31 outubro, 2009

Assobiar ou não assobiar, eis a questão...

assistência: 31.819 espectadores.

árbitros: Olegário Benquerença (Leiria), José Cardinal e Bertino Miranda; António Augusto Costa.

FC PORTO: Helton; Sapunaru, Rolando, Bruno Alves «cap» e Alvaro Pereira; Fernando, Belluschi e Raul Meireles; Mariano, Farías e Hulk.
Substituições: Belluschi por Falcao (46m), Sapunaru por Rodríguez (53m) e Mariano por Guarín (79m).
Não utilizados: Beto, Nuno André Coelho, Tomás Costa e Prediger.
Treinador: Jesualdo Ferreira.

BELENENSES: Nelson; Mano, Rodrigo Arroz, Diakité e Barge; Gabriel Gomes, Celestino, Zé Pedro e Ivan; Fredy e Lima.
Substituições: Rodrigo Arroz por Devic (45m), Zé Pedro por Fellipe Bastos (51m) e Fredy por Cândido Costa (78m).
Não utilizados: Bruno Vale, André Almeida, Igor e Adu.
Treinador: João Carlos Pereira.

disciplina: cartão amarelo a Ivan (64m), Bruno Alves (74m) e Nelson (84m).

golos: Lima (46m), Farías (63m).


Quando Shakespeare criou a famosa frase “to be or not to be, that´s the question” [ser ou não ser, eis a questão], estaria longe de pensar que a mesma, concebida para a peça Hamlet, teria utilizações tão dispares, ao longo dos séculos subsequentes. Até na análise de uma mera partida de futebol, pensará enfadado o dramaturgo britânico, revolvendo-se no caixão. Não fazendo como o príncipe de Dinamarca, para quem ele alimentou a frase, dou por mim pensativo, após mais um jogo portista. Sim ou não ao assobio, como direito a exigir espectáculos mais condignos com as insígnias que se ostentam? Não sendo uma pergunta retórica, ficará a resposta para mais adiante.

E pronto. Depois de uma semana de acesa discussão, na blogosfera portista, quando à qualidade futebolística da equipa de Jesualdo, ao direito [ou não] de se assobiar quem enverga aquela camisola sagrada e aos méritos de Mariano, espécie de injustiçado, para uns, e provocando urticária, para outros, eis que chega o momento ansiado. A hora do jogo. Aquele momento mágico em que, pese os lados diferentes no debate, todos se unem em torno de um ideal. A conquista dos 3 pontos, o prémio mais precioso, num campeonato que se prevê disputado até aos limites, numa luta sem quartel.

Antes de nova deslocação, na Liga dos Campeões, para uma inédita visita ao Chipre, os Dragões encontram pela frente um Belenenses ainda à procura de uma identidade, lutando actualmente de forma desesperada para fugir ao Destino dos últimos anos: despromoção e posterior milagre, com repescagens sucessivas a salvar os azuis da Cruz de Cristo de uma permanência no Inferno.

Com Fucile entregue aos cuidados médicos, a única alteração na defesa resulta desse facto. O internacional uruguaio cede a titularidade ao romeno Sapunaru. Menos agressivo, o jovem do leste europeu tem crescido em maturidade, nas raras vezes em que é chamado à equipa principal. Na retina, as conseguidas exibições, na época passada, enfrentando os colchoneros de Madrid, provando que existe ali potencial de sobra para que o lado direito funcione sem qualquer tipo de percalço.

No meio-campo, o regresso de Belluschi completou o tridente habitual, com a companhia inseparável de Fernando, médio mais posicional, e Meireles, descaído para a interior esquerda.

Na frente de ataque, as surpresas deixaram alguns atónitos. Desde logo, a boa exibição de Farías, frente à Académica, valeu-lhe uma titularidade inesperada, relegando o melhor marcador dos azuis e brancos [e 2º melhor do campeonato] para o banco de suplentes. Nele, Falcao contou com a companhia de Rodríguez, pouco habituado a ver o jogo de um ângulo pouco privilegiado. O confronto, já referido, para a Champions, terá motivado o treinador portista a conceder algum descanso a dois habituais titulares, pedras nucleares na espinha dorsal da equipa.

E iniciaram-se as hostilidades. Se alguém esperava uma rectificação da exibição melancólica e apática do último Domingo, cedo teve uma sensação de deja-vu. A equipa, sem dinâmica, manteve a bitola exibicional, alternando entre a mediania e a mediocridade. Se o posicionamento defensivo não merece qualquer reparo, não permitindo grandes veleidades aos jogadores contrários, fazendo da imediata recuperação do esférico a tarefa primordial, já não se pode dizer o mesmo das transições ofensivas.

Novamente sem um pensador de jogo capaz de ser omnipresente [Belluschi, pese a boa vontade, passou literalmente ao largo do encontro], o jogo dos actuais campeões procurava ser rectilíneo. Bola nos extremos, onde Hulk e Mariano procuravam dinamizar o ataque, com trocas regulares de posição, o Porto tinha tudo a seu favor para sentenciar o encontro sem grandes arritmias cardíacas. Ao contrário da Briosa, que engendrou uma teia quase letal para travar as investidas portistas, este Belenenses limitava-se a defender, na habitual estratégia das equipas pequenas: estacionar um autocarro em frente da baliza de Nelson e esperar, fervorosamente, que tudo corresse pelo melhor.

Não foi preciso uma lição táctica, nem uma estratégia revolucionária, para coibir o jogo do Dragão. De uma honestidade assombrosa, o Belenenses assumiu o papel de secundário, deixando o palco para o protagonista. O FC Porto. De permeio, o técnico lisboeta fez aquilo que lhe competia. De uma previsibilidade assustadora, o jogo portista enredou-se, à muito, num labirinto sem saída. Vivendo, quase obsessivamente, das jogadas individuais de Hulk, ressente-se quando o brasileiro é manietado. E, quando isso acontece, o Porto estrebucha, qual enforcado na ponta de uma corda, sem soluções visíveis e alternativas ao craque agor chamado à Selecção de Dunga.

Mais uma vez, perante a timidez do adversário, o Porto deu 45 minutos de avanço. Chegam e sobram os dedos de uma mão para enumerar as oportunidades de golo criadas. Foram raras e, quase sempre, fruto de um futebol trapalhão, confuso e desordenado.

Com o adversário acantonado numa porção reduzida de terreno, os espaços escasseavam. Meireles ainda procurava rasgar, tal como Belluschi, algumas zonas de passe, pecando quase sempre na entrega do esférico. Jesualdo pressentiu o perigo. Aproveitou a sabática pausa do intervalo para modificar o esquema táctico. Retirou o apagado Belluschi e fez entrar Falcao, transformando o esqueleto da equipa num 4-4-2. Poderia resultar, tal como frente aos pupilos de André Vilas Boas. Poderia, mas os Deuses da Sorte nem sempre beneficiam, com os seus humores, os mais fortes.

O início da segunda metade trouxe o primeiro balde de água fria. Contra-ataque letal do Belenenses, beneficiando de uma clamorosa falha de Alvaro Pereira, colocando em jogo Lima e este, friamente, a inaugurar o marcador. Primeira sintoma de náusea, com aquela sensação indefinida de tragédia a secar a boca, alastrando os sintomas de pânico. Paradoxalmente, o Porto reagiu. E bem. Mantendo um equilíbrio precário entre a razão e a paixão, empurrou definitivamente o opositor para uma defesa desesperada. Empatou, pouco depois, numa amostra do que foi o jogo dos da casa. Lance impreciso e incerto, mas finalizado com classe por Farías. O 4º golo do argentino acalentava as esperanças dos adeptos. Jesualdo tornou a mexer. Colocou Rodriguez, como médio interior esquerdo, retirando Sapunaru.

O golo da reviravolta esteve perto, várias vezes. O Porto encontrou, nesta fase, novo obstáculo. A desconhecida inépcia de Falcao, desperdiçando lances fáceis, desesperando quem assistia. A luta contra o relógio, sempre terrível e desgastante, minou a restante moral. Bastava uma mera aragem da fortuna. Bruno Alves cabeceou à trave, aos 90 minutos. Meireles ao lado, já no ocaso do jogo, com Nelson batido. O pano descia na Invicta, ficando a pairar uma forte sensação de frustração.

Análise final: Pouco a acrescentar. O Porto não aprendeu com os erros anteriores. Um adversário acessível, de confrangedora fragilidade mas que, à imagem de outros, consegue criar dificuldades extremas, com a previsibilidade portista a ser quase um sinónimo de resignação. Frustrante porque este fim-de-semana tinha tudo para ser colorido de azul e branco. No Minho, defrontam-se os dois primeiros, sendo que a perda de pontos, de um ou de ambos os contendores, beneficiaria largamente o Dragão. Isto, claro, se o trabalho de casa fosse feito, de forma satisfatória. Dois pontos preciosos perdidos [os primeiros, esta temporada, em casa], de importância acrescida, quando se é perseguidor, em vez de perseguido. Este Porto continua a alimentar a fogueira de ambição do seu mais directo rival, concedendo balões de oxigénio à onda vermelha que pretende ser imparável. O jogo da próxima jornada, na Madeira, assume uma importância crucial.

O melhor do Porto: Lá dentro, ninguém. No banco, idem aspas. Só mesmo nas bancadas, onde os fervorosos e crentes adeptos apoiaram, incondicionalmente, a equipa, sempre convencidos no aparecimento do golo redentor. Recuso-me a destacar alguém apenas porque o esforço ou capacidade de luta foram características evidenciadas. Não chega. É preciso mais, na defesa daquele símbolo majestoso que está estampado nas camisolas.

Arbitragem: Miserável. Mas isso, desde há muito, que deixou de ser novidade. Não sendo nenhum visionário, já tinha deixado, como muitos por aqui, a certeza de que iremos assistir, até ao fim, a uma reposição de um velho filme, com o argumento costumeiro. Branqueamentos de erros dos adversários, luzes da ribalta incidindo fortemente sobre aqueles que nos beneficiam, alimentando polémicas estéreis e a corja de bajuladores na imprensa a continuar a orientar o sentido da opinião pública. Não pretendo, de forma nenhuma, transformar o juiz de campo no bode expiatório da perda de dois pontos. Mas que existiram erros com influência directa no resultado, existiram. O golo anulado a Farías, na primeira parte, aparece à cabeça como exemplo da incompetência arbitral. Alguém devia explicar aquela anta que o simples facto de o avançado portista se encontrar adiantado, em relação à defesa, não é motivo para anulação do lance. Se a bola lhe vier parar aos pés, resultante de um corte – como aconteceu – o lance adquire toda a legalidade. Não perceber isto é, no fundo, mostrar o estado a que chegou o pantanoso mundo da arbitragem em Portugal: um local pouco recomendável, habitado por espécimes execráveis. Tudo permanece imutável, tão do agrado dos velhos do Restelo.

48 comentários:

  1. Já alguém tinha avisado que, em dia de jogo no estádio do Dragão, existe uma enorme tabuleta com o prato do dia que vai ser servido. É o mesmo de sempre. Com o Jesualdo, nunca falha. Mais uma exibição de merda.

    Não há maneira de o homem nos enganar e nos surpreender com uma boa exibição. Não há maneira. É que nem sequer pedimos uma goleada. Já nem pedimos isso. Uma mísera boa exibição. Será pedir muito? A equipa mais cara de sempre do futebol português não é capaz disso?

    Foi você que pediu um assobio?

    ResponderEliminar
  2. Convidamos todos os bons adeptos portistas a visitarem os espaço dos adeptos da UD Oliveirense, vosso adversário na 4ª eliminatória da Taça de Portugal, em:

    http://udoliveirense.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. ao autor deste blog: remove os teus óculos de lentes cor de rosa.

    Já muito boa gente vem cá desde o inicio da época dizer o que anda mal!!

    não jogam nada e pedem carinho. equipa mais cara de sempre. assobiar estes cromos.

    e você n é o único sócio do Porto. Provavelmente sou mais antigo que o senhor.

    ResponderEliminar
  4. Resultado perfeitamente, perfeitamente, normal para quem já anda a meter há algum tempo e andava numa vida do «cai-te, não caias». Agora, caiu mesmo.

    Soem as trompretas. Se amanhã a corja vermelha ganhar em Braga, acabou o campeonato.

    Obrigado, Jesualdo. És o maior. Obrigadinho por me estragares o fim-de-semana e a nossa época.

    Jesaualdo. Mais um «forever». Mais um a pedir para ser despedido.

    ResponderEliminar
  5. Huuummmm...se começassem a jogar desde o primeiro minuto do jogo e não desde o minuto 45 talvez conseguissem ganhar,não sei....é uma só uma teoria minha.

    Não foi justo,mas o futebol não é justiça,é eficácia e desta vez não tivemos a suficiente.

    E estou demasiado irritada para dizer mais alguma coisa.ggggggrrrrr.....

    ResponderEliminar
  6. Cheira bem cheira a Belém30 outubro, 2009

    Vá lá va lá que ficaram com um pontinho para se lamentarem e assobiarem os vossos notábeis...

    Belém´sempre

    ResponderEliminar
  7. Viva !

    Vi o jogo aqui já que à parabólica, após votação, não tive acesso. Vou fazer um golpe de estado cá em casa : Lol !

    Vi o jogo em perfeitas condições. Obrigado, blog !

    Perder pontos em casa é muito mau sinal, mas não forçosamente dramático.Mas é angustiante.

    Sou Portista desde pequenino. E no campo da Constituição brinquei.

    Por isso , não vou incendiar ninguém.Porque isso não ajuda nem é construtivo. Eu conheci a atravessia do deserto.

    Quanto ao jogo :

    Vou continuar a bater na mesma tecla : O Porto não tem maestro. Não há entroncamento entre as linhas.

    A prova que não há entroncamento é que, salvo erro meu, o primeiro remate à baliza pertenceu ao Belenenses.Alegremente, o homem infiltra-se entre as linhas e chuta. No fundo, aos oito minutos a história do jogo estava escrita.

    Jogar com dois avançados de raíz, quanto a mim, mostra a fraqueza dum plantel.

    Laterais não existem e o jogo afunila-se. Meia bola e força : Tal como na segunda metade do campeonato Inglês.

    Sempre o disse depois da saída do Lucho: O Porto precisa dum criador. Alguém que saiba iludir e criar espaços outros que aqueles estereotipados.

    Portista sou e Portista serei. Não é genético, é cultural ! E para quem me conhece é "constitucional".

    Como já devem ter reparado que tou "chateado" e que mais aborrecer não quero embora me vou.

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  8. Eu não vou dizer nada do que me vai na alma, pois tenho respeito pelos restantes comentadores. Mas um treinador que não se irrita com uma primeira parte igual à que nos foi servida só têm um caminho. Dedicar-se de vez ao subsídio mínimo, que é para isso que o homem serve. É confrangedor olhar para Hulk e ver a quantidade de bolas perdidas e passses errados que o homem faz. Como é possivel que este treinador tenha destruído um jogador desde calibre.

    Colocar um jogador destas a vir receber bolas de costas para a baliza, junto à linha lateral e no meio campo, é uma vergonha.

    Este é para receber a bola da diagonal para dentro em corrida livrando-se do seu marcador directo.

    Se o senhor tivesse respeito pelos adeptos teria incentivado os seus jogadores a esforçarem-se mais na primeira parte.

    Estou cheio deste tipo...gozão e pouco dado a esforços. Acho que também se deve de achar um special one... Vá para o cr....

    Peço desculpa a todos os colegas aqui do blog, mas este senhor já chega. O mais engraçado é que ele até foi honesto na conferência antes do jogo. Avisou que poderia ser díficil... e nós feitos burros ainda fomos ao estádio testemunhar.

    ResponderEliminar
  9. Ò Jesualdo e companhia...Depois de lêr isto já compreendo a V/posição. Não é preciso esforçar muito pois o Sporting já está a uma boa distância e por isso ainda se ajuda os amigos, já que se o Belenenses perdesse hoje lá ia o boca de sapo para a 3ª divisão.

    Agora vejam se percebem estas pérolas dos Benfas.
    "O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, revelou hoje que a SAD só admite vender um jogador "depois de Dezembro" e que, se tal acontecer, o mesmo "permanecerá no plantel até ao final da época". Numa reunião informal com vários jornalistas e convidados, no Estádio da Luz, Vieira justificou essa decisão com a "aposta nos resultados desportivos", a "principal prioridade do Benfica", razão pela qual prometeu que a SAD "vai investir no reforço da equipa na reabertura de mercado", em Janeiro de 2010, apesar dos 34,8 milhões de prejuízo hoje anunciados. O administrador da SAD, Domingos Soares Oliveira, não identificou o jogador passível de ser negociado depois de Dezembro, mas aludiu a um futebolista do plantel "que valia 20 milhões de euros em Julho e que hoje vale 35 milhões". Seria Luís Filipe Vieira a fazer alusão ao nome de Di Maria, cuja cláusula de rescisão foi recentemente aumentada para 40 milhões de euros porque a SAD recebeu uma proposta de 30 milhões", que recusou. "Se o Di Maria tem uma cláusula de 40 milhões é porque alguém já nos deu por ele 30 milhões", confessou o presidente do Benfica. Caso surja uma oferta de 35 milhões de euros pelo internacional argentino, Domingos Soares Oliveira admitiu que o Benfica "pode ser obrigado a vendê-lo", apesar da cláusula de 40 milhões, a não ser que "cubra a oferta, pagando sete milhões, correspondentes a 20 por cento do montante daquela, ou convença os subscritores do Fundo que o jogador "tem um potencial de valorização susceptível de gerar uma proposta superior". O presidente "encarnado" desvalorizou o prejuízo de 30 milhões no exercício de 2008/09, na medida em que para ter um resultado positivo "bastaria que a SAD tivesse vendido um jogador", considerando que o Benfica "pode ser um clube rentável e ganhador". "Se chegar uma proposta de 25 milhões pelo Di Maria, a Espírito Santo Fundo de Investimento Mobiliário SA (ESAF) não quererá, de certeza, vender o jogador", observou Domingos Soares Oliveira, minimizando a perda do direito do Benfica de fazer uma opção estratégica no sentido de manter o jogador. Argumentou que esse será "um conflito positivo" para a SAD, enquanto Luís Filipe Vieira lembrou que "o Fundo não foi criado numa óptica de especulação".

    ResponderEliminar
  10. Não aguento mais este treinador, sem ambição, sempre a jogar no erro do adversário ou no contra ataque.
    As declarações no final do jogo foram confrangedoras, um perfeito deixar passar, 1000 gostava de estar enganado mas com este senhor não vamos ganhar nada este ano.

    ResponderEliminar
  11. Já fomos...30 outubro, 2009

    Deixa lá ver se me lembro o que disse o MST: «Este é, até ver, o FC porto mais fraco dos últimos anos, a mais fraca das equipas de Jesualdo Ferreira, a que pior futebol pratica».

    E os «Labaredas» vieram logo criticá-lo por dizer...a verdade?

    Se acham que não é a que pior futebol pratica, porque fazem questão de o demonstrar semana após semana?

    Caro Jesualdo, é mesmo verdade que ainda está a lutar pelo título? Really???

    Havia assim tanta necessidade de estender uma passadeira vermelha para o título dos encornados? Ou o coração agora fala mais alto? Três campeonatos já chegam, não é, meu caro?

    ResponderEliminar
  12. Mister Jesualdo,

    No fim da época, não se esqueça de passar pelo galinheiro da Luz para receber a medalha de campeão encornado, directamente das mãos do orelhasnet. Mais do que merecido. Mais do que justo. Brilhante trabalho zo afastar o FC Porto da luta pelo título.

    Medalha justíssima e merecida. Parabéns.

    ResponderEliminar
  13. Cheira bem cheira a Belém30 outubro, 2009

    Desculpem mas não acham que vocês assobiam e ficam em depressão com a barriga cheia? Ou julgam que podem ganhar todos os jogos? Ou quando não ganham são os árbitros os culpados? É preciso saber ganhar e saber perder... digo eu... o meu CFB teve sorte e então? quantas vezes sucedeu o mesmo com o vosso clube?

    Saudações Azuis (de BELÉM)

    ResponderEliminar
  14. O lance do golo anulado a Farias teve influência mas a qualidade de jogo é tão mediocre q nem me apetece falar nisso.

    Estou tão farto deste futebol e deste treinador...

    Não vale a pena vir com falinhas mansas. Não gosto dele, nunca gostei. Mas estarei lá todos os jogos até ao final.

    ResponderEliminar
  15. Este resultado não é nada do outro mundo. Já se vinha adivinhando, com resultados como os que foram obtidos contra o APOEL e a Académica. A minha opinião sempre foi coerente. Nunca achei o o jesualdo treinador para o porto, mesmo com os títulos que alcançou. Beneficiou isso sim, da falta de competitividade durante estes 3 anos. Foi um sortudo. Mas a mama já acabou.Com os jogadores que tem, e já teve, tinha obrigação de fazer muito mais, e de evitar o constante sofrimento nos jogos e a falta de fio de jogo da equipa. O manuel machado aquando de uma deslocação da sua equipa ao dragão, resumiu na perfeição, o estilo de jogo da nossa equipa numa frase: "Equipa grande a jogar com os príncipios tácticos de uma equipa pequena". Mais nada. Agora, é esperar para ver o que acontece. Mas no próximo jogo temos uma boa notícia. O mariano não joga!

    ResponderEliminar
  16. 31819 espectadores...

    Mas com este futebol ainda há lata para se pedir mais adeptos!

    ResponderEliminar
  17. Cá estou como prometi. Podem criticar a vontade e chicotear o meu optimismo, mas lembrem-se que ainda falta muito campeonato para andar e o exemplo do ano passado ainda esta bem presente na memoria de todos. Continuo e continuarei sempre a acreditar no meu FCPorto.

    ResponderEliminar
  18. Em suma: péssima exibição, futebol desgarrado, azar nos últimos minutos da 2ª parte, e algumas escolhas questionáveis! Em todo o caso...

    Não contem comigo para tiros aos pratos! Ainda há muita estrada para percorrer... venham eles!

    ResponderEliminar
  19. Só posso dizer que foi absolutamente confrangedor especialmente na 1ª parte. Parecia que o jogo de domingo estava a continuar.

    É verdade que não gosto de Jesualdo mas também é verdade que depois das vitórias alcançadas defendi a sua continuidade e não me parece lógico agora pedir a sua saída até porque nada está perdido. É efectivamente um treinador muito limitado especialmente a partir do banco quando se lhe pede que altere o jogo. No entanto, não vejo nenhuma alternativa neste momento. Só se quiserem ir buscar o Special One.

    É bom que os gayvotas percebam que as "bombas" do "Cretino" não duram sempre. O campeonato ainda não está decidido e este filme nós já vimos noutros anos.

    Agora, o que efectivamente me preocupa, é terem-se contratado 11 jogadores e dizerem que não havia alternativas. Este é o plantel mais caro de sempre. Não pode haver esse tipo de desculpas. Nem dizer que estão cansados. É bom perceber que hoje, no início do jogo, é apesar das 11 contratações, só estava um jogador novo em campo (Belluschi) e ao intervalo saiu para entrar outro novo (Falcao). Afinal para que é que se contrataram tantos jogadores?

    O problema é jogar-se a passo e sem intensidade só porque o adversário é a Académica ou o Belém e não são do nosso campeonato. Aliás, o mesmo aconteceu na Champions contra o Apoel.

    Apesar disto tudo e de se jogar mal, retenho as palavras de um Belenense que aqui escreveu: "Não se pode ganhar sempre" e eu acrescento "mas é preciso fazer tudo para ganhar sempre". E no próximo jogo no Dragão lá estarei, sem assobiar e com a confiança de que "ri melhor quem ri por último".

    PORTO SEMPRE!

    ResponderEliminar
  20. Os anónimos saíram todos da toca para dizer as suas barbaridades. Têm memória curta.

    Jogo muito mau, exibição fraca. Não nos podemos dar ao luxo de perder pontos desta forma em casa. Ainda para mais quando estamos em busca do primeiro lugar. Ponto. Primeira parte mais uma vez irreconhecível. Muitos muitos passes errados, nota-se nervosismo na equipa. Mas não é a deitá-la abaixo que ela melhora!!

    Rapaz de Belém, tudo muito certo, mas olha que o anti-jogo e a simulação de lesões, são situações muito feias e que revoltam!

    "assobiar estes cromos." Pedro, os cromos que falas fazem parte do TETRA-Campeão Nacional e más fases todos têm.

    "Anónimo e Já fomos...", nem merecem resposta...

    FORÇA GRANDE PORTO!!!!

    ResponderEliminar
  21. Muito bem Dragão66, partilho totalmente dessa opinião!

    ResponderEliminar
  22. Sobre os resultados em casa: «O resultado não agrada minimamente. Achávamos que já não era um problema jogar aqui, como foi no passado. Mas o F.C. Porto também perdeu pontos em casa quando foi campeão. Temos de trabalhar para mudar o que está mal. Entrámos duas vezes sem respostas para os problemas que o adversário colocou. Faltou uma entrada mais intensa na primeira parte. O jogo tem noventa minutos, não podemos jogar apenas 45. Temos de encontrar soluções, soluções tácticas. As equipas dividem cada vez menos o jogo. Temos de saber como lidar com isso. Se fizemos o golo primeiro, as coisas mudam completamente.»
    Isto disse Jesualdo no fim do jogo... Então não se trabalham esquemas alternativos???
    Permite-se que seja dada sempre meia parte ao adversário em vez de jogar rápido para resolver depressa????Que os problemas crónicos se mantenham???

    ResponderEliminar
  23. Cheira bem cheira a Belém31 outubro, 2009

    Caro Tripeiro: Estavas à espera que o Belém fosse jogar de igual para igual no vosso campo? Se tivesse-mos o orçamento e o plantel do FCP talvez... Quanto a simulação de lesões não vi nada de esppecial e quanto ao anti-jogo, ora bolas... o primeiro que atire a primeira pedra. O Bruno Alves tem é que começar a tomar uns tranquilizantes... não precisa mesmo de fazer aquela entrada "assassina" pelas costas aos 75 min... e o amarelito é curto...

    Saudações Azuis e naturalmente VIVA O BELÈM

    ResponderEliminar
  24. Não estou a pedir que chegues aqui e coloques os onze dentro da área do Porto. Mas, por exemplo, se o Olegário tivesse sido justo, o Nélson também tinha ido tomado banhinho bastante mais cedo. Sempre a demorar nas reposições de bola, o que fica muito mal, ainda por cima a um jogador com aquela experiência toda, de tantos anos de futebol profissional. Só levou amarelo aos 84min, pr'ai à terceira ou quarta perda de tempo...

    Saudações azuis e BIBÓ-PORTO

    ResponderEliminar
  25. Que desgosto este plantel que dava para grandes ambições, tão mal orientado. Contra a académica o primeiro remate (rasteiro e frouxo) foi perto dos 40 minutos e qual é a reacção? Mais uma primeira parte à espera e a coçá-los. A equipa não é equipa nenhuma, são 11 atletas fantásticos sem qualquer orientação. Exceptuando os jogos europeus em que se querem todos mostrar e entram com um bocadito mais de garra, só se mexem quando sofrem o primeiro. E sempre, sempre, sempre à base de jogadas individuais, tentativas de tirar coelhos da cartola, etc. Não há uma jogada de entrosamento, lances estudados, nada. Ter isto ou uma pedra da calçada no banco é igual. A história do dedo de jesualdo nas substituições é para enganar tolos - ele só mete alguém quando sofre um golo ou chega aos 70 minutos sem estar a ganhar. Parecemos um clube cheio de lugares cativos, jogam sempre os mesmos, num "sistema" ou no outro, onde estão o valeri, o prediger, o meio campo não tem qualquer ambição, o meireles tem de descansar, não está no seu melhor, só se anda a queimar.
    O maior orçamento da história... espero que chegue para mandar vir quem saiba construír uma equipa que jogue futebol em equipa.
    Era hoje que apanhávamos a milhafrada eufórica e oferecemos assim os pontos???? 'ta cos pariu, temos direito a muito mais que isto

    ResponderEliminar
  26. eISSHH!!! Tanta toalha atirada ao chão, ensopadas por tamanha choraminguice... Isso é tudo cagufa dos bermelhos?
    Todas as equipas têm fases boas e menos boas. E se as há-de ter, eu prefiro que a minha a tenha no inicio, e que vá crescendo. A minha fesada no penta continua inabalável. Eu não percebo assim tanto de futebol como isso, mas também não vejo um FCP a jogar assim tão mal como o pintam. Por esta altura o ano passado, não sei se não estavamos pior... ou a começar a recuperar, e contava-mos com lucho e lixa... A diferença este ano está no encornados, que estão a assustar muita gente... Oh pra mim a tremer, carago!!

    Desabafem lá o que vos vai na alma, é para isso que aqui gosta-mos de vir bitaitar, mas olhem que ainda heide ver esta malta toda por aqui a rejubialr com um novo penta...

    São muitos anos...
    Pentabraços, à campeão...

    ResponderEliminar
  27. Jesualdo no fim do jogo: «Não é fácil jogar em espaços reduzidos, sem possibilidade de aplicar o nosso processo».

    Penso que não é preciso dizer mais nada e pela voz do treinador temos o assumir que somos uma equipa de contra-ataque e frente as estas equipas que só defendem, não saem para jogar e raramente atacam, temos problemas.

    É isto, mas é isto, não de agora, mas desde sempre.

    Impressionante a falta de coragem para mudar, quando e ainda na 1ª parte, já entrava pelos olhos dentro que ia ser mais do mesmo. Impressionante a incapacidade para ler bem o jogo e tirar um coelho da cartóla...

    Não peço a cabeça do treinador, nem atiro a toalha ao chão, até porque na época passada e no pior dos cenários, estavamos na mesma posição. Mas alguém vai ter de fazer qualquer coisa e dar o grito do Ipiranga que Jesualdo não dá.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  28. O problema do jogo do porto é que é uma equipa que precisa de espaço para jogadores como o Hulk, Varela e Rodriguez, quando apanha uma equipa bem fechada sente muitas dificuldades em criar jogo sobretudo porque já não há Lucho nem Lisandro que era muito bom a abrir espaços.

    ResponderEliminar
  29. tripeiro.. sou sócio desde 1989, e sim são cromos, porque são tetra devido à falta de competetividade dos últimos 3 anos. Porque queiram ou não, o Porto com Adriaanse jogava ao ataque os 90 minutos. Com jesualdo, mal se apanha a ganhar 1-0 passa a gerir o jogo.

    é emocionante pagar pa ir ao estádio pa ver o nosso clube ganhar 1-0 e gerir jogos. querem mais gente no estádio? puxem pelas pessoas. nos últimos 3 anos, tb podiamos andar de goleada em goleada, mas não, "fizemos uma boa gestão do jogo"

    é por adeptos como vocês que acham que tá sempre tudo bem, que o campeonato é longo, que o Sporting está como esta, e o Porto para lá caminha. Ainda falta muito pó término do campeonato. espero que tenham razão e o vosso querido jesualdo abra os olhos, e coloque de uma vez por todas na cabeça, que em portugal pode perfeitamente jogar com mais gente na frente.

    E SIM, ASSOBIEM, PORQUE O DINHEIRO QUE GASTAM A IR AO ESTÁDIO, GANHO A TRABALHAR NO DURO, MERECE MAIS RESPEITO.

    ResponderEliminar
  30. Confesso que no meio de tanto imbroglio profissional e pessoal, ver estas exibicoes dos azuis e brancos nao contribui em nada para reforçar os meus indices de auto-estima e ganhar forças para seguir em frente.
    Mas na vida tal como no desporto é preciso saber dar a volta, nao sei bem como Jesualdo o vai fazer, é exasperante ver este Onze jogar.
    Dois jogos caseiros boa oportunidade para subir patamares exibicionais e niveis de confiança do grupo, inversamente o que se verificou foi um abismal decrescimo de qualidade algo similar ao que se observava por igual period na epoca passada.
    Naturalmente nos adeptos e ferverosos amantes do CLube, sobretudo os mais novos, habituados a catadupa de vitorias lidamos mal com o perder seja de jogos seja de pontos, outros como o VILAPOUCA, DRAGAO66 so para citar alguns do tempo em que ai sim era dificil ser AZUL apesar de criticarem o lado exibicional sabem que estas fazes em nada se comparam com o "sofrimento" de outros tempos.
    Contudo eu nao escondo o meu obvio sentimento de frustaçao, e quer queiram quer nao sejam elas ou nao importantes dentro do relvado, sejam ou nao justificaçao para empates, ha factos que nao se podem escamotear:
    Orcamentos de 80 milhoes e jogam menos que equipas de tostoes (Ok os MERENGUES tb o tem e sao goleados por equipas de divisoes inferiores).
    Camioes de contrataçoes e para se ter peso no banco a soluçao é abdicar FALCAO, e RODRIGUEZ!?!?!?
    Nao discuto meritos e demeritos de Jesualdo, a verdade é que defendi na altura correcta a era PROF. deveria ter tido fim apos a final do JAMOR..ninguem pode esperar deste PORTO E de JESUALDO mais que aquilo que tivemos nas anteriores epocas, foi e sera sempre este o registo.
    HULK, numa semana em que recebe uma noticia como a de selecionavel , assina um exibicao mediocre com tudo o que isso tem de percentagem influente no jogo azul.
    E podia entroncar neste aspecto arte dos nossos problemas de jogo, mas ha mais.
    Bolas paradas, nulidade, cantos livres zero..
    Intensidade de jogo, mecanizaçao das transiçoes, ligaçao entre sectores, abaixo de qualquer equipa de meio da tabela.
    Nao receio o benfica, porque nao é pelo trajecto destes que tenho de dar maior ou mnor relevancia ao que fazemos, mas é indiscutivel JESUS com 2 jogadores pos as GAYVOTAS a jogar a bola, com ENE soluçoes capazes de resolver jogos, com dinamica e agressividade competitiva, que so quem nao souber ver futebol acha que o FC PORTO se pode dar ao luxo de arrancar para o titulo no dia e hora que lhe apetecer, e neste aspecto que reside a preocupaçao, este ano a concorrencia nao falhara ao virar de cada esquina...com perto de 1/3 de Liga decorrido poderam ser 5 os pontos de diferenca para a liderança, sendo que pra semana temos novo confronto dificil, MARITIMO....Ha muito caminho pela frente mas convem que seja percorrido com afinco e outra postura, sem tiros nos proprios pes!!!

    Ps:Aos amigos deste blog em particular ao BLUEBOY, um abraço, sendo certo que logo logo resolverei as questoes que me tem afastado deste espaço. Esta montanha esta quase ultrapassada (espero), vou reunir forças, e voltar com o tarot de forma ajudar os DRAGOES a subir ate ao topo de mais esta LIGA..

    PS2: Em vespera de dia das bruxas, é coincidencia ou jogar as 6ªs feiras nao traz grande proveito aos portistas, sendo certo que este Belenenses ameaça ser dos clubes que mais nos faz penar, com Mourinho empate a 2, com Jesualdo a 2 epocas 8 vitorias seguidas e quando se pensava na nona, empate, lembro de um duplo penalty felhado por ALEnitchev frente aos azuis do restelo...nao acredito em bruxas mas que as ha...HA!!!

    ResponderEliminar
  31. Para todos aqueles que continuam com palas nos olhos e a desviar a atençao dos reais problemas do FCP, dizendo que são os marianos o problema deste porto, o jogo de ontem e prova de que os nosso Problemas sao bem maiores. O homem mais uma vez, acaba o jogo fazendo pelo menos 2 posições..diferentes.

    Quanto a Jesualdo, vou adoptar a posição que sempre tive, que é a didizer que é limitado, e que não fará melhor do que aquilo a que já nos habituou, e até tira surpresas de vezem quando para nos deixar prontinhos para ir às urgencias do hospital mais perto, com problemas de coração (dar-se ao luxo de deixar o melhor goleador da equipa, se bem que Farias, que estar na luta, como sempre). Por isso não vale a pena malhar mais no prof..já o disse e volto a dixer.. Não é defeito é feitio..de fabrico.

    Culpem talvez, com mais pertinencia até, aquele que talvez proporcionou o maior problema do FCP esta época. O pintinho, tantas vezes exímio, mas agora talvez devido à velhice, a deixar a gestão do clube e principios antigos e ultrapassados. Será que a venda de Lucho Gonzalez era assim tao preponderante para a vida do clube? Lembro-me que apos a vinda de cissoko e por não querer esperar uns meros 5 dias, para a acabar com as contas positivas, vendeu Lucho, que até nem queria ir, e depois viu sair finalmente Cissoko.
    A venda de Lucho, foi um erro, um erro de 5 dias entre a ida de Cissoko para o Lyon. Já que este a par de Lisandro, seriam as unicas vendas a fazer esta época.

    Hoje talvez com el comandante no nosso meio campo, teriamos não so na mm um Belushi, como bom recurso a lucho, como teriamos também, o resto do nosso meio campo a carburar como nas outras épocas. è notorio que tanto Fernando (com entradas fora de tempo) e Meireles (em baixo de forma), se andam a ressentir, e muito, pela saída de Lucho.

    Uns dão-se ao luxo de não fazer vendas e segurar os seus, outros querem é dinheiro.

    Não n tenho medo deste SLb, ate porque acho que varias factores se estao a proporcionar esta época, mas se não acordamos a tempo, assim vai ser dificil.

    Abraço

    ResponderEliminar
  32. Meninos e meninas, ainda há muito campeonato para disputar, e apesar de o meu sofrimento ontem quando saí do estádio, continuo a acreditar no nosso Club, amanhã é outro dia e melhores dias virão!

    E por favor, não precisam de bater palmas depois de jogos como o que assistimos ontem, mas não assobiem!


    BIBÓ PORTO

    ResponderEliminar
  33. Pois é meu caro Bruno. Pode ser que existam bruxas mas o problema é que este Belenenses não joga nada (aliás, a jogar assim só com outra ajuda da secretaria para não descer), teve uma sorte enorme e praticamente no único remate à baliza, marcaram. Mas isso não é desculpa porque demos 45 minutos (mais uma vez) e o prof viu e nada fez, entramos a sofrer o golo, empatamos e tivemos 25 minutos para ganhar mas não conseguimos porque "o que começa mal, tarde ou nunca se endireita."

    Não estou rigorosamente nada preocupado com os adversários mas sim com a nossa equipa que, como bem diz o Vila Pouca, não sabe jogar contra equipas muito fechadas. É obrigatório ganhar 3ª feira em Chipre e carimbar a passagem à fase seguinte da Champions porque se jogarem novamente assim começo a ponderar que o treinador tem de dar lugar a quem seja capaz de rentabilizar o plantel mais caro da história do Porto.

    E não aceito que o treinador, depois de 3 jogos contra equipas muito fechadinhas, venha dizer que têm muitas dificuldades e que vão estudar soluções para o problema. Então só agora é que o prof percebeu isto? De certeza que está a gozar com a minha cara e com a dos milhões de adeptos e simpatizantes portistas. Só pode ser para ao fim de 3 anos ter percebido que tem de arranjar outras soluções.

    Alguém que anda nos meandros do futebol já me tinham dito à bastante tempo que o presidente se arrependeu de ter renovado com Jesualdo. E cada vez acredito mais nisso até porque desde o início da época não se ouviu uma palavra de apoio ao treinador por parte de ninguém do clube. É bom que os nossos dirigentes percebam que o inimigo veste de vermelho e não de azul e branco para criticarem quem não gosta de ver o Porto jogar desta forma. Era bom que, e digo mais uma vez, mostrassem que estão atentos aos benefícios constantes dos Gayvotas quer seja em penaltis, faltas à entrada da área ou nos cartões amarelos que os árbitros exibem aos adversários por tudo e por nada.

    P.S. O Porto não empatou pela arbitragem e não a achei muito mal mas o que eu não gosto é dos critérios por que nos jogos dos gayvotas a quantidade de agarranços dos de Belém serviam para 2 (pelo menos) terem ido para a rua ainda na 1ª parte.

    ResponderEliminar
  34. Não vi o jogo, mas vi resumos e resumos e ouvi comentários. Parece que, há semelhança com os jogos frente ao Apoel e à Académica, apenas jogámos bem na segunda parte, e mesmo assim sofremos.
    Não percebi o porquê de Falcao começar no banco.
    Farías foi, mais uma vez, o marcador de serviço, e acho que cada vez mais Jesualdo Ferreira deve apostar nele ao lado de Falcao.

    Gaspar
    http://odragaozinho.blogspot.com

    ResponderEliminar
  35. Hoje de manhã, em frente à agência do BES do estádio do Dragão, estava o Jesualdo, na sua banca de venda de jogadores do FC Porto, a limpar o pó aos DVD's de jogadores e respectivos posters, quando lhe apareceu o seu amigo de longa data, Jorge Jesus.

    JF: Olha quem é ele. Que andas por aqui a fazer?
    JJ: Vou a Braga fazer um joguito e vim à loja do cidadão mudar o BI.
    JF: Como tens andadn?
    JJ: Cá me vou safando. De goleada em goleada. De massacre em massacre. Vou sobrevivendo. E tu?
    JF: Vai-te lixar com essa história das goleadas. Deste-me cabo da vida. Os clubes pequenos andam todos traumatizados. Têm medo de sair de casa. Quando vêm ao Dragão, pensam que vão ser goleados, enfiam-se na buraqueira e estacionam o autocarro em frente à baliza. Já deviam saber que nós não goleamos ninguém. Sabe Deus o sofrimento que é ganhar por um, quanto mais golear. Nós, aqui, tratamos bem os clubes adversários e com jeitinho até lhes emprestamos dois ou três jogadores no fim da época.
    JJ: E o negócio? Como anda?
    JF: Já esteve melhor. Até ao final de Agosto, foi só ganhar dinheiro. De Setembro para cá, o negócio está fraquito.
    JJ: Mas não terá a ver com o facto de as transferências para a Europa terem terminado?
    JF: Talvez, mas ainda tinha a esperança que algum clube argentino viesse cá buscar alguma da merda que temos ido lá comprar.
    JJ: Então o negócio deu para ganhar muito dinheiro.
    JF: Sim. Algumas dezenas de milhões de euros, mas, aqui, é tudo muito rigoroso. Aqui, um vintém é um vintém...
    JJ: Sim, e um cretino é um cretino. Conheço a história. Mas ainda bem que o negócio te corre bem. Empresta-me aí uns dez mil euros.
    JF: Dez mil euros? Não tens um bom ordenado?
    JJ: Nada. Só ganho um milhão de euros se for campeão. Mas empresta-me lá o dinheiro.
    JF: Até te emprestava, mas não posso.
    JJ: Porquê?
    JF: Não posso. Não posso mesmo.
    JJ: Mas porquê?
    JF: Tenho um acordo com estes tipos do BES. Nem eles vendem jogadres lá dentro, nem eu empresto dinheiro cá fora.

    ResponderEliminar
  36. Supaplex Excelente.
    Para bom entendedor meia palavra basta.
    Aquela do BES...sim senhor. Na mouche.

    Vejam lá se não fomos nós que compramos o fundo obrigacionista...É que ainda falta explicar onde param os 27 milhões que sobram das vendas deste ano.

    Para o pintinho isto sem o Benfas não é a mesma coisa. Deixa de ter inimigo com quem lutar, e mandar uns bitaites.

    ResponderEliminar
  37. Perante a falta de espírito crítico dos adeptos do meu clube, continua a ser bem feito aquilo que eu considero um trabalho de descaracterização da equipa de futebol que tem sido camuflado por um conjunto de conquistas quase só assentes numa premissa terrível: a falta e opositores competitivos! Uma das consequências acabou por ser a eleição de um treinador banal e cobarde ao posto de treinador de categoria superior...
    Mais, será que não é um insulto ouvir o treinador do meu clube convidar os adeptos para comparecerem em força no estádio para in loco observarem as dificuldades que a equipa sente ao jogar em casa? Será que é normal, após o jogo dantesco contra o Belenenses, ouvir o palrador dizer que as dificuldades são grandes para jogar em casa e que as pessoas têm que se habituar a tal realidade, ignorando as diferenças de salários e de condições de trabalho de uns e de outros? Mais... será normal que num grupo de profissionais pagos aos milhares de euros o treinador se sinta satisfeito apenas porque a equipa revelou empenho? Eh pá, paguem 50 ou 100 mil euros mensais a qualquer português e certamente terão gente muito esforçada, muito mesmo! No entanto, o mais engraçado é que trinta mil aderiram ao convite pestilento do tal... com orelhas de príncipe e que a grande maioria nem teve coragem de assobiar contra a qualidade de jogo vergonhosa exibida (ontem e na maioria dos jogos...). Enfim, é uma tristeza e talvez seja a hora de nós, portistas, assobiarmos forte e feio pois pelo andar da carruagem o Natal está para breve. Como eu costumo dizer nos últimos tempos, dói ver que, com mérito, no Benfica um treinador inteligente arrumou com todos os pernas de pau e que no meu FCP não só se estimaram meia dúzia de cepos como, horror dos horrores, há um tuga vaidoso que teima em querer elevá-los à condição de figuras dentro da equipa! Depois, a diferença de qualidade de jogo nem vale a pena ser comentada, joga-se sem médios que não sabem dar um toque de categoria na bola e que falham passes e recepções tipo TGV, força-se o ritmo com Guaríns e outros que são grandes sem ser grande coisa...
    Começa a ser epidémica a forma como vejo a realidade dentro do meu clube... e o pior é que é algo que, para mim, não é uma surpresa pois sempre disse que em função dos orçamentos e condições de trabalho (e da fraqueza dos oponentes!) o senhor Jesualdo constitui uma farsa alimentada por muitos e que infelizmente contagiou o presidente do meu clube e muitos adeptos...
    PS.Por causa das dúvidas, afirmo que sou sócio do FCP já que para mim ser portista não é ser caixa de ressonância!!!

    ResponderEliminar
  38. O Porto já andava a prometer uma escorregadela. As últimas exibições deixavam perceber que tal seria apenas uma questão de tempo.

    Quando não se aprende com os erros passados o falhanço torna-se inevitável.

    Foi o que aconteceu ontem no Dragão. A reincidência de um jogo abúlico, de uma atitude displicente e da falta de inspiração da primeira parte deram lugar a um segundo tempo de ansiedade, atrapalhação, sofreguidão, precipitação e ineficácia.

    Esta é, desgraçadamente, a última imagem de marca de uma equipa, reduzida ao seu expoente mais baixo dos últimos meses.

    Reconhecer a situação não é mais do que um puro exercício de lucidez que a paixão não deverá escamotear.

    Não está aqui em causa encontrar bodes expiatórios para explicar tais falhanços. Interessa isso sim, apontar os erros e corrigi-los sem teimosias ou fetiches.

    Nada ainda está perdido. Temos é de ser rigorosos para que não seja demasiado tarde.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  39. Amigo Supaplex disse... e simpatizantes, mais mouros encapotados de pasteis de Belém: Afinal bastou o Braga para acabarem os resultados encomendados, para haver luz no túnel, finalmente...

    ResponderEliminar
  40. Está visto: há 2 clubes em Portugal que me dão alegrias - o FC Porto quando ganha e o Benfas quando perde! Infelizmente hoje só posso congratular-me com a 2.ª parte da cartilha. O Bom-Jesus, o Domingos (vai ser ele… no futuro…) e a briosa equipa bracarense limparam o sebo ao Madeixas-Jesus (deve poisar a pastilha elástica na mesinha de cabeceira para, no dia seguinte, continuar a mascar!), ao Flip-Pó-Vieira e à turma do mergulho e da borralhada nos túneis.
    Tenhamos fé, tal como depreendo dos sensatos comentários, que o nosso FCP entre no trilho a que nos habituou. Nós queremos festejar mais um Penta, não é verdade? VIVÓ PORTO!
    Fernando Moreira

    ResponderEliminar
  41. Mais uma vez, andam a dormir os dirigentes do porto, e já agora o selecionador. Andamos nós com o Tomás Costa, o Guarin e agora até Marianos a fazer de nº 8, quando existem dois bons jogadores portugueses para esse lugar como o Ruben Micael e o Hugo Viana. Juntos, não devem custar mais de 8M€, que foi, por exemplo, o que tivemos que pagar pelo mariano e o tomás costa. Lá vamos ter que ver os portugueses, para o ano, ou já em janeiro, a jogar pelo benfica, sporting, ou outro clube estrangeiro, quando podiam estar no porto. As comissões que eles dão, não devem ser tão gordas como as dos sul-americanos...

    ResponderEliminar
  42. Pedro...

    Totalmente em desacordo... passando desde já a explicar...

    Primeiro não sou sócio desde 1989, porque ainda não se lembraram de criar uma maneira, de fazer as pessoas sócias, antes de elas virem ao mundo!!

    Acho incompreensível que se diga que o Jesualdo é o primeiro treinador português TRI Campeão Nacional, devido à falta de competividade nesses três anos!!! Mas pronto, respeito que não goste dele, agora os argumentos é que não encaixam muito bem. Se este ano não formos campeões, é por o Jesualdo é mau e este ano já houve competividade! lol É óbvio que prefiro ganhar por mais, do que por menos, mas não fico nada importado com a "boa gestão de jogo", desde que o Jesualdo continue a guiar a equipa à vitória ano após ano, como desde que aqui chegou!

    Quanto à comparação entre nós a os calimeiros, acho isso completamente desnecessário e escusado. Diz que o FC Porto está a caminhar para a maneira como o sporting está.... sinceramente não percebo onde vê isso! Por empatar um jogo em casa?!? Podemos ser exigentes, mas há jogos que correm mal...

    Por último, quanto aos assobios... quem não gosta que não apareça, se não somos nós a incentivá-los, quem é?!? É preciso APOIAR os jogadores, os TETRA Campeões, que nos dão alegria ano após ano...

    "Merece mais respeito" - só digo, mais respeito do que ganhar todos os anos?!

    TETRAbraço

    ResponderEliminar
  43. Caro Tripeiro:
    Completamente de acordo.
    Vivó Porto a caminho do Penta!
    Um a braço.
    Fernando Moreira

    ResponderEliminar
  44. Caro Tripeiro:
    Completamente de acordo.
    Vivó Porto a caminho do Penta!
    Um abraço.
    Fernando Moreira

    ResponderEliminar
  45. Só fico satisfeito quando vir o reformado do treinador despachado para um lar da 3ª idade.

    ResponderEliminar
  46. Exacto, ele não presta para nada... ganha muitas vezes... que porcaria...

    ResponderEliminar
  47. Dragon Soul disse tudo...

    "Não contem comigo para tiros aos pratos! Ainda há muita estrada para percorrer..."

    Ora nem mais, ora nem mais... somos 2!!!

    ResponderEliminar
  48. Estou ansioso que chegue um treinador ao Porto, que faça com que os grandes futebolistas que são: Guarin, Renteria, Mariano Gonzalez, Nuno Coelho, Farias, Bolati, pelo menos estes, sejam pretendidos por grandes colossos europeus. Rezo para que o Sr. Jesualdo não dê cabo de Bruno Alves, Hulk, Rodriguez, pois até esses parecem não saber jogar futebol, com a sua orientação. Há tanta gente a reformar-se e este cromo não se reforma. Meu Deus.

    ResponderEliminar