24 fevereiro, 2009

No Carnaval... nem disfarçado se pode jogar mal!!!

Em dia de Carnaval, a habitual 3ª feira gorda tem como prato principal no Menu do Dragão, um Duelo Ibérico. Está de volta a mais elitista prova europeia, competição onde só cabe a mais fina flor do futebol da velha europa, mas onde grado modo, o tempo vai promovendo o regresso de alguns emblemáticos clubes.

O Club Atlético de Madrid esperou uma dúzia de anos para voltar ao convivio com os grandes da Europa e nem pode dizer-se que o regresso não esteja a ser auspicioso.

Colchoneros patentearam evidente supremacia face aos demais adversários de seu grupo, vendo esfumar-se as hipóteses de serem primeiros em virtude de um empate no terreno do Marselha aquando da última jornada, mas sobretudo, muito por culpa de uma arbitragem caseira em Anfield Road que permitiu aos Reds um escabroso empate, deixando desde logo patente o peso das hierarquias na UEFA.

Nessa altura, esse era ainda o Atlético de Aguirre... volvidos alguns meses, os parcos resultados em La Liga, ditaram o afastamento do técnico Mexicano, promovendo o regresso de um dos filhos prodigos do clube Madrilenho, Abel Resino.

Confesso que não vejo grandes diferenças entre os estilos de jogo em ambos os técnicos, corro mesmo o risco de adiantar que os Colchoneros jogam um pouco melhor, ainda que não muito, sendo que no que toca a ganhar mais vezes, não ganham!!!

Continuamente mostram as carencias do seu jogo, onde entre as demais lhes aponto a falta de clarividência no endosso da bola sempre que em construção, falhos de ideias no processo colectivo, a fúria espanhola apenas ganha expressão quando as suas estrelas Agüero, Forlán, Simão e Maxi Rodriguez têm uma daquelas noites de sonho.

A imprensa nao é unânime na atribuição do favoristismo. Se uns colhem na experiência dos azuis e brancos um factor de peso capaz de desiquilibrar a contenda em favor dos Dragões, a equipa residente do Vicente Calderón tem por força do maior número de individualidades, o fiel da balança inclinado em proveito proprio, mas só isso.

Esteriotipados num corriqueiro 4x4x2 clássico, que faz do ataque rápido a alavanca do seu poderio ofensivo, fica provado que os movimentos mais dissecantes das pretensões azuis, são as diagonais interiores que os extremos procuram, alicerçados nos movimentos para as costas da defensiva contrária, onde a dupla Agüero/Forlán, são exímios predadores do espaço concedido, sem esquecer o efeito do constante promover de duelos individuais, que para além de contagiarem a sempre ambiência vibrante do Calderón, causam mossa e desiquilibrios nas estruturas defensivas opositoras.

Atmosfera que envolve o tiro de partida deste oitavos de final, é como atras referenciei, um dos handicaps com os quais Jesualdo e o FC Porto terão de conviver, sendo certo que apesar de estarem mais que acostumados a lidar com o peso e a pressão da aficion, esta é ainda uma equipa que denota alguma falta de maturidade, onde parte do onze é ainda virgem nestas andanças de jogos a eliminar.

Os Dragões habituados ao constante marcar de presença na fase seguinte à de grupos, tem tido nos oitavos um habitual stop a outros voos, pelo que a partida do Vicente Calderón é tambem sinónimo de um elevar da fasquia para algumas das nossas melhores individualidades.

Tenho vindo neste espaço, semana após semana, a desnudar muito do futebol portista. Os jogos da Champions são para além de tudo, embates onde o grande rigor táctico e técnico são âncoras do sucesso. Resino espiou os Dragões ao mais infimo pormenor, estando por demais avisado para o que são as virtudes e as vulnerabilidades dos azuis e brancos.

No dossier de espionagem dos colchoneros, devem constar factos, que também nós, fiéis seguidores das mui nobres cores azuis somos conhecedores. Logo à partida, a insofismável certeza que este 4x3x3, que o é no papel, é diferente nas competências do 4x3x3 da época anterior. Demorou a consolidar-se a estrutura, sendo o Porto de hoje, uma equipa que denota capacidade técnica, que procura jogar, mas que concede espaço e bola ao adversário para jogar também, com uma orgânica colectiva onde a coluna vertebral assenta num eixo experiente onde só Fernando é peça menos rodada. Um sistema de jogo que subliminarmente toca outros preâmbulos da táctica, fruto das competências individuais dos jogadores que dão forma ao colectivo, não estranha ver-se este Porto em fases de jogo próximo do 4x1x4x1, ou de um 4x4x2, onde a defesa nao foge ao conforto atroz e permeável da marcação à zona, com Bruno Alves e Rolando a controlar o espaço aéreo e com Fucile a ser o lateral com maior expressividade e vocação ofensiva, onde Cissokho vê serem-lhe abertas as portas da alta roda.

Uma defensiva que vastas vezes sai a jogar, onde Fernando é o ponto de contacto entre a zona tampão e colmatar da diferenças de espaços entre linhas, com pouca liberdade para aparecer noutros terrenos, deixando desta forma, toda a linha de construção nos pés de Lucho e Meireles.

Com as laterais a mostrarem a natural permissividade, é Rodriguez quem dá o equilibrio à zona intermédia do campo, juntando-se numa espécie de 4 elementos que ajuda ao funcionar da zona de pressão na linha de ¾ de campo, onde asfixiam as saídas dos oponentes.

Não é o modelo mais feliz e construtor das iniciativas rivais, até porque se permite muito espaço na zona frontal à baliza de Helton, mas tem levado parte da água ao seu moinho, ficando a aguardar melhor provedoria na Europa.

Os alertas chegam de toda a parte. Hulk é um dos mais visados. Eximio no encurtar de distâncias entre o seu meio campo e a baliza, a explosividade alavancada na mais fina das técnicas e poder de remate, fazem dele um ariete voraz pelas redes adversárias. O incrível é um portento ainda a ser lapidado, mas cujo o brilho se nota em todas as acções da frente de ataque. Lisandro é um trabalhador nato, incansável na pressão, letal nas diagonais em que incorre sempre que tem Lucho como principal endossador de bola. Rodriguez é outra das flechas penetradoras.

Já aqui adiantei que só um Porto muito forte e perto do máximo rigor colectivo pode colher dividendos em Madrid. As laterais são um dos pontos a explorar no rival de amanhã, a defesa é sem sombra de dúvida um dos sectores mais vulneráveis do conjunto colchonero, e sabe-se como um golo fora nas competições a eliminar vale ouro, como tal, mais que nunca o cariz das transições e contra-ataque deve estar perto do auge presucutório de efectividade.

De Espanha é costume dizer-se nem bons ventos, nem bons casamentos. O historial de confrontos entre os emblemas em compita não tem qualquer expressividade e peso, ainda que os ares das terras de nuestros hermanos sejam pouco convidativas a optimismos exagerados num jogo onde grande parte da iniciativa de jogo estará do lado Madrilista, cabe aos Dragões tapar todos os caminhos para a sua baliza, sem conceder grande liberdade ao quatro magnificos colchoneros.

O Atletico pôs a tónica no ganhar e no marcar golos. O técnico colchonero enfatiza a vontade de vencer e a importância da partida. Aos Dragões, pede-se pelo menos uma atitude de igualha semelhante e consentânea com os pergaminhos dos azuis e brancos por essa Europa fora e que tao eloquentes elogios colheram na imprensa anfitriã.

LISTA DE CONVOCADOS:

Guarda-redes: Helton e Nuno.
Defesas: Bruno Alves, Cissokho, Pedro Emanuel, Fucile, Rolando, Sapunaru e Stepanov.
Médios: Fernando, Lucho González, Raul Meireles e Tomás Costa.
Avançados: Farías, Hulk, Lisandro, Mariano, Cristian Rodríguez e Tarik Sektioui.


# post publicado em simultaneo no fórum
fcporto.planetaportugal

nota do administrador: um agradecimento muito especial ao Amigo do blog, Blue World, por todas as ajudas do técni-color em forma de "flash" que recentemente por aqui têm aparecido e acampado para ficar. Mais uma vez, MUITO OBRIGADO .

16 comentários:

  1. É pá, o bLuE, isto anda a ficar muito sofisticado, carago!!
    Com bonecos a mexer e o caraças. Fonix!! ganda Pinta.

    ResponderEliminar
  2. Depois de um período no exílio e uma profunda reflexão, a pedido de muitas famílias, cá estou eu de novo para animar as matinés. Vim para salvar este blog de uma morta certa em agonia e sofrimento. Regresso como o grande salvador. O grande «special one» da blogosfera. Ainda sou do tempo das postagens com 160 comentários. Agora, cada postagem tem meia-dúzia de comentários. Mas isso vai acabar. Prometo que vamos voltar aos tempos da abundância, das vacas gordas, de postagens com 200 comentários ou mais. Hoje, é um dia histórico para todos nós. O dia em que este blog mudou. Este blog está muito parado, noto muito marasmo, muitos "yes-men", toda a gente concorda com toda a gente. Um diz "Palavra da Salvação". Os outros respondem "Ouvimos, Senhor". Mas o que é isto, minha gente, meu povo? Cheguei para promover o debate, com uma voz dinâmica, assertiva e incisiva. Não sobrará pedra sobre pedra. Cheguei no momento M, na hora H. O nosso Porto vai à frente do campeonato. Para não dizerem que sou eu que destabilizo a equipa. Vamos iniciar um novo tempo, uma nova era. Teremos um blog A.H. (Antes de Hurakatai) e D.H. (Depois de Hurakatai). A hora é esta, meu povo! É chegado o momento. Vou salvar este blog. Vou cumprir a profecia. A missão que DEUS me confiou. Espero que os convidados da ordem mantenham aquele odiozinho de estimação pela minha pessoa, que muito aprecio. A hora é de agitar as marés. Revitalizar os dentes. Dar corda aos calcantes. Cumprir o destino. Acredito que com a ajuda de toda a comunidade, ergueremos este blog a um nível superior. Este dia será recordado pela história. O dia em que o mundo mudou com o regresso do GRANDE E LEGENDÁRIO HURAKATAI. Me aguardem.

    ResponderEliminar
  3. Blue,

    Agradeço as tuas palavras.

    Já sabes que podes contar com a minha ajuda.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  4. sou um seguidor assiduo do vosso blog, e um devoto portista.

    em relaçao ao jogo de hoje, sou da opiniao qe deviamos jogar com o tomas costa em vez do hulk ou lisandro de inicio.

    tomas costa como medio direito a tapar os caminhos tanto a pernia ou a simao e a ajudar no meio campo.

    e como toda a gente fez tanto eco do hulk, seria importante confundir tambem os espanhois e te lo fresco para a segunda parte, enquanto na primeira sustemos a normal vontade de mostrar serviço em casa qe o atletico vai ter ...

    vamos la ver ...

    abraço ;)

    ResponderEliminar
  5. Estavas tao bem no exilio...
    "Amigo" Vasco registo a sua opiniao pelo simples facto de por certo no seu amago kerer o melhor para o nosso Porto, mas eu desejo k ao contrario de outras tantas situaçoes de invançao Jesualdo nao fuja um milimetro ao Onze mais rotinado e mais capaz de por os Colchoneros em Sentido , é k isso de guardar armas pra depois por norma nao tras vantagens....
    No calderon, Jesualdo tem de ser ratón e com argucia mas muita competencia tem de engendrar um esquema e uma estrategia capaz de mostrar na Champions um Porto que raramente se viu em Terras Lusas.
    Acredito que possamos fazer um resultado capaz de nos manter na Rota Romana da Liga Milionária, tenho algum receio que a depauperada mostra exibicional que nos tem acompanhado dê novamente ares da sua graça e a Europa mostre o quao fragil e pouco competitivo é o nosso futebol...temos no entanto valores individuais e raça suficientes para que tb as nossas estrelas num assomo de qualidade e transfiguração demonstrem a Velha Europa que este Dragão merece um lugar entre as 8 melhores equipas...
    Um aparte, o atletico e a imprensa hermana tem dado especial enfoque ao aspecto psiquico da eliminatoria recorrendo a desgraça alheia como forma de maior pressao, P.assunçao abriu as hostilidades, juntando-se agora a kestao de ALCALA o menino que se encontra entre a vida e a morte, os colchoneros kerem dar-lhe uma vitoria...eu perdoem-me mas é verdade que o futebol tem o condao de aglutinar meios e capacidade pra grandes movimentos onde as causas se sobrepoem ao demais mas parece-me de mau tom fazer um aproveitamento descarado destas ou de outras situaçoes similares como mote para algo mais....

    ResponderEliminar
  6. Começando pelo facto novo: um blog sempre à frente, na descoberta de novos motivos de interesse, agora com uma animações catitas, dinamizando o espaço. A devida vénia ao Blue World...

    Quanto ao jogo de hoje, será complicado, como previsívelmente se sabia, nesta fase da prova. O Atlético, com enorme potencial mas numa fase delicada da temporada, tem jogadores capazes de fazerem a diferença e uma aficcion leal, conferindo sempre um ambiente feérico no estádio.

    Será preciso um Porto concentrado, perfeito tacticamente, mas capaz de jogar de igual para igual. Um Porto com personalidade. É isso que espero que Jesualdo seja capaz de transmitir à equipa.

    Hoje é o regresso da Champions, com tudo o que isso acarreta. Grandes jogos, ansiedade crescente, confrontos titânicos. Que sejamos dignos daquela camisola.

    ResponderEliminar
  7. ó blue como é que fizeste isso?

    ResponderEliminar
  8. Grande animação!

    Para logo vai ser mais um jogo difícil , mas as grandes equipas são para grandes jogos. Espero que o professor não vá para lá cheio de medo ,temos equipa para eles e muito mais !!!!!

    Acredito que vamos ganhar.

    FORÇA PORTO

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Vamos lá Porto. Com confiança e sabendo que somos (nós, o scp e o braga) os grandes embaixadores de Portugal na Europa.

    E qt às novas tecnologias mts parabéns blue world, soberbo trabalho!

    Já estou nervoso, carago:)

    ResponderEliminar
  10. Agradeço a todos os cumprimentos.

    Só vem reforçar a minha vontade em continuar a inovar e a ajudar o blogue.

    Muito obrigado a todos.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  11. Boas,

    Chegou o grande dia! O dia dos jogos de Champions, em que a adrenalina atinge o máximo e o friozinho na barriga aparece logo pela manhã. Com todo o respeito pelas competições nacionais, que sempre servem para fazer os Goberns, os Valdemares, os Hurakatais e os Manhas deste mundo engolirem sapos enormes, eu gosto é dos jogos europeus, da magia e grandiosidade da Champions League.

    Na época passada a desilusão foi grande, quando caímos aos pés de uma equipa bem inferior à nossa e de forma inglória. Esta temporada, o Atlético Madrid também está ao alcance, mas julgo que colocará a equipa mais em sentido e consciente das dificuldades. Os madrilenos atravessam um momento complicado, mas possuem grandes jogadores, sobretudo do meio-campo para a frente.

    Espero um FC Porto personalizado. Desde que Abel Resino pegou na equipa, parece que o pressing alto se tornou uma imagem de marca dos 'colchoneros'. É de prever que entrem a pressionar bastante e a tentar forçar no ataque. Aguentando os primeiros minutos, o FC Porto pode depois começar, paulatinamente, a controlar o jogo e a tentar desferir os seus ataques mais abundantemente.

    O sistema deles é igual ao do Benfica, 4-4-2 rígido e previsível. Com inteligência e qualidade, podemos controlar o jogo como fizémos na Luz e conseguir um bom resultado (vitória ou empate com golos). A ideia do Vasco de colocar Tomás Costa no onze é, teoricamente, boa. Mas o onze está nesta altura consolidado e não vejo razões para mudar, além de que nos poderia retirar alguma força atacante e o FC Porto deve entrar no Vicente Calderón com espírito de conquista. É verdade que as alas são uma das principais forças do Atlético, com Simão e Maxi Rodríguez, mas espero que o colectivo portista seja competente o suficiente para deter este ponto forte. É preciso também ter muita atenção à meia distância de Maniche. E sermos agressivos quando não tivermos a bola, acho este FC Porto demasiado expectante e passivo a defender, espero que hoje isso não se verifique. Esperemos igualmente pela inspiração de Lucho, Lisandro, Hulk e Rodríguez.

    Estou confiante para este jogo. Espero ter uma alegria logo.

    ResponderEliminar
  12. Viva !

    Toda a imprensa Francesa desportiva ou não desportiva cita ou fala do jogo.

    E ainda há quem diga ou escreva que o Benfica é o clube Português com maior projecção internacional. Passemos !

    A imprensa desportiva em geral aponta para uma eliminatória equilibrada, dando favoritismo ao Porto no que diz respeito ao apuramento. Os aspectos mais citados são a experiência do Porto e o facto que a segunda mão seja no Porto.

    O "So foot" on line, edição de hoje, lembra que os madrilenos são invencíveis em casa há 13 jogos (10 vitórias ) e, paralelamente, o Porto em 15 deslocações a Espanha perdeu 12 vezes. É mesmo dizer de Espanha nem bom vento nem bom casamento.

    Embora esteja com receio quanto a este jogo, acredito no apuramento. São as minhas contradições !

    Espero poder ver o jogo !

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  13. Fantástico!!! Muito melhor que os gráficos rascas da Sport TV...

    ResponderEliminar
  14. Estas sofisticações estão muito fixes!

    Já estou a aquecer a voz. Já só falta uma horinha!

    ResponderEliminar
  15. Fogo, concordo com o estilhaço nunca mais começa.

    ResponderEliminar