10 agosto, 2009

Superação azul e branca


assistência: 15.722 espectadores.

árbitros: Jorge Sousa (Porto), José Cardinal e Tiago Trigo; Vasco Santos.

FC PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves «cap.» e Álvaro Pereira; Fernando, Raul Meireles (Guarin, 90m) e Belluschi (Farias, 46M); Mariano, Hulk e Varela (Tomás Costa, 74m).
Não utilizados: Nuno, Miguel Lopes, Maicon e Valeri.
Treinador: Jesualdo Ferreira.

P. FERREIRA: Cássio; Filipe Anunciação (Carlitos, 64m), Ricardo, Ozeia (J. Coelho, 82m), Kelly e Jorginho; Leonel Olímpio e Pedrinha (William, 68m); Baiano, Romeu Torres e Cristiano.
Não utilizados: Coelho, Fábio Pacheco, Maikon e Leandrinho.
Treinador: Paulo Sérgio.

disciplina: cartão amarelo para Jorginho (36m), Álvaro Pereira (43m), Filipe Anunciação (46m), Bruno Alves (48m), Romeu Torres (48m), Leonel Olímpio (54m) e Ozeia (71m).

golos: Farias (59m) e Bruno Alves (89m).


Um lance invulgar de Farias e um cabeceamento magistral de Bruno Alves deram expressão a uma incansável busca da felicidade protagonizada pelo FC Porto na conquista da 16ª Supertaça do seu palmarés. Imperou a determinação e o brio onde, a espaços, espreitou a falta de ritmo e a dureza excessiva. E ganhou quem mais fez por merecê-lo.

Em cima da hora de jogo da noite de Aveiro, Farias foi protagonista de um lance pouco usual no futebol, mas que espelha em pleno a receita do sucesso aplicada pelos Dragões no duelo com o Paços de Ferreira: o avançado argentino nunca deu por perdida uma jogada que parecia morrer nas mãos de Cássio e aproveitou um deslize do guarda-redes adversário para apontar o golo inaugural da partida.

Foi de determinação constante e de atitude irrepreensível que se fez o triunfo azul e branco, num encontro típico de arranque de temporada, com ritmo inconstante, animação variável e fulgor físico limitado. O êxito esteve sempre na mente do Dragão e nunca as fugazes tentativas pacenses colocaram em causa a permanente superação azul e branca.

Três ocasiões, no espaço de três minutos, abriram as hostilidades do ataque portista na primeira parte, com Varela e Belluschi a assumirem o papel de primeiros artífices da avidez azul e branca. O golo não surgiu então, mas ficaram desenhados os contornos de um domínio que conheceria outros desenvolvimentos já após o descanso.

Sem se perturbar com a entrada enérgica, mas infrutífera, do Paços na segunda metade, a formação de Jesualdo Ferreira construiu com astúcia uma resposta condizente com o desafio colocado. A persistência de Farias sobressaiu no lance que abriria o marcador e lançaria os Dragões, definitivamente, rumo ao desejado triunfo.

E o que veio depois foi domínio evidente e controlo total por parte do FC Porto, espelhado em diversas ocasiões soberanas para o avolumar do resultado, não tendo então Hulk, Mariano ou Farias aplicado a mesma eficaz receita protagonizada por Bruno Alves já a caminho do apito final. Aos 89 minutos, o capitão portista subiu às alturas em plena área contrária e cabeceou, perante o desamparado Cássio, para o golo que sentenciou em definitivo a partida.

Estava encontrado o desfecho ajustado à discussão do Estádio Municipal de Aveiro e premiada a consistência de um Dragão ainda em processo de crescimento, mas já sem pudor em mostrar voracidade, elegância e um enorme potencial, que o presente reconhece com títulos e que o futuro, uma vez mais, confirmará.

fonte: fcporto.pt



23 comentários:

  1. 16ª já cá mora, carago! Estádio de Aveiro, maioritariamente pintado de azul e branco, Foi palco de mais uma conquista do Dragão! E ganhámos tudo o que havia para ganhar a nível nacional! Melhor? Não é possível! Parabéns à nossa equipa e ao nosso grande treinador.

    Quanto ao jogo, já estava à espera. Mais díficil do que no Jamor, um paços com mais tempo de trabalho criou-nos mais dificuldades. Mas não é por isso que não marcámos mais cedo. Pelo que vi hoje, temos muito bons jogadores, agora é só a equipa ficar consolidada de todo! À medida que o tempo for passando, vamos ganhando mais ritmo. Gostei particularmente dos três reforços que jogaram. Álvaro muito bem, sempre seguro, Belluschi quase inaugurava o marcador no melhor lance da primeira parte e Varela mais uma vez muito endiabrado. Está bem substituído o cebola. Cristinao foi o melhor pacense.
    Cássio deu uma ajuda, mas estou convencido, pela maneira como jogámos na segunda parte, que marcaríamos a qualquer momento. E gostei muito que o Bruno Alves marcasse também!

    Bom arranque da temporada 2009/2010!

    BIBÓ-PORTO-CARAGO!

    ResponderEliminar
  2. É verdade que o importante era ganhar mas não fiquei muito satisfeito com o que vi. É certo que o Paços é uma equipa muito organizada e que troca bem a bola mas continuo a notar muitos passes errados, muita displicência e alguns jogadores que como suplentes ainda se aceitam mas não como titulares.

    Não me agradou o Belluschi, sempre muito lento sobre a bola e ter muitas perdas sendo que o Meireles uns furos abaixo do normal não chega para por ordem naquela zona.

    Álvaro Pereira sempre muito recuado para Fucile subir mas este não deu nenhuma qualidade ao jogo. Acho que devia ser Fucil ficar mais atrás para permitir a subida de Álvaro especialmente com Hulk naquela zona.

    Fernando começou mal mas foi melhorando e toda a defesa, tirando os 10-15 minutos iniciais, esteve bem com Bruno Alves em evidência e a maracra um golo fantástico de impulsão e força.

    Hulk, muito marcado, foi pouco interventivo e o Porto sentiu muito a sua falta.
    Farias aproveitou muito bem o brinde do guarda-redes e ainda marcou outro que foi anulado por milímetros.

    Como bem disse Jesualdo, que este jogo fique de aviso para o que aí vem e que o Porto melhore.

    ResponderEliminar
  3. Viva.

    Não foi um jogo lá muito bem conseguido,mas nesta altura da época não é anormal.
    O principal era vencer e isso foi conseguido de forma justa e inquestionável.

    Este Porto tem muita qualidade,disso não duvido,mas uma qualidade que ainda está longe se ser totalmente potencializada.

    É preciso calma e paciência e,acima de tudo, muito trabalho!

    Em Frente Porto!

    Abraço =)

    ResponderEliminar
  4. Mais uma para o museu. E esta não foi a feijoões, nem com um adversário a falhar penalties de propósito e a piscar o olho para as câmaras.
    Foi ganha de querer e garra.
    Farías mostru mais uma vez ao nosso treinador - grande treinador, aliás - que só não lhe podem pedir o impossível, que marque golos sentado no banco.
    Ainda não se vê o Porto, como salienta o Dragão66, mas já se vê Porto, digo eu.
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Bom, foi uma questão de relógios, nós, os Tetra Campeões, jogámos com Rolex, os do Paços jogaram com "Cássio", e quando assim é!

    GRANDE Bruno Alves! Mas que golão... mas que golão! Não me canso de repetir o golo aqui na box... f.a.b.u.l.o.s.o! Como que a dizer: "fiquei e estou feliz!"

    "El Tecla" a facturar, sempre oportuno.

    Não deslumbrámos, mas cumprimos, e ficou uma nota: o espírito de conquista! Auguro um bom início de campeonato, apesar de ainda serem necessárias algumas correcções na máquina.

    O caneco já cá canta! E o resto é letra!

    Campeões... campeões... nós somos campeõeees!

    ResponderEliminar
  6. Frente a uma equipa pacence boa de bola, rodada, atrevida e sem complexos, que jogou olhos nos olhos, durante uma grande parte do jogo, o F.C.Porto não foi, também não se esperava que fosse, uma equipa exuberante, dominadora, compacta, forte, que certamente será lá mais para a frente. No início de época, quando se tem novos jogadores - precisam de aprender novos métodos e novos processos -, o mais importante é ganhar e isso o F.C.Porto conseguiu, sem grande brilhantismo é certo, mas com uma justiça inquestionável.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. O Lucho prometeu, o Lucho cumpriu :)

    E já vão 16 destas.

    ResponderEliminar
  8. Há que ter paciência. O nosso futebol ainda não encanta mas já ganha:)

    É verdade, Heliantia "regressei com a supertaça". Vim de Aveiro (onde estive com o Paulo Pereira, o Bruno Rocha, o João Rocha e o Sevilha03, todos colaboradores aqui do blog) feliz com mais uma conquista do clube q amo.

    O NOSSO blue boy enviou-me sms a mandar cumprimentos para todo o pessoal do blog. EStava a seguir o jogo no hotel onde está de férias com umas belas vistas para a piscina:)

    O Hulk não pode jogar no meio, como mais uma vez se viu e perdeu-se 45 minutos por isso não foi professor?

    E sobre o Hulk está na altura do FCP mandar umas bocas na imprensa antes q arrumem o nosso bombardeiro. Mete dó a porrada q ele leva !!!

    ResponderEliminar
  9. O FC Porto aproxima-se assim do Benfica no que diz respeito ao número de títulos conquistados (FUTEBOL SENIOR), somando agora 64 títulos (24 Campeonatos Nacionais, 14 Taças, 16 Supertaças, 4 Campeonatos de Portugal, 2 Taças dos Campeões, 1 Taça UEFA, 1 Supertaça Europeia e 2 Taças Intercontinentais), contra os 65 do líder Benfica...

    Vai ser esta época q o clube do Regime vai perder a única coisa q ainda lhe dava um pequeno argumento para se debater perante as nossas sucessivas conquistas!!


    Em termos de supertaças DE FUTEBOL, temos maioria absoluta, 16 em 31... 16 ganhas pelo FCP e 15 ganhas pelo conjunto de todos os outros clubes!!!

    FC Porto 16
    Sporting 7
    Benfica 4
    Boavista 3
    V. Guimarães 1

    ResponderEliminar
  10. Um jogo algo desanimado, com muitas faltas e sem grande ritmo. Helton continua mal na baliza.. mas pronto, arrecadámos o título que era o que interessava!

    Um abraço, Gaspar
    http://odragaozinho.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Dragão66, boa analise..concordo plenamente com as observaçoes adiantadas. Tripeiro lamento discordar mas os 3 reforços apresentados pouco ou nada trouxeram a equipa..fica visivel que apesar de haver um Porto com potencial de crescimento muito vai ter de mudar para que o Penta seja uma realidade!!
    Alvaro Pereira regular mas nao empresta profundidade a lateral como fazia Cissokho, talvez seja mais metodico no espaço defensivo , mas necessita rever a marcaçao a distancia pois sempre oferece 2,3 metros na abordagem aos lances..Varela dificilmente oferecerá mais que o que ficu a vista..tenta a velocidade mas foi incapaz de ganhar no 1*1 com Jorginho..ainda assim foi dos mais esforçado..Bellushi , bem este foi uma nulidade tanto no que apresentou como no que provocou no onze...nao será quase de certeza nunca opçao para o manter do eskema anterior, mto longe de ser Lucho, obriga a total descordenamento no sector de meio campo com os jogadores a perder nocao dos espaços que ocupavam....Fernando ve-se obrigado a jogar uns bons metros a frente da posiçao natural e com isso ressente-se o Porto pois nao tem uma invulgar capacidade de passe..
    Entre mtas outras observações de caracter negativo, avanço ainda pra uma ekipa pesada, sem explosao em alguns jogadores e pra alguns tikes de um ou outro jogador que pensei estarem erradicados , por exemplo em B. Alves(lance do amarelo)...Na mata real as coisas vao ser diferentes de parte a parte e um futebol como o de ontem nao chega pra entrar a ganhar!!!!

    ResponderEliminar
  12. Acho que temos um problema bicudo a meio campo pois a transição para o ataque não se faz e daí não haver oportunidades de golo.
    Muito trabalho pela frente que se espera chegue a bom Porto.
    Há que refzer a equipa, dar automatismos mas sinto que falta ali "algo".
    Reforços: Belluschi sem entrosamento, Pereira razoável mas aquela falta junto à grande área ... e Varela, inconformado, lutador mas ainda ansioso o que estraga o seu jogo.
    Uma palavra para o Farias, um rato de área notável.
    E para o grande Bruno com um golo ENORME!!!

    ResponderEliminar
  13. Boas,

    Conseguiu-se o q era esperado: a vitória!

    Qt ao resto, continuo a manter a bitola da paciência bem elevada. Jogo típico do início de temporada, frente a um adversário com arreganho e claramente mais rodado.

    Tirando o equívoco de colocar Hulk no centro do ataque, onde ele se torna uma presa fácil para os defesas, o Porto do 2º tempo mostrou alguns dos predicados que se esperam chegar para a obtenção do Penta.

    Não acho, sinceramente, que Belluschi tenha estado assim tão mal. Vi-o a participar nos poucos lances de ataque portista, na 1ª metade, conseguindo fazer algo que ainda não lhe tinha visto: participar activamente nas tarefas defensivas. Não tendo estado brilhante foi, quanto a mim, bem melhor do que Meireles.

    Varela deu aquilo que se sabe que ele tem: velocidade. Ponto. É um jogador mediano mas que, como aqui já referi, pode ver potenciadas algumas das suas características no esquema táctico de Jesualdo. Com Hulk e Varela nos extremos, o porto ganha um futebol musculado, feito de rápidas transições defesa-ataque, podendo criar mossa nas defesas contrárias. Foi abnegado, nunca se tendo escondido do protagonismo.

    Qt ao resto, estou como o Bruno Rocha. Alvaro Pereira parece muito certinho, mas tem o estranho hábito de marcar à distância, concedendo inúmero espaço que, com outro adversário, poderá acarretar prejuízos sérios à equipa.

    Gostava de ver Miguel Lopes no sector defensivo. Fucile continua alternar entre o bom e o francamente mau, cometendo disparates grosseiros.

    Domingo, na Mata Real, será mais um jogo difícil, mas com características diferentes das de ontem.

    Acredito que, desta feita, Hulk iniciará o jogo no lado direito, ficando Jesualdo com uma bela dor de cabeça: o que fazer a Mariano?

    O argentino, ontem, foi de enorme importância táctica, acabando o jogo desgastado, mas depois de ter passado por 3 posições distintas. Começou no lado esquerdo do ataque, passou para o centro do meio-campo, após a saída do compatriota Belluschio e, finalmente, jogou no lado direito, o seu posto de eleição, com a entrada de Tomas Costa.

    Estando claramente em boa forma, poderá no entanto continuar no onze inicial, se Jesualdo optar pelo voluntarismo e capacidade de trabalho dele, em detrimento de Belluschi.

    De resto, apenas mais uma pergunta, no seguimento do que já aqui foi dito pelo Lucho: até quando teremos Hulk? Será que lhe vai acontecer o mesmo que a Anderson?

    ResponderEliminar
  14. Concordo com o Paulo Pereira. O Bellushi não esteve assim tão mal e tal como diz o paulo pereira esteve até uns furos acima de Meireles...

    ResponderEliminar
  15. Justa a vitória do F.C.Porto, apesar de ter uma exibição não tão boa, o importante foi mesmo levar o Caneco para Casa depois de alguns anos de "greve".
    Este titulo, no Futuro ( falo eu da Liga Sagres ), poderá ter um papel importante.

    Um abraço, http://varanda-do-dragao.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  16. Pela 1ª vez vi um jogo completo deste novo F. C. Porto.... foi um jogo que já esperava.. á que dar tempo ao tempo.

    Hulk tem que estar numa das alas se não, não vamos lá... não conheço Falcão, mas com este sentido de oportunidade de Farias penso que é este ano que vai explodir.

    Venha a proxima victoria.

    ResponderEliminar
  17. Já tinha saudades daqueles momentos de ansiedade. Aquele golo do Bruno Alves não me sai da retina, tem asas aquele nosso capitão, mas receio que aquela exibição de poder e paixão pelo que faz, reavive a cobiça dos clubes que o seguem.
    Hulk, por este andar não vai ter canelas intactas por muito tempo, pois a complacência do orbito ao mostrar apenas um amarelo no lance em que foi ceifado pelo adversário quando já o tinha ultrapassado e encaminhava-se a todo o vapor para a baliza, não anuncia nada de bom nem para ele nem para nós.

    ResponderEliminar
  18. Também sou da opinião que o Belluschi não esteve assim tão mal. Quer isto dizer, sei que ainda deve dar muito mais, mas ainda se viu alguma coisa. Aquele remate na primeira parte quase deu golo, foi azar. Esteve pior o Meireles, ainda não está na forma a que nos habituou.
    O Álvaro talvesz esteja habituado a outro tipo de futebol, mas tem capacidade e vai-se integrar bem nesta equipa. Vem com rótulo de lateral muito ofensivo, mas não se pode nunca esquecer da sua principal função, defender!
    Varela, concordo inteiramente com o Paulo Pereira, passo a citar: "Varela deu aquilo que se sabe que ele tem: velocidade. Ponto. É um jogador mediano mas que, como aqui já referi, pode ver potenciadas algumas das suas características no esquema táctico de Jesualdo. Com Hulk e Varela nos extremos, o porto ganha um futebol musculado, feito de rápidas transições defesa-ataque, podendo criar mossa nas defesas contrárias. Foi abnegado, nunca se tendo escondido do protagonismo."

    Talvez tenha de deixar de ser tão individualista, parece estar a crer ganhar protagonismo. E melhorar o cruzamento.

    O Supertaça está ganha, mas ainda há trabalho pela frente...

    ResponderEliminar
  19. Confesso que não esperava uma exibição de luxo. Não foi, longe disso. O FC Porto portou-se como uma equipa vulgar, não conseguindo em momento nenhum superiorizar-se ao modesto Paços de Ferreira.

    Pior que isso, consentiu que os pacenses chegassem por duas ocasiões a baliza de Helton com imenso perigo.

    Graças à fífia de Cássio e à codícia de Farías (um dos poucos atributos deste goleador argentino) lá conseguimos arrancar para a vitória de mais um troféu.

    Foi vencer sem convencer.

    Jesualdo vai ter muito que limar para apresentar uma equipa competitiva. A jogar desta forma não venceremos novamente o Paços, agora em sua casa.

    A equipa mantém uma das fragilidades das épocas anteriores: Falta de qualidade de passe que interrompe frequentemente a progressão e diminui a possibilidade de criar situações de golo.

    É um aspecto em que tenho vindo a insistir e que não vejo melhoria.

    O futebol foi tão fraquinho que nem ouso destacar quem quer que seja.

    De resto, viva o FC Porto.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  20. Viva !

    Mais uma vitória mais uma Alegria.

    Vi o jogo :

    Penso que foi um jogo fraco. Mas para quem viu, como eu, alguns desafios da L1 Francesa, o Porto-Paços foi bem superior.

    Francamente, continuo a não entender quem afirma que a L1 fr é superior à L1 pt. Fisicamente sim. Mas isso é unicamente para compensar a falta de técnica ou de domínio de bola. É uma opinião subjectiva.

    A vitória do Porto é indiscutível !

    Ainda não há entroncamento mas isso é normal.

    Todavia : Acho que o Porto precisa dum chefe de orquestra. Talvez mais necessário que um ponta de lança. Mas não é possivel dar a analisar debaixo dum só jogo.

    Achei também estranho que perante uma equipa que só sabe defender não teham existido meias distancias. Salvo erro, Meireles remata pela primeira vez, nos 30 metros, à baliza no último quarto de hora da primeira parte. E quem não remata não ganha. Também me parece que o Hulk andou um pouco perdido.

    No âmbito duma vitória indiscutível eis para mim os pontos mais e menos :

    Menos : Alvaro Pereira chega atrasado e comete falta. Falta por tras e desnecessaria. E com os pés levantados. Um cartão vermelho não me teria chocado.

    Fernando comete falta disparatada no eixo central. Será em seguida, para mim, um dos melhores jogadores em campo.

    Mais : Grande criação do ataque do Porto digna de figurar nas antologias de futebol. Hulk faz o que mandam as regras : Passe pra tras. Pena que o avançado chegasse atrasado. Muito Bela esta jogada. Grande combinação com a bola a ser colocado no eixo central. Um hino ao futebol.

    Grande golo de Bruno Alves ! Salto em extensão ( como se fosse camera lenta ).

    Grande reposição de Helton ( eu acho que ele fica mais bonito e com mais charme com a cabeleira )com a mão de 50 metros. Pena que o atacante não tivesse aproveitado o contra-ataque.

    Após uma dezena de dias passados no Périgord ( bela região que tem sem dúvida a segunda mais bela cidade do mundo após Paris / no que diz respeito à Idade Média Baixa )( mas eu prefiro na mesma o Porto ), eis o que me ficou na memória quanto ao futebol :

    "La Depeche du Midi", dedicou uma página inteira a Paulo Machado. Já não existe qualquer referencia ao Porto. Contra o Corunha , em jogo amigável marca de canto directo. No sábado passado foi um senhor em campo e vítima dum autentico atentado. Continua a seduzir a França ( pelo seu trabalho e humildade e saber fazer )que não se resume a Paris ( Minha Nossa pareço a minha mulher a falar e que é Marsalhesa . Lol ! )

    Já hoje :

    Lisandro está hoje em grande destaque quer no "Parisien" , quer no "Liberation". Edições papel.

    Este último diário retraça a estória de Lisandro. O título é "López o pistoleiro silencioso". Mais uma vez o Porto é citado à grande e à Francesa !

    No jogo contra o Le Mans, dá uma assistência para golo e marca um golo. 88 por cento dos seus passes são conseguidos. Mas o que está a deslumbrar os comentadores é a sua capacidade em defender e em atacar. Já é um ídolo.

    Todavia : Estamos no início da época. Logo se verá ! Por isso...

    Para terminar : Após passeio e estadia no Perigord, ameaças terroristas impedem pais de dar um passeio pela Bretanha. O caso será levado perante tribunal familial.

    Se vier comentar regularmente, foi porque perdi/perdemos o processo. Lol !

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  21. Acho que o Bellusci esteve bem pior que o Meireles.
    O Meireles é que tem menos desculpas que o Belluschi.

    Venha a Liga, Carago!

    Abraço

    ResponderEliminar
  22. Eu passo-me com a "colidade" de alguns críticos que por aqui pululam!
    Não gostaram. O Pçaos chegou 2 vezes à baliza, a qualidade do passe é diminuta, e outras apreciações do estilo! Vendo os "outros", e a euforia que por aí vai, sou levado a pensar que estes pseudo dragões são de faz de conta.
    Dentro daquilo que as nossas disponibilidades possibilitam, esta equipa NÃO é inferior às anteriores. E assim sendo...
    O que é de relevar, é o "afan" dos jornaleiros da loja dos 300, que para não enfatizarem aquilo que é RELEVANTE, o termos ganho mais Taças que os outros todos JUNTOS, direccionaram as "apreciações" aritméticas para as Taças ganhas pelo Jesualdo.
    Já agora, e relativamente a essa televisão dita de serviço público, contem quantas vezes se vêem as bandeiras do clube de bairro lá da capital, no "spot" de promoção do desporto na RTP-N. N de notícias, não tenham veleidades...
    Depois, façam exigências de acordo com os padrões desta gentalha!

    ResponderEliminar
  23. Dragaopentacampeao. Ler o seu comentário dá vontade de chorar, pois a acreditar no que escreveu, o nosso Porto ontem foi uma grande desgraça (o adjectivo é pouco expressivo?). O Porto foi uma equipe vulgar? Permitiu que o modesto Paços chegasse por duas vezes com perigo a nossa baliza? O futebol foi tão fraquinho que não ousa destacar quem quer que seja?
    Bolas, vou rever os meus critérios de avaliação presentes e passados, pois no seu entender a equipe mantém as fragilidades de épocas anteriores.
    Pois é, mas mesmo assim somos tetracampeões, vulgares mas tetracampeões. Vulgares mas o caneco de ontem é nosso.

    ResponderEliminar