27 setembro, 2008

Lar, Doce Lar...

26 de Setembro de 2008
Liga Sagres 2008/2009

Estádio do Dragão, no Porto
assistência: 31.816 espectadores


árbitros: Hugo Miguel (Lisboa), Hernâni Fernandes e Ricardo Santos; Augusto Costa.

FC Porto: Helton; Sapunaru, Rolando, Bruno Alves «cap» e Lino; Tomás Costa, Fernando e Raul Meireles; Lisandro, Farías e Rodriguez.
Substituições: Sapunaru por Candeias (56m); Farías por Guarin (56m); Lisandro por Hulk (70m).
Não utilizados: Nuno, Pedro Emanuel, Benítez e Mariano.
Treinador: Jesualdo Ferreira.

FC Paços de Ferreira: Cássio; Ricardo, Ozeia, Tiago Valente e Josa; Filipe Anunciação, Pedrinha «cap» e Paulo Sousa; Cristiano, Leandro Tatu e Filipe Gonçalves.
Substituições: Filipe Gonçalves por Rui Miguel (46m), Paulo Sousa por Chico Silva (74m), Pedrinha por William (74m).
Não utilizados: Coelho, China, Edson e Dedé.
Treinador: Paulo Sérgio Brito.

Disciplina: cartão amarelo a Tiago Valente (33m), Raul Meireles (49m), Josa (80m) e Ozeia (85m).

Golos: Raul Meireles (14m), Hulk (72m).


Não há nada como o regresso a casa, depois de uma epopeia mal sucedida. Território conhecido, propício a “lamber” as feridas de guerra, contando com o apoio incondicional dos adeptos, o Dragão sempre funcionou como um bálsamo, curando maleitas…

Depois do semi-desaire na curta deslocação a Vila do Conde onde, mais do que o resultado, foi a exibição que provocou um pequeno terramoto de indignação, os Dragões jogaram pela 2ª vez no seu reduto, nesta Superliga 2008/09. O contendor, apesar de não possuir um nome daqueles de fazer abrir a boca de assombro e levar invariavelmente a um entreolhar de preocupação das sobrancelhas, é um adversário digno de registo, apesar do saldo invariavelmente positivo no confronto directo, favorável aos azuis e brancos.

A semana antecedente ao jogo serviu para que o termo “crise” surgisse estampado nas páginas da imprensa. Ao início, de forma tímida, quase envergonhada. Depois, mais afoito, quase como se a dita crise fosse uma realidade visível e inquestionável no reino de Jesualdo. Não é. Por muito que queiram transformar este início de campeonato, com o recurso estafado às estatísticas, numa maratona de percalços.

Decorridas míseras três jornadas, apenas um resultado custa a engolir. O empate frente ao Rio Ave. E, mesmo esse, buscando o histórico existente nas deslocações a essa Vila do Conde madrasta, pode ser considerado normal. De resto, vitória sem sobressaltos frente ao Belenenses [e sem a necessidade de validação de golos irregulares, como o vigente comandante da Superliga necessitou] e um empate em casa de um pretenso rival directo.

Quem, neste desfolhar de resultados, consegue achar que os pupilos de Jesualdo estão numa depressão competitiva, está claramente de má fé ou, em alternativa, percebe tanto de bola como a Leonor Pinhão.

O prenúncio de mudanças, na equipa titular do Porto, era um dado adquirido. Mesmo sem a necessidade irritante de poupanças, face ao próximo confronto europeu, a disputar na chuvosa capital inglesa, a massa associativa [não confundir esta com a massa assobiativa] exigia alterações. E Jesualdo fez-lhes a vontade. Desde logo, abdicando do seu fetiche por Mariano Gonzalez, pouco merecedor, até ao momento, dos créditos concedidos.

A semana seguinte a um resultado menos positivo costuma ser fértil em notícias, análises e opiniões. Esta não fugiu à regra. A “fragilidade”, termo encontrado por alguns experts de pacotilha para definirem o Porto actual, serviu de mote ao ressuscitamento da questão do trinco. Aproveitando alguns para, sob o pretexto referido, lançarem nova onda de críticas veladas à política de contratações, procurou-se provar que os Dragões estão mal servidos na função em causa. Repito, ao fim de 3 jornadas. Fernando poderá ser um trinco de inegável valor. Poderá. Num futuro próximo. Tal como André, chegado ao coberto do anonimato no longínquo ano de 1984 mas, fruto da aposta feita na sua titularidade, rapidamente se tornando numa referência lendária na posição de médio defensivo. E Fernando vai cumprindo o seu tirocínio, dando o peito às balas, provando merecer envergar aquelas listas verticais azuis e brancas…

Esta equipa do Porto precisa de tempo. De calma. Para crescer sem sobressaltos. Com qualidade. Imune a críticas.

Com Fucile e Lucho em gestão de esforços, amenizando algumas das viagens intercontinentais que fizeram ao serviço das Selecções, a incógnita morava no lado esquerdo da defesa: Lino ou Benitez. Votei no segundo. Jesualdo optou pelo brasileiro, com boas indicações nos últimos jogos.

A partida com o Paços trouxe também um regresso. O de Farías, aríete escolhido para derrubar a muralha vinda da capital do móvel.

Foi, por isso, um Porto de ataque que saiu, lançado, mal soou o apito do árbitro. Com personalidade. Coeso, rápido, acutilante. Com vontade de limpar a imagem de equipa acomodada, deixada ao longo de uma hora em Vila do Conde. Futebol rectilíneo, direccionado à baliza adversária, procurando o golo redentor. Os avisos foram-se sucedendo.

Primeiro por Lisandro, esfaimado por sentir a adrenalina a percorrer-lhe o corpo, quando se vê a bola beijar as redes. Remate forte, aos 5 minutos, para uma defesa incompleta de Cássio, permitindo que Farías falhasse a recarga, a um metro da baliza. Estava dado o mote. O rolo compressor começava a funcionar, empurrando o Paços para uma defesa denodada…

Até que, antes do primeiro quarto de hora, novamente Licha, provando que apesar do divórcio aparente dos golos continua com as qualidades intactas, serve na perfeição Meireles, num cruzamento atrasado para a entrada da área. Remate pronto e GOOOLLLLOOOO!

Se o jogo, até então, revelava ser de sentido único, a partir do tento inaugural o domínio tornou-se avassalador. Oportunidades de perigo a surgirem de forma regular, com Lisandro a falhar novamente uma, de forma clamorosa.

Aos 27 minutos, felino, surge solto na área pacense, recebendo a oferenda de Raul Meireles, mas rematando de forma desastrosa. O futebol enleante, alicerçado numa elevada percentagem de passes acertados, com ambos os flancos a serem explorados, permitia aos azuis e brancos jogarem praticamente no meio-campo do opositor. Jogando de forma inteligente, procurando o erro do adversário, mostrando um nível de concentração competitivo exemplar, os portistas apenas falhavam na finalização.

O Paços, remetido a actor secundário neste aparente monólogo competitivo, raramente criava embaraços ao último reduto portista. Apenas Leandro Tatu, pequeno e belicoso, procurava arreliar os nervos aos centrais da equipa da casa. Jogo de sentido único, com o intervalo a testemunhar um mísero golo de diferença, algo injusto para o futebol praticado…

E se o reatar das hostilidades não parecia ter modificado nada, apesar de uma ténue reacção pacense, Jesualdo resolve…inovar. De uma assentada, duas substituições. Já de si, algo estranho, atendendo ao perfil comedido e convencional de Jesualdo. Parecia uma prova de arrojo. Até se ver as placas. Aí, confesso, fiquei sem perceber nada. Saíram Sapunaru e Farías, noutra exibição sem nada de registo, para entrarem Candeias, o puto que parece ligado à corrente, e Guarin. Desde logo, uma dúvida. E que dúvida. Quem ficava à direita, no lugar do lateral romeno?

Como se tirasse um coelho da cartola, Tomas Costa desce para a lateral direita, numa prova de polivalência. E o Porto dominador da primeira parte acabou. Sem querer estabelecer qualquer correlação entre as substituições e a debácle exibicional verificada, as oportunidades de perigo, junto da baliza de Helton, foram avolumando-se. Por contraponto, o nível de jogo portista desceu desmesuradamente. A pique. Uma equipa novamente perdida, sem fio de jogo, intranquila, procurando desesperadamente encontrar um rumo.

Jesualdo apercebeu-se do perigo. Jogou novamente no risco. Como um profissional do poker. Retirou o infeliz Lisandro e meteu Hulk. Novamente no pior momento da equipa, o avançado com nome de super-herói era lançado para o terreno. E correspondeu. De forma cirúrgica. Lançamento notável, subida no terreno e depois, mostrando predicados para a função, aparecendo no centro da área, para receber o passe de Meireles. Era a sentença final na partida. O Dragão respirou de alívio…

Melhor do FC Porto: Claramente, Raul Meireles. Um golo, uma assistência e bastaria isso. Mas o médio português fez mais. Empurrou a equipa, batalhando como verdadeiro general naquele meio-campo, exemplificando a forma que a equipa deve adoptar. Com o mecanizado jogo portista órfão de Lucho, foi Meireles que transportou o estandarte.

Uma palavra de apreço para a entrada de Candeias, transportando consigo a dose desejada de jovialidade e impetuosidade, despertando as bancadas, incentivando companheiros. Bravo míudo!

Helton, pese o irritante vicio de afastar as bolas para a sua frente, causando calafrios indesejados, mostrou-se seguro entre os postes, com uma notável estirada aos 60 minutos, negando o golo do empate a Paulo Sousa.

Nos antípodas exibicionais, Farías continua a desperdiçar as parcas oportunidades que lhe são atribuídas. Apagado, apático, sem qualquer rasgo distintivo, tornou a ser uma presa fácil para os defesas contrários. Rodriguez, depois das promessas da pré-temporada, efectua o caminho inverso. Exibição decepcionante, estranhamente sem o fulgor físico que é uma das imagens de marca.

Arbitragem: Continua a saga. Jesualdo, inconformado com os constantes erros arbitrais, resolveu sair a terreiro em defesa do grupo de trabalho, mostrando a sua revolta. De pouco valeu. Um árbitro neófito, claramente equivocado no critérios disciplinares, permitindo o endurecimento da partida, numa série de flagrantes faltas sobre Hulk, não sancionadas. E, a partir daí, mais parecia um ringue da WWE, com golpes que fariam alguns dos seus profissionais corar de inveja…

37 comentários:

  1. O Lisandro já mete nojo com os constante falhanços de oportunidades flagrantes. Fizeram-lhe muito mal as férias. Deve andar com as chuteiras trocadas. Fod*** lá para o gajo.

    ResponderEliminar
  2. Anda divorciado dos golos, é certo, mas continua a lutar de forma abnegada e exemplar...

    Aliás, é dele a assistência para o golo de Meireles. Mas sim, concordo contigo. Tivessemos a frieza na finalização da época passada, e este jogo já estava terminado.

    Esperemos pela 2ª parte...

    ResponderEliminar
  3. Impressionante como o Helton ainda continua a defender bolas para os jogadores adversários. Passa a vida a oferecer golos aos adversários.

    Com o Co Adriense, fez uma boa segunda metade da temporada. Foi à selecção do Brasil e foi sempre a descer. Os brasileiros só precisaram de 3 ou 4 jogos para perceberem isso. Nunca mais o convocaram, nem para o banco serve. Nós, burros como eles pensam que somos, ao fim de dezenas de jogos ainda não percebemos que o Helton já há muito tempo que não tem categoria para ser titular do FC Porto. Assim, vamos continuar a levar com as ofertas constantes deste gajo.

    ResponderEliminar
  4. Se todos os jogadores tivessem a atitude do enorme LISANDRO a musica era outra!anda divorciado dos golos é verdade,mas com esta atitude os golos aparecerão naturalmente!

    ResponderEliminar
  5. Inteira razão ao Hurakatai. Será que o Helton desaprendeu? Ninguém lhe diz que não deve largar bolas para a frente?

    ResponderEliminar
  6. E já vão dois :)

    ResponderEliminar
  7. Num ponta-de-lança, mais importante do que a atitude é a capacidade de finalização. Ser abnegado e exemplar não chega. O Jardel não tinha a atitude do Lisandro mas mandava-as lá para dentro. Era sempre a facturar. Lá fora, nunca foi devidamente valorizado mas a seguir ao Fernando Gomes foi, de longe, o melhor ponta-de-lança no futebol português.

    Para mim, tem categoria, não o tipo que finta 10 jogadores mais o guarda-redes e falha de baliza aberta mas o tipo que tem uma oportunidade de golo, sabe o que tem de fazer e marca. Tão simples como isto. É isso que eu espero de um ponta-de-lança do FC Porto.

    ResponderEliminar
  8. Venha o Arsenal ..que este é passado!!!Fica o resultado e alguns laivos daquilo que o Porto pode mostrar..
    Jesualdo nao fugiu muito ao eskema do 4-3-3, mas se virem bem desmontado os terrenos pisados pelos Azuis em campo aquilo assemelhasse mto ao 4-1-3-2 idealizado por mim...so dessa forma se permite k meireles se solte e apareca nas imediaçoes da area para usar a meia distançia...esta é uma arma mal explorada pelos Dragoes e k pode ser trabalhada com movimentos onde os medios cheguem bem ao atake pois temos bons rematadores...Lucho, Guarin e T.Costa.
    Agora acho k farias sem minutos nas pernas nao devia ter entrado foi uma nulidade a k se junta a inepcia de Rodriguez durante toda a 1 parte , curioso k começou aparecer na parte final onde foi mais explosivo e ganhou mais duelos individuais.Acho k a dupla de atake tinha ganho mais com a inclusao de hulk pois podia ocupar melhor as faixas visto estarmos mancos pela direita..pois tommy apareceu ofensivamente pouco no flanco e Sapunaru esteve mais retraido que em Vila do Conde..Helton foi o do costume , o k me deixa apreensivo pois os Gunners tem poder de fogo que baste para obrigar Helton a ter de se aplicar a preceito na meia distancia, fica tb a atencao para a cobertura a essas bolas rechaçadas pelo keeper pois as recargas tb dao golos...Candeias entrou novamente bem apesar de menos bem k o costume e Guarin ajudou a ekilibrar a ekipa e so nao marcou pork o heroi de verde se antecipou...
    Agora nao lembra a ninguem tirar o sapunaru e meter o tommy a lateral direito..se fizesse os trabalhos de casa jesualdo sabia k fernando faz bem a posiçao demonstrou-o durante a pre-epoca passada...podendo configurar um meio campo diferente, sendo que o paços criou sempre perigo pelas alas pelo que o mister azul pos-se a jeito...desta vez foi feliz..

    Por fim eu fico com uma certeza este Porto nao serve para Londres..mas se for verdade que o paços serviu como ensaio de mecanismos e estrategias para a visita ao Emirates Stadium entao por norma a um mau ensaio segue-se uma boa estreia..e este jogo de hoje o k teve de bom foi mesmo o resultado..agora os da 2 circular k se matem esfolem mas k o proveito seja nosso............

    ResponderEliminar
  9. No dia em que o Prof. Pardal perceber que é com jogadas iguais às do 2º golo do FCP, que devemos adoptar a 100%, as vitórias do FCP serão fáceis e em contínuo.

    Foi simples ao 1º toque e partiu completamente a equipe adversária.

    O problema é que o homem insiste na bola para trás e entregas na lateral.

    Gostava de ver a estatística de quantos passes o FCP faz para trás bem como para as linhas laterais.
    Assim é muito dificil progredir.

    Mas pronto, ganhamos e é o que interessa. Precisamos de ganhar 5 ou 6 jogos seguidos para as jogadas começarem a aparecer naturalmente, empolgando a assistência.

    Amanhã, só espero pancadaria, muita lesão e golos ilegais, com um empate de 3 a 3.

    Já agora uma invasão de campo também não ficava nada mal...eh...eh..

    ResponderEliminar
  10. Paulo :

    Jogo morno ...
    Como convém nesta altura !



    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Vitória justa do FC Porto, sem grande brilhantismo, com alguns períodos de futebol algo cinzento e muito precipitado de alguns elementos, mas que garantiu os 3 pontos, ao fim e ao cabo, o mais importante, depois das críticas e assobios - quem vai para o Dragão assobiar que fique em casa que não faz falta - dos adeptos.

    Entrada excelente da equipa em jogo, com um caudal de futebol ofensivo bastante apreciável, que nos valeu um belo golo e um ou outro falhanço, sobretudo o de Lisandro. Neste período de maior fulgor, Raúl Meireles foi o melhor jogador, comandando, na falta de Lucho, a organização ofensiva, chegando próximo da área bastas vezes e assegurando a circulação correcta da bola com sabedoria. Tomás Costa esteve bem, assim como Lisandro, Rodríguez e Lino.

    A partir de determinada altura o FC Porto desacelerou e o jogo tornou-se monótono. Esta monotonia prolongou-se pela segunda parte, razão pela qual o Paços subiu as suas linhas e foi um pouco mais incomodativo e pressionante, levando o FC Porto a falhar alguns passes nas transições e a jogar mais devagar. Isto irritou os adeptos, que continuam bastante tensos, aplaudindo e assobiando em minutos consecutivos.

    Jesualdo mexeu e bem na equipa, fazendo uma dupla susbtituição totalmente correcta. Candeias entrou para o lugar do apagadíssimo Farías (parece que anda no relvado a dormir...), indo Lisandro para o centro. Sapunaru, displicente em certos lances, justificou a saída, entrando Guarín e gerando o recuo de Tomás Costa para lateral-direito. Por mim, nada a dizer. Tomás revelou-se uma boa solução e cumpriu, até defensivamente. Não me parece, de todo, que Fernando fosse melhor opção para o lugar, não o estou a ver a dar profundidade pelo flanco e não vejo porque se critica Jesualdo por uma simples opção. Foi pena foi Guarín ter entrado desastrado, emperrando o jogo da equipa com perdas de bola e lentidão a decidir. O perigo relativo que o Paços criou, foi até mais pelo centro do terreno que propriamente nas alas. Devo dizer que achei o miolo, por vezes, pouco agressivo e a conceder muito espaço aos homens pacenses.

    A entrada de Hulk para o seu lugar original revitalizou a equipa, ao mesmo tempo que se preservou Lisandro para Londres. O FC Porto partiu então para uma parte final um pouco melhor, com mais algumas oportunidades no ataque e controlando melhor o jogo na defesa e meio-campo. Belo golo de Hulk, numa jogada muito bem conseguida entre ele e Meireles.

    Bruno Rocha, não acho que hoje o FC Porto tenha actuado a espaços no 4-1-3-2 de que falas. Hoje claramente houve poucas nuances tácticas e o FC Porto actuou em 4-3-3 bem definido durante os 90 minutos. Mas acho que pode ser uma boa solução. No entanto, julgo que para Londres o Jesualdo irá adoptar o esquema que adoptou na Luz, ou seja, o 4-1-4-1, com Fernando a pivot-defensivo, Tomy à direita, Rodríguez à esquerda, Lucho e Meireles no centro e Lisandro na frente.

    ResponderEliminar
  12. o lisandro anda a jogar contrariado,ja nem corre as bolas como corria,falha golos escandalosos,enfim,ta fodido que vá embora,o hulk que para já é um trapalhão já marcou mais golos do que ele,e entra sempre como suplente!!!pelos vistos nao quer renovar,acha que ganha pouco daí a sua ineficácia nos jogos...quemdisser que hoje ele fez alguma cisa de jeito peço desculpa,é porque nao vimos o mesmo jogo...
    meireles,bruno alves,grande fernando,o miudo tem tado EXCELENTE,e pouco mais se viu naquele óasis argentino que tao bem fizeram a cama ao quaresma,e agora se ve que afinal nao era ele o problema.até o pélé ainda agora chegou e ja anda nas noitadas!!!os argentinos seguem-lhe o caminho,e quem joga em campo??os portugueses e pouco mais.ou o nosso presidente bota mão nisto ou tamos bem fodidos...


    abraços de um portista que nunca e em circunstancia nenhuma vai pó estádio assobiar...em vila de conde nem 1 se oubiu!!!porque quem assobia ir apoiar fora tá quieto...uma equipa que nao tá jogar bem e ainda é pressionada pelos próprios adeptos!!!hoje ía pelo mesmo caminho mas tabam lá os "arruaceiros"como eu...na sul pa nao deixar isso acontecer.

    ResponderEliminar
  13. eu axo que o porto fez um jogo q.b, nao eskeçamos que na terça temos um jogo importantissimo com o arsenal.O rodriguez é um belissimo jogador mas ainda me parece que nao está ao nivel dele,o lisandro fez um bom jogo e nao me preocupa ele nao marcar golos porque o que ele joga para a equipa é sufeciente, mais cedo ou mais tarde os golos vao aparecer.Acho que o fernando nao fez um bom jogo mas tambem precisamos de ter calma com ele porque é muito novo e tem que ganhar experiencia porque so apostando neles é que vemos se sao realmente bons,no entanto acho estranho o jesualdo ainda n ter convocado o pelé,axo ke ele podia ser o nosso trinco e custou 6 milhoes de eur.Com o tempo e com todas as peças introsadas vamos lá, é preciso ter paciencia com esta equipa,AMOTE PORTO

    ResponderEliminar
  14. Oh amigo bruno pinto...4-3-3, onde viu isso..lisandro procurou sempre as posicoes interiores onde apesar do desacerto com a baliza alias um fait-divers da epoca em curso, pela direita so me lembro da jogada de insistencia que é a genese do 1ºgolo ...Falo de 4-1-3-2 por foi notorio k rodrigues nunca jogou demasiado aberto nem nem seker em linha com farias e ou lisandro...veja a quantidade de bolas que procurou no interior..Concordo que sapunaru este distante do jogador que prometeu, depois acho k guarin nao esteve tao mal assim..foi notorio o equilibrio k a sua entrada acrescentrou ao jogo mais força na zona intermedia..Depois amigo tomas costa na direita...meu Deus..Sim fernando faz bem melhor a posiçao nao tenha duvidas...e nao precisa acrescentar profundidade no flanco se la tiver um jogador incisivo como candeias..precisa sim de rigor e concentraçao nas tarefas defensivas...essa é diferença que se tem de observar quando se lançam os jogadores...pensar no k se precisa e o k se pode obter do jogador a lançar...por isso reafirmo os sistemas tacticos nao sao akilo que os jogadores representam em termos de habituais posicoes ..tem de ser olhados como competencias dos lugares que pisam...por isso ..se no papel lisandro era o elemento do trio de atake, nunca ou kuase nunca pisou esses terrenos, depois ainda que veja as coisa dessa maneira compare com rodriguez e diga-me se teve acçao no jogo como 3 unidade de ataque ou se lançou a sua manobra ofensiva nas zonas de meio campo com dissertaçoes pelo centro..so no fim é k ganhou verticalidade a apareceu a ganhar a linha umas poucas vez quando ai sim o porto jogava em 4-3-3 com hulk encravado nos alas agora bem abertos candeias e cebola escudado no trio meireles, guarin e fernando...em londres jogo como kiserem o mais certo é ter-mos invençoes ...

    Kuanto as noitadas e a pouca gratidao demonstrada por algum correlegionarios clubisticos para com Lisandro...nao fale-mos de coisas k nao sabemos nem especule-mos de momento sobre coisas k podem depois virar-se ai sim contra nos...vejam no k deu ameaça ao P.Assunçao a saida do Olival pra que renovasse...existem mtas teorias mas quanto mais barulho fazemos mais prejudicamos as intençoes da SAD...

    ResponderEliminar
  15. Bruno Rocha,

    Podes tratar-me por tu e não por você que o ambiente assim fica mais saudável...

    Devo ter visto um jogo diferente, porque o que eu vi foi o Rodriguez sempre bem aberto na esquerda, durante o jogo todo e gostei do rendimento. Mesmo na primeira parte vi-o combinar com o Lino variadas vezes junto da linha. E vi o Lisandro na direita, especialmente na segunda parte. Claro que ele apareceu na área mas isso resultou da própria dinâmica do jogo, porque ele partia sempre do lado direito e não se posicionava na área pelo menos no início dos lances. Mas enfim, isso é a minha opinião e o que eu vi, não vale a pena discutir por causa de uma situação irrelevante.

    Quanto a Tomás Costa e Fernando, discordo redondamente, logo quando dizes para não ter dúvidas que Fernando era melhor opção, não só tenho dúvidas como acho que Tomás Costa faz melhor o lugar. Razão: Tomy pode não ser tão agressivo, mas posiciona-se bem e é muito mais seguro em posse de bola. Fernando revela ainda muita insegurança, principalmente na recepção. A lateral-direito, não acho que desse profundidade ofensiva e a sair a jogar com a bola dominada penso que seria nocivo, porque um lateral não tem assim tantas opções de passe e ele poderia acumular perdas de bola. Fernando não tem características de lateral, nem mesmo defensivamente. Mais do que agressividade, às vezes faz falta posicionamento e segurança em posse e aí, meu caro, Tomy é muito mais maduro que Fernando, por muito que isso custe a muita gente.

    ResponderEliminar
  16. O Lisandro deve andar desconcentrado com esta história da renovação. Só isso explica tanto falhanço

    ResponderEliminar
  17. Vi o Lisandro na primeira parte a pegar na bola tanta 'vezinha' ao pé do banco do FC Porto, bem junto da linha que nem percebo como se discute que ele hoje não jogou como extremo-direito. É óbvio que muitos dos seus movimentos são interiores, mas resultantes das suas características e da própria dinâmica dos lances. A posição inicial dele foi sempre extremo. É evidente também que quando há um lance pela esquerda, ele flecte para a área, algo que também sucede com Rodríguez quando o lance é pela direita. Mas isso é algo normal acontecer quando se joga em 4-3-3 bem definido, sejam os extremos o Lisandro, o Rodríguez, o Tarik, o Candeias ou o Mariano.

    Correcção ao comentário anterior: vi o Lisandro na direita, especialmente na primeira parte e não na segunda, como escrevi.

    ResponderEliminar
  18. Vitória justa, indiscutível, mas com uma exibição fraquita.
    Melhor claramente na 1ª parte que na 2ª.
    Estamos na fase de comer sardinha, mas acredito que vamos chegar à lagosta, lá mais para a frente.
    Helton, agora, vai ser o bode expiatório?
    Com Tomás Costa está resolvido o problema da lateral direita da defesa.
    Centrais razoáveis, melhor o B.Alves que o Rolando.
    Lino, boa 1ª parte, belas combinações com Rodríguez.Pior na 2ª a baixar na fase que o Paços foi mais atrevido e ele precisou de defender, que é o seu calcanhar de aquiles.
    Fernando, vai ser o Trinco!
    R.Meireles o melhor para mim.Grande jogo, com 1 golo e uma assistência para outro.
    Lisandro muito perdulário, apesar de abnegado.Com o Licha da época passada, tinha ganho todos os jogos do campeonato.
    Farías uma nulidade.
    C.Rodríguez, fez coisas muito boas e outras más. Começou bem, em grande mesmo, mas foi perdendo gás.
    Candeias, apenas razoável, mas melhor que o também entrado Guarín, que jogou pouco.
    Hulk muito bem.Quero vê-lo de início ao lado de Lisandro.
    Para terminar:achei curioso que ontem, que estavamos aganhar e a jogar bem melhor que em Vila do Conde, Jesualdo a faltar ainda muito tempo para o intervalo, colocou a aquecer três jogadores.
    Foi para espevitar, certamente. Em Vila do Conde não o fez.Conclusão: ainda se pode aprender aos 63 anos.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  19. aproveitemos para dedicar esta vitória aos pasquins a bola, o record, correio da manha (não, não me esqueci do acento em manhã...)e também aos jornaleiros do regime!

    Ah, logo, como não podem perder os dois, que se lesionem muitos deles. E que acabe empatado... Era o menos mau...

    FORÇA PORTO!!!

    Coragem em Londres...

    Para onde vais eu também vou!!!

    Nós Somos CAMPEÕES!!!

    ResponderEliminar
  20. quem realmente criticar a entrega do lisandro, a garra q ele tem de todos os lances, a pressão que faz aos defesas, a raça de um jogador à porto, ou é pouco inteligente ou então não sabe o que diz...o que me parece que acontece muito !!

    quem dera que todos fossem como o lisandro..e quem me dera que nunca fosse embora do porto..jogadores como este é que precisamos..os golos?? vão aparecer e quem dera aos extremos criarem oportunidades para marcarem como ele faz não sendo extremo.. ele procura os golos e procura sempre a vitoria..já outros...

    mas enfim..todos podem opinar e como tal dizerem as asneiras que quiserem!!

    ResponderEliminar
  21. Li a excelente crónica do paulo Pereira (mandei-te sms ontem, não respondeste...), li também todos os vossos comentários e não compreendo de todo os que criticaram Lisandro. Ele foi, é e continuará a ser um exemplo para todos.

    o Porto da 2ª parte foi deprimente, deixou-me mt apreensivo, há mt trabalho ainda por fazer... mas ganhou.-se:)

    ResponderEliminar
  22. Lisandro está pouco feliz na concretização, apenas isso, na primeira parte ele foi dos melhores jogadores e até gostei muito da sua actuação como extremo...Aliás se se lembrarem melhor o golo do Porto foi trabalho dele! Depois, quando mudou para o centro não teve quem o municiasse devidamente e provavelmente já estaria também a pagar o esforço desenvolvido até aí...Tomás Costa jogou muito bem e mesmo a lateral, esteve melhor que Sapunaru, que é fisicamente mais dotado mas não tem ainda, a condição ideal para render o que pode...Tomás dá tudo o que tem!
    Rodriguez esteve também melhor, mais ousado nas iniciativas e a conseguir melhor ir à linha e flectir...Pagou pelo facto do árbitro -de Lisboa- não lhe ter ainda perdoado a transferência.
    Na defesa, Bruno melhor que Rolando, especialmente nas entregas de bola. Mas constituem uma bela dupla e temos ainda Pedro Emanuel para as necessidades. Helton precisa de treinar as sacudidelas aos disparos, quase que invariavelmente, atira-as para os lugares onde acabam por surgir adversários. Sorte(?), azar(?), não sei, não sou bruxo!
    Meireles fez um jogo muito esforçado, cobriu com Tomás Costa quase todo o meio-campo ofensivo, fez um golo espectacular de execução -deu para perceber bem como ele encostou o pé- e ainda ofereceu o segundo. Querem mais?...
    Lino esteve bem na primeira parte, deu dinâmica à ala esquerda, combinou bem com Rodriguez, depois começou a exagerar nos duelos individuais e perdeu-se.
    Candeias entrou bem muito vivo e alegre, foi bom que tivesse entrado o Paços teve que ficar mais atrás...
    Hulk, teve dois ou três pormenores dentro do que já lhe observamos, tem que corrigir o seu egoísmo, marcou um golo bonito mas quase que roubava a possibilidade da sua concretização -Guarin estava ali-, pela ânsia que tem de se mostrar. Não gostei que festejasse para a Plateia em vez de cumprimentar Meireles, como era sua obrigação. Está na altura de mostrar mais humildade. A chuchar no dedo ficamos quase sempre nós! Para além disso tem que ter cuidado com as simulações, houve uma que foi de bradar aos céus, até teve direito à sensação de que podia ter destruído o relvado!
    Guarin está um pouco perdido, mas a capacidade está presente.
    Par rematar confesso que senti a falta da clarividência e linearidade de Lucho, estava na bancada e até -se calhar- foi bom assim.

    ResponderEliminar
  23. Desculpem-me, esqueci-me de Fernando que esteve bem melhor que na partida com o Rio Ave. Um pouco escondido, tímido, a fazer lembrar o Paulo Assunção mas mais afoito a entregar e a destruir jogo, atrasando sem complexos para Helton ou qualquer outro defesa quando acossado.
    Estou convencido que este ano vai ser novamente nosso e não esqueçam -falta Quaresma, mas estão por cá dezoito Milhões para entregar a alguém que surja para merecê-lo- para além disso temos de reserva Pelé, Tarik, Stepanov, Benitez, Fucile, Nuno...

    ResponderEliminar
  24. Lucho,

    SMS? Para qual tlm? Se foi para o do trabalho, só na 2ª é que o leio:)
    O que querias?

    ResponderEliminar
  25. era para saber o resultado do porto em vagos (mandei para o 91...)em basket, perdeu já sei...

    EM HÓQUEI GANHAMOS A SUPERTAÇA Q A RTP ACABOU POR NÃO DAR:

    FCPORTO-6-BRAGA-2

    ResponderEliminar
  26. Eu gostei do jogo!

    2 golos que foram

    FCPORTO 2-0 PAÇOS DE FERREIRA

    http://campeoesfcporto.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  27. bluE bOy:

    Onde é que se escreve na liga privada aqui do blogue BiBó PoRtO?

    ResponderEliminar
  28. E quem critica quem critica o Lisandro ou é burro ou ainda não sabe que o é (o que até é normal, coitado).

    Um ponta-de-lança vive de golos. Prefiro um que até pode correr pouco mas se tiver duas oportunidades... marca duas vezes. Prefiro um que se tiver oportunidade para rematar, não se limite a "puxar a culatra atrás", fechar os olhos, rematar com a toda força que tem e esperar que o destino lhe seja risonho, pois com muita sorte a bola até pode ir à baliza... mas que saiba o que tem de fazer e marque.

    Mil remates para fora não dão pontos, mas os burros ainda não aprenderam isso... Até se babam de tanto verem o Lisandro correr. Volta Obikwelu, estás perdoado.

    ResponderEliminar
  29. bluE bOy:

    Onde é que se escreve na liga privada aqui do blogue BiBó PoRtO?

    ResponderEliminar
  30. Viva !

    Só comecei a ver o jogo a partir dos 20 e picos minutos. A rtpi pifou e depois houve telefonemas ( no momento em que não eram precisos).

    Vamos por partes :

    Paulo Pereira : Parabéns pelo título do artigo. Creio que resume tudo.

    O Porto não perdeu pontos em casa e isso, para mim, é o essencial. Lembremos que, salvo erro meu, o ano passado houve pontos que foram perdidos em casa.

    Gostei da troca de armas entre os dois Brunos. É assim que se defende o futebol e,logo, o Porto.

    Creio que o treinador foi sábio, como o tem sido até agora. Pelo que vi, ele apostou em os dois sistemas referidos em um. Daí talvez se notasse a dado momento a falta de entrocamento entre as linhas.

    Com uma equipa imensamente jovem, creio que não pode fazer de outra maneira se não testar.

    O futebol é um jogo colectivo e é sempre custoso falar de individualidades já que estas últimas existem em função do colectivo.

    A defesa está bem. Acho que Jesualdo Ferreira está a construir uma equipa que assenta na defesa para depois se alongar. Rolando é novo no plantel. Concordo com a ideia que uma equipa se faz antes de tudo de trás para a frente. Tal como no Xadrez o melhor ataque é a defesa.

    Existe o problema do Helton ( o meu filho gosta muito dele e até camisola tem ). Penso que é um grande e fantástico guarda redes entre os postes ( veja-se o esticão de ontem) só que já me parece que tem que socar as bolas, fora dos postes, e não as aliviar. Mas os defesas também devem estar presentes. E aí talvez se note, por agora, falta de entrocamento. Achei-o menos bom na reposição de bolas relativamente ao passado.

    Gostei deste jogo porque mostrou que o Porto pode ganhar sem Lucho.

    O segundo golo do Porto é um golo de escola. Cinco estrelas !

    Gostei do Lino. Trapalhão por vezes mas é combativo. É o que interessa.

    É verdade que Lisandro está a falhar ( mas não foi ele que nos deu o campeonato na época passada ? ). Porque não deixá-lo ( sempre o escrevi) lá no eixo do ataque. É o seu lugar no Porto.

    Não creio que seja bom pôr os jogadores em concorrência. Demasiada concorrência mata o mercado ! Vejam-se os problemas actuais da bolsa ! Lol !

    Gostei das substituições. Sobretudo no que diz respeito a Candeias. Trouxe velocidade e rematou.

    Conhecendo-se o Treinador Comentador Vídeo do Arsenal que vive obsecado pelos extremos ou alas, o Candeias deve tê-lo deixado apreensivo. Boa jogada psicológica de Jesualdo Ferreira.

    Já havia o tgv ; Agora há o tcv ! Lol !

    Não desgostei do meio campo do Porto. É verdade que não há entrocamento, há passes falhados, mas acho que começa a haver garra.

    Se Roma não se fez num dia o FC Porto não se fez numa semana ! Lol!

    Tenho que acabar com esta coisa dos lol. Pareço um adolescente com espinhas ! Lol !

    Não estou nada convencido com o Rodrigues (com s como manda a padeira de Aljubarrota !). Creio que o Tarik faz falta.

    Quanto ao Hulk : Estava no lugar certo no momento certo. Tal como Guarin !

    Mas como bem referiu MeirelesPortuense, parece ser fiteiro. Já o tinha referido.O que não é forçosamente bom para o colectivo.

    Estou convencido que ganharemos na Arábia Saudita, desculpem nos Emirados, contra o Arsenal.

    Haverão muitos mais espaços.

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  31. Enquanto vamos criticando os nossos jogadores e equipa, vemos no Sborting um ex-jogador do FCP, agarrar um adversário dentro da área, e o outro a cortar a bola com a mão, e nada. Na mesma jogada 2 situações para penalti e o árbitro nada.

    Imaginem se aquele soneca em vez de verde estivesse vestido de azul, o que seria este lance, na descomunicação social lisboeta.

    Se até roubam o benfas, para favorecer os verdes, isto tá mesmo feito.

    Só nos resta apoiar os nossos, com o máximo das forças possiveis, cerrando fileiras, pois este ano é mesmo contra tudo e contra todos.

    Não se esqueçam que o titulo dos benfas à 4 anos começou na contestação que a equipa do FCP desses ano, teve por parte de alguns dos adeptos que se pavoneiam aindo hoje no Dragão, nos jogos no Dragão.

    São os mesmos que agora assobiam, e criticam por criticar o treinador o nosso melhor ponta de lança,a sad, etc, etc.

    Os adversários são os outros. Se vocês não gostam da nossa equipa só tem uma solução. Não ponham lá os pés, e podem ir apoiar o Boavista que tanto precisa de vocês.

    ResponderEliminar
  32. Lucho, estava à espera da tua mensagem com a boa notícia do hóquei. 6-2 sem o Reinaldo e o Pedro.

    ResponderEliminar
  33. Porto.Maravilha:
    Admito que ele tenha sido tocado num dos lances em que caiu, mas num outro, pareceu-me manifestamente não ter existido falta e ele mesmo assim, atirou-se para a relva com uma destas ganas...Se se mantiver com este tipo de comportamento, os árbitros vão aproveitar e dar-lhe amarelos em doses industriais. Ele precisa de perceber que está com uma equipa e que sozinho, não vai a lado nenhum.
    De resto tem um potencial extraordinário, força, técnica e um belíssimo pontapé.

    Só um aparte: O jogo de hoje foi de uma pobreza Franciscana e o Sporting foi derrotado porque confiou demasiado nas falhas do adversário. O Benfica revelou -na parte final- que tem um défice físico impressionante. Voltou a mostrar ainda que de forma mais suave, a quebra que manifestou com o Porto. Viram aquela cãibra do Martins?...E do Reyes?...Impressionante!...

    ResponderEliminar
  34. Apesar de exigente (como Portista que o sou, não o poderia ser de outra maneira), apelo à reflexão.
    Não acham estranho , que de repente tenham deixado de falar nas equipas jovens???
    Na juventude das equipas???
    Ora, vamos lá.
    Neste última jornada (4)

    F.C. PORTO - 26,46 média de idade
    Sporting - 27,62 média de idade
    Benfica - 27,92 média de idade

    Por sectores

    F.C. PORTO - Defesa - 27 média de idade
    - Meio Campo - 22,75 média de idade
    - Ataque - 23,6 média de idade

    Sporting - Defesa - 25,8 média de idade
    - Meio Campo - 23,6 média de idade
    - Ataque - 27,62 média de idade

    Benfica - Defesa - 24,4 média de idade
    - Meio Campo - 25,5 média de idade
    - Ataque - 27,75 média de idade

    ...

    ResponderEliminar
  35. Tanta polemica, confrades ... Pois se o nosso Porto ganhou , e os outros dois "andores" ate' trabalharam para nos , que mais queriam ? Soma e sobe !

    ResponderEliminar
  36. Ora bem !!! O Hulk rasgou a roupa outra vez ... Aquilo foi : Entrar na igreja e beijar o santo !!!
    Bravo mulatinho ... Esperem X + !

    ResponderEliminar
  37. Já começa a ser um (mau) hábito nos últimos jogos... entrada em força, rapidez de processos, golo e depois por um ou outro motivo, vá-se lá saber o porquê, o ritmo abranda e o jogo torna-se lento, mastigado e sem sal.

    Segundos 45 minutos do mesmo, a impaciência a apoderar-se das bancadas, o árbitro (como? quem? quando? não brinquem comigo) a ajudar à festa... até que Hulk, entra e resolve (mais uns centimetros e a bola ia para a bancada).

    Até ao final, mais um festival de péssima arbitragem... e 3 pontos no bornal.

    Por ora, as doses de carapauzinho de rabo na boca estão a sair bem... espera-se para breve, camarão e do bom.

    ResponderEliminar