30 setembro, 2008

Contra o historial... às armas com o Arsenal!

“É melhor perder um jogo do que ter medo de jogar futebol”, as palavras pertencem a José Mourinho, por sinónimo o único técnico capaz de pontuar em terras de sua majestade ao serviço das muy nobres cores Azuis. A tirada do agora treinador nerazurri nada tem de novo, ainda que a franja adepta dos clubes mais não queira que a vitória e os consequentes três pontos, é por demais evidente que por norma ganha quem melhor joga e interpreta os conceitos do futebol.

Ok, bem sei que as cores tugas e os seus clubes são pródigos em vitórias morais, vezes sem conta o pragmatismo do adversário causa mossa e nos atira para fora das competições, sobretudo quando toca a eliminar… mas a Champions é diferente, mormente nesta fase de grupos onde o que conta são os pontos, ainda mais quando conquistados fora de portas.

Prelúdios à parte, a segunda jornada da liga milionária de clubes, a tal liga elitista onde figuram os mais emblemáticos clubes da velha Europa, e onde só hino nos arrepia, põe no caminho dos Dragões os “Gunners” londrinos, reeditando-se assim o confronto de 2006/2007, que se saldou num desfecho de 2-0, para as cores anfitriãs. Desse jogo aquilo que de certo todos ainda retêm foram as invenções tácticas (muitas outras se haveriam de seguir), do então rookie Jesualdo em jogos fora de portas para a Liga do Campeões.

Inglaterra, assim como Londres, tem sido ponto de passagem dos Portistas na prova, verdade é que pese embora o poderio de muitos dos emblemas da Premier League a estatística é francamente arrasadora, dez embates, um empate, nove derrotas e algumas exibições agridoces e resultados bem amargos, atravessam a garganta do emblema dos da Cidade Invicta.

O jogo no Emirates Stadium põe em confronto as equipas apontadas como candidatas à passagem aos oitavos de final da prova, os Azuis começaram como há muito não se via, aumentado ainda mais a pressão sobre os comandado de Wenger, com um registo imaculado nos embates em casa, o Arsenal apenas consentiu quatro empates ao adversário no seu reduto, num total de vinte e duas partidas na Uefa Champions League.

Com um começo pouco convincente e até comprometedor, fruto do empate arrancado a ferros em Kiev, os visitantes pouco ou nada têm a perder, uma vitória em solo inglês atira o Dragão para uma posição invejável de liderança, onde a equipa de Arsène Wenger é grande favorita ao triunfo no Grupo G, obrigando os arsenalistas a pontuar em escala máxima frente a Fenerbahce e Dínamo nos confrontos seguintes.

Na ressaca da jornada inglesa para o Arsenal sobram incógnitas, dilemas e traumas, arrasados pela sempre corrosiva imprensa britânica, a surpreendente derrota com o mais recente primo divisionário Hull Citty, fez soar o alerta, e o jogo da Champions é apontado por todos como determinante no futuro imediato da jovem equipa londrina. O recém-promovido Hull mostrou que conjugando alguns factores é possível bater o pé à equipa da casa, saltam à vista as carências e limitações defensivas nas bolas paradas, os cantos parecem ser o calcanhar de Aquiles da formação inglesa, mas nem só desta fraqueza vive o “trauma” dos londrinos, fortes a defender quando o adversário privilegia as zonas centrais, impacientam-se com o rendilhar do futebol de pé para pé.

Os “Gunners” são uma equipa que gosta de atacar com muitos jogadores, impõe e incutem ritmos fortes ao jogo, provocando desgaste suficiente por si só capaz de causar e potenciar o erro no adversário. Adepto do 4x4x2, Wenger vive da imaginação de Fabregas, dos raides supersónicos de Walcott e dos desequilíbrios nas alas provocados pelo Holandês Van Persie. Adebayor é um perigo constante nas áreas adversárias, sendo o avançado do Togo o principal aríete do onze na hora de atirar a baliza.

Com um desenho táctico que se desdobra quase sempre para 4x1x3x2, sempre numa intensidade de jogo de tirar o ar, só um FCPorto pressionante, sobretudo em zonas afastadas do seu último reduto, com qualidade na circulação da bola, gizando as tão propaladas transições rápidas bem do agrado do Mister Jesualdo, poderá de alguma forma consubstanciar o aproveitamento das costas da defesa contrária, abrindo brechas no balanço e equilíbrio defensivo arsenalista.

Fica bom de ver que num onze onde pontificam nomes como Gallas, Sagna, Toure, Clichy, Denilson, Eboue, Bendtner ou Carlos Vela um qualquer pormenor de classe deita por terra conceitos como concentração, espírito de sacrifício e entreajuda, que terão de estar associados a exibição portista em Londres.

Com menos rodagem europeia mas experimentados qb em atmosferas adversas, sabe-se como essas experiências pesam nos desfechos de muito jogos deste cariz. Evidente obstáculo que se depara ao azuis e brancos é o menor fulgor exibicional que os portistas atravessam e apresentam neste inicio de época, desfeita a dúvida Lucho, que integra os convocados para a jornada europeia, sobram as questões sobre quem ocupará a faixa esquerda do último reduto azul, com Lino em estado de graça, resultante das exibições competentes que assinou nos últimos jogos, parece-me partir no lugar cimeiro da grelha de partida pelo lugar em causa, ainda mais com Fucile arredado das escolhas, as alternativas não são muitas.

A convocatória abre contudo uma janela ao debate e ao receio de novas invenções por parte do técnico azul e branco, é que Stepanov está de volta aos eleitos, com Bruno Alves e Rolando de pedra e cal no onze, e a experiência de Pedro Emanuel a ter por certo uma palavra a dizer neste género de confrontos, a inclusão de quatro centrais na convocatória poderá querer indiciar alguma estratégia menos conhecida e utilizada, fica a dúvida.

No meio campo abundam incertezas, Tomaz Costa devolverá o lugar a Mariano???..., alinhará um trio???... ou apresentará um quarteto???... Meireles e Lucho cabem de certo numa ou noutra das opções, “el comandante” é a referência das transições ofensivas, após o que se espera ter sido uma paragem pontual de base preventiva, estará por certo de regresso o acelerador de jogo portista.

Rodriguez será outro dos eleitos, apesar de condicionar todo o seu futebol ao abrigo do condicionalismo táctico imposto, o uruguaio tem sido um jogador à Porto, ainda longe de todo do seu potencial futebolístico dará por certo plenitude as extremidades do jogo dos Dragões.

Até por isso se percebe o porquê de Candeias espreitar com legitimas aspirações estrear-se em tão nobre palco na Champions, ele que tem o condão de ser um agitador de jogo com o associar do talento a atitude competitiva que transmite, assegurando assim que vai haver gente a fomentar a permissividade nas alas que as equipas inglesas por norma apresentam.

Fora da carruagem fica o inócuo Farias, não sendo contudo de esperar que Hulk apareça no onze, regressando Lisandro ao seu lugar de origem, depois de nova passagem pelo lado direito do ataque sem resultados visíveis.

Confesso que não levo jeito para as artes advinhatórias, por norma antevejo sob uma plataforma realística sem exacerbados fundamentalismos ou obstinados devaneios, como tal acredito e aposto numa equipa muito à imagem da apresentada na Luz aquando da segunda jornada da liga interina, ao fim e ao cabo decorridos que estão seis jogos oficiais esse jogo foi em largos períodos e salvo excepções já escalpelizadas e argumentos vilipendiados, a melhor exibição da época até a data, assim voto em Helton, Sapunaru, B. Alves, Rolando; Lino; Fernando, Meireles, Lucho, Tomaz Costa, Rodriguez e Lisandro.

Pede-se um Porto descomplexado no Emirates, fazendo do seu bloco médio/baixo um factor forte de estabilidade, concentração em patamares elevados, solidariedade entre sectores em doses capazes de estancar as ofensivas adversárias, para depois pacientemente lançar veneno e intranquilidade na defensiva anfitriã. A tarefa avizinha-se árdua, mas não impossível sendo por isso uma boa oportunidade para jogar futebol, sem lugar a receios ou espartilhos tácticos que nos tolhem o futebol e inibem a vontade de ganhar.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Helton e Nuno.
Defesas: Sapunaru, Bruno Alves, Rolando, Pedro Emanuel, Lino, Stepanov e Benítez.
Médios: Lucho, Raul Meireles, Fernando, Tomás Costa, Mariano González e Guarín.
Avançados: Lisandro López, Cristian Rodriguez, Candeias e Hulk.

22 comentários:

  1. "Desse jogo aquilo que de certo todos ainda retêm foram as invenções tácticas (muitas outras se haveriam de seguir), do então rookie Jesualdo em jogos fora de portas para a Liga do Campeões".
    Não sei porquê, mas algo me diz que passados dois anos vai haver mais do mesmo no Emirate.

    http://chutodeletra.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Com ou sem invenções, parece-me claro que Jesualdo mudará o sistema de jogo. E isso mostra claramente que o adversário merece respeito e foi estudado. Jogar de forma aberta em Londres seria suicídio. Achar que a recente derrota perante o Hull os abalou seria ingenuidade.

    O Arsenal é uma máquina de jogar futebol. Provavelmente, a equipa que pratica o mais belo futebol em Inglaterra. Futebol enleante, privilegiando o espectáculo, os gunners têm, mesmo assim, vários pontos fracos a serem explorados.

    Acredito que, com uma conjugação de factores, o Porto poderá sair incólume de Highbury Park.

    Já se sabe, também, que em caso de derrota 99% das opiniões que serão veiculadas pela blogosfera terão como alvo o treinador da equipa. O que, parece-me, será de todo errado.

    Os azuis e brancos apresentam lacunas preocupantes. Desde logo, os laterais. Do lado esquerdo, nenhum me dá garantias para enfrentar Walcott, o puto-maravilha do Arsenal, extremamente veoz nos seus raides. Lino não sabe defender. Ponto. Benitez está a tornar-se uma carta fora do baralho. Fucile debate-se entre problemas físicos.

    Do outro lado, Sapunaru raramente apoia o ataque em condições, cometendo erros primários nas suas funções.

    E, mesmo assim, o simples facto de esperarmos um resultado positivo, mostra quão alto está sempre o patamar de exigência para a equipa. Teoricamente, no papel, este jogo seria de resultado previsível. Com a dimensão do orçamento do Arsenal, que lhe permite comprar jogadores de topo, a vitória pareceria sempre um dado adquirido.

    Mas a incógnita existente sobre o mesmo mostra quão temível se tornou o emblema portista na Europa. Essa é a grande vitória. E, sinceramente, apesar de pouco confiante, acordei imbuído de fé. Serão 90 minutos de tremendo desgaste para quem assiste, mas valerá a pena...

    Vamos a eles, rapazes!

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Espero bem que essa história dos 3 centrais não seja para levar a sério.

    Se, tal como diz o Bruno, não existirem devaneios de última hora acredito q possamos ser felizes no Emirates Stadium.

    A tua equipa é a minha, Bruno. Mas tenho uma dúvida... O Lino- o paulo pereira referiu-se e bem ao walcott- será capaz de o travar? O Benitez não é melhor defensivamente? E o Fucile não era de caras tiyular neste jogo? Problemas físicos? Não, é mera opção do técnico. A ver vamos...

    ResponderEliminar
  5. penso que é um jogo em que o porto, nao será vergonha nenhuma se perder.

    no entanto, espero um bom jogo. alias, espero que o porto demonstre que sabe jogar, mais isso que pontos.

    a frase com que iniciaste o post demonstra mesmo o meu sentimento, uma verdade com que concordo do mourinho.

    boa sorte para logo a noite !

    ResponderEliminar
  6. lucho, na minha opiniao, e se fosse decisão minha,se visse nos treinos que o stepanov estivesse bem nos treinos, metia-o como DL Esquerdo.

    O lino não dá segurança defensiva nenhuma, o benitez penso que não é suficiente ( mas dá mais segurança ), o fucile era bom se tiver em forma e o stepanov, nao dá ataque mas é o que dá mais segurança defensiva.

    Se o JF meter o stepanov, pelo menos eu nao o irei criticar no fim do jogo, mesmo que essa opção corra mal.

    ResponderEliminar
  7. temos qualidade individual mais que suficiente para ganhar aos gunner's, mas o nosso colectivo tem que aparecer dentro do campo. aposto num fc porto a jogar com três centrais... vamos a eles!!!!

    a nação azul e branca

    http://anacaoazulebranca.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Tudo o que venha acima de uma derrota, será para mim sempre uma VITÓRIA... e desenganem-se aqueles que possam pensar que temos armas para chegar lá, vencer e fazê-los vergar perante a nossa superioridade.

    Vamos ser sérios e realistas... acreditar sempre, apostar sempre, apoiar sempre, mesmo que contra ventos e marés... mas este, como noutros, não é daqueles a que costumamos muitos de nós chamar de «tripla», mas sim um jogo para um quase claro «1»... se vier um «X» excelente... e então se fosse um «2», bem, muito melhor que o tal oiro sobre azul. Mas repito, sejamos sérios e realistas.

    Não há missões impossiveis no futebol, que não as há, mas para mais logo, só peço e exigo brio, profissionalismo e que os nossos 11, 12, 13 ou 14 que entrem em campo, saibam ser dignos, orgulhosos e honrosos jogadores para vestir as mágicas cores azul-e-brancas... se o assim fizerem e conseguirem, tudo é possivel... até mesmo fazê-los vergar perante a nossa superioridade no seu próprio território... haja fé, muita fé!!

    Só uma coisa me intriga... a convocação de Stepanov... algo me diz, algo me diz que a aposta vai recair num trio de centrais (BA, Rol e PE)... a acontecer, só espero que não dê na m**** habitual de sempre... mas a ver vamos.

    Até ao final do jogo de mais logo, ninguém tem o direito de começar desde já a criticar isto e aquilo... apenas e só se exige a um Portista que se preze e sinta o orgulho de o ser... apoio inequivoco aos seus heróis e a uma única voz... depois, no final, bem, mal ou mais-ou-menos, cá estaremos para analisar, cada qual do seu jeito, as incidências e as consequências obtidas com isto ou aquilo.

    Mas até lá meus caros... apoio nonstop e inequivoco... ou não sejamos Portistas, carago!!!

    ps - Bruno Rocha, desculpa lá, mas a cada «antevisão» que sai, pergunto eu a mim próprio... e andam-me aqueles ursos a tirar cursos de treinador de grau X, Y ou W, quando podiam fazê-lo total e gratuitamente aqui no BiBó Porto... apenas com um senão: sem direito a diploma ;D porque no resto, tá cá tudo... é à vontade do freguês :D

    ResponderEliminar
  9. Do onze apresentado, apenas retiraria o Lino, uma vez que ele é muito fraco no aspecto defensivo e previsivelmente encontrará o supersónico Walcott no seu flanco. Apesar de também não me inspirar muita confiança apostaria no Benítez. De resto, concordo com os nomes apresentados, embora a configuração da equipa não seja o 4-1-3-2, mas o 4-1-4-1 que Jesualdo adoptou na Luz, com Tomás à direita, Cebola à esquerda e não na frente, Lucho na meia-direita e Meireles na meia-esquerda. É este o sistema que melhor poderá, na minha opinião, é claro, contrariar o 4-4-2 clássico do Arsenal. No fundo é um 4-3-3, mas com os extremos transformados em médios-ala, precisamente porque os 'gunners' são fortíssimos nas faixas.

    O onze do Arsenal também é previsível, apenas surgindo a dúvida de quem será o ala-esquerdo: Eboué ou Nasri, aposto no primeiro, com o segundo a ser um trunfo para sair do banco. De resto, é a defesa habitual, Denilson e Fabregas no miolo e Van Persie e Adebayor como dupla atacante.

    Pontos importantes: anular Walcott será fundamental, pelo que Lino não deveria jogar, a meu ver; a superioridade numérica no meio-campo do FC Porto pode ser um aspecto a nosso favor, o que poderá libertar Lucho ou até Meireles para o espaço grande entre a defesa e o meio-campo deles; Fernando deverá estar muito atento aos passos de fabregas, o grande estratega dos ingleses.

    Estou convencido que hoje não vamos perder. Logo veremos.

    ResponderEliminar
  10. Tb eu acredito, como dizem os indefectiveis Portista, Dragão que se preze acredita de Alma e Coraçao...
    Apesar da convocaçao de 4 centrais nao acho que jesualddo aposte em 3 centrais de todo...acredito sim no povoamento das faixas laterais para obstar aos raides de Walcot e van persie..
    Nao concordo nada que benitez ofereca a jesualdo mais garantia que lino, ate pork o ultimo tem ainda uma coisa que joga em seu favor as bolas paradas, e estas resolvem jogos, kem sabe com a vei k tem mostrado pra o sucesso nao volta a ser brindado com a sorte num golpe de asa desses.
    Stepanov a lateral é tao ou pior k 3 centrais...espero k juesualdo tenha aprendido com aexperiencia de ricardo costa tb no jogo de ha 2 anos frente a este Arsenal..
    Precisamos de ter bola, muita bola, faze-los correr atras da mesma, um helton ao nivel superior e nao o dos ultimos tempo dara tranquilidade ao sector...inteligencia e claro qualidade pede-se, masi que nunca logo pede-se que num teste a serio, se revelem as qualidades dos nossos jogdores..Superem-se em relaçao ao demonstrado ate a data e nos nao vos faltaremos nem regarearemos apoio...
    Allez Porto...a Europa espera ver-te brilhar...

    Uma advinha..Por quem ira trocer o Platini???

    ResponderEliminar
  11. Eu também espero ardentemente que o FC Porto seja capaz de ter posse de bola e controlar o jogo o mais possível. É preciso, todavia, não esquecer que o Arsenal é a melhor equipa de Inglaterra, de longe, a fazer posse de bola, pelo que não será tarefa fácil ao FC Porto dominar o jogo, se o controlar já será bom. O Arsenal é uma equipa consolidada, o FC Porto, nesta fase, está ainda em construção.

    ResponderEliminar
  12. Ainda sobre o canal Benfica a ler em:
    http://joaopedroleal.blogspot.com/2008/09/o-meo-benfica-afinal-como-os-outros.html

    Há coisas que não devemos esquecer e olhar para elas de forma critica.

    Porque temos a obrigação de abrir os olhos e não deixar que nos enganem.

    Luis

    ResponderEliminar
  13. Viva !

    Penso que o Porto vai ganhar.

    Defender alto, dar pouco espaço aos alas e manter bem no eixo central do ataque Lisandro.

    A rtpi continua a portar-se muito bem. Espero chegar a tempo de poder ver o jogo. Tenho uma reunião de trabalho.

    Excelente a advinha de Bruno Rocha.Após a troca dos piores insultos entre Platini e A.Wenger...

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  14. SLB - Sr. Lucilio Baptista vai arbitrar clássico de Alvalade.

    Já fomos...

    ResponderEliminar
  15. Pois,

    Essa é sem dúvida a pior notícia do dia. Lucilio "Calabote" Batista, escolhido cirurgicamente para o clássico.

    Não é coincidência que um árbitro com o currículo vergonhoso, de constantes erros contra o FCP, seja agora escolhido num confronto crucial.

    E andam estes bois a arengar na comunicação social sobre Apitos Dourados, moralização do futebol, etc, etc...

    Mais uma vez, o Porto coloca-se a jeito. Alguém deveria sair a terreiro, não deixando passar impune esta provocação. E quero lá saber se seríamos acusados de estar a pressionar a arbitragem.

    ResponderEliminar
  16. Calma Paulo que nós tratamos disso e mensagem chega ao sítio certo.

    Equipa para daqui a pouco:
    Helton, Sapu, Rolando, B.Alves e Benítez, T.Costa, Fernando, R.Meireles e Guarín, Lisandro e Rodríguez.

    ResponderEliminar
  17. ...Vamos ser sérios e realistas... acreditar sempre, apostar sempre, apoiar sempre, mesmo que contra ventos e marés... mas este, como noutros, não é daqueles a que costumamos muitos de nós chamar de «tripla», mas sim um jogo para um quase claro «1»... se vier um «X» excelente... e então se fosse um «2», bem, muito melhor que o tal oiro sobre azul. Mas repito, sejamos sérios e realistas.

    Caro Blue Boy,penso mais ou menos o mesmo.

    ...aposto num fc porto a jogar com três centrais... vamos a eles!!!!

    Caro José Campos,nesse caso,será que a equipa tem rotinas,automatismos,para jogar neste sistema?

    Na minha opinião,a grande diferença não está no valor individual dos jogadores,mas sim no ritmo de jogo que cada uma das equipas consegue imprimir em campo.E é claro que a equipa inglesa está habituada a jogar num ritmo muito superior ao nosso,do campeonato português.
    Acho que será muito difícil conter as autenticas avalanches em catadupa do ataque da equipa inglesa nos primeiros minutos.
    Se por acaso ou sorte(não há campeões sem sorte),conseguirmos suster os ataques do Arsenal durante a primeira meia hora,então talvez tenhamos hipóteses.

    Escolha inquinada do Juiz que vai apitar o SCP xFC Porto
    Aqui está uma prova, um bom exemplo, da falta de isenção de quem tem por missão seleccionar os árbitros, Vítor Pereira. Lucílio Batista conhecido (sportinguista) pela sua tendencia em prejudicar deliberadamente o FC Porto em todos os jogos em que apitou o FC Porto. É preciso um grande descaramento do "patrão" dos árbitros para escolher um juiz deste calibre, que se sabe, quanto mais não seja, na dúvida decidirá sempre contra o FC Porto. Foi este árbitro que permitiu que o Katsouranis partisse a perna ao Anderson, sem aplicar qualquer sanção no lance. Foi tambem ele que no tempo do JMourinho expulsou o Costinha num célebre jogo de Alvalade...etc...etc...! Em face da escolha deste árbitro para o jogo SCP x FC Porto, imagino já os adeptos do sporting a esfregar as mãos de contentamento. A escolha deste árbitro, pela sua tendencia a favor do clube de Alvalade,pelo seu descaramento em favorecer deliberadamente o sporting, pela sua incapacidade de despir a camisola do seu clube, representa à partida 50% de vantagem para a equipa da casa, ou seja, 50% da derrota do FC Porto.

    Abraço

    ResponderEliminar
  18. Rude golpe o FC Porto não contar com Lucho González de início. Confesso que fiquei bastante mal disposto agora. Seria o jogador que daria o toque de classe à nossa equipa. Tinha logo de ser neste jogo... Pouca sorte!!

    ResponderEliminar
  19. Lucho no banco.

    Mariano Gonzalez na bancada.

    Pelé nunca é convocado.

    Porque será?

    Ainda falam nas noitadas dos jogadores. Não deve ser verdade. Não temos indicadores que esses jogadores estejam a ser castigados. Ou será que estão?

    Uma vez mais, lá vamos ter que conjugar o verbo maldito:

    Eu invento
    Tu inventas
    O Jesualdo INVENTA
    Nós inventamos
    Vós inventais
    Eles inventam

    Por quantos vamos perder hoje? A maleta já deve estar preparada. Quem me dera estar errado... mas isso é pedir demais, eu sei.

    ResponderEliminar
  20. jesualdo so inventa!!!

    arsenal fresco de uma derrota e vai lá entregar o jogo..

    3 secos, mas va-lhe ir lá a jogar..

    triste figura, na é treinador pa champions.

    vergonha

    Liverpool 4 -1
    arsenal 3-0 pra já

    pior que o sporting em barcelona

    vergonha

    ResponderEliminar
  21. A k horas chegam estas bestas ao aeroporto?? RUA COM ESTE PROFESSOR DE TRETA!!! não percebe nada este homem pah!!! Será que ninguém vê isso?? Mais uma humilhação!!!!

    ResponderEliminar
  22. A k horas chegam estas bestas ao aeroporto?? RUA COM ESTE PROFESSOR DE TRETA!!! não percebe nada este homem pah!!! Será que ninguém vê isso?? Mais uma humilhação!!!!

    ResponderEliminar