décadas de suspeições, as culpas atribuídas agora ao presidente da nau portista se centrem em dois casos. Dois míseros casos. Ambos em épocas vitoriosas além-fronteiras, contra adversários medíocres, e com margens pontuais reconfortantes de avanço. Não é estranho que décadas de suspeições contra nós tenham redundado nisto? Milhares de escutas telefónicas, centenas de horas gastas em investigações, debitados ao erário público, para conseguirem a patetice que apresentaram?

Houve quem quisesse ver, em jogos inócuos, mensagens subliminares de coacção. Armados com a palavra de uma concubina e com a “fruta” e o “cafezinho com leite” transformados em léxico de atitudes sicilianas, pune-se um clube secular, com uma história toda feita de resistência indómita e combate aos poderes vigentes.

A pedra de toque, agora, dos nossos inimigos é o facto de o clube portista não recorrer da decisão. “Quem cala consente”, gritam os velhos do Restelo, apegados a ideias preconcebidas. “Se não recorrem, são culpados”, bradam os antagonistas conhecidos, alicerçados em dogmas antigos. Mas, racionalmente, os que eles queriam, sei eu…

Novamente, de forma brilhante, Pinto da Costa oferece o peito às balas. Sacrifício pessoal, salvaguardando o clube, numa estratégia que visa colocar o emblema numa redoma, longe dos vitupérios de uma justiça desportiva pouco confiável. A inocência não se prova. É inata. O clube poupa-se a uma roda-viva de humilhações de recursos atrás de recursos, avivando e alimentando o ódio natural que sentem por nós, preparados para, de forma cirúrgica, nos sonegar os pontos na próxima época, quando os milhões do acesso à Champions estarão apenas ao dispor do 1º classificado. E, por intermédio do seu presidente, o recurso pode chegar a qualquer Tribunal. Até a um, pasme-se, longe dos tentáculos comprometidos da Liga de Clubes. Por esta não esperavam eles!

ps - Lembrem-se das palavras do Luís Paixão Martins, da Agência de Comunicação: "A curta experiência de trabalho com o FC Porto confirmou, infelizmente, o que tínhamos identificado no diagnóstico inicial: existe uma anormal coligação de interesses que procura impedir a expressão pública da vossa instituição, mesmo quando se trata de situações que poderíamos descrever como de legítima defesa." E chamo a atenção para a parte "MESMO QUANDO SE TRATA DE SITUAÇÕES QUE PODERÍAMOS DESCREVER COMO DE LEGÍTIMA DEFESA”.

ps2 - Sou altruísta e bom samaritano. Assumo-o. Por isso, fica a dica para alguns "velhos" conhecidos. A Liga dos Campeões disputa-se às terças e quartas. Os jogos são sempre à mesma hora. 19h45. Por isso, apreciem a mais distinta competição de clubes do Velho Continente. Sentem-se num bom sofá, preparem uma bebida [não misturem, de preferência, o café com o leite], preparem uns acepipes [a fruta, às vezes, é indigesta] e deslumbrem-se. Talvez, um dia, o vosso clube da treta lá consiga chegar...

15 comentários:

  1. Paulo:

    Parabéns pelo texto. Também eu reagi com natural indiferença a essas situações e tb eu me sinto adepto incondicional de PdC.

    E fechas o texto em grande, com a anormal coligação de interesses para impedir a expressão pública do nosso clube e a possibilidade dos invejosos e ressabiados verem pela tv a champions league (apesar da intoxicação q pairou no dia de ontem).

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Eu fiz um comentário que, vá lá saber-se porquê, não apareceu.Vou repetir.
    Ò Paulo eles há muito tempo que já nos condenaram.Isso da defesa da honra era para nós recorrer-mos e começarmos apróxima época com menos 6 pontos.Acho curioso que alguns que falam que o clube devia defender a honra- portistas com ambições pessoais- se achem muito incomodados por outros não partilharem a mesma opinião. Alguns de nós que defendemos o clube contra tudo e contra todso, fazêmo-lo apenas por portismo, por paixão, sem pedir nada em troca.Logo temos uma legitimidade moral que outros não têm.
    Logo lá estarei em Matosinhos.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Pinto da Costa deixou ontem bem claro que Lucho e Lizandro não saiem do Porto, e Quaresma só sairá pelos tais 40 milhões :)
    Acho bem, tendo em conta as nossas aspirações altas para a Liga dos Campeões.

    Quanto ao Ricardo Costa, aquela criatura é detestável :(((

    ResponderEliminar
  5. Viva !

    Grande texto !

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  6. Desconhecia esta intenção por parte do slb :

    "Pinto da Costa não tem o "mínimo receio" de que a UEFA tome conhecimento da decisão da Comissão Disciplinar da Liga, que puniu o FC Porto com a perda de seis pontos por dois actos de tentativa de corrupção, advogando que isso não poderá custar aos "azuis e brancos" a participação na Liga dos Campeões da próxima época.

    "Não me tira o sono. Quem diz isso não tem credibilidade, nem conhece os regulamentos. A equipa está tranquila, porque já se habituou a viver com estas suspeições. Isto fortalece-nos", explicou Pinto da Costa, comentando a intenção manifestada hoje pelo Benfica de pedir à federação portuguesa para enviar à UEFA a certidão da decisão da Comissão Disciplinar."

    ResponderEliminar
  7. Excelente post!!

    Bem na linha do que practicamente todos os portistas acham de toda esta palhaçada!!

    Comprimentos Tricampeões!!

    ResponderEliminar
  8. PP, brilhante texto, para variar ;)

    Quanto ao assunto tratado admito que já começa a ser demais, já estou farto dessa matéria. Agora é tempo de deixar assentar poeira. Até os 80% dos 20 milhões pelo Bosingwa têm passado em claro.

    Mas mais uma vez repito, Pinto da Costa SEMPRE, decisão da SAD em não recorrer NUNCA!! Quero lá saber se já estamos condenados à partida, se para o ano começávamos com -6 pontos, quero é recorrer até às últimas consequências, e salvaguardar a face. No tempo do sr. de santa comba havia a pide e os tribunais sumários, os cidadãos que não estavam alinhados já sabiam à partida que estavam condenados mas nem por isso deixavam de lutar pelo que acreditavam. E ninguém... NINGUÉM... é portista de primeira ou segunda por ter a sua opinião... era o que mais faltava... quanto a isto penso que estamos conversados.

    Quanto ao sr da agência de comunicação, estou como diz o outro: "sim senhor... muito bonito e tal..." mas quando lhe apertou o cu saltou logo com o colete salva-vidas, eu não me esqueço que ele foi contratado pelo Porto e não demorou 1 mês a denunciar o contrato por alegadas pressões

    Quanto aos "outro", bem, eles bem tentam arranjar coisinhas para se entreterem depois da "tampa" do eriksson, mas o futuro é o habitual... assistirem pela tv aos jogos do tricampeão, o único a levantar bem alto o nome de PORTOgal!! A melhor forma de os ir calando. E eles são cada vez menos... e onde estão os 6 milhões??? Segundo dados do Futebol Finance, as contas são as seguintes:

    PORTUGAL - Liga Portuguesa de Futebol Profissional, 2003
    1. Benfica - 4,1 milhões (38,8%)
    2. Porto - 2,6 milhões (24,4%)
    3. Sporting - 2,1 milhões (20,2%)

    Podem ver os dados aqui

    ResponderEliminar
  9. Paulo, excelente análise, como é hábito, num texto muito sentido e retocado ou rebuscado, se quiseres.
    Tamb+em tinha entrada por aí, num contexto alargado à situação económica do País de que quase todos se distraem com apitos de milhões que é o custo desta gigantesca manipulação.
    Hoje toco por dentro do Apito Final, escalpelizando o acórdão que li sobre o FC Porto-E. Amadora no site da Liga e a escabrosa interpretação da CD para conjugar factos não provados de todo de forma a concorrerem com alguma infracção rebuscada nas leis que permitissem, minimamente, encostar o FC Porto às cordas, já que mais do que beliscarem não podiam fazer.
    Abraço. Tamos todos nisto.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Apenas uma aparte.
    Seria necessário o apoio de todos hoje em Matosinhos no 3º. jogo da final contra a habitual Ovarense.

    O pavilhão fica mesmo ao lado do Estádio do Mar e espera-se forte claque do pessoal de Ovar.

    O dia pode não ser o melhor mas a hora até não está má (21.00) e afinal o FC Porto não é só futebol.
    Vamos lá deixar o sofá e rumar a Matosinhos.

    ResponderEliminar
  12. Mais um excelente post...

    Mais uma vez muito bem escrito...

    Apesar de eu achar que o FCPorto devia recorrer, por achar que tem razão, sei como já escrevi noutro dia que as comadres da liga e da federação se protegem umas às outras, mas isso não invalida que o FCPorto não devesse lutar para que a verdade fosse reposta.

    Afinal se dizem que o nome do FCPorto está manchado, foi essa meia duzia de marionetas com orelhas, que se encarregaram de o fazer e eu não acho que isso deva ficar impune para quem ataca um clube secular e com pergaminhos pelo mundo...

    «Eu sei do que estou a falar» (como diz o outro artista) pois neste período em que me vou encontrar fora do país e já lá vão uns meses, surpreendi-me muitas vezes com o conhecimento e reconhecimento que existe do Futebol Clube do Porto... E não estou a falar só dos polacos., que a nível de futebol, coitadinhos!!!
    Tal é extensível a espanhois, italianos, turcos entre outros, com quem lido diariamente e vejo partidas de futebol.

    Saudações azuis e brancas
    Carlos Pinto

    ResponderEliminar
  13. Acabei de chegar de Matosinhos:
    F.C.P. 72 - Ovarense 69
    Sábado ninguém pode faltar.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  14. Dragão Vila Pouca chegas-te mais cedo para aí um minuto :-)
    Partida emocionante com emoção até ao último segundo.
    Grande FC Porto!!!

    ResponderEliminar
  15. Também estive em Matosinhos.
    Grande joga, só foi "pena" sofrer tanto no fim...
    Sábado lá estarei, rumo à 3ª vitória.

    ResponderEliminar