19 setembro, 2008

Meia equipa nova, igual exigência!

Como dizia e bem Jesualdo Ferreira no final do jogo com o Fenerbahçe, o FC Porto tem esta temporada inúmeros jogadores novos, muitos deles pouco conhecidos e sem experiência ao mais alto nível europeu. Depois das avaliações que se foram fazendo mais ou menos no escuro por cada um de nós aquando das contratações, nesta altura já é possível, ao fim de alguns jogos realizados, ter uma ideia mais fidedigna e aproximada do real valor dos jogadores adquiridos no defeso e, consequentemente, do plantel na sua totalidade. Ainda que o número de partidas seja ainda demasiado escasso para se formar uma opinião definitiva, há alguns indicadores que já podem ser tidos em consideração.

Foram contratados para 2008-09 Sapunaru, Benítez, Rolando, Fernando, Pelé, Guarín, Tomás Costa, Cristian Rodríguez e Hulk, além de podermos incluir nas novidades os jovens Candeias e Rabiola. Exceptuando Rolando e Rodríguez, cujo valor já conhecia, assim como Pelé e Fernando, de quem já tinha uma pequena ideia, a verdade é que a generalidade dos reforços chegaram ao clube como autênticas incógnitas, pelo menos para mim, sendo que alguns não foram nada baratos. Após os primeiros jogos oficiais efectuados, com Sporting, Belenenses, Benfica e Fenerbahçe, a minha perspectiva acerca dos novatos (Pelé e Rabiola serão 'esquecidos' pois ainda não jogaram) é a seguinte:

Sapunaru: é um lateral que tem defraudado as minhas expectativas até ao presente momento. O facto de ser internacional romeno e o seu elevado preço, fizeram-me acreditar que estávamos na presença de um jogador de assinalável craveira. Sem prejuízo de o seu rendimento poder melhorar no futuro e de eu poder mudar de opinião, até agora as suas performances foram insuficientes. A nível defensivo tem cometido algumas falhas e tem-se revelado algo permissivo e indulgente, precisamente o aspecto que se dizia ser o seu ponto mais forte. Ofensivamente, já se viu que não é muito rápido nem dá a profundidade desejada ao seu flanco, subindo raras vezes e nem sempre da melhor forma (curiosamente, contra os turcos, até deu o golo a Lino). Ainda não convenceu e espera-se que possa melhorar, mas, pelo que já mostrou, dificilmente será um grande jogador e o FC Porto precisa de grandes jogadores.

Benítez: está a confirmar o porquê de ter sido na época passada suplente numa equipa argentina sem grande expressão. É daqueles laterais que, sem comprometer, também nada acrescenta de relevante ao colectivo. Posiciona-se correctamente, mas de resto é uma perfeita nulidade. Ora, no meu entender, uma equipa como o FC Porto necessita de laterais que, além de defenderem bem, participem no processo ofensivo e possam criar desequilíbrios com as suas subidas no terreno. Não creio que seja jogador para o FC Porto e não entendo por que foi contratado, até porque jogadores como ele ou melhores, há às dezenas no nosso país.

Rolando: foi uma contratação que me pareceu acertada desde o começo, mas a forma rápida como roubou o lugar ao capitão Pedro Emanuel foi surpreendente. Imponente fisicamente, insuperável no jogo aéreo e muito calmo a resolver os problemas que lhe surgem pela frente, Rolando tem transmitido muita segurança à defesa portista e é um parceiro à altura de Bruno Alves. Foi uma compra em cheio e é mais um integrante da fileira interminável de grandes centrais erguidos no clube.

Fernando: pivot-defensivo muito jovem, foi visto como o sucessor natural de Paulo Assunção, que deixou um vazio enorme no meio-campo, rumando ao Atlético Madrid. Foi titular nos últimos dois jogos (de grande dificuldade) e respondeu à altura das responsabilidades, não acusando a pressão inerente a estas situações. Jogou de forma simples e quase sempre correcta, como se pede a um 'trinco', embora ainda seja prematuro fazer um juízo de valor definitivo. Parece-me claramente uma opção de categoria para a sua posição, sendo, no entanto, de prever uma forte concorrência de Pelé e Raúl Meireles, facto pelo qual não se deva assumir como titular absoluto.

Guarín: chegou completamente desconhecido para mim. Hoje posso dizer que é um jogador de quem gosto bastante. Decerto que será muito complicado ser titular devido à forte concorrência, mas é uma opção muito válida em alguns jogos e que possibilitará a Jesualdo Ferreira fazer a rotatividade do plantel. Já deu para ver que o jovem colombiano não é muito culto tacticamente e não pode ser um '6', mas a sua boa capacidade técnica e excelente compleição física podem fazer dele um '8' de grande utilidade. Boa aquisição.

Tomás Costa: dá-me ideia que o argentino não caiu no goto dos adeptos portistas. A mim agrada-me. Não é um médio extraordinário nem se lhe pode pedir lances fora-de-série. Todavia, é um típico jogador de conjunto, que pressiona, recupera bolas e sabe sair a jogar, tomando quase sempre opções correctas. Não é jogador para fazer a diferença, possivelmente nesta época será mais vezes suplente que titular, mas tem qualidade suficiente para pertencer ao nosso plantel. Poder-se-á questionar se não teria sido desejável ter investido mais um pouco e contratar outro tipo de jogador, de créditos firmados. No entanto, tenho confiança que vale muito mais que aquilo que demonstrou até ao momento.

Cristian Rodríguez: é inquestionavelmente um reforço de peso para o FC Porto. Após uma estreia fulgurante no jogo de apresentação com a Lázio e não obstante fazer sempre bons jogos, não conseguiu manter essa bitola exibicional nos jogos oficiais. Espera-se que comece a subir de rendimento com o decorrer da época e a afirmar-se como um dos melhores da equipa. Como já havia mostrado no Benfica, é um extremo rápido, de futebol rectilíneo, capaz de criar inúmeros desequilíbrios pelo lado esquerdo, além das 'ganas' com que disputa cada lance. É jogador para fazer a diferença e, até porque ainda é um jovem, foi uma contratação em cheio.

Hulk: tem muito potencial mas igualmente muito para aprender. Sempre que entra em campo, dá vivacidade e bulício ao ataque portista, fruto da sua velocidade e vontade de mostrar que tem qualidade. Mas tem de perceber que há colegas à sua volta e que, muitas vezes, a melhor opção é passar a bola em vez de arriscar perdê-la. É um avançado capacitado para fazer estragos (o golo espectacular ao Belenenses é disso um bom exemplo), mas parece-me exageradamente individualista, algo que terá de corrigir, para seu bem e da própria equipa. Pede-se à equipa técnica que o ensine a jogar futebol, pois jogar à bola ele sabe.

Candeias: o jovem extremo que brilhou a grande altura no Varzim é muito promissor e pode vir a dar que falar, embora julgue que este ano será mais de aprendizagem do que de rendimento efectivo. Pode ajudar no ataque em alguns jogos e fazer umas 'gracinhas', mas ainda é cedo para se lhe exigir mais. Se resolver 'explodir' já esta temporada, tanto melhor, mas sinceramente duvido que isso venha a acontecer. Oxalá Jesualdo Ferreira lhe possa conceder algumas oportunidades e ele as possa aproveitar para se valorizar.

Dito isto, e olhando para o restante plantel, julgo que devemos estar satisfeitos com a equipa que possuimos, não obstante haver alguns elementos de qualidade duvidosa para um clube tão exigente. Além de Benítez, estou a lembrar-me, por exemplo, de Lino (apesar do golo ao Fenerbahçe), Bolatti ou Farías (de início agradou-me, mas tem vindo progressivamente a desiludir). Sobre este assunto, aproveito para dizer que gostava que os responsáveis da SAD fossem mais criteriosos em determinadas aquisições, pois acho que se gasta demasiado dinheiro em jogadores que pouco trazem ao clube. O FC Porto é um dos clubes mundiais que mais e melhores negócios tem feito nos últimos anos, a nível de vendas. Com tanto dinheiro angariado - mesmo tendo consciência que o orçamento tem vindo a aumentar e que há outras prioridades que não o reforço da equipa -, bem como considerando as verbas que têm sido gastas, penso que o FC Porto poderia ter, nesta altura, um plantel mais forte em algumas posições. É só a minha opinião e vale o que vale.

Apesar de tudo, fazendo o exercício de comparar o nosso plantel, posição a posição - tanto quanto possível, dado que os sistemas de jogo são diferentes -, com o dos nossos rivais directos na liga portuguesa, concluo que o nosso continua a ser o mais forte, ainda que de forma ligeira, pois há que convir que tanto o Sporting como o Benfica registaram uma melhoria de qualidade bastante significativa. Daí que, embora ache, repito, que poderíamos ter um plantel mais valoroso, sobretudo para termos mais aspirações na Liga dos Campeões, continuamos a ter obrigação de sermos campeões nacionais e de, no mínimo, chegarmos aos 'oitavos' da Champions, sendo que a partir daí tudo depende também da sorte do sorteio. Sim, a elevada exigência num clube habituado a sucessivos triunfos é como lavar os dentes todos os dias! Onde é que eu já ouvi isto?

13 comentários:

  1. «On fire» Bruno Pinto.

    Análise correcta e muito bem elaborada aos reforços do FC Porto.

    Estou de acordo em quase tudo contigo Bruno. Tenho apenas mais um pouco de confiança em Sapunaru.

    Guarin, Tomás e Hulk foram boas aquisições.

    RODRIGUEZ é craque.

    Fernando e Pelé são bons jogadores.
    Candeias tem potencial. E Rolando é um grande central.

    Já Benitez enquadra-se na galeria «horribilis» dos últimos defesas esquerdos.

    Mas Deus queira q eu esteja enganado. Eu, o Bruno Pinto e todos os outros q com um pé esquerdo ao nível do direito:) se calhar tiravamos o lugar ao Argentino.

    ResponderEliminar
  2. Benefício da dúvida para Sapunaru
    HUGO SOUSA (www.ojogo.pt)

    Custa-me a acreditar que Jesualdo Ferreira tenha sublinhado por acaso o facto de o terceiro golo do FC Porto ter sido obra construída e concluída por laterais. Sapunaru e Lino, no caso. A palavra-chave, aqui, é mesmo essa: laterais. Ponto frágil evidente neste arranque de época, detalhe acentuado com o Fenerbahçe pela ausência de Fucile. Facto: três dos quatro golos sofridos pelo FC Porto esta época nasceram do lado direito, onde Sapunaru tem sido aposta única. Atenuante: as indefinições do meio-campo, conjugadas com as dificuldades sentidas para encontrar uma opção consistente no lado direito do ataque, afectado pela lesão de Tarik e pelas oscilações de Mariano, podem ajudar a explicar também, ou em parte, o rendimento do romeno, que, entre alguns erros, já deu sinais de qualidade e merece o benefício da dúvida. Nesse sentido, aliás, o elogio à acção decisiva no golo de Lino pode ter sido cirúrgico. A bolsa de oxigénio dos resultados ajuda.

    ******************

    Coluna do Senador


    A derrota dos farsantes

    Por
    Rui Moreira (www.abola.pt)


    O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) tornou público o acórdão relativo à sua sentença de 15 de Julho. Conhecia-se, desde então, a derrota do Benfica e também do Vitória de Guimarães. Mas este documento vai mais longe e arrasa a (in)justiça desportiva portuguesa. Ao contrário do que alguns querem fazer crer, atinge também a sacrossanta Comissão Disciplinar da Liga. A UEFA fica em maus lençóis e terá que alterar o regulamento da sua mais importante prova, como há muito se percebera. Agora, para que tudo fique bem, o FC Porto precisa de usar todas as suas armas diplomáticas para demonstrar na Europa que foi perseguido pela justiça desportiva portuguesa, e denunciar o comportamento ofensivo do inefável senhor Platini.
    Naturalmente, e com as coisas a correrem de feição, não falta quem defenda com redobrada convicção que o FC Porto adoptou uma estratégia certa: que fez bem em não ter recorrido, que tudo estava planeado, que não foi surpreendido com as complicações que surgiram na UEFA…
    Ora, e desde logo, não há uma relação de causa a efeito. Porque, se o FC Porto o tivesse feito e tivesse recorrido da sentença, o TAS não decidiria, seguramente, de forma diferente. E, não ficaríamos apenas com a razão. Ficaríamos, também, com a nossa honra intocada. Além disso, o TAS pode não saber, e nunca o consideraria relevante, mas nós sabemos, que a tese vitoriosa — de que o recurso do presidente aproveita ao clube — não foi sequer planeada de início. Foi, e esse mérito é inegável, uma proeza hábil, um expediente tardio e bem sucedido, em que o FC Porto conseguiu que os processos fossem conexos.
    O que mais me importa, como sempre disse, é a honra e a glória e não me importo nada que me acusem de romantismo. Não consigo, é verdade, ter uma relação oportunista e racional com questões que envolvem a honra e o bom nome.

    ResponderEliminar
  3. Muito boa análise.

    Também acho que o Porto tem o melhor plantel mas que a diferença para mouros e lagartos não é assim tanta quanto isso. O Sporting talvez tenha até um plantel mais equilibrado. Só que nós temos Lucho e Lisandro, que valem por meia equipa deles...

    Dos reforços, não gostei até agora do Benitez nem do Tomás Costa. O Sapunaru tenho a certeza que vai melhorar. O Hulk tem de aprender a dar a bola porque isto não é a 2ª divisão japonesa. O campeonato português, por estranho que esta ideia possa parecer, é dos mais difíceis para os avançados brilharem porque é muito fechado. Então, o Jesualdo que explique ao Hulk que aqui tem de passar a bola senão fica sem ela.

    Vamos ser tetra e chegar às meias-finais da Liga dos Campeões.

    Allez Nápoles!
    Allez Portsmouth!
    Allez Barça!
    Allez Shakhtar!
    Allez Basileia!

    ResponderEliminar
  4. Eu já tenho bilhete para o Rio Ave-FC Porto. SE alguém estiver com ideias de vir cá à minha Cidade, tinha muito gosto em ver o jogo ao vosso lado.

    ResponderEliminar
  5. Bruno Pinto:

    Parabéns por esta excelente análise que aqui nos deixas, onde no seu todo, em muito me identifico e assina por baixo.

    Sapunaru: melhor a pré-época do que a actualidade... mas é uma das minhas apostas.

    Benitez: muito tibuteante na pré-época, tendo-me ficado na retina o grande jogo que fez no Torneio de Braga, mas de então para cá, não me tem surpreendido em nada, até bem pelo contrário... oxalá arrepie caminho, senão estará entregue a si próprio.

    Rolando: uma das minhas apostas claras para este ano no centro da defensiva ao lado de Bruno Alves... parece-me uma aposta que vai ser claramente ganha!

    Fernando: na rampa de lançamentom direi eu... tenha sorte, é o que lhe desejo, já que é tb um daqueles a que estou a dar bastante crédito.

    Guarin: Para mim, um floop total a '6'... mas a '8', uma solução de recurso muito válida e a ter em boa conta... vai uma aposta?

    Tomás Costa: Pois, eu não sou desses tais que não vão à missa com ele... simpatizei e continuo a simpatizar... deixem-no ambientar-se ao futebol europeu e mais tarde, voltaremos ao assunto.

    Cristian Rodriguez: a maior valia, onde estão depositadas muitas das esperanças para a consagração nesta época... uma critica apenas sem grande importância por ora: para quando uma maior acutilância no remate à baliza adversária?

    Hulk: com o alvoroço que provoca nas bancadas, faz-me lembrar em tempos um tal de 'Quinzinho' e um outro bem mais recente, 'Renteria'. Olha-se e vê-se qualidade... mas demasiada e excessiva ansiedade que deita tudo a perder logo a seguir... quando souber doseá-la em formato qb, preparem-se que ou muito me engano, ou estará ali uma pepita d'oiro.

    Candeias: o «benjamim»... só por isso, simpatizo logo... mas verdade seja dita, se não se perder nas rotinas do profissionalismo e souber dosear uma tentação pelo vedetismo, aproveitem para decorar este nome, Candeias... e daqui por uns tempos, voltaremos a falar no assunto.

    TRIaBrAçO,

    ResponderEliminar
  6. Viva !

    Excelente texto.

    Simples de leitura e pragmático.

    Rolando foi para mim uma descoberta. É de facto muito bom !

    Claro que o Porto precisa de laterais. Altos e rápidos de preferência !

    Não deixa de ser questionante que a tua análise, a propósito de Guarin, seja concordante com o que já foi escrito durante o Verão, pelo Jean Marc. Não hajam dúvidas : o futebol federa ! E tanto melhor.

    É sempre agradável ler e dar a ler um artigo de/sobre futebol bem escrito.

    Desculpa ocupar este espaço para responder. É que os artigos seguem-se e os dias não se parecem ( devido a tarefas diferentes ).

    MeirelesPortuense :

    Estamos,pois,combinados !

    Bruno Rocha :

    Obrigado pela tua resposta.

    E obrigado pela correcção da palavra canguru. Com tantas línguas fica-se biruta !

    E como o meu corrector ortográfico desde há muito está fora de jogo ...

    Eu aceito, com prazer, uma aula na baliza ( mas com a minha idade espero que respeites as minhas costas ).

    Eu penso que seria interessante, nos momentos baixos do futebol, se é que existem, poder falar de futebol no sentido primeiro da palavra. Repara, Bruno Rocha, que quando me explicas como se deve posicionar o guarda redes, aí já não estamos nem na vídeo nem no jornalismo. Estamos no Futebol !

    Creio que tais artigos poderiam ainda mais dar notoriadade ao blog. Não é que FCP começa por Futebol ?

    É uma sugestão !

    Ah : Ninguém me respondeu quanto ao jornal "metro". Tentei aumentar a imagem mas não deu para ver ( ou se calhar sou nabo ou preciso de lentes maiores.É que óculos já tenho). É gratuito ou não ?

    Penso que foi um post muito bom. Sou faltou a capa do "Público".

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  7. O Lino é um bom jogador e só tem de ter as oportunidades para o mostrar. Não entendo como é que, na ausência de Fucile, joga o Benítez em vez do Lino. Ele é muito bom a atacar e nas bolas paradas e não o acho tão mau a defender como o pintam. Com o Fenerbahçe, num toque fez mais que o Benítez no jogo todo!

    ResponderEliminar
  8. Bruno Pinto :

    Excelente apreciação .

    Quanto às reticências expressas
    (e até ao momento justificadas ) vamos dar mais algum tempo.

    Ainda é muito cedo para conclusões definitivas (boas ou más).

    A EQUIPA (ela própria) pode ajudar a resolver lacunas individuais.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. Ao PortoMaravilha:
    O jornal "Metro" é gratuito e é distribuído diariamente em muitos pontos sensíveis da cidade, com particular e natural incidência nas estações do Metropolitano, mas não é o único, todos os dias chegam às mãos dos cidadãos Portuenses, outros diários gratuitos como o Destak ou o Global...Havia um outro diário que era predominantemente Desportivo e que agora é raro aparecer assim como também surge, ao fim-de-semana, o "Sexta", semanário que se distribui conjuntamente com outros jornais não gratuitos...Mas a qualidade não é grande, para mim estes jornais servem normalmente para "sujar as mãos" e fazer SUDOKU...

    Lucho:
    Na Coluna do Senador do "nosso" Rui Moreira é feita uma afirmação que me parece ser gratuita...Como é possível dizer que a questão da não recorrência do Clube, foi uma opção não pensada pelo Dep Jurídico, tendo em vista o que reverteria do recurso do próprio Presidente?...Acho que o senhor Rui Moreira pretende apenas com esta alfinetada, continuar a defender a sua "dama" de estimação...O recurso em todas as circunstâncias!
    Não é que eu esteja contra esse princípio, apenas tento ser o mais racional possível, especialmente se vejo no horizonte nuvens muito negras a pairar e muito principalmente, quando quem está em causa nestes conflitos, não sou apenas eu...Se sou apenas eu, então que venha o Touro!...Se houver direito a cornada, quem vai ficar a chorar sou eu e mais ninguém...

    ResponderEliminar
  10. Bruno Pinto:
    Concordo genericamente com a tua apreciação aos mais jovens e solicitados jogadores do plantel. Tenho ainda algumas incertezas quanto a Benitez, parece-me ser jogador a merecer mais oportunidades e especialmente se jogar com o Fucile no outro lado. Se depois de realizar, quatro ou cinco jogos sem produção assinalável ele mantiver a bitola eu dou o braço a torcer, como tenho que dar com Farias nitidamente um jogador "fora de jogo"...Bolatti também me merece algumas reservas, mas porque é molenga e não dá o corpo ao manifesto...O Tomás Costa tem de ser preparado ao nível físico, se estiver robustecido pela preparação indispensável e pelos bifes da Dona Branca, creio que vamos ficar a sorrir.

    ResponderEliminar
  11. Bruno Pinto:

    Bom post.

    um abraço a todos os portistas

    e espero-vos em

    http://campeoesfcporto.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  12. mesmosdesempre8619 setembro, 2008

    meu deus,

    dass

    um abraço

    mesmosdesempre86

    ResponderEliminar
  13. Esta é a posição mais ouvida e lida entre os adeptos do Porto! Não
    estou de acordo com ela!
    Repare-se nas acusações aos laterais, Sapunaru e Benitez! O Porto tem
    tido sucessivos defesas esquerdos que têm enormes dificuldades em
    defender, a primeira tarefa dum defesa! No momento em que temos um
    defesa que sabe defender, Benitez, critica-se porque o Porto precisa
    de um lateral que ataque! E assobia-se o jogador sem curar de saber se
    o treinador lhe ordenou ou não para subir pouco! Em relação a Sapunaru
    as críticas são semelhantes mas acrescenta-se que não conseguiu
    evitar o cruzamento que deu o golo! Como se algum lateral do mundo
    conseguisse evitar 100% dos cruzamentos do seu lado! Ou até como se os
    centrais, de que toda a gente diz bem, não tivessem muito mais culpas
    no golo ao deixarem o ponta brasileiro rematar de cabeça,
    completamente sozinho, dentro da área e em posição frontal! Claro que
    se esquecem as vezes em que o Roberto Carlos andou a correr atrás do
    romeno e desvaloriza-se o lance do 3º golo, só possível pela força e
    vontade do Sapunaru!
    Concordo que Rolando tem "pinta" mas ainda não forma uma boa dupla com
    Bruno Alves como se tem visto!
    Fernando, pelo contrário, é sempre elogiado por este tipo de adeptos
    que querem, acima de tudo, uma cópia do Paulo Assunção! E aqui é que
    eu acho que o FC Porto não pode ter um médio que não passa da linha de
    meio campo, que entrega sempre a bola a um metro e nunca tem uma
    palavra a dizer no jogo ofensivo! Não discuto a qualidade do Fernando,
    mas não é de um jogador a fazer isto que o Porto precisa? Falta de
    maturidade? Ordens? Não sei e não vou fazer o mesmo que fazem!
    Freddy Guarin e Tomás Costa são dois médios volantes, capazes de
    atacar e defender! Mais evoluido o Tomás Costa, mais verde o Guarin
    mas nenhum deles é ou pode vir a ser trinco! E o Guarin jamais será
    capaz de assumir a direcção do jogo de ataque ao estilo Lucho! Será
    que são os jogadores que precisávamos? Sobretudo quando se dispensam
    Ibson, Cláudio Pitbull ou mesmo Paulo Machado!
    Concordo com as apreciações aos mais avançados, mas acho que com um
    treinador mais ambicioso e corajoso, Candeias iria brilhar esta época!
    Claro que só pode brilhar se apostarem nele!

    ResponderEliminar