28 janeiro, 2013

71 horas e 45 minutos…

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/

Passados mais de 15 dias após o FC Porto vs setúbal da taça sr. lucílio batista (slb), e após um esforçado e meritório trabalho de contagem de minutos do jornal “a bola”, eis que surge o “caso das 72 horas”: FC PORTO FORA DA TAÇA DA LIGA POR UTILIZAÇÃO IRREGULAR DE JOGADORES!.

Não deixa de ser espantoso constatar que este “caso” não foi denunciado por nenhum clube, por nenhuma associação de futebol, nem por nenhum órgão jurisdicional da Liga ou Federação (quem deve assegurar a legalidade das competições), mas foi um caso despoletado única e exclusivamente pelo jornal “a bola”. Este caso surgiu na sequência de outro, a punição do Braga pela utilização indevida de Emídio Rafael, ou seja, o jornal “a bola” após o caso “Emídio Rafael”, logo se apressou em fazer um intenso trabalho de contagem de minutos do FC Porto, o seu ódio de estimação. Trabalho meritório sim senhor!

Só que, tão ou mais importante que a contagem de horas, minutos e segundos feita pelos “crânios da bola”, importa olhar para a regulamentação que está na origem de toda esta polémica, interpretá-la de acordo com o seu espirito (objetivo para o qual foi feita) e obviamente verificar a correspondência do objetivo da lei com a sua forma escrita, isto é, a letra da lei.

Tenho lido e ouvido muita coisa acerca desta polémica, em blogues, sites de jornais desportivos e televisões. Para muita gente parece que a lei é um amontoado de palavras cuja interpretação do seu espírito de nada serve, ou seja, é uma espécie de mecanismo automático de aplicação. Não é assim! Num estado de direito existem leis que posteriormente são analisadas e defendidas por juristas, que por sua vez esgrimem os seus argumentos num tribunal, onde depois um juiz dá o veredito final. Para muita gente é difícil perceber isso, para muita gente a justiça faz-se na praça pública, através de comentários em sites de jornais desportivos, divulgações no youtube ou conversas de café.

Porque não sou daqueles que falam sem conhecer minimamente os assuntos, nem se dão ao luxo de ao menos ler os regulamentos e refletir sobre eles, dei-me ao trabalho de ler o famoso regulamento que está na origem de toda esta polémica. Vamos por partes.

Em primeiro lugar, o anexo (no caso, V) que dá origem a tudo isto chama-se “REGULAMENTO DE INSCRIÇÃO E PARTICIPAÇÃO DE EQUIPAS “B” NA II LIGA POR CLUBES DA I LIGA”, ou seja, trata-se como o próprio nome indica de um regulamento dirigido às equipas “B” que participam na II Liga, notemos bem, que participam na II Liga! Essas equipas “B” não podem participar na taça de Portugal, na taça slb, nem na supertaça. No fundo, pretende-se fazer uma extrapolação de uma regulamentação dirigida a equipas “B” na II Liga para as outras competições.

Logo no 1º artigo do anexo V, está bem escarrapachado: “O presente Regulamento regula a participação das equipas “B” no campeonato da II Liga”. Mais uma vez, e como tinha dito no parágrafo acima, o anexo fala em II Liga, não na taça slb, na taça de Portugal ou no torneio do Guadiana. Para além de que se esta regulamentação se dirige às equipas “B”, então teoricamente só as equipas B deveriam ser penalizadas por qualquer ilícito na utilização de jogadores, nunca a equipa “A”.

Percorrendo o anexo, chegamos então ao famoso artigo 13º, o tal que diz o seguinte: “Qualquer jogador apenas poderá ser utilizado pela equipa principal ou equipa “B”, decorridas que sejam 72 horas após o final do jogo em que tenha representado qualquer uma das equipas, contadas entre o final do primeiro jogo e o início do segundo”.

Relativamente a este artigo, permitam-me que cite Joel Neto, um assumido sportinguista, que no jornal o Jogo escreveu o seguinte: “A expressão "72 horas" tem de ser entendida ao espírito ("grosso modo", portanto, "três dias"), até porque uma equipa ser privada de um jogador que seja, em qualquer competição, por via dos condicionalismos de uma transmissão televisiva seria um absurdo. De resto, todo o artigo do regulamento dedicado a esta matéria tem necessariamente de ser interpretado assim - ou seja, ao espírito -, caso contrário estaremos apenas no início de um belíssimo imbróglio legal. Se a Imprensa o transcreveu devidamente, o que diz o artigo 13º é: "(...) Qualquer jogador só poderá ser utilizado pela equipa principal ou B decorridas 72 horas após o final do jogo em que tenha representado qualquer uma das equipas." E eu nem vou questionar a habilidade dos juristas da Liga para a escrita do Português, porque então entrávamos numa discussão sem fim. O que sei é que, à letra, o que ali diz é que nunca um jogador pode fazer dois jogos em menos de 72 horas, mesmo que esses jogos sejam da mesma equipa. O que não é o que a Liga pretende impor, note-se: é apenas o que a sua deficiente redação descreve. E todos estes argumentos de defesa juntos, já agora, são quase tão válidos para as pretensões do Braga como para as do FC Porto.”.

Esta transcrição do brilhante artigo de um insuspeito sportinguista resume taxativamente aquilo que penso do caso. Resumindo apenas o que aquele amontoado de palavras nos mostra, é evidente que o que ali está escrito é que nenhum jogador pode fazer dois jogos em menos de 72 horas. Ora, e como não é só “a bola” que gosta de fazer contagens de minutos, nem precisei de muito esforço para encontrar uma situação em que as tais 72 horas não foram cumpridas:

1) 6 janeiro 2013: Estoril vs slb que se iniciou às 20h 15m e terminou às 22h, acabou o jogo com os srs jardel, aimar, lima e ola john em campo;

2) 9 janeiro 2013: slb vs Académica que se iniciou às 19h 45m, ou seja 67h 45m depois do último jogo com o Estoril, apresentou em campo os srs. jardel, aimar, lima e ola john.

3) A conclusão é simples: segundo os crânios da bola, para quem interessa apenas a letra da lei, aqui obviamente o slb teria incorrido numa irregularidade ao ter feito atuar 4 jogadores com menos de 72 horas de descanso.

Em minha opinião, obviamente que não existiu irregularidade do slb em ter feito atuar os 4 jogadores com menos de 72 horas de descanso, como não existiu irregularidade no FC Porto ter feito atuar Seba, Abdoulaye e Fabiano 71h e 45m depois do jogo que realizaram pela equipa “B”. E passo então a explicar o porquê.

Parece-me claro que este regulamento apenas se refere à I e II liga e por consequência, a utilização de jogadores numa liga e depois menos de 72 horas noutra, como foi o caso de Emídio Rafael. E isto acontece por uma razão simples. Por questões de desvirtuamento de verdade desportiva, ao tentar evitar que clubes utilizem nas suas equipas “B” jogadores que jogaram quase sempre na equipa “A”, mas que numa eventual situação de aperto na II Liga joguem menos de 72 horas depois na equipa “B” fazendo concorrência desleal às outras equipas da II Liga.

Imaginem se o FC Porto à partida para a última jornada estivesse a 3 pontos da salvação, o Jackson Martinez jogava sábado na equipa “A”, e depois no domingo iria dar uma perninha à equipa “B” de modo a evitar que o FC Porto descesse à II divisão, desvirtuando por completo o espírito e objectivo pelo qual foram criadas as equipas “B”.

Este regulamento em tese não pretende de modo nenhum impedir que jogadores da equipa “B” joguem na equipa “A”, ao fim ao cabo o principal objetivo e utilidade das equipas “B”. Pretende evitar desvirtuamentos na II Liga!

Para além disso, é de referir que sporting e marítimo também utilizaram dois jogadores, no caso Arias e Gonçalo Abreu, num período inferior a 72 horas em jogos da II Liga e da taça de Portugal. Pela teoria de que o anexo V abrange todas as competições e tendo em conta que existe cruzamento de leis entre taça de Portugal e competições da Liga (veja-se o caso da limpeza de cartões em jogos da taça de Portugal), então aqui, também haveria lugar a penalização de sporting e marítimo pela utilização dos referidos jogadores. E não houve!

Não sendo eu jurista, nem juiz, é este o meu entendimento do regulamento e do seu espírito. Não deixa de ser também curioso que muitos Portistas já condenaram a SAD Portista por um erro inaceitável para uma estrutura profissional como a do FC Porto. Esperemos para ver o veredito das instituições que existem para assegurar o cumprimento da lei, e depois sim, tiremos as nossas conclusões.

17 comentários:

  1. Muito bem. Ao datilografar passou isto:
    "não existiu regularidade" que deve ser "não existiu irregularidade"... yes?

    ResponderEliminar
  2. as leis foram feitas para jogos da equipa B e depois jogarem na equipa A, ou vice versa. Os jogos que dão do benfica como exemplo, são ambos da equipa A.
    Não tentem arranjar irregularidades onde elas não existem. Se fõr pela mesma equipa até podem jogar todos os dias!

    ResponderEliminar
  3. Que se fo... a taça da liga entreguem-na ao lucilio ou ao duarte gatuno gomes ou ao burro paixão e ainda ao bruno esteves, metam a taça up in ass

    ResponderEliminar
  4. caríssimo RCBC:

    antes de tudo, muitos parabéns!
    (pelo aniversário e pelo brilhante artigo)

    depois, e tendo em atenção o texto em apreço:

    eu sou um daqueles portistas que já dá o facto da (mais do que) provável exclusão da ex-taça da bjeKa como consumado, e por muitos (e, nalguns casos, muito bons, por serem explícitos) comentários que se façam em nossa defesa - como o post em causa.
    não vou em cantigas, nem sou haríolo, mas, baseado na sanção do SC Braga, e na decisão tomada pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol - o mesmo órgão que irá deliberar o caso afecto ao FC Porto -, tenho quase a certeza (absoluta) que, mais uma vez, o FC Porto vai ser uma espécie de “para um caso exemplar, um castigo exemplar".
    exemplos não faltam, sendo o mais paradigmático o que ocorreu no dia 01 de Abril 2009, com a punição de um jogo de castigo a Lisandro com o argumento de ter «simulado de forma evidente falta inexistente que conduziu à marcação de pontapé de grande penalidade a favor da sua equipa, com beneficio para a sua equipa na atribuição final dos pontos em disputa», num encontro frente ao clube do mito urbano dos «oito milhões e meio...» por Roberto. é que nunca mais se viu, no nosso comezinho futebolzinho, um jogador ser suspenso por simular um penalty - mesmo com o Gaitán em excelente forma (como se pôde comprovar no último Clássico) e o Aimar ainda a deixar o "perfume" do seu futebol por terras lusitanas...
    e continuo a afirmar que, independentemente do que venha a ser decidido e por muito que a SAD (in)tente desvalorizar este caso, quem fica mal "na fotografia" é o nosso clube, pois e como escrevi ontem «num clube altamente profissional como é o FC Porto, em que nenhum pormenor é descurado, neste caso estamos a passar uma imagem de incompetência e, pior!, algum amadorismo».
    (e não me refiro à nossa imagem para consumo interno, que com essa podemos nós bem...)

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  5. Caríssimos, vivo em Coimbra. Não posso afirmar-me PORTISTA. Falta-me aquilo que genuinamente voces têm, não só geográficamente. Vivem o clube no Estádio, no pavilhão, usam os vossos direitos como sócios.
    Sou adepto? Absolutamente!
    Visto a camisola no “confronto” com os adversários.
    Mas, não tenho a minha voz nos sítios certos…
    Por isso vos peço: Acreditem na força do clube Futebol Clube do Porto.
    Uma força de união, carácter e vontade.
    Não qualquer força bruta e esmagadora sobre todos os que dignamente partilham uma qualquer actividade desportiva.
    Existe orgulho mas não preconceito.
    Onde se deseja e proclama a vitória, reconhece-se que alguém foi derrotado.
    Nunca porque os derrotados são “gente” inferior, mas porque no confronto o FCPorto conseguiu ser melhor. Dentro do espaço - das quatro linhas!
    E no fim respeita os adversários vencidos.
    Todos?? Tem sido assim, mas TEM DE ACABAR !
    Cada vez aumenta mais em mim o sentimento que tanto desprezo: REVOLTA
    Não admito violência, nem suportaria qualquer adepto do clube FUTEBOL CLUBE DO PORTO muito menos alguns evidentemente identificados como responsáveis fazê-lo.
    Não esqueço os maus exemplos do nosso adversário SLB. E por isso são maus exemplos que felizmente não colhem frutos nestas bandas.
    Mas porque razão esses exemplos vêm na sua quase totalidade só de um adversário?
    A minha resposta simples: Muito raramente têm conseguido ser melhores, sobretudo têm dentro tamanha basófia e preconceito.

    Ontem, perdi (ganhei porque (re)conheci a maldade) muitos minutos a ver e gravar os programas de comentadores do futebol.
    Senti-me mal, como verdadeiro adepto do Futebol Clube do Porto, em ver e ouvir esse gordo João Gobern destilar tanta perfídia e mentira. Mais ainda porque o Miguel Guedes não conseguiu estar á altura de vestir a NOSSA camisola. À muito que não lhes ligava. Acerca do Miguel e quando ele substituiu o Rui Moreira via nele pessoa capaz de retorquir com esclarecimento e objectividade. Para mim poderia estar ali alguém capaz de desmascarar as mentiras e enaltecer as verdades.

    Mas não era só nesse.
    Num tempo que é Extra (pudera, uma estação reservar um monólogo durante tantos minutos a esse Rui Santos, tem de ser mesmo EXTRA longo…) foi mais do mesmo.

    E o tema até à exaustão era a despromoção da Taça da Liga. Pedro Proença e o jogo em Setubal!!!
    Que enorme chorrilho de pouca vergonha!

    Isto não é mais do aquilo que o caro Vila Pouca (nunca soube se este é o seu nome, mas também não importa) tem vindo a dar espaço e destaque aqui nesta página. E muitos outros PORTISTAS o fazem.
    Mas tem que ser feito ainda mais!

    Renovo o meu pedido.
    Usem tudo aquilo que está ao vosso alcance para desmascarar estes abutres indignos.
    Apoiem o CLUBE e ajudem-no a conseguir mais esta vitória.
    Chamem-me a escrever a minha REVOLTA, gritem no Estádio, exibam mensagens no Estádio, exigam a quem está próximo do Clube que responda.
    Não um comentário on-line na página oficial ou no facebook.
    Apelem à nossa SAD.
    Declarações sustentadas na comunicação social.
    E depois que se sacrifiquem com sentido e rigor na busca das condições ideais para a equipa de futebol conseguir a vitória NESTE campeonato!

    Repito alumas palavras do NOSSO treinador:

    “Às vezes leio críticas em que baixamos de qualidade, de ritmo, mas é preciso analisar correctamente as situações…”
    “Satisfeitíssimo, vejo a equipa a vir de um período em que teve de lidar com muitas condicionantes e foi ganhando jogos com personalidade, com qualidade, com carácter e aqui estamos na frente do campeonato e à espera de elevarmos a qualidade, de continuarmos agressivos, de continuarmos concentrados e de chegarmos no fim em primeiro lugar, que é esse o grande objectivo da época.”

    Luis Manuel (Coimbra)

    Deixei este comentário no Vila Pouca, na porta 19, e tentarei noutros PORTISTAS.
    Estou imensamente REVOLTADO.
    Acho que definitivamente perdi o respeito desportivo, embora o(s) clube(s) adversários enquanto instituição mo exigem. Mas esta gente!!! Pouca vergonha !!!

    Hoje será o primeiro dia do resto do NOSSO campeonato.

    ResponderEliminar
  6. http://www.zerozero.pt/jogo.php?id=2256996

    e

    http://www.zerozero.pt/jogo.php?id=2516558

    E o Kardec? Melhor falar caladinho que nem um rato...

    ResponderEliminar
  7. isto é tão confuso e dúbio, que naturalmente dando para os dois lados, quando o assim é, e conhecendo como já todos conhecemos aquele antro de "putas de 5a categoria" que decidem, tá bom de saber a decisão que vai saltar cá para fora... pádmirar será acontecer o contrário, mas aguardemos paciente e serenamente pelo que vier, seja lá o que for.

    importante mesmo, de valor mesmo, é mai logo ganharmos aos de Barcelos, isso é que é... o resto, esse nojo de troféu feito desde à primeira hora à medida daquele clube de carneiros da 2a circular, que continuem a ficar lá com aquela merda de quinquilharia barata pa embelezar as prateleiras do tasco deles, que vale merda alguma.

    ganhar mai logo é que é de valor...

    ps - parabéns RCBC pela exposição que aqui nos deixas e que ajuda a iluminar algumas coisas, e noutras a baralhar de que maneira onde estará a verdade das coisas, mas como tu não decides nada, o mais certo é ficares a pregar sozinho no deserto... aquelas putas, aqueles porcos, podendo, não nos perdoam nadinha, e quando nos colocamos a jeito, tá bom de ver como vai for. PQosP, cagar e andar, como sempre temos feito! O caminho faz-se caminhando, e nós vamos continuar a caminhar, doa a quem doer, custe a quem custa. Siga, andamento...

    ResponderEliminar
  8. Por mais que leia mais confuso fico...

    Ora expliquem-me lá, como se eu fosse loiro, se o que aqui está em causa é qualquer coisa como um jogador que tenha jogado na equipa B tem de esperar 72 horas antes de poder jogar pela equipa A, e/ ou vice-versa.

    Ou é algo mais que isto?

    ResponderEliminar
  9. Luis Manuel (Coimbra), bem vindo à Revolta ;-).

    ResponderEliminar
  10. Estilhaço,
    Esse porventura seria o espírito da lei mas a verdade é que o tal art. 13º coloca tudo no mesmo saco e assim sendo há muitas outras irregularidades.

    ResponderEliminar
  11. Reine Margot,

    Correção efetuada. Obrigado pelo alerta!

    Relativamente ao caso em discussão… Sim, é um assunto complicado com muitas situações dúbias e juridicamente confusas.

    Mas claramente que os pontos essenciais de toda esta questão não estão a ser focados devidamente por quem nos representa quer nas tvs, quer nos jornais. Por exemplo, ontem o Miguel Guedes no Trio de Ataque não defendeu nada bem o nosso clube nesta questão, falou apenas na falsa questão dos 15 minutos, sem analisar o regulamento, nem levantar as questões que eu por exemplo aqui levantei neste meu humilde post.

    O que está em causa não são apenas as 72 horas de descanso entre partidas da equipa “B” e “A”, porque esses claramente (isto é factual) não foram cumpridos por Sebá, Abdoulaye e Fabiano.

    Para além da questão das 72 horas que é factual, há outras questões de que ainda pouca gente falou mas que não deixam de ser muito relevantes… Se as 72 horas se referem apenas a jogos da I e II Liga ou se também contam os jogos da taça de Portugal, supertaça ou taça slb. E aí surgem DOIS CENÁRIOS DISTINTOS:

    1)Para as 72 horas de descanso apenas contam os jogos realizados no âmbito da I e II Liga. Neste cenário, como o jogo com o Setúbal foi a contar para a taça da Liga, não existiria qualquer irregularidade na utilização dos 3 jogadores e basicamente tudo isto não passaria de uma excelente manobra de diversão do jornal “a bola”…

    2)Para as 72 horas de descanso contam todas as competições, não apenas I e II Liga, ou seja, o cenário em que há cruzamento de leis como existe nos cartões amarelos e noutras situações similares, no fundo é o cenário de que a regulamentação das 72 horas incide sobre toda e qualquer competição. Neste cenário, existiria mesmo irregularidade e o FC Porto deveria ser punido. TODAVIA, HÁ QUE NOTAR O SEGUINTE: QUER O SPORTING QUER O MARITIMO UTILIZARAM JOGADORES COM MENOS DE 72 HORAS DE DESCANSO ENTRE JOGOS DA II LIGA E TAÇA DE PORTUGAL. COMO OS RESULTADOS JÁ FORAM PROMULGADOS NÃO HAVERÁ QUALQUER PENALIZAÇAO QUER AO SPORTING QUER AO MARITIMO, À EXCEPÇÃO DE UMA SIMPLES MULTA, MAS NADA COMPARADO À PENALIZAÇÃO DO FC PORTO POR UMA SITUAÇÃO EXATAMENTE IGUAL.

    No fundo, a concretizar-se o 2º cenário descrito acima, a conclusão é muito simples: o cumprimento dos regulamentos das competições oficiais em Portugal é baseado não, numa análise seria, isenta e atempada das entidades competentes (comissões disciplinares da Liga e FPF), mas sim em contagens de minutos do jornal “a bola” ou do correio da manhã. Como o sporting e o marítimo são equipas que não interessam nem ao menino jesus então a bola, o record ou o correio da manha pouco se interessaram pelo caso. Como foi o FC Porto o apanhado nos 15 minutos de diferença (e no caso de Sporting e Marítimo foram mais que 15 minutos), então toca a fazer um processo sumaríssimo à pressa. Ou seja, é uma espécie de justiça de acordo com as pesquisas dos jornais desportivos.

    E é contra isto que eu me insurjo.

    ResponderEliminar
  12. Boa noite...

    tal como tu caro portista de Coimbra..também eu estou revoltado...mas não contra este caso de merda...para mim também me é um pouco igual...porque sei que na dúvida é sempre contra nós...

    O que mais me revolta, é ouvir um filho de uma grande puta, chamado ricardo costa (o ponta de lança dos encornados), a comentar este caso e a achincalhar o nosso clube e o seu profissionalismo...

    epá...fdx...e ainda ando, como no caso do basquetebol, a "ouvir" o silêncio ensurdecedor da direcção do nosso clube em relação a este caso....

    Fdx.....

    Abraço

    Elcomandante

    ResponderEliminar
  13. Agradeço os vossos elogios ao post. O objetivo era mesmo levantar uma série de questões que até agora ainda não tinha visto respondidas, e que continuo a não ver esclarecidas pelos meios de comunicação social. Que as 72 horas não foram cumpridas isto já todos percebemos, o resto da história é que parece não interessar muito contar.

    Uma última nota: nem preciso de ver os programas desportivos de hoje à noite para perceber que a defesa do FC Porto será similar à que vi ontem: fraquinha e dando possibilidade aos adversários de gozarem o prato! Sabem o que vos digo: que saudades do Dr. Pôncio Monteiro, um SENHOR para quem a defesa do FC Porto era bem mais importante que os € do cachet de um qualquer programazinho de tv…

    Abraço a todos

    ResponderEliminar
  14. è com prazer e direi mesmo com orgulho que vejo aqui um portista a esgrimir o nosso ponto de vista juridico!!!!
    Pena tenho que consagrados paineleiros que se autointitulam portistas não tenham pedal para tamanha empreitada.
    E como dizes que saudades de PÔncio Monteiro!!!!!

    ResponderEliminar
  15. Imagine-se que o Sidnei tinha sido inscrito para jogo de dia 15 de Dezembro (http://www.zerozero.pt/jogo.php?id=2256617) e que depois tinha sido inscrito para jogo de dia 16 de dezembro (http://www.zerozero.pt/jogo.php?id=2256955)

    Isso é considerado "utilização"?

    ResponderEliminar
  16. Quanto à questão da simples inscrição na ficha técnica em menos de 72 horas também constituir irregularidade? Sinceramente não sei, mas também não deve ser muito relevante porque nenhum dos muitos juristas afetos ao FC Porto ainda se deu trabalho de refletir sobre tal temática…

    Para finalizar esta discussão permitam-me alguns últimos desabafos (e desculpem se vou ser malcriado com alguém) sobre tudo isto…

    Uma vergonha a forma fraquíssima, frouxa e envergonhada como Miguel Guedes abordou esta situação e por conseguinte como não defendeu minimamente o clube…

    Uma vergonha a forma fraquíssima, frouxa e envergonhada como Guilherme Aguiar abordou esta situação e por conseguinte como não defendeu minimamente o clube…

    Uma vergonha a forma como Guilherme Aguiar se deixou gozar completamente por aquele “símio disfarçado de humano” chamado “cornos da silva”…

    Uma vergonha a forma como Guilherme Aguiar nem sabia o nome do jogador do marítimo que incorreu exatamente na mesma situação de que o FC Porto é acusado… “Gonçalo qualquer coisa” disse Guilherme Aguiar… Quanto ao jogador do Sporting, nem sabia quem tinha sido, quando tinha sido, nem de que maneira poderia consagrar uma situação semelhante à do FC Porto… Se tivesse lido este texto, se calhar o sr. Guilherme saberia tudo na ponta da língua para defender o clube em plena tv onde é majestosamente pago!

    Chegou ao cúmulo do “símio disfarçado de humano” contar o episódio Calabote à sua maneira, inventando um imundo monte de mentiras, negando tudo aquilo que realmente foi a história (comprovado até pelo jornal a bola daquele tempo), perante a total indiferença e falta de reação do Sr. Guilherme Aguiar…

    A cereja no topo do bolo foi o “símio disfarçado de humano” ter-se virado para o Sr. Guilherme e dito o seguinte: “Oh Guilherme tenha calma que precisa dos votos dos benfiquistas para ganhar a câmara de Gaia!”…

    Tudo isto me mete nojo... Mas uma coisa é certa, nem que seja o único em 10 milhões não deixarei, nem por um segundo que o FC Porto seja achincalhado e gozado por um conjunto de símios agora vêem uma ótima oportunidade de gozar com o FC Porto...

    Continuarei como o meu amigo BlueBoy disse, "a pregar sozinho no deserto"...

    Já agora, passaram-se já quantos dias desde a noticia da bola? Alguma reacção até hoje do FC Porto?
    Mas se calhar se fosse para responder a uma qualquer provocação de um atrasado mental qualquer, aí já tinha tido resposta no minuto... Enfim...

    ResponderEliminar
  17. @ RCBC

    « Continuarei como o meu amigo BlueBoy disse, "a pregar sozinho no deserto"... »

    peço desculpa se poderei parecer pretensioso, mas, pela parte que me toca, não estará sozinho.
    e, quer-me parecer, também por estas (boas) bandas terá um forte apoio :D

    abr@ço
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar