31 maio, 2008

Metro e meio de Kostadinov

Pouco mais de um metro e meio de pessoa. A bola desgastada, já com alguns gomos descosidos, sofria com a subjugação dos pés reguilas. O alcatrão, dilacerante de joelhos e pernas, surgia como um perfeito relvado. As pedras marcavam o último reduto do adversário e guardavam, preciosamente, o júbilo do futebol: o golo.

O frenesim na rua acalmava com a passagem de um carro ou o deslizar violento de uma persiana que pronunciava a expulsão do campo. A vizinhança era um juiz autoritário mas, nada, nem ninguém, abalava o meu orgulho ao ostentar aquela camisola azul e branca com o número 8 nas costas e coroada com o nome Kostadinov.

E vocês, eram metro e meio de quem?

Abraço,
CJ

16 comentários:

  1. CJ, perdoa o á parte.
    Á Vossa atenção:

    Catedrático de Coimbra arrasa suspensão de Pinto da Costa
    http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Desporto/Interior.aspx?content_id=952612

    e

    UEFA usa versão francesa
    http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Desporto/Interior.aspx?content_id=952614

    ResponderEliminar
  2. Os meus sonhos de criança passavam sempre pelo Fernando Gomes, bi-bota, camisola 9. Gostava de correr pouco e esperar apenas pelo momento da finalização. Mas eu não tinha a classe do Gomes:) eheheh

    Kostadinov e Domingos uma dupla maravilhosa. Anos 90 a 94, por aí...

    ResponderEliminar
  3. Bem, ídolos, nunca os tive no que toca a nomes... mas não posso escamotear que gosto mais de uns do que de outros.

    Agora, nas peladinhas entre amigos, era mais ao estilo de Fernando Couto ou Jorge Costa, porque dava para descansar mais, correr pouco e além disso, ainda podia fazer uso do fisico para assustar os avançados contrários... podia tb dizer o Aloiso, mas admito, faltava-me essa classe, por isso, era mais pró estilo dos outros 2 centrais, aquele estilo mais sarrafeiro e antes quebrar que torcer ;D

    ResponderEliminar
  4. Pavão,T.Cubillas,Oliveira,F.Gomes,A.André,P.Futre,R.Madjer,Z.Zahovic,Aloísio,V.Baía,J.Pinto, Deco, R.Carvalho e tantos outros, porque grandes jogadores nunca faltaram no F.C.Porto.E nunca faltarão.
    Estilhaço eu coloquei no meu blog o parecer do Professor Costa Andrade.O blog Bicampeoes do mundo fez o mesmo e o Bibó-Porto, é a minha opinião, devia também publicar, porque tomos somos poucos na divulgação de um parecer que diz claramente o que é a pouca vergonha dos Apitos.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Futre era o meu jogador de eleição na década de 80, e logo eu que jogava na ponta esquerda, e sabem quem era o avançado de serviço (com idade de infantil já jogava nos iniciados), nada mais nada menos que a "simoneta" que está no atlético de madrid... enfim, depois terminei a carreira de futebolista pois estava farto de aquecer o banco eheheheh mas houve tantos que me encheram as medidas: capuchão, drulovic, jardel, andré, semedo, gomes, aloísio, branco, etc etc

    ResponderEliminar
  6. Viva !

    Cj, adorei o teu artigo.

    Kostandinov é sem dúvida, embora inconscientemente, um dos jogadores que maior projecção internacional deu ao Porto. Pelo menos nestas terras !

    Lembro-me, perfeitamentamente, dos comentários na televisão Francesa, na altura : " Et le joueur Bulgare du FC Porto vient de mettre fin au rêve de l'equipe de France dans ces dernières secondes / E o jogador Búlgaro do FC Porto coloca um ponto final no sonho da França nestes últimos segundos ".

    Eram os anos 1994 !

    E a selecção Francesa ficou onde ficou.

    Acho que o nome FC Porto nunca foi tão falado como nessa época.

    A eliminação da França por causa ( ou graças ? ) do pequeno Búlgaro do Fc Porto foi mega comentada.

    O nome FC Porto nunca foi tanto lido !

    Houve, como sempre, um bode expiatório : Ginolla, por falta de marcação. Acho que deram cabo dum grande talento. Mas o debate já é outro.

    Obrigado Cj, por esta visita à história do futebol Europeu onde o FC Porto se afirmou( como sempre ) para sempre !

    Infelizmente, só há cinco estrelas. Para mim, são dez !

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  7. No meu tempo de juventude em que comecei a dar uns pontapés na bola mas não tinha jeito por aí além, gostava de ser o Rolando ou o Pavão.
    A jogar estava lá na frente e às vezes marcava uns golitos, mas técnica ... nem vê-la. E diziam que era como o Lemos, o dos 4 golos aos benfas... nas brincadeiras com bolas de plástico a maior parte das quais eram assassinada pelos funcionários à entrada do Liceu Alexandre Herculano. E aí, plano B: A bola de trapos...
    Mas bem gostava de ter sido pelo menos como o Lemos, eh, eh...

    ResponderEliminar
  8. Caros amigos especialmente para o Jorge Aragão que pisou terrenos comuns em tempos semelhantes devo confessar que o meu ídolo no Futebol Clube do Porto foi o Nóbrega...Se eu pudesse um dia ser um qualquer jogador à minha escolha teria sido o Nóbrega...Esquerdino, bom toque de bola, um falso lento e com um Tiro que nossa senhora...Para além disso era uma personalidade encantadora...Pavão esteve-lhe nos calcanhares, mais peitudo, mais dominador e cerebral mas eu gostava imenso de ver aquelas fintas e paragens repentinas do extremo esquerdo do Porto!...Pavão, Rolando, Custódio Pinto, Oliveira, Costa, Béné, Cubillas, Bernardo da Velha, Futre, Vermelhinho, Frasco, Madjer, André, Eduardo Luís, Eurico...Até o Lima Pereira que era um pouco menos dotado no inicio fez-se um grande defesa central...

    ResponderEliminar
  9. As bolas de plástico de toda as cores, compradas nos quiosques da zona através da colecta de todos, "eu tenho 1 escudo e tu?"...Ao fim de alguns minutos acontecia o inevitável, a bola era surripiada pelo funcionário que se escondia estratégicamente num local propício a poder apanhá-la...Se assim não acontecesse éramos nós que a estourávamos em poucos minutos...Uma biqueirada mais tal e, já era...

    ResponderEliminar
  10. Meireles, o Nóbrega era o preferido do meu Avô. Lembro-me bem de o ver jogar e geralmente marcava sempre contra o Belenenses.

    ResponderEliminar
  11. Agora que falas em metro e meio, e depois de andar a seguir o campeonato de futebol indoor... q tal juntar Lucho e rui barros la no miolo? x)

    o RuizinhO ainda tem pernas e a classe de sempre :)

    como Kostas..
    os grandes passam sempre por aqui, já notaram? ;P

    PORTO «3

    ResponderEliminar
  12. Viva !

    Creio já aqui ter escrito sobre o Nóbrega que vi jogar e falhar um penalti decisivo contra a Académica.

    Um jogo decisivo. Dizia-se que a Académica era a "besta negra" do Porto nos anos 70.

    O Nóbrega sempre foi uma das minhas referências, quando miúdo.

    Era uma dia de calor. Estava numa superior ( não me lembro qual ). O estádio das Antas ainda era aberto. Só havia superiores e central. Em frente, a bancada metálica foi para mais tarde.

    Estava calor ! Lembro-me que me fizeram um chapéu com um lenço.

    Vi o guarda redes da Académica ir para um lado. Vi a bola ir para o lado contrário. Mas ao lado !

    Tem piada : Ninguém protestou !Ninguém assobiou o Nóbrega. Isso eu lembro ! Como se estivesse escrito ! Como se houvesse uma maldição !

    Nós jogávamos futebol com sameiras no antigo D. Manuel II.

    Mas ,no meio desta conversa, o tema é Konstadinov que muita projecção, consciente ou inconscientemente, deu ao Porto !

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  13. Jorge Aragão, Não precisavas de mo lembrar...Caramba. Já sei que estou a ficar velho...LOL -Até vou ter de mandar fazer uns óculos novos que os que trago já não servem, só cumprem metade da sua obrigação...E estou a pensar comprar um Plasma para compensar Plasmado as minhas dificuldades...No entanto confesso-te, por dentro, bem lá por dentro da minha pobre alma, sinto que estou como o aço!...Os olhos já fecham em cortina, a barriga já se dispõe a querer cobrir o meu "indicador mais valioso", o nariz e as orelhas crescem -para quê estúpidas?-, cai o cabelo e nascem pêlos onde menos são necessários, mas lá por dentro, juro, ainda sou o rapazinho que estragava todas as bolas que tentava apanhar de qualquer maneira! E todas as noites sonho sempre o mesmo sonho, de um dia poder ser verdadeiramente Feliz...

    ResponderEliminar
  14. Amigos eu por mim 1,73 de Victor Baía...E fiz por lhe chegar as Luvas mas nao consegui ainda assim foram muitos os momentos em que com os meus amigos lhes vali tanto ou mais que o Proprio e ainda bem....Mas claro no fundo 1,73 de todos esses que orgulharam e no fizeram sentir uma vez Porto, Porto ate morrer....

    ResponderEliminar
  15. Grande Porto Maravilha, esse Estádio que descreve foi onde eu parti a cabeça, precisamente no espaço onde ficava o Peão e onde instalaram, para minha desgraça uma bancada metálica, que eu percorria armado em Tarzan de barra para barra, às duas por três zás, uma grande pancada, fiquei meio tonto -zunzun- mas prossegui e fui sentar-me para ver o jogo que se preparava- terminara o jogo anterior, era um dos habituais Torneios Início da AFP...De repente um dos meus amigos disse-me: Meireles tens o rosto cheio de sangue e eu estupefacto...Realmente a cabeça doía-me mas era natural tinha acertado em cheio na barra que surgira sabe-se-lá de onde no meio da escuridão...Coloquei as mãos na testa e esta era uma massa de sangue!...Tens que ir à Farmácia -era assim naqueles tempos- nem penses, primeiro vejo o jogo e assim foi vi o jogo até ao intervalo mas o sangue era tanto que me levaram ao balneário da equipa do Porto para ser suturado de imediato, treze pontos e um valente corte no cabelo...Mas que me importava eu estava ali no meio de todos aqueles craques era como se fosse mais um... ali deitado ao lado dos meus ídolos, só precisava que me dissessem: veste lá a a camisola e salta para o relvado!...E eu ia, juro que ia e dava tudo o que me ia na alma e nem me importaria das dores que sentia naquela cabeça completamente ausente por estar ali nos balneários entre "eles" e com eles a brincaram comigo: então pá o que te aconteceu?...Nada...vendo melhor tudo, ainda bem que aconteceu!...

    ResponderEliminar
  16. O meu grande ídolo é, sem sombra nenhuma de dúvidas, VÍTOR BAÍA!!!!!!!!

    ResponderEliminar