22 abril, 2012

Liderança confirmada com classe e confiança

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/


FC Porto 3-0 SC BeiraMar

Liga 2011/12, 27.ª jornada
21 de Abril de 2012
Estádio do Dragão, no Porto
Assistência: 33.412 espectadores


Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal).
Árbitros assistentes: Mário Dionísio e Valter Ferreira.
Quarto árbitro: Jorge Ferreira.

FC PORTO: Helton; Sapunaru, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Defour, Lucho e João Moutinho; Hulk (cap.), Janko e James
Substituições: Defour por Fernando (53m), Sapunaru por Danilo (57m) e Janko por Varela (66m).
Não utilizados: Bracali, Kléber, Rolando e Djalma.
Treinador: Vítor Pereira.

BEIRA-MAR: Rui Rego; Nuno Lopes, Hugo (cap.), Bura e Joãozinho; Nuno Coelho, Balboa, Jaime e Serginho; Abel Camará e Nildo.
Substituições: Nuno Coelho por Dias (12m), Serginho por Artur (59m) e Abel Camará por Edson Sitta (72m).
Não utilizados: Paes, Pedro Moreira, Dudu e Cássio.
Treinador: Ulisses Morais.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores: Hulk (33m, pen., 54m) e Janko (51m).

Cartão amarelo: Abel Camará (15m), Dias (32m), Bura (35m), Defour (41m), João Moutinho (43m), Lucho (47m), Sapunaru (52m).

Regresso da Liga Portuguesa ao Dragão após vitória muito importante em Braga e também após interregno para disputa da Final da Taça da Liga.

Vítor Pereira voltava a ter todo o plantel à disposição com os regressos de Danilo e Fernando às convocatórias. Não entraram directamente para o 11 e a opção foi mudar pouco em relação ao jogo de Braga. As entradas de Alex Sandro e Janko para os lugares de Álvaro e Kléber foram as “novidades”.

Era imperial vencer sabendo de antemão o resultado do Benfica de hoje à tarde que havia ganho o seu jogo e pressionava assim a nossa equipa. A equipa da cidade dos arcebispos não passou na capital do móvel e podia definitivamente ficar fora das contas do título, em caso de vitória azul e branca.

O Porto entrou forte e logo na primeira jogada, Hulk arranca e liberta em Janko que à remata forte mas à figura de Rui Rego. Era necessário manter a toada ofensiva para precaver sobressaltos sobre uma equipa aveirense que respirava confiança após duas vitórias consecutivas que praticamente definiram a sua manutenção para a próxima temporada. Encontrámos uma equipa compacta que espreitava as saídas rápidas sempre que possível.

O Porto jogava bem, com velocidade suficiente para colocar em causa a defensiva adversária. A partir dos 15minutos assentámos o jogo e com qualidade e dinâmicas bem definidas no triângulo do meio-campo, chegávamos perto da área e faltava haver mais movimentos de ruptura nas costas da defesa para colocar os jogadores na cara do guarda-redes. Duas mudanças no decorrer do jogo do Porto, com a alternância de corredores de James e Hulk a tentarem tornar algo imprevisíveis os movimentos ofensivos dos Dragões.

Aos 32 minutos e após 2 sustos dos visitantes, o tal lance com um movimento de ruptura e desequilíbrio de Sapunaru com um grande passe de Lucho, origina uma grande penalidade clara de Dias (ex-Porto). Hulk chamado a converter com alguma sorte à mistura na potência e colocação com que rematou, abre o activo e o resto é conversa… 1-0 e o mais difícil estava feito.

Até ao intervalo baixámos o ritmo excepção feita a duas arrancadas de Hulk pelo flanco direito a causarem mossa no adversário e perigo para a sua baliza, no entanto sem sucesso.

Para a 2ª metade, pedia-se concentração máxima e vontade na busca de mais golos pois o resultado era curto e perigoso. Não houve mexidas nas duas equipas, apenas se mantinha a alteração forçada bem cedo na partida com a lesão de Nuno Coelho a dar lugar a Dias.

Melhor entrada não podíamos ter tido e logo aos 5 minutos James inicia a jogada em velocidade no corredor central e mais tarde a dividir o jogo na direita em Hulk e o brasileiro, aproveita a falha de cobertura defensiva em Joãozinho explora a velocidade e coloca no 2º poste para desvio de Janko finalmente a voltar aos golos. 2-0 e vantagem alargada. Não ficámos por aqui e 3 minutos depois Hulk volta a facturar num pontapé forte de pé esquerdo após passe atrasado de Maicon que tinha ficado na área após pontapé de canto.

Estávamos muito bem no jogo, 3-0 era o resultado e havia alguns momentos de “nota artística” como alguns lhe chamam! Bem Vítor Pereira a mexer por duas vezes na equipa em 2 elementos amarelados…saíram Defour e Sapunaru e entram os regressados Fernando e Danilo.

Nesta altura o Beira-Mar é uma equipa derrotada, que mais parece querer deixar correr o jogo e que o seu final chegue depressa. Era importante não entrar nessa toada para não deixar o adversário acordar e tentar voltar ao jogo, evitando assim as habituais falhas de concentração. Aos 67 minutos última alteração no Dragão, com a saída de Janko e entrada de Varela.

Com esta alteração Hulk passou a ocupar uma posição mais central procurando sempre jogo nas costas dos laterais contrários. A partir dos últimos 15minutos o Porto baixou novamente a intensidade do seu jogo e só acelerava com a chegada da bola ao brasileiro, procurando a velocidade no 1x1 para depois jogar nos apoios que iam chegando.

O jogo chegava ao fim sem mais lances a merecer registo especial, apenas alguns apontamentos de James e Lucho a pautarem o jogo até final.

Muito bom o Porto esta noite, do melhor que vi esta época até aos 70 minutos com grande intensidade, agressivos e com ambição de querer um resultado melhor.

A vantagem mantém-se nos 4 pontos, faltam 3 jogos, mas calma… JJ já disse que o Porto ia perder pontos na Madeira, foi alguém que lhe disse? Vamos com tudo ao caldeirão e com o registo igual ao de hoje, podemos sair de lá praticamente campeões, mas falta o quase! Quero festejar no Dragão, com o rival Sporting… esforcem-se para que tal seja possível. Estamos com uma mão no título, o que muitos dos nossos talvez não quisessem ou esperavam que não acontecesse para poderem bater mais um bocadinho. Já “só” faltam 5 pontos.

Notas positivas: Exibição colectiva do Porto; jogo sem golos sofridos.

Notas menos boas: Desconcentração final mas que acaba por ser natural.

Melhor em campo: Hulk – 2 golos e 1 assistência bastam para ser o melhor em campo esta noite.




DECLARAÇÕES

Vítor Pereira: "Estou satisfeito com a qualidade do jogo e o resultado"

Já sente o título a aproximar-se?
Falta menos um jogo para o fim. Há ainda três pela frente, que queremos ganhar, e teremos de entrar determinados e concentrados já no próximo.

Era deste jogo que estava à espera e de um Beira-Mar tão defensivo?
O Beira-Mar jogou com os seus argumentos. Estávamos à espera de uma equipa organizada, que depois ia tentar sair em contra-ataque e em transições rápidas. Tivemos algumas dificuldades em alguns momentos, pelo desposicionamento do nosso meio-campo. Em termos gerais, foi um bom jogo, em que marcámos três golos e não sofremos nenhum. O Beira-Mar teve algumas oportunidades para fazer um golo, nós podíamos ter feito mais dois ou três. Estou satisfeito com a qualidade do jogo e o resultado.

Os jogadores mostraram capacidade sofrimento e deram tudo o que têm nesta fase, como pediu?
Sabemos que nesta fase os jogos são mais decisivos. Os próprios momentos das partidas podem decidir um resultado final e os jogadores não esquecem que está em causa um título, o grande objectivo desta época. É natural que os níveis de concentração estejam elevados e a equipa tem respondido bem. Vamos à Madeira determinados para conquistar três pontos.

Acha mais complicado ir à Madeira ou defrontar o Sporting aqui no Dragão?
Com toda a sinceridade, não faço a mínima ideia. Sabemos que vamos à Madeira defrontar uma boa equipa e temos de estar ao nosso melhor nível para vencermos. Estamos focados no próximo jogo e estou satisfeito com o que fizemos hoje. O resto é futurologia e não sou muito forte a imaginar o futuro.



RESUMO DO JOGO

10 comentários:

  1. FC Porto 3 – Beira-Mar 0
    Porfiar para ganhar!
    Não há dúvida que o FC Porto fez em grande segunda parte. Mas, então a primeira? Pois, se calhar até vou espantar muita gente; para mim a equipa entrou muito bem no início do jogo: troca de bola ao primeiro toque, desenvolvimento rápido do jogo ofensivo. Apenas pecou por bastante constrangimento e indefinição na área adversária. Evidencio propositadamente este aspecto (troca de bola em todo o terreno) porque é um capítulo de jogo de que nunca gostei no FC Porto desta época. “Nunca é tarde”… Realce também para a entrega e entreajuda. Os jogadores souberam ser solidários e competentes; o colectivo sobrepôs-se ao individual e, quando assim é, o resultado tende para o positivo.

    Alguns destaques: Helton, sempre atento, um guarda-redes que respira confiança. Sapunaru: embora algumas recuperações tenham sido lentas, pergunto – onde esteve “este” romeno durante grande parte da época? Maicon, simplesmente impecável (ou quase…). Alex Sandro é um jogador excelente; ou me engano muito ou vai ser uma grandíssima “estrela”; gosto da postura, da técnica que não mente; fantástico! James Rodriguez, tem uns pés extraordinários cujo efeito em jogo bem conhecemos; mas será que usa botas diferentes em cada uma das metades do encontro? HULK – não há palavras para caracterizar este fabuloso jogador! É um “monstro” em campo e… está tudo dito!

    Precisamos de continuar com esta atitude e a fazer jogos com “cabeça, tronco e membros”. Não pode haver facilidades como algumas que concedemos no início deste jogo. Há pontos para conquistar e, só depois, festejar. Ainda não se ganhou nada; porfiemos para, no fim, podermos dizer: GANHÁMOS, carago!

    ResponderEliminar
  2. Não gostei da primeira-parte, gostei muito da segunda. Na primeira fomos lentos, previsíveis, trapalhões, erramos muito, defendemos mal, se é verdade que podíamos ter marcado mais um golo, também é verdade que o Beira-mar teve várias hipóteses de marcar.

    Na segunda-parte tudo foi diferente, em particular depois do segundo e terceiro golo, que aconteceram quase de rajada. Com a vantagem de três golos e a vitória praticamente garantida, a equipa portista tranquilizou, ganhou confiança e a partir daí a qualidade subiu substancialmente, partimos para uma meia-hora final de muito bom nível. Vimos um Porto a ter bola e trocá-la bem, um Porto dominador, capaz de construir jogadas de belo efeito, de criar várias situações de golo, golo que só não voltou a acontecer por questões de pormenor, por algumas más opções na hora de finalizar. Para além disso, nunca o Beira-Mar voltou a ser perigoso, nunca mais, ao contrário do que tinha acontecido na primeira-parte, a equipa de Aveiro incomodou Helton.

    Resumindo, vitória justa e inequívoca do F.C.Porto, num jogo com duas partes distintas na exibição do Campeão: má a primeira, muito boa a segunda. O resultado, talvez a mesma diferença, com mais um golo do F.C.Porto e o ponto de honra que o Beira-Mar merecia.
    Gostei muito de Alex Sandro que só precisa de jogar para ganhar ritmo, confiança, já que talento tem de sobra. Se tudo correr normalmente, isto é, não houver lesões que impeçam a evolução natural dos jogadores, não correrei muitos riscos se disser que podem estar nas laterais da defesa do F.C.Porto, os dois titulares da selecção brasileira em 2014.
    Hulk, com dois golos e uma assistências, foi o melhor, mas momentos houve que parecia apostado em nos irritar.

    Nota final:
    Estamos em primeiro lugar e com grandes possibilidades para conseguir o título, era o penúltima jogo em casa, mas apenas 33.412 espectadores estiveram esta noite no Dragão. De facto, o portismo de sofá e net, tem ideias para tudo, sabe tudo, é bom a criticar o treinador, a SAD, os jogadores, tudo e mais alguma coisa, mas ir ao estádio... Estava frio e a ameaçar chuva, dava o Barça/Real na televisão...

    Magnificas homenagens ao criador dos Dragões, tanto do Colectivo como dos Super-Dragões, com a figura de Jorge Nuno Pinto da Costa a ter o merecido destaque.

    Com os golos que marcou esta noite, Givanildo Vieira de Souza, o "Incrível Hulk", tornou-se a máximo goleador do Estádio do Dragão.

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Gostei do jogo, existiu dinâmica, vontade e o jogo que o Porto apresentou foi fluído e até intenso...a equipa só continua a sentir dificuldades é defender quando está com a bola na sua posse, resultando a que cada perda de bola resulte numa situação de perigo para a equipa adversária. E resolver esta situação pode vir a ser algo complicado; no ano passado o nosso lateral esquerdo tinha ordens para subir à vontade enquanto que o outro lateral era mais comedido nessas acções; este ano o lateral direito está muito mais afoito nas iniciativas atacantes o que nos obriga a jogar com dois médios defensivos porque um só, parece que não consegue cobrir os dois lados...o problema que se nos depara é que são os defesas centrais que estão a acudir o médio defensivo...por exemplo,o lateral direito avançou no terreno,a equipa perdeu a bola no meio campo (este ano é um fartote de perdas de bola...mas agora estamos melhor),a equipa adversária lançou a contra ofensiva por esse flanco,quem vai acudir a essa bola vai ser o defesa central (já que o medio defensivo se encontra no centro do terreno (em vez de ter compensado a subida do colega) o que provoca desde logo uma situação de desequilíbrio,visto que existe uma alteração tão grande que se perde a noção de onde se encontra o ponta de lança da equipa adversária como ainda do médio ofensivo que vem logo atrás (e como bem sabemos contra nós estes meninos correm como se não houvesse amanhã)e muitas vezes a confusão é tanta que quem fica a marcar o ponta de lança é o defesa esquerdo (situação que tem vindo a aconteçer esta época com demasiada frequência,relembre-se o jogo com o city em casa); na minha opinião esta é uma situação a rever na próxima época na altura das aquisições,o que significa que temos de começar a próxima época com um projeto de jogo bem dilaniado.

    Pode-se pensar que primeiro temos de pensar em vençer este ano o campeonato...mas neste Clube a organização é tal que por esta altura já se planeia a vitória do próximo.

    Vamos continuar a alimentar esta onda de vitórias.

    Sempre PORTO

    ResponderEliminar
  4. Adeptos do SLB condenados

    «A Polícia Judiciária está a investigar, em Lisboa e no Porto, vários casos de ameaças de morte e ofensas à integridade física ocorridos nos últimos tempos contra vários árbitros de primeira categoria e respectivos familiares. De acordo com informações recolhidas pelo JN, apresentaram queixa às autoridades pelo menos três juízes e um dirigente da arbitragem. Os ofendidos terão sido contactados através dos seus telemóveis particulares, ora mediante chamadas telefónicas, ora através de mensagens escritas.»
    JN, 19/12/2009

    «Pelo menos os árbitros Jorge Sousa, Vasco Santos, João Ferreira e Pedro Proença receberam esta época chamadas telefónicas e SMS com ameaças à sua integridade física antes e depois de terem apitado jogos do Benfica, o que terá acontecido desde o início da época. (...) As chamadas e os SMS são oriundas do Reino Unido (+44....)»
    Record, 20/12/2009

    «O presidente demissionário da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Hermínio Loureiro, reuniu-se com o director nacional da Polícia Judiciária (PJ) para denunciar as ameaças e coacção que quatro árbitros sofreram durante os últimos oito meses. (...) No total, são nove os arguidos já constituídos pela PJ. Todos eles adeptos de “um clube de Lisboa”, mais concretamente do Benfica, segundo fonte da Judiciária. Em causa estão suspeitas de injúrias, coacção e ameaças sobre quatro árbitros da primeira categoria. Fonte da Judiciária explicou que os arguidos, “antes dos jogos do clube em causa, coagiam e faziam ameaças à integridade física e de morte aos árbitros nomeados e aos seus familiares”. Jorge Sousa, ao que o PÚBLICO apurou, é um dos visados. No caso do juiz do Porto, as ameaças terão sido dirigidas à mulher, através de um telefonema, numa altura em que se encontrava sozinha em casa. (...) As ameaças eram normalmente feitas através de telemóvel, nomeadamente por SMS, tendo a PJ realizado hoje uma série de buscas domiciliárias, divididas por Paredes, Rio Tinto, Tondela, Nordeste, Lisboa e Ponta Delgada. Nestas diligências, foram apreendidos onze telemóveis, três computadores, vários suportes físicos com registo de dados informáticos e documentos. E os arguidos foram sujeitos a Termo de Identidade e Residência.»
    PUBLICO, 20/05/2010

    «O caso das ameaças ao árbitro internacional Jorge Sousa chegou ao fim. Há uma semana, os sete arguidos foram condenados pelo Tribunal de Paredes a penas de multa inferiores a um ano. Um deles foi absolvido. Todos adeptos do Benfica, estavam acusados de violação de domicílio e injúria agravada por terem aterrorizado o árbitro durante vários meses. (...) Os arguidos estavam acusados de violação de domicílio e tiveram de pagar uma indemnização a Jorge Sousa. Apenas Luís Marques e Rui Franco respondiam também por injúria agravada, tendo as penas mais pesadas - multa de 880 e de 1080 euros, respectivamente. Os restantes arguidos - Hugo Silva, José Sousa, Tomás Lima e António Vieira - têm de pagar multas entre os 480 e os 540 euros cada.»
    Correio da Manhã, 21/04/2012


    A PJ averiguou se estes sete adeptos do slb se conheciam?
    Como é que estes adeptos do slb arranjaram os números dos telemóveis dos árbitros?
    Estas acções ocorreram de forma isolada e independente, ou tratou-se de uma manobra organizada e feita a pedido de terceiros?
    Algum destes adeptos mantinha, ou teve, contactos com casas do slb e/ou com dirigentes encarnados?
    Devido a ameaças e coação sobre árbitros, adeptos do slb foram identificados e condenados por um Tribunal, mas o clube, mais uma vez, escapou pelo meio dos pingos da chuva...
    Blogue Reflexão Portista
    ________

    Impoe-se dar relevo a este assunto.

    ResponderEliminar
  5. Fiúza recorda mais uma ilegalidade do orelhas

    Nas vésperas da final da Taça Lucílio Baptista, Rui Miguel Tovar, do jornal i, contactou António Fiúza para uma entrevista telefónica.
    A entrevista foi publicada no dia 13 de Abril e a seguinte parte é ilustrativa de que já nos tempos em que Luís Filipe Vieira era presidente do Alverca, se faziam as coisas por outro lado...

    «Recua-se à época 1997/98, quando Fiúza é o vice do Gil e Vieira é o presidente do Alverca, a equipa-satélite do Benfica. Na Liga de Honra, o Gil acaba em quarto, a dois pontos do Alverca. Mas quem sobe é o Alverca! “Pelos regulamentos, o satélite não sobe de divisão. Como estavam a fazer um bom campeonato e andavam nos primeiros lugares, lembraram-se de deixar de ser um satélite do Benfica. Havia até jogadores que numa semana alinhavam pelo Benfica e na outra pelo Alverca. O presidente da Assembleia Geral da Federação alterou os regulamentos à pressa para ainda ir a tempo de eles conseguirem subir nesse ano. Os regulamentos foram alterados a quatro ou cinco jornadas do fim. Foi uma vergonha nacional.”


    «Dinis Resende não esquece essa temporada. Antigo defesa-central, barbudo, Sandokan como alcunha, figura incontornável nas cadernetas. Representou o Gil Vicente entre 1997 e 2000.
    "Lembro-me perfeitamente. Tínhamos apostado forte na subida e descurámos um pouco o Alverca. Como eram equipa-satélite do Benfica, até puxávamos por eles quando defrontavam os outros candidatos à subida", recorda.
    Sousa, José Soares, Bruno Basto e Hugo Leal jogaram pelos dois clubes na mesma época. Alverca e Benfica, Benfica e Alverca. Depois, havia Deco, Maniche, Caju. "Tudo do Benfica! A poucas jornadas do final, em mais um exemplo de chico-espertismo dos responsáveis pelo futebol português, o Alverca depois de ser considerado satélite e subiu. Ainda fizemos barulho na rua mas nada."»
    in Maisfutebol, 12/04/2012


    blogue o antilampião

    ResponderEliminar
  6. Ninguém reparou no critério habilidoso do árbitro??
    Num jogo de sentido único (posse de bola 67% - 33%), sem quezílias (embora se notasse, aqui e ali, que deveria haver dinheiro por fora do 5LB), e com poucas faltas cometidas (8 do Porto e 15 do Beira Mar), como é possível que tivéssemos 4 amarelos, e o Beira Mar apenas 3?!
    Pois, e aos 47´tinhamos cometido apenas 4 faltas e 3 amarelos. Ou seja, apenas a 1ª falra, do Hulk, é que não deu amarelo.
    Impressionante!!!!!
    Coincidência, depois do 2º e 3º golos, a coisa acalmou.
    Podem ver aqui as estatísticas:
    http://www.lpfp.pt/liga_zon_sagres/pages/MatchCenter.aspx

    ResponderEliminar
  7. O jogo de ontem voltou a mostrar um FC Porto de duas faces. A mais negativa, correspondendo a uma primeira parte de domínio inconsequente, com muitos passes falhados, dificuldades de progressão e sobretudo de uma intranquilidade defensiva de pasmar! As peças nucleares mostrara-se desinspirados e quando assim é, a máquina não carbura.

    A mais positiva, correspondendo a toda a segunda parte, com incidência especial para os primeiros vinte minutos em que os Dragões foram arrasadores, construindo um resultado confortável. Nesta fase o futebol saiu fluído, rápido, incisivo e demolidor. O acerto defensivo e muita classe foram determinantes, com subidas exibicionais de todos os jogadores. Destaque para Hulk, uma vez mais decisivo.

    O título ficou mais perto mas ainda faltam jogos muito importantes que vão decidi tudo, para o bem (espero) ou para o mal.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Faltam 2 vitórias! Rumo ao título!

    ResponderEliminar
  9. «Afastado do futebol desde que abandonou o cargo de presidente da Comissão Disciplinar da Liga, o advogado Ricardo Costa foi visto na tribuna VIP do Estádio Cidade de Coimbra, no passado fim-de-semana, onde assistiu à final da Taça da Liga entre o "seu" Benfica e o Gil Vicente»
    Semanário Grande Porto, 20/04/2012

    ResponderEliminar
  10. Silva Pereira23 abril, 2012

    O mesmo de sempre
    Já foi tudo dito sobre o jogo, apenas quanto a mim há a relevar um aspeto importante que foi apanágio de toda a época a falta de ambição e cumprir com os serviços mínimos. Eu espero sempre daa equipa que tem o jogo definido que parta com outa ambição e com outra determinação para levar a equipa ao tapete. Após estar a ganhar por 3-0 a jogar em casa, com uma equipa destroçada, que o FCP não jogue para o lado em trocas sucessivas no nosso meio campo. Eu espero do FCP uma equipa que acabe com as sucessivas desculpas dos nossos adversários e que o FCP domine todos os itens, melhor ataque se possível melhor marcador.
    Por isso ao contrário da maioria das opiniões não gostei.
    Já agora no 1º lance perigoso do Beira Mar o Helton estava a dormir, deveria ter matado a jogada saindo a preceito, também deve-se explicar ao Sapunaru que não faça (já não é a 1ª) simulações daquelas eu aconselhava que tirasse um curso de verão na escola de João Pinto (lampeão).
    Já agora um curso de verão para o VP em motivação/empatia para com os adeptos e equipa
    JÁ ME ESQUECIA MAIS UNS COMENTÁRIOS À IMAGEM DA TVI
    Srº Manuel Queirós um autêntico mercenário a cumprir o papel de lacaio.
    EU PROPONHO QUE A UEFA (PARA O APURAMENTO DA VERDADE DESPORTIVA) A AQUISIÇÃO DE INTENSEMITROS – Aparelhos que medem a intensidade dos lances nos jogos do FCP. Esta é para quem não viu a SIC do Rui merdas …. É penalti a punir um agarrar leve …

    Saudações

    ResponderEliminar