25 outubro, 2015

ALGUMAS EXPLICAÇÕES ÀS PRIMEIRAS IMPRESSÕES SOBRE AS CONTAS DA SAD.

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Tinha prometido no meu último texto uma análise mais profunda às contas anuais 2014/2015 da SAD do Futebol Clube do Porto mas, vicissitudes várias levaram a que a falta de tempo impedisse essa análise mais profunda. Assim, o que trago hoje é a explicação dos pontos que enunciei no último texto e fica desde já prometido a análise mais profunda para daqui a 2 semanas. Assim:
  • O Resultado Operacional cresceu 3706,38% fruto das transacções com passes de atletas. – Este valor inclui não só as vendas de passes de atletas feitas nesta época mas, inclui algumas vendas de atletas da época anterior que já foram feitas depois de 01 de Julho de 2014, sendo incluídas neste exercício económico.
  • Melhoria no resultado operacional, excluindo transações com passes de jogadores, ou seja, a componente recorrente da atividade da SAD apresenta um melhor comportamento na última época face a 2013/2014. Apesar desta melhoria, esta rubrica ainda apresenta um deficit. Esta melhoria acontece apesar de a despesa ter crescido. Assim, esta melhoria de comportamento deveu-se a um maior aumento da receita (28,89%) do que da despesa (15,93%). – Do lado da receita, a boa performance desportiva nas competições europeias gerou um acréscimo de cerca de 27M€ ao nível de prémios, de 1,8M€ ao nível de receitas de bilheteira bem como de 1,3M€ ao nível de receitas televisivas. Do lado da despesa, a rubrica que aumentou mais significativamente foi a de custos com pessoal nomeadamente nas de atletas/técnicos. Da parte da equipa técnica uma maior remuneração é inteiramente justa, já que Julen Lopetegui mostra ser mais capaz que a estrela de tv nascida no barreiro.
    Do lado dos atletas, o acréscimo de remuneração deveu-se à política de contratações com o recurso a atletas emprestados por clubes que por regra pagam salários largamente superiores aos do FC Porto. Este aumento do montante de remunerações levou também a um incremento de encargos sobre remunerações.
  • Do lado da receita de salientar também o decréscimo na rubrica Corporate Hospitality. - Acordo de Cooperação celebrado em Julho de 2003 com a PortoEstádio em que a Euroantas detém o direito exclusivo de comercializar os Camarotes e Business Seats.
  • Do lado dos custos operacionais de salientar o comportamento positivo da rubrica Fornecimentos e Serviços Externos que diminuiu 20,95%. – Esta diminuição de valor deve-se sobretudo à não existência da rúbrica “Corporate Hospitality” face à época de 2013/14 está relacionada com a inclusão, pela primeira vez, da Euroantas no perímetro de consolidação do Grupo.
  • Ao nível do Balanço a situação líquida aumento 116.171 milhares de euros. – Esta melhoria é fruto do aumento de capital aprovado em Assembleia Geral de 2 de Outubro de 2014.
  • O aumento das disponibilidades de 21,89% é um aspeto positivo que as notas ao balanço poderão explicar qual a sua origem. – Não nos é apresentada qualquer justificação.
  • Ao nível do Ativo o aumento das dívidas de clientes de 16,58%. – Fruto dos negócios com passes de atletas não se tendo verificado um aumento significativo de clientes de cobrança duvidosa.
  • Do lado do passivo os empréstimos bancários aumentaram 8,42%. Nesta rubrica de salientar o aumento do prazo destes sinalizado pela passagem de empréstimos bancários correntes para empréstimos bancários não correntes. – Apenas de salientar o montante a reembolsar dentro de 1 ano (41M€) que irá aparecer no próximo Relatório e Contas como Passivo Corrente se não for contraído antes um empréstimo para substituir este empréstimo com melhores condições nomeadamente ao nível de prazos de reembolso.
  • Do lado do passivo os empréstimos obrigacionistas o aumento cifrou-se em 30% com um aumento de prazos sinalizado pela passagem de empréstimos obrigacionistas correntes para empréstimos obrigacionistas não correntes. – Nesta rubrica salientar o facto de termos reembolsado os empréstimos vencidos e contrair novos empréstimos obrigacionistas, e em melhores condições, ou seja, com menores taxas de cupão.
  • Do lado do passivo o aumento das dívidas a fornecedores podem significar melhoria ao nível da capacidade de negociação de prazos ou dificuldades de tesouraria pontuais levando a incapacidades para pagar. – Aqui, por falta de tempo para melhor análise deste ponto, apenas salientar que nenhuma verba relacionada com a contratação de Adrian Lopez foi paga até ao momento ao Atlético de Madrid.
Até breve,
Delindro

0 comentários:

Publicar um comentário