27 março, 2008

Futuro risonho...

“Já ‘tá”, exclama o Tomás, na irreverência dos seus 20 meses, quando conclui uma das tarefas que se propõe realizar. Também dei por mim, outro dia, a utilizar a mesma expressão do meu filhote. “Já ‘tá”. Após mais uma vitória do FCP, a realidade da Nação portista é mesmo essa. Sensação de dever cumprido. E, neste caso, nem se aplica aquela velha máxima de prudência e cautela, o “não atirem foguetes antes da festa”. Não existe ainda, é certo, uma certeza matemática, mas todos sabem que as faixas de campeão ficarão no mesmo sítio das do ano passado.

Estádio do Dragão. Apartado Tri. Avenida dos Campeões. Poderia ser essa a morada para as enviarem. O tri, 2º da história, já tem hora e local marcado. Será um dia destes e a Invicta vestirá as suas melhores vestes. Roupa de gala para uma festa de arromba. Comemoração contida, pela ausência da imprevisibilidade, mas merecida. Rolhas de champanhe a saltarem de garrafas, passadas de mão em mão, tornando o elitismo uma palavra fátua. É ali, nas ruas e becos do Porto que se sente a alma do clube. No Povo. Onde ela pulsa. Com vida própria. Homens e mulheres. Novos e velhos. Pobres e ricos. Numa noite especial. Sem classes sociais. Sem separações ideológicas. Sem questiúnculas políticas. Sem credos religiosos ou diferenças étnicas. Todos juntos, irmanados numa adoração única, que não faz separações. O amor incondicional, esse que alguém, um dia, disse que era “uma chama que arde sem se ver”. Será. E consome-nos a todos. O dia da festa é o nosso dia. Por direito. Quilómetros calcorreados, numa veneração especial, ano após ano. Chuva. Vento. Sol. Canícula. Tudo suportado. Por isto. Pelas faixas de campeão nacional. São nossas. O Mundo, o nosso Mundo, volta a ser azul e branco…

Com este capítulo encerrado, colocado na já longa e rica história do clube, debruado a letras douradas, cabe agora aos responsáveis portistas delinearem a época seguinte. A do Tetra. O mote foi dado recentemente pelo Grande Timoneiro. Pinto da Costa elucidou os mais cépticos quanto a isso. Apenas com uma frase. “Quaresma só sai por 40 milhões”. Mera bravata do presidente portista, ou a assumpção da ambição que grassa naquela casa?

Sinto que a resposta à retórica pergunta é a segunda. Ambição. É disso que se trata. A vontade compulsiva de querermos sempre mais. E a Europa não é um sonho distante. Está ali. À distância de um plantel forte, coeso, qualitativamente irrepreensível. Teria sido fácil para Pinto da Costa adoptar uma típica postura, feita de lugares comuns, e de discurso repleto de banalidades. Não o fez. Colocou um preço no irreverente jogador, é certo, mas bem alto, sendo possível ler nas entrelinhas que o clube fará um esforço denodado para o manter. Se aquele limite, traçado a giz, não for ultrapassado.

Teremos um Porto forte. Internamente, crónico e principal candidato ao título. Mantendo ao leme Jesualdo, garante de trabalho exemplar e profissionalismo à prova de tudo, os Dragões terão um desafio ambicioso. Fazer mais e melhor. Lá fora. Com que equipa?

A época do defeso verá, de certeza, um assédio obsceno às principais figuras do plantel. E elas são tantas. Bruno Alves, Bosingwa, Paulo Assunção, Lucho, Meireles, Lisandro, Quaresma. Resistirá a SAD a tamanha pressão inflacionista?

Penso que sim. Esta equipa ainda não atingiu a sua maturidade. Poderia ter sido este ano. Bastaria um leve sopro, uma aragem de fortuna dos Deuses da Sorte e a Europa ficaria a trautear, de cor e salteado, os nomes componentes do plantel. Não foi. Ponto final.

Julgo que do lote acima apresentado, um deles será sacrificado. Falta saber quem. Fosse minha a escolha e Quaresma arrumaria o seu cacifo, faria as malas e embarcaria para nova aventura internacional. Não que eu não seja apreciador dos prodígios técnicos com que o extremo costuma fascinar as plateias. Nem que não ache que ele é uma peça fulcral na equipa. É. Mas, racionalmente, a sua saída, recompensada por um valor chorudo, capaz de fazer corar de vergonha o orçamento de um País do 3º Mundo, permitiria o estancamento da sangria. E a manutenção de Lucho, para mim um dos mais valiosos médios do futebol mundial.

A perda de Quaresma, futebolista de características ímpares, faria Jesualdo adoptar, provavelmente, outro esquema futebolístico. Já testado, algumas vezes, mas sem grandes resultados práticos. O 4-4-2, sem extremos. O Porto ganharia um meio-campo triturador. Com Lucho. E com mais alguém, comprado com parte dos 40 milhões. Talvez Tiago, pés de veludo, cara de criança, pouco adaptado a Turim. Ou, neste Mundo feito de sonhos, como li num blog amigo [portistas de bancada] com o regresso de Deco…

O actual 4-3-3, longe de estar estafado, não morreria na eventual saída do “mustang”. Tarik e Mariano, se este ficar no plantel, são opções válidas para a manutenção de um futebol veloz, feito pelas alas, com mortíferas assistências a saírem dos seus cruzamentos. Pitbull, a viver um extraordinário momento à beira Sado, seria mais uma carta a juntar a este baralho, podendo afirmar-se como opção válida para um dos lados. Como se vê, o tema, longe de estar pacificado, irá proporcionar imensas dores de cabeça a Jesualdo. Porque ainda pode vir Ibson. Jogador do ano no Brasileirão.

Chega? Ou a manta ainda é curta? Na defesa sim. Falta qualidade do lado esquerdo. E ela não está lá, de momento. Cech é um mero tarefeiro, capaz de cumprir, sem qualquer brilho, a função. O Porto necessita de mais. Lino, erro de casting na actual equipa, já deve ter carimbada a guia de marcha. Para bem longe. No centro, Bruno Alves e Pedro Emanuel oferecem segurança. De betão. Adeptos do lema, “antes quebrar que torcer”, relegarão para o banco Stepanov e o comentado Rolando.

A ser verdade, agrada-me a contratação do actual jogador do Belenenses. Novo, com margem de progressão, internacional jovem português, contribuirá para uma sadia competitividade no plantel. Se o nome avançado nos jornais não passar de mera especulação, que tal alguém lembrar-se de…Geromel? Qualidade em doses industriais, uma calma e frieza próprias de um veterano, seria um belo presente para os adeptos portistas…

O lado direito da defesa tem dono. E dos bons. Bosingwa, cujo nome do meio é “supersónico”, tem o lugar garantido. Desde que fique no Dragão. Proprietário de uma velocidade estonteante, rasga autênticas avenidas nas defensivas contrárias. A cobiça que desperta, fazendo alguns dos nobres senhores do futebol europeu salivarem por ele, fazem perigar a sua permanência de dragão ao peito. Para o que der e vier está lá um uruguaio irrequieto. Também dos bons. Por ali, “no problem”, como diria Robson…

E à frente? Responderão todos, em uníssono: LISANDRO. Sim, corroboro eu. O argentino é sinónimo de golos. Letal. Mortífero. O eleito, num 4-3-3. Com companhia de alguém, num 4-4-2. Que alguém? Farías? Torço um pouco o nariz…

O período de adaptação, ainda a ser vivido pelo compatriota de Lucho e Lisandro, tem desculpabilizado alguma inconsistência da sua parte. Tem qualidade. É inegável. Vê-se em pequenos gestos técnicos. Mas a um avançado, mesmo que de créditos firmados, exige-se golos. A bola a ultrapassar a linha de baliza. A bater na rede. E isso, até agora, é algo que anda divorciado de Farías. Edgar, agora na terra dos doutores, não é ainda uma opção válida. Adriano, figura de proa no bi, não tem merecido a confiança plena de Jesualdo. Nem merecerá para o ano, a não ser que exista alguma conjugação cósmica que o torne mais aprazível aos olhos do mister. Por isso, para além do crucial defesa esquerdo, o Porto precisa de um avançado. Topo de gama. Mesmo que isso signifique abrir os cordões à bolsa.

Concluindo, a época de 2008/09 não será muito diferente da que agora vai terminar. “Os cães a ladrar e a caravana a passar”. É o lema. Dentro do campo, em território luso, não temos rival. A menos que, num qualquer acesso de loucura como o sucedido pós-Gelsenkirchen 2004, resolvamos dar tiros no próprio pé. Não me parece concebível. O Porto navega em águas tranquilas, com uma organização ímpar, exemplar, admirada nos meandros futebolísticos.

Quanto aos mais directos rivais, tudo permanecerá imutável. Euforias prematuras, vitórias morais e mais do mesmo. O Sporting, vivendo o drama idêntico a milhares de portugueses, endividado até ao tutano, refém da estratégia de recuperação bancária, continuará a curva descendente, equiparando-se cada vez mais a emblemas emergentes, como o Braga e Guimarães, lutando com estes pelos lugares de acesso à Champions.

Do outro lado da 2ª circular, o Circo continuará sob as luzes da ribalta. Pelos piores motivos. Contratações desastrosas. Declarações infelizes. E o novo recorde do Guiness. O 11476º ciclo da era Orelhas. “Vai ser o melhor Benfica dos últimos 20 anos”….

Não temos motivos de preocupação! O nosso futuro será risonho…

15 comentários:

  1. Belissímo post a colocar o dedo em várias feridas.Eu se bem conheço o Pr. do meu clube, acho que depois de todos estes casos e processos, que visam apenas impedir que a hegemonia continue,vai fazer tudo para que a próxima época, seja a continuidade dos sucessos anteriores. Sendo assim, apenas sairá um ou dois jogadores, embora o caso P.Assunção possa complicar.
    Neste momento o jogador que está mais próximo de sair é aquele que a mim me dá mais pena; Lucho González.Esperemos se se confirmar, o F.C.Porto negoceie como sempre, ISTO É, MUITO BEM.
    uM ABRAÇO

    ResponderEliminar
  2. Vamos por partes...é certo que tocas algumas feridas importantes, mas nao me parece de todo risonho tal futuro, ha muita coisa nas entrelinhas e como sempre haverá os erros de casting de costume e o esbanjar de dinheiro em pacotes de jogadores.

    Antes de pensarmos em comprar deveriamos era pensar em reduzir o lote de jogadores aoserviço do clube e k tanto dinheiro nos custam.
    Nao vou falar em nomes pork seria extensivo, falta neste bom artigo o nome de Postiga que é mais que certo vai regressar, renteria tb...é esta politica que temos de rever.
    Em relaçao a sangria, estou convicto que os nºs vao falar por si, mas uma coisa tenho como certo e ha mais gente a comungar desta opiniao, saia kem sair venha kem vier e isso ja aconteceu noutras alturas, nunca fui capaz de imaginar o meu Porto sem este ou akele jogador idolatrado pela massa azul e branca, mas sempre sobrevivemos a tal e tais sangrias ou amputaçoes de valores, sempre com reconhecida capacidade regenerativa e pra melhor, desta vez nao será diferente...
    Abraço e ganhar em belem para a festa ficar mais proxima....

    ResponderEliminar
  3. Pois mais um post extraordinário do PP. É uma sorte para nós termos um aliado desta qualidade, desta classe. Analisou o plantel do FCP à lupa projectando o futuro onde até Ibson (q aprecio mt pode entrar).

    PREOCUPAÇÃO: O nosso Dragão Vilapouca q quase sempre acerta nas projecções q faz levanta aqui a questão da saída de Lucho. Se ele fala, deve saber algo. Fico triste, abatido mas nem assim temo o futuro. Porque o exército do Dragão, o verdadeiro exército somos nós e mesmo sem Lucho ou Quaresma somos nós a tua força, a tua voz, tu nunca estarás só, força porto vence por nós!!

    PARABÉNS PAULO.

    ResponderEliminar
  4. Além da mais que habitual crise na falta de defesas para o lado esquerdo poder-se-á fazer os cenários que se quiser, mas tudo vai depender das saídas.
    E embora o grande ciclo deste grupo de jogadores não tenha ainda terminado (haverá que se ir mais longe na Europa) alguns deverão mesmo sair, como diz o Dragão Vila Pouca.

    O mais importante agora sería garantir o Assunção.
    Concordo ainda com a ideia do Bruno Rocha de garantir a utilização de jogadores emprestados como o caso do Rentería, Ibson, etc.

    De resto estou seguro que a organização está garantida num futuro já bem planeado e com opções para cada situação.
    Os nomes mudam mas a equipa é eterna.

    ResponderEliminar
  5. Aquilo que eu sei em relação ao Lucho é apenas aquilo que é público:é o jogador do F.C.Porto com mais mercado e como foi já muito difícil segurá-lo nesta época...
    Quanto aos muitos jogadores emprestados e que faz referência o B.Rocha;quando os gastos são perfeitamente comportaveis... deve-se ir por aí.Às vezes acerta-se outras vezes não, mas, basta acertar num bom jogador para pagar todo o investimento feito. O F.C.Porto neste mercado cada vez mais globalizado, com os grandes tubarões do futebol europeu atentos a tudo que mexe, só pode chegar, se arriscar em jogadores cADA vez mais novos o que, como todos sabemos, não é fácil ter certezas.Apesar de alguns erros de casting o nosso clube também aí está no caminho certo.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Excelente crónica. Eu continuo a achar que vamos sofrer uma razia e Quaresma deve ser dos poucos "cobiçados" a ficar. Em relação a competição interna não tenho duvidas que com 1 ou 16 pontos não teremos dificuldade em chegar ao tetra, mas eu preferia nivelar as expectativas por cima (chegar longe na Champions)! Quanto á politica de contratações, gostava de ver muitos jogadores a regressar á base - B.Vale, P.Machado, Vierinha, B.Gama, Pitbull, mas principalmente Ibson - e investir num bom central, Geromel ou Rolando, um lateral esquerdo, J.Ribeiro e um 10 em condições. Alem disso, acho que temos jogadores como Stepanov, Bolati ou Kaz que podem e devem ser muito mais aproveitados, coisa que o cagão do treinador não parece ser capaz de fazer.

    ResponderEliminar
  7. É hábito dizer-se que cada adepto português é um treinador. Tal afirmação ganha contornos de uma maior veracidade quando falamos das convocatórias da selecção nacional para campeonatos do mundo e da Europa. O que propomos é que cada um liberte o treinador que guarda dentro de si e escolha os jogadores que gostaria de ver jogar por Portugal no próximo Verão por terras da Austria e da Suiça.

    http://aminhaseleccao.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. Olá a todos,

    Pois, apesar do pessimismo inato do Bruno (tás com a neura?)o futuro do Porto será risonho. Mesmo com Apitos da treta. Ou com perseguições mascaradas de pretensa justiça. Somos mais fortes. E vamos ganhar, como o Blue lembrou, o 3º campeonato na era do Apito Dourado. 3 em 3 não é para qualquer um. E, fazendo fé nas palavras do Luisão, nem somos os melhores. O que aconteceria se fossemos?:)

    Como já aqui disseram, acredito k as provocações constantes, o clima de euforia k se vive pela pronunciação de PC em Tribunal, fará com k o nosso líder seja ainda mais ambicioso. E eles pagarão...dentro das 4 linhas...

    Posto isto, é vencer em Belém, k nunca me caiu no goto, não fosse uma equipa de Lisboa, e passar à final da Taça. Será a melhor forma de os calar...

    ps: Cada vez mais acho k o treinador idela do Benfas seria...Scolari. Carago, lembrem-me da abestunta!

    ResponderEliminar
  9. Após uns dias de ausência, por bons motivos pessoais (passeio), aqui estou de volta...

    Bom parece que a lista temos de acrescentar um defesa direito... Afinal as palavras do Bosingwa são muito claras... Ele quer sair... Mas espero que alguém lhe diga que não é ele que manda. No Porto ele é apenas mais um, como o são o quaresma, o lino, o Lucho ou kaz.

    Só espero e tendo consciência que vai sair muita gente ao contrário daquilo que eu desejava que a direcção nos brinde com um rebuçado e o melhor rebuçado é Deco....

    Espero que a direcção assuma as vendas e compras de uma forma clara, pois apesar de o Porto ganhar e ninguém chatear os dirigentes, os portistas também não estão a dormir no que diz respeito as contas... Não que seja do meu bolso, mas porque se exige que tanto dinheiro dê em algo...
    Mas isso são contas para outros rosários que guardo para quando alguém aflorar o tema aqui no blogue.

    Paulo Pereira, mais um belo tema, apesar de gostarmos todos de jogadores diferentes, espero que certos jogadores não regressem ao dragão pois não acredito que sejam mais valias. De todo que não queria a saída do Lucho ou Quaresma, pois são a magia do Porto, assim como dispensava a contratação do Tiago que pessoalmente não gosto.

    Saudações azuis e brancas
    Carlos Pinto

    ResponderEliminar
  10. Acho contudo que para consumo interno, até podemos vender metade da equipa que a gente continua a ganhar...

    Se fosse o necessário para acabar com passivos, campeões seriamos na mesma...

    A este ritmo, vamos ver quem faz mais seguidos se o Futebol se o Hóquei... É uma das maiores disputas que temos...

    Mas o objectivo não é acabar com passivo e não sei como ele ainda existe, mas ok... O objectivo é seguir esta estratégia de comprar jogadores que serão valores seguros no panorama desportivo e geradores de activos excepcionais. E ainda podemos ver o que vai sair do Visão 611, mais concretamente do Dragon Force que penso estar aí integrado.

    Pena que não seja alinhar para o pelotão da frente da Europa, mas para isso não existem recursos suficientes... Tv e falta de competitividade... Nem nisso os mouros ajudam carago... Venha o Guimarães dar emoção a isto para ver se o campeonato português ganha mais interesse no estrangeiro, gerar mais receitas e criar mais projecção e interesse de jogar na liga portuguesa por parte de jogadores de topo.

    Saudações azuis e brancas
    Carlos Pinto

    ResponderEliminar
  11. Eu também desconfio e muito dessa do «brasuca de merda» ir treinar os «pitos de aviário»...

    Deus queira e a nossa senhora do caravaggio também que isso aconteça...

    Aquilo vira o Texas... lol

    Saudações azuis e brancas
    Carlos Pinto

    ResponderEliminar
  12. Pra quem se habituou a perder os melhores jogadores num ritmo imparável, sinal de que neste clube se trabalha com qualidade, não me custa admitir que, se os "tubarões" perderem a cabeça Pinto da Costa não terá como segurar os craques.

    Preferia que ninguém saísse, mas infelizmente isso não vai ser possível. Contudo, tenho a certeza que o futuro continuará a ser risonho porque, tal como noutras ocasiões, este Clube raras vezes sai a perder. O passado é a prova disso mesmo.

    Continuarei confiante qualquer que seja o desfecho.

    ResponderEliminar
  13. Contrariamente ao "no coments" de
    Sir Bobby Robson , eu digo:

    Aqui está o Paul Pereira e ,
    mais uma vez , em grande forma !

    ResponderEliminar
  14. Viva !

    Grande texto !

    Dos poucos jogos que vi do Porto penso que Lucho seria uma perda enorme.

    Penso que se o Deco regressar nunca mais será o mesmo. Só um conseguiu o regresso : Vítor Baía. Mas ainda bem se me engano !

    Quanto a Quaresma, será que o Inter ou o Arsenal estão dispostos a pagar 40 milhões ? Ou será que Quaresma aceitará ir para um clube com pouca projecção europeia ?

    Acho que há que ter calma. Mas se o Lucho sair há que procurar uma real solução !

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  15. Paulo Pereira, como sempre, um texto brilhante... de ler e reler... parabéns.

    Com estes actuais, ou com outros, não tenho dúvidas algumas... o nosso futuro continuará a ser risonho, porque aqui neste pequenino país infestado de invejosos, ridiculos e mediocres, não há quem se chegue ao nosso nível e qualidade... estamos a «anos luz» da concorrência.

    E por falar na concorrência, parece-me que há para ai um nosso «salvador» para as bandas do galinheiro, um tal de Rui (B)osta... mais um para arder em lume brando, até à extinção total.

    ResponderEliminar