15 janeiro, 2009

Taça com nevoeiro... e um Campeonato aldrabado

assistência: 2.020 espectadores.

árbitros: Lucílio Baptista (AF Setúbal), Venâncio Tomé e Mário Dionísio; Elmano Santos.

NACIONAL: Bracalli; Patacas «cap.», Maicon, Felipe Lopes e Nuno Pinto; Luis Alberto, Edson Sitta, Alonso e Ruben Micael; Mateus e Nenê.
Substituições: Alonso por Miguel Fidalgo (46m), Edson Sitta por Fabiano Oliveira (66m) e Ruben Micael por Bruno Amaro (84m).
Não utilizados: Douglas; Cléber, Juninho e Halliche.
Treinador: Manuel Machado.

FC PORTO: Nuno; Sapunaru, Stepanov, Pedro Emanuel «cap.» e Benítez; Bolatti, Tomás Costa e Guarin; Mariano, Farías e Candeias.
Substituições: Candeias por Rabiola (70m) e Sapunaru por Diogo Viana (78m).
Não utilizados: Ventura; Ivo Pinto, Rafhael, Josué e Sérgio Oliveira.
Treinador: Jesualdo Ferreira.

disciplina: cartão amarelo para Alonso (39m), Luis Alberto (39m), Stepanov (39m), Benítez (42m) e Sapunaru (52m).

golos: Ruben Micael (23m), Sapunaru (36m) e Miguel Fidalgo (84m).

Sim, eu sei que isto deveria ser uma crónica sobre o Nacional-Porto. Mas, em português, vernacular, eu quero mesmo é que o jogo se ****. Competições menores, ainda por cima não levadas a sério por quem nelas entra, não me despertam a paixão assolapada que deveriam. Ainda para mais, nem me admira muito se o vencedor já estiver decidido. Mas, quanto às incidências do jogo, já lá vamos…

Ninguém, que gosta do desporto-rei em geral, e do Porto em particular pode andar com as pulsações cardíacas normalizadas. Seja pela frustração do empate contra o autocarro vindo da Trofa, pelo destempero da perda da liderança, que nos soube a pouco, ou pelo silêncio cúmplice e branqueamento encapotado que os media, sempre arvorados em arautos da regeneração do futebol luso, quando lhes convêm, têm praticado, depois do escândalo da Luz, no roubo descarado do Braga.

Alguém, com sentido de humor, afirmou que o Braga teve azar. Foi apanhado na onda de criminalidade que tem invadido o País. Outro, mais dado ao domínio da ironia, tratando-a por tu, proferiu com graça que o Braga teve sorte. Apesar de roubado descaradamente, ainda ficou com o autocarro…e os pneus.

Felizmente, apesar da amizade feita de interesses comuns, maquinadas em negociatas, o Braga provou ter voz. E que não lhes doa, carago. Comecemos por Mesquita Machado. Sem eufemismos. Tratando os bois pelo nome. “Foi um assalto à mão armada, um roubo, e os roubos têm que ser investigados”. Aqui sorri. Investigados, meu bom autarca. Por quem? Pela paladina da Justiça, aquela dos olhos pintados em tons góticos? Santa ingenuidade…

Mas Mesquita Machado foi mais letal que Renteria e Meyong juntos. “Os erros foram premeditados”. Se isto fosse num Estádio, fazia a onda. O homem merecia. E ainda mais depois de, arvorado já no papel de líder da Assembleia Geral da FPF, ter lançado uma suspeita de enorme gravidade. “Existiram influências exteriores para que fosse este árbitro a apitar”. E pensava eu que éramos um País de brandos costumes. Não somos. Ele prova-o. Somos sim um País terceiro-mundista, corrupto, onde o poder e a justiça são ministrados de forma parcial. Regredimos no tempo. Voltamos às saudosas décadas [pelo menos para uma parte da população deste cantinho], onde o campeão era encontrado por decreto.

Tudo começou [e nunca é demais louvar a coragem] com Jorge Jesus. Ao contrário do colega de profissão, sentado no banco do Guimarães, que sorria alarvemente enquanto lhe palmavam um penalty, o treinador bracarense mostrou que os tem no sítio. “Não vencemos porque o árbitro não quis”. Curto e grosso. Para bom entendedor…

Noutro quadrante, o torpor deu lugar à indignação. Esqueceram-se os “project finance”, as luvas de pelica, as boas maneiras à mesa, e a indignação encontrou eco. Paulo Abreu apropriou-se [mas é um plágio perdoável] da máxima de Pedroto. “Roubo de Igreja” e um “comparado com a arbitragem de Pedro Henriques, isto foi obra de um profissional”. Já chegava para colocar muita gente com as orelhas a arder. Mas ele finalizou, qual Liedson de fato e gravata. “Mais levado ao colo deve ser difícil”. Toma. Embrulha. Gostei particularmente de uma frase, proferida em tons apoplécticos. “Os investimentos na arbitragem e em alguma comunicação social começam a dar frutos”. Lapidar. Quando as comadres se zangam, o verniz estala.

E as virgens ofendidas, que escreveram ressentidas após o Benfica-Nacional, têm estado estranhamente desaparecidas. Sempre prontos, naquele espírito corporativo enjoativo, a apaparicarem os responsáveis encarnados, servindo-lhes de respaldo para as grosserias e tonterias debitadas na comunicação social, foram o veículo apropriado para a coacção vergonhosa praticada, durante uma semana, de forma cirúrgica. Entrevistas à nulidade que vegeta no plantel das águias, despudoradamente usando o apelido de um grande avançado portista, ou ao pomposo director-desportivo, tudo serviu para inflamar uma fogueira que arde sempre em lume brando.

Espantosamente, o resultado teve efeitos quase imediatos. Se em Guimarães, para essa prova congeminada por Hermínio Loureiro, a gatunagem foi permitida, de forma submissa [o que umas promessas de jogadores não fazem, pela boa vontade], permitindo que os da casa fossem descaradamente prejudicados, mas sem qualquer intenção de provocar ondas de indignação, o jogo caseiro frente aos arsenalistas fez o País desportivo ficar perplexo. Alguns, beliscando-se, julgavam ter retrocedido, por artes mágicas, no tempo, quando a monopolização de títulos em Lisboa fazia a delícia de muitos. Mas não. A estratégia, congeminada laboriosamente, tem histórico. Começou à muito. Lembram-se da Pinhão jornalista, do marido realizador e da vaca escritora? Pois...

E agora é que é. Vou escrever sobre futebol. Daquele que se tenta vencer dentro das quatro linhas. Desde logo, uma dificuldade enorme. “Mas onde raio é que anda a bola?”, apetece perguntar, quando o nevoeiro se torna no actor principal de uma partida toda ela feita por secundários.

No último estádio onde foi feliz, o Porto apresentou-se de cara renovada. Aliás, como esperado, o perfil azul e branco sofreu uma transformação brutal. Com Nuno na guarda das redes e Pedro Emanuel o rosto da experiência, imperial no centro da defesa, o meio-campo parecia uma congeminação sul-americana, com os agora renegados Guarin, Bolatti e Tomás Costa a serem os elementos pretensamente dinamizadores de todo o futebol do Dragão.

Na frente, confesso, um trio de arrepiar os cabelos. Candeias, cada vez menos interventivo, Farías, cujo nome do meio deveria ser sinónimo de passividade e o fetiche-mor de Jesualdo, Mariano Gonzalez.

Como nem a feijões se gosta de perder, e apesar do jogo se ressentir claramente das adversas condições de visibilidade, coube aos portistas a primeira grande oportunidade de golo. Ironicamente, pela cabeça de um defesa, Sapunaru de seu nome, correspondendo a um belo cruzamento de Mariano. Passado o susto, os madeirenses pressionaram, colocando a descoberto algumas debilidades estruturais da defesa azul e branca.

O golo inaugural, pese a oposição encarniçada de Nuno, surgiu ao 3º remate consecutivo dos avançados nacionalistas. Numa equipa que de campeã apenas ostentava o nome, a ligação entre sectores era praticamente nula, sobressaindo apenas nesta fase o labor de Guarin, na dupla missão de apoiar os homens da frente, mantendo ainda tarefas de apoio defensivo, como demonstrou ao evitar que, aos 30 minutos, o Nacional ampliasse a vantagem.

Fosse pelo nevoeiro, ou por outro motivo qualquer, ninguém ainda se tinha apercebido que existia árbitro no jogo. E que juiz de campo. Lucílio de nome próprio. Baptista de apelido e Calabote de alcunha carinhosa, tantos têm sido os dislates da patética personagem, sempre que se atravessa no nosso caminho. E, para figurar no currículo, nada como nova medalha no peito. Penalty escamoteado aos 31 minutos, quando Mariano é derrubado por Maicon, dentro da área caseira.

O Porto, no entanto, num assomo de dignidade, empatou a contenda. Alonso perde displicente uma bola junto da sua área e Sapunaru fez o que lhe competia. Fuzilou para o empate.

A segunda parte trouxe mais do mesmo, com o cinzentismo do nevoeiro a protagonizar um duelo hercúleo com a vontade indómita de quem procurava jogar, em condições quase surreais. Sem qualquer alteração na dinâmica ofensiva do encontro, sempre com o sinal mais a ser protagonizado pelo Nacional, a qualidade e intensidade decaíram bastante.

Jesualdo tentou alterar o rumo dos acontecimentos. Efectuou a dupla substituição, responsável pelo golo da vitória na primeira jornada. Rabiola e Diogo Viana, por troca com Candeias e Sapunaru. Com a saída do lateral romeno, Tomás Costa abandonou o centro do terreno, ficando como proprietário da lateral direita. A irreverência da idade, desta feita, nada acrescentou de positivo ao futebol dos portistas. E, na fase mais sensaborona do desafio, um golo algo fortuito, no final da partida, ditou a derrota, sempre pesarosa, do FCP.

Melhor do Porto: Quem? Se eu não conseguia, na maior parte do tempo, ver o que quer que seja, como eleger alguém merecedor de encómios?. Pareceu-me que Nuno esteve seguro, tendo realizado uma grande defesa a remate de cabeça, após o 2-1. Sapunaru, apesar do desnorte defensivo, em alguns momentos da 1ª metade, esteve expedito, aparecendo duas vezes em zona de finalização. Quanto ao resto, apenas e só o lamento de que um jogo, nestas condições, tenha conseguido realizar-se, num claro desrespeito para com quem faz mover esta indústria: os adeptos!

Arbitragem: É bom saber que podemos contar com as coisas imutáveis da vida. O amor incondicional dos progenitores, as asneiras da adolescência, os cabelos brancos, prenúncio da passagem da idade, e Lucílio Baptista, com os seus erros fervorosos contra o que traja azul e branco. Nada a fazer. Apenas e só aceitar, com o nosso beneplácito, a incompetência e falta de seriedade do árbitro setubalense. Pode ser que um dia, num dos acasos em que o Destino é fértil, alguém se esqueça de travar o carro, quando ele atravessar uma passadeira. Ou um raio lhe caia, em pleno jogo, na cabeça. Ou…


61 comentários:

  1. Atenção que pode acontecer não poderem visualizar o jogo (dar erro na ligação) por motivos estritamente de bloqueio da rede de acesso da net dos locais d'onde estão a aceder (trabalho)... infelizmente, mas já o sabia, é o meu caso... por isso, aos que conseguem visualizar, bom jogo!... eu fico pela FM do telemóvel :)

    ResponderEliminar
  2. Não te preocupes blue pq mesmo com a transmissão não se vê nada!!!

    Está um nevoeiro do carago e não dá para ver nada naquele estádio de treta!

    Saudações azuis e brancas
    Carlos Pinto

    ResponderEliminar
  3. É mesmo.
    Será que é desta que reaparece el Rei D. Sebastião?

    ResponderEliminar
  4. Nem os gajos que estão a filmar sabem para onde virar a câmera... :)

    ResponderEliminar
  5. golo do nacional

    ResponderEliminar
  6. grande ideia poder ver o jogo aqui no escritorio mas n é boa ideia o Nacional estar a ganhar!!!!

    ResponderEliminar
  7. Pronto!

    O Nacional marcou, neste momento agora o porto tem que levantar a cabeça e ter que conseguir ganhar o jogo.

    ResponderEliminar
  8. MAU MARIA ... ISTO DE GRAMAR GOLOS EM CONTRA JÁ ESTÁ A SER UM COSTUME POUCO INTERESSANTE PARA O F.C.PORTO MAS O SAPU ACABA DE EMPATAR O JOGO , MAS GANHAR É QUE É BOM ... ELES AGORA NA 2ª PARTE TÊM QUE SAIR DE ÓCULOS AMARELOS

    ResponderEliminar
  9. A roupa já está apanhada há muito!

    Estou a gostar de ver..

    Será do frio? Estão um pouqinho presos de movimentos ou é impressão minha?

    ResponderEliminar
  10. De não perder tempo o a responder a comentários anónimos, ordinários e sem qualquer conteúdo.
    De utilizar o tempo para ver, via net, uma das poucas equipas Nacionais presentes na Champions.

    Quanto aos comentários estes irão, mais cedo do que mais tarde, para o seu devido lugar.

    ResponderEliminar
  11. Antes de apagares este comentário faz-me um favor, lê-o, e depois pensa se deves mesmo apagar.

    Mas essa da Champions é verdade, eu concordo.. E de alguma forma sinto-me orgulhoso pelo feito do vosso clube.

    Eu já vos disse, vocês têm aqui um adepto daqueles fixes, q não se deixam toldar pela clubite. E quando apareci aqui no blog a minha intenção era precisamente (como pessoa não Benfiquista) debater e discutir futebol.

    Confesso q desconhecia este vosso círculo tão impossível de penetrar.

    Se me tivessem dito q este blog era uma comunidade e q estranhos estão proíbidos de entrar, eu aceitava e ficava calado mas não, quando eu ainda era respeitador vocês souberam mandar-me pa tudo o q é sítio. Vocês criaram o monstro!

    Se é com esta ideia q vocês querem q eu fique tudo bem.

    ResponderEliminar
  12. Um zoom na página da internet e dá para ampliar a área de visualização sem perder grande qualidade.

    ResponderEliminar
  13. Paulo, difícil para ti na crónica.
    Fica tudo para Sábado, no Dragão.

    Já agora uma pergunta.
    Os cartões aqui contam para o campeonato?

    ResponderEliminar
  14. mesmo a trabalhar e com o nevoeiro deu para ver o penalty sobre o mariano aos 30 minutos

    ResponderEliminar
  15. Ó anónimo , é melhor que te percas daqui p'ra fora , és um bacano mas a malta já nâo te tem simpatia , e seria melhor q fosses andando-indo!

    ResponderEliminar
  16. Não vi nem ouvi e portanto não vou dizer nada sobre o jogo.

    Sobre a polémica, é preciso não deixar morrer o assunto e não calar a nossa revolta.
    O F.C.Porto, não diz nada?!...Dizemos nós!
    Se aquela arbitragem fosse no Dragão e favorável ao F.C.Porto, o que acham que acontecia?

    Se fazer pressões sobre os árbitros, resulta, então vamos fazer pressão!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  17. Não vi o jogo, estava a trabalhar, foi pena ao menos não se ter empatado mas para mim, que se lixe esta Taça.
    Vamos dando minutos aos jogadores, o resto é conversa.

    ResponderEliminar
  18. Visitem
    portugal-inverosimil.blogspot.com

    Inverosímil, obrigado!

    ResponderEliminar
  19. Paulo vim aqui dar-te os parabéns pela crónica. Fantástica. Os vermelhos ficarão corados de vergonha:) dp de a lerem:)

    Qt ao Lucílio, eu não costumo andar muito por Lisboa ou Setúbal, mas prometo estar pouco atento às passadeiras:)

    ResponderEliminar
  20. de qq das formas o Porto sábado tem obrigação de ganhar à Académica e se não formos 1ºs (o nacional só joga domingo em setubal) quase por certo q com 6 pontos podemos ser o melhor 2º para tb passar às meias.

    ResponderEliminar
  21. E, como forma de dignificar a competição, espero que se apresente o melhor onze no jogo de Sábado. Desde logo porque a própria gestão de esforço do plantel deve ser feita em competição.

    Uma vitória frente à Académica e o passaporte para as meias-finais. Quero isso.

    E, quem sabe se na final já não tem lugar um reencontro: o nosso...com Lucílio Baptista. Seria perfeito:)

    ResponderEliminar
  22. Cá para mim o melhor é mandar esse anonimo para o caralho que o foda. vai dar tanga para a tua trupe.....

    ResponderEliminar
  23. Cuidado com as carteiras só vejo gatunos!!!!!
    Isto está lindo.
    Mesmo agora vi um (golo)......
    Até o Paulo Bento admitiu que não era golo.
    Mas assim está uma maravilha .....
    Abraço

    ResponderEliminar
  24. um jogador do Rio Ave a caminho do Porto.
    Alguém está ao corrente desta transferência ?

    ResponderEliminar
  25. Offshore

    O LUCHO é capaz de te saber responder... há muito que ele fala nessa possibilidade e nesse "desejo" ;)

    ResponderEliminar
  26. Acho que já se perdeu completamente a vergonha.

    Isto agora vale tudo.

    Mais um assalto à mão armada.

    Num espaço de 4 dias, dois golos escandalosos.

    Até onde isto vai parar?

    ResponderEliminar
  27. Eu sei que estamos em crise e devia ser «poupar», mas começo a perceber que este ano:

    «É no roubar que está o ganho.»

    É caso para perguntar:

    Aonde pára a polícia?

    ResponderEliminar
  28. offshore:

    O que ouviste e onde?

    Eu sei de uns rumores...diz lá o q ouviste?

    ResponderEliminar
  29. Qt ao golo do scp é ESCANDALOSO. 3 vezes pior que o do slb...

    SÓ a nosso favor é q n se enganam.

    ResponderEliminar
  30. Paulo Pereira,

    Não queres trocar de lugar com o Rui Moreira?... depois disto, só posso dizer que qualquer Portista teria um enorme orgulho de ver o seu clube representado por uma "mente brilhante" como a tua :)

    PARABÉNS pela tua crónica... ta simplesmente F-A-N-T-Á-S-T-I-C-A!!!!

    ResponderEliminar
  31. Mas vocês ainda chamam aquela cena golo????

    O gajo está plantado atras do guarda redes .....

    E daqueles lances que não deixa duvidas .!!!!!

    Abraço

    ResponderEliminar
  32. Lucho :

    Por falar em passadeiras.....

    Conheço um camionista que vai muitas vezes a Lisboa.!!!

    Abraço

    ResponderEliminar
  33. Mais um calabote...agora um fiscal de linha chamado antónio vilaça...

    ResponderEliminar
  34. Caros PORTISTAS muito bom dia apesar da nossa derrota no nevoeiro:
    Fantastica cronica tristeza pela nossa derrota só espero que contra a Academica o nosso treinador não menospreze o adversario não invente e joguem para o serio. De resto mais do mesmo mesmos roubos ( enganos pois claro) mesmos beneficiados. Já vaticinavamos que este ano iria ser assim. Nesta epoca de pouca vergonha arbitral deviamos ter em conta as receitas do nosso velho mestre PEDROTO. Não nos podemos esquecer que para o ano só um vai á Champions e portanto esse um quer queiram quer não tem de ser a lampionagem. Malditos sejam.
    Porem contra tudo e contra todos FORÇA PORTO LUTEMOS POR SER FELIZES
    276mqj

    ResponderEliminar
  35. Lucho,
    Parece ser o Miguel Lopes e que o João Tomás vai para o Rio Ave.
    a confirmar

    ResponderEliminar
  36. Pois... espero q esse rumor sobre o Miguel Lopes (q tb já ouvi) se confirme. O miúdo é bom de bola.

    ResponderEliminar
  37. Paulo Pereira:

    Esta tua prosa, ora deixa cá ver, diria que, ou até porque não? naaaaa!!! nada disso!!! esta, está tão simples quanto isto:

    F-A-B-U-L-Á-S-T-I-C-A !!!

    No resto, quanto ao resultado, a competição, os reservistas, o troféu e tal e coisa, dizer apenas que dormi esta noite tranquilamente à sombra desta coisa a que chamam pomposamente de Taça da Liga... se ganharmos, ganhamos!... se perdermos, para a próxima ganhamos!!! há, para nós, mais mundo, muito mais mundo do que esta coisa arremessada de taça da Liga... no entanto, basta ganhar sábado em casa e tamos lá para o que der e vier.

    Por fim, e dado o uso e abuso do plano C por parte do Prof. Jesualdo Ferreira, 101% d'acordo é o que me apraz dizer... era o que mais faltava estar a desgastar os «principais» pró troféu da tasca da Liga, onde ninguém parece levar isto muito a sério, senão ser um treininho mais sério e pouco mais.

    ResponderEliminar
  38. Ir ao estádio e não ver nada. O nevoeiro desvirtuou por completo um espectáculo destinado às pessoas. Lucílio Baptista deveria ter suspendido a partida. houve alturas em que não se viu um palmo à frente dos olhos. O nevoeiro também acabou por esconder eventuais virtudes e defeitos da equipa de arbitragem. Se houve casos polémicos, ninguém os viu...

    ResponderEliminar
  39. Notícia de 13.01.08:

    «Um navio norueguês com uma tripulação de 52 membros foi atacado por piratas na costa da Nigéria, no Oceano Atlântico. O navio estava a cerca de 30 milhas da fronteira com os Camarões, perto do setor petrolífero do delta do Niger. Os piratas, que atacaram a bordo de duas ou três embarcações rápidas, subiram pela ponte mas não conseguiram entrar para o interior do navio e abriram fogo antes de fugirem»

    Perguntam vocês: "O que é que isso tem a ver com o futebol português, se, ainda por cima, se passou perto da costa dos Camarões?"

    Ora aí está. Tem tudo a ver. Lá como cá, os piratas estão em franca actividade.

    No Domingo, um grupo de piratas "calaboteanos", atacou uma embarcação proveniente da famosa Bracara Augusta, junto à costa da 2ª Circular, vilipendiando-os em 3 pontos. O chefe do grupo, membro da famosa Igreja Evangélica Baptista de Portalegre comandou a barbárie, sem dó nem piedade. O capitão da embarcação, Jorge "Haddock" Jesus, afirmou que em 20 anos no alto-mar, nunca tinha visto nada assim, e já tinha visto muitos piratas, nomeadamente, o famoso "Capitão Gancho". O dono da embarcação, Ah Salvador, não calou a sua revolta. 'Foi um roubo de igreja', afirmou. Um roubo de Igreja Evangélica Baptista, claro está.

    Ontem, um pirata-assistente, Ah Vilaça, atacou uma traineira de Vila de Conde. Este pirata, conhecido por usar uma pala no olho e, consequentemente, ter grandes limitações na sua visão, roubou um ponto à tripulação, prejudicando-os bastante. 'A vida na pesca é dura e ninguém LIGA à gente', afirmaram.

    Não tenho dúvidas. Este país está a saque e os piratas andam aí.

    ResponderEliminar
  40. Esta história (baseada em factos reais) sobre os Piratas está fenomenal, blue world:)

    ResponderEliminar
  41. 'Ontem, um pirata-assistente, Ah Vilaça, atacou uma traineira de Vila de Conde. Este pirata, conhecido por usar uma pala no olho e, consequentemente, ter grandes limitações na sua visão, roubou um ponto à tripulação, prejudicando-os bastante. 'A vida na pesca é dura e ninguém LIGA à gente', afirmaram.'

    Foi só um ponto mas com dois fora de jogo na mesma jogada!!!
    Sem ponta de nevoeiro.
    A arbitragem está mesmo de rastos.

    ResponderEliminar
  42. EStilhaço:

    2 fora de jogo no 1º passe... MAS depois no remate de postiga está o VUK off side encostado quase à baliza aí uns bons 3 metros à frente da linha defensiva do rio ave...

    ResponderEliminar
  43. Uma sugestão: porque não fazem como eu e vão ao blog do presidente da liga, falar-lhe desta nojeira?
    Um abraço

    ResponderEliminar
  44. qual é o link do blog do hermínio?

    ResponderEliminar
  45. http://www.4linhas.com/

    é este o blog do hermínio

    ResponderEliminar
  46. Pá, olhem q essa cena de atropelar pessoal nas passadeiras é crime, dá prisão!!!!!!

    ResponderEliminar
  47. Em entrevista à Revista Tribuna Douro, Pinto da Costa revela que a Liga ainda não entregou o troféu de campeão nacional ao FC Porto, conquistado em Maio.


    Pinto da Costa já escreveu ao Secretário de Estado do Desporto a pedir que Laurentino Dias intervenha junto da Liga para entregar ao FCF Porto aquilo que é do FC Porto, confidencia o presidente campeão nacional à revista Tribuna Douro. “Uma taça que foi ganha com vinte pontos de avanço, em Maio, mas que a liga não entregou, nem nos diz para ir lá buscá-la, nem nos manda!”, pronuncia Pinto da Costa em jeito de desabafo.

    O presidente portista deixa, ainda a provocação: “se formos vivos, pelos menos vocês que são mais novos, ainda são capazes de ver o Benfica campeão, quando esse dia chegar vocês vão ver se a taça não é entregue logo”, antevê Pinto da Costa.
    Este exemplo do troféu que ainda não está na vitrina do dragão serve para Pinto da Costa justificar que o centralismo em Portugal é cada vez mais evidente. Para demarcar a ideia, o presidente azul e branco fala de preferências editorais na comunicação social, situando um exemplo em que a titularidade de Moretto foi escolhida para manchete, no mesmo dia em que o Porto assumia o primeiro lugar do grupo de Liga dos Campeões. Uma opção editorial que Pinto da Costa compreende, mas apenas “se já pressentissem que Moretto não ia defender nenhum penalti”, ironiza o dirigente, uma vez que o jogo em questão foi o confronto entre Leixões e Benfica para a Taça, decidido nas grandes penalidades

    in rr.pt

    TEMOS Q NOS UNIR CONTRA ESTA PANDILHA DE ESCROQUES

    ResponderEliminar
  48. Se bem me lembro, quando a merda vermelha ganhou/roubou o campeonato em 2004/05, a prestosa Liga apressou-se a entregar o troféu, logo no dia seguinte, com pompa e circunstância na Casa da Música. Os bois vermelhos até tiveram que regressar ao Porto, passadas 24 horas do fim do jogo com o Boavista.

    Não mais a Liga voltou a entregar o troféu no dia seguinte ao final do campeonato. Porque será?

    ResponderEliminar
  49. O (leitão) do HERMÍNIO DEVE ter medo de entrar no Dragão. É q pode LEVAR na tromba, de algum de nós:)

    ResponderEliminar
  50. Esse leitão quer uma final à moda de Lisboa mas só por isso deviamos ganhar e golear a academica sábado e lutar por chegar à final. E sábado o JESUALDO q leve a equipa principal para treinar o jogo ofensivo em casa! Depois na final se a ganharmos não deviamos levantar o trofeu, ele q o envie por correio.

    ResponderEliminar
  51. Lucho :
    Pelo que sei leitão é até 10 kilos , mais passa a ser PORCO....
    Abraço

    ResponderEliminar
  52. Toda a entrevista de Pinto da Costa à Revista Tribuna Douro, no Dragão até à morte.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  53. Á Vossa atenção:

    Nomeações para a Taça da Liga:
    FC Porto-Académica: Carlos Xistra
    V. Setúbal-Nacional: Augusto Costa
    Sporting-P. Ferreira: Duarte Gomes
    Marítimo-Rio Ave: Vasco Santos
    Guimarães-Olhanense: Artur Soares Dias
    Benfica-Belenenses: Bruno Paixão

    Três internacionais nos jogos dos 'três grandes'.
    A ver se seguram a barraca :-)

    ResponderEliminar
  54. Será que vai haver mais alguma aquisição para o F.C.Porto?
    ...até ao lavar dos cestos é vindima.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  55. Lá anda o Dragão Vila Pouca com as bombas :-)

    ResponderEliminar
  56. Bruno Paixão no Belenenses-Benfica... a coisa promete! :-) É um árbitro que erra sempre nas decisões, só não se sabe para que lado.

    ResponderEliminar